A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Recuperação de Áreas Degradadas. A u l a 8 B – F i t o r r e m e d i a ç ã o.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Recuperação de Áreas Degradadas. A u l a 8 B – F i t o r r e m e d i a ç ã o."— Transcrição da apresentação:

1 Recuperação de Áreas Degradadas. A u l a 8 B – F i t o r r e m e d i a ç ã o.

2 Histórico => raízes na geobotânica / anomalias geobotânicas / sensoriamento remoto. Conceito: Técnica, em geral in situ, que possui o objetivo de descontaminar o solo e a água utilizando-se plantas como agente descontaminador. As técnicas para despoluir áreas contaminadas por diversos compostos orgânicos devem possuir: Eficiência na descontaminação. Simplicidade na execução. Baixo tempo demandado pelo processo. Baixo custo. ALMEIDA, E. L. de et al. Crescimento de feijão-de-porco na presença de chumbo. Bragantia, Campinas, v. 67, n. 3, Parte do conjunto de técnicas chamadas Biorremediação e parte de um outro conjunto de tecnologias chamadas Tecnologias verdes.

3 Moreno, F. N. & Sígolo, J. B. Fitoestabilização controlada: proposta de processo de revitalização para passivos de areia de fundição. In: Moeri, E., Rodrigues, D., Nieters, A. Áreas contaminadas: remediação e revitalização. Editora Signus,

4

5

6 Fitoextração: utiliza plantas para remover os metais do solo, acumulando-os nas raízes e parte aérea. A descontaminação ocorre quando a vegetação plantada no local captura para si os elementos contaminantes, uma vez que algumas espécies possuem maior resistência e afinidade com determinado tipo de metal. Portanto, para cada metal é preciso escolher um consórcio de vegetação mais adequado à remediação (*). (*) ZEITTOUNI, C. F.; BERTON, R. S.; ABREU, C. A. de. Fitoextração de cádmio e zinco de um latossolo vermelho-amarelo contaminado com metais pesados. Bragantia, Campinas, v. 66, n. 4, 2007.

7 Fitoextração - Exemplos: Brassica juncea (mostarda) possui potencial para remediar solos com altos teores de Pb, Cr, Cd, Cu, Ni, Zn, Sr, B e Se. Nicotiana tabacum para extrair Ni.

8 Galianthe grandifolia - Rubiaceae, uma herbácea da família do café, encontrada de forma abundante em áreas de cerrado do Estado de São Paulo, mais precisamente na cidade de Itirapina. Através de ensaios, observou-se que a planta conseguiu absorver, na parte área, 120 miligramas de cádmio por quilograma e, na área subterrânea – que corresponde ao xilopódio (estrutura rígida que compõe o sistema subterrâneo) – o total acumulado foi de 300 miligramas do metal por qui- lograma de matéria seca. Para efei- to de comparação, uma das plan- tas consideradas hiperacumuladora, a Thlaspi caerulescens, consegue acumular 175 miligramas por quilo- grama de matéria seca da parte aérea.

9 Adição de agentes quelantes. Quelação: combinação eletrônica de uma substância (agente quelante) com um íon metálico, de forma a retirá-lo do meio, ou solubilizá-lo, ou ainda modificar suas propriedades físicas, químicas ou biológicas. ACIESP – Glossário de Ecologia. São Paulo – SP A clorofila, por ser responsável pela absorção dos fótons da luz solar nas plantas verdes, é um quelato de Mg. A hemoglobina, substância fundamental à nossa vida, por ser responsável pelo transporte de O 2 e CO 2 em nosso corpo, é um quelato de Fe. Na medicina, os quelatos têm como principais aplicações o tratamento de envenenamentos e a correção de deficiências nutricionais minerais. No tratamento de envenenamentos metálicos por Pb, Hg ou outros elementos, agentes quelantes são administrados para sequestrar os íons metálicos, formando quelatos que possibilitam sua eliminação pelo organismo. Este tipo de tratamento para eliminação de metais tóxicos é denominado quelação.

10 Ácido Etilenodiamina Tetracético (EDTA)

11 Fitoestabilização, além das espécies adequadas, também são utilizadas substâncias inertizantes. Estas substâncias reagem com os metais presentes no solo, reduzindo a toxidade e permitindo o desenvolvimento da vegetação no ambiente contaminado. Os inertizantes (turfa, por exemplo) diminuem a disponibilidade do poluente para as plantas e estabilizam os metais próximos à superfície, impedindo sua descida aos lençóis freáticos e também a dispersão pelo vento e por águas de enxurrada. Plantas cujo sistema radicular é capaz de promover uma insolubilização de substâncias tóxicas.

12

13 Fitoestabilização - exemplo

14 Pavanelli, A. G Fitorremediação de solo contaminado com petróleo utilizando Typha latifolia. Mestrado em Química dos Recursos Naturais. UEL – Londrina – PR. PETRÓLEO

15

16 Vantagens: Método relativamente barato. Possibilidade de reativação da microflora local. Limitações: (*) Ritmo relativamente lento, visto que necessita de vários anos ou mesmo décadas para reduzir a metade a concentração de metais no solo. Desafio: melhorar a performance das plantas na remoção de poluentes, (**) Necessidade das plantas localizarem-se onde o poluente se encontra. (***) Biodisponibilidade dos poluentes, as vezes se adicionam corretivos ao solo para tornar certos elementos biodisponíveis na sua totalidade.

17 pH

18

19 Resistência / Tolerância / Sensibilidade x Situação Nutricional da Planta. Leitura Complementar: McCutcheon, S. C. & Schnoor, J. L. Phytoremediation – Transformation and Control of Contaminants. Wiley-Interscience – John Wiley & Sons, 2003, 987 p. Moeri, E., Rodrigues, D., Nieters, A. Áreas contaminadas: remediação e revitalização. Editora Signus, (*) Pilon-Smiths, E Phytoremediation. Annual Review of Plant Biology, 56, p. 15 – 39. Homework: wetland


Carregar ppt "Recuperação de Áreas Degradadas. A u l a 8 B – F i t o r r e m e d i a ç ã o."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google