A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ENVELHECIMENTO – AVALIAÇÃO FÍSICA/FUNCIONAL PROF. DNDO. ALEXANDRE EVANGELISTA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ENVELHECIMENTO – AVALIAÇÃO FÍSICA/FUNCIONAL PROF. DNDO. ALEXANDRE EVANGELISTA."— Transcrição da apresentação:

1 ENVELHECIMENTO – AVALIAÇÃO FÍSICA/FUNCIONAL PROF. DNDO. ALEXANDRE EVANGELISTA

2 PROGRAMA DE EXERCÍCIOS PARA IDOSOS: POR ONDE COMEÇAR ?

3 ANALISAR A CAPACIDADE FUNCIONAL DO IDOSO NívelCARACTERÍSTICACAPACIDADE A SEREM ESTIMULADAS I Não executa nenhuma AVD e depende completamente de auxílio externo - INCAPACIDADE FÍSICA Força, flexibilidade e equilíbrio nas AVD II Não executa algumas ou nenhuma AVD necessitando de cuidados domiciliar ou institucional – FISICAMENTE DEPENDENTE Força, flexibilidade e equilíbrio nas AVD III Executa todas as AVD, mas somente algumas AIVD – FISICAMENTE FRÁGIL Força, flexibilidade e equilíbrio nas AVD e AIVD IV Executa todas as AVD e AIVD. Possui baixa reserva funcional e grande susceptibilidade de migrar para o nível III – FISICAMENTE INDEPENDENTE Força e endurance muscular, endurance cardiorrespiratório, flexibilidade, equilíbrio, coordenação e agilidade nas AAVD V Executa todas a AAVD e exercícios/esportes de intensidade moderada – FISICAMENTE APTO Idem IV VI Executa exercícios de alta intensidade e alto risco podendo competir em nível internacional – ELITE FÍSICA Idem IV + específico no esporte ADAPTADO DE RASO, 2007.

4 ANALISAR AS CARACTERÍSITCAS INDIVIDUAIS DO IDOSO LIMITAÇÕES FUNCIONAIS; CONTRA – INDICAÇÕES RELATIVAS; CONTRA INDICAÇÕES ABSOLUTAS RASO, 2007

5 CONTRA - INDICAÇÕES ABSOLUTAS Hipertensão descontrolada ( 160/100); Angina em repouso; Cardiomiopatia hipertrófica; hipotensão ao esforço; doenças metabólicas descontroladas CONTRA – INDICAÇÕES RELATIVAS Desordens musculo- esqueléticas, baixa capacidade ao exercício; dificuldade em seguir a prescrição de exercícios; sobrevivente recente de parada cardíaca. RASO, 2007.

6 Analisar as características individuais do idoso Uso de medicamentos; Histórico de doenças ; Observações peculiares ao indivíduo; Qual a preferência ao tipo de exercício.

7 Anamnese - Modelo

8 AVALIAÇÃO CLÍNICA E FÍSICA Eletrocardiograma em esforço; Atestado médico; Testes da força, capacidade aeróbia, flexibilidade e dos estados de humor.

9 AVALIANDO O IDOSO

10 QUESTIONÁRIO PAR-Q PERGUNTASRESPOSTAS 1- Alguma vez um médico lhe disse que você possui um problema de coração e recomendou que só fizesse atividade física sob supervisão médica ? ( ) sim ( ) não 2- Você sente dor no peito causada pela prática de atividade física ?( ) sim ( ) não 3- Você sentiu dor no peito no último mês ?( ) sim ( ) não 4- Você tende a perder a consciência ou cair como resultado de tonteira ?( ) sim ( ) não 5- Você tem algum problema ósseo ou muscular que poderia ser agravado com a prática de atividade física ? ( ) sim ( ) não 6- Algum médico já recomendou o uso de medicamentos para sua pressão arterial ou condição cardiovascular ? ( ) sim ( ) não 7- Você tem consciência, através da sua própria experiência ou aconselhamento médico, de alguma outra razão física que impeça sua prática de atividade física sem supervisão médica? ( ) sim ( ) não

11 AVALIAÇÃO ANTROPOMÉTRICA

12 PESO E ALTURA PESO: mensurado através de balança com precisão de gramas Altura: estadiômetro

13 ADIPOSIDADE Membro superior, Tronco e região central DOBRA50-59 anos60-69 anos70-79 anos TrícepsXSXS 26,3 9,5 23,5 6,2 23,6 6,2 SubescapularXSXS 22,6 9,1 18,0 5,6 18,0 6,5 SuprailíacaXSXS 21,7 9,7 18,3 6,5 18,1 7,8 MATSUDO, 2005

14 CIRCUNFERÊNCIA Cintura x Quadril IDADERISCO ALTORISCO MUITO ALTO HOMEM ,97-1,02 0,99-1,03 >1,02 >1,03 MULHER ,82-0,88 0,84-0,90 >0,88 >0,90 C/Q = Circunferência da cintura (cm) / Circunferência do quadril (cm)

15 AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE AERÓBIA

16 TESTE DE MARCHA ESTACIONÁRIA PROCEDIMENTO: Mensurar o ponto médio da crista ilíaca e da patela do indivíduo (esta será a altura para que o avaliado levante o joelho) – Contar o número de passadas do avaliado em 2 minutos. RIKLI E JONES, IDADE MULHERXSXS HOMEMXSXS

17 AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE AERÓBIA TESTE DE CAMINHADA DE 1600MTS VO2MÁX = 6,952 + (0,0091 XP) – (0,0257X I) + (0,5955 X S) – (0,2240 X T) – (0,0115 X FC) = l.min -1 CARNAVAL, 2002 P = PESO I = IDADE S = SEXO (0 F; 1 M) T = TEMPO

18 AVALIAÇÃO DA FLEXIBILIDADE

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28 e flexímetros

29

30

31 AVALIAÇÃO DA FORÇA

32 Flexão do cotovelo PROCEDIMENTO: manter o idoso sentado na cadeira com as costas apoiadas segurando um halter (2kg mulheres ; 4kg homens) no lado dominante. IDADE MULHERXSXS 16,1 4,6 15,2 4,3 14,5 4,4 14,0 4,4 13,0 4,1 12,2 3,8 10,9 3,8 HOMENXSXS 19,0 4,7 18,4 5,3 17,4 5,0 16,2 4,3 16,0 4,3 13,6 4,3 12,0 3,5

33 TESTES DE LEVANTAR DA CADEIRA EM 30 SEGUNDOS PROCEDIMENTO: avaliado começa sentado com os braços apoiados nos ombros e, ao sinal levanta e senta da cadeira durante 30 segundos. A cadeira deverá estar apoiada na parede. IDADE MULHERXSXS 14,5 4,0 13,5 3,5 12,9 3,6 12,5 3,8 11,3 4,2 10,3 4,0 8,0 5,1 HOMEMXSXS 16,4 4,3 15,2 4,5 14,5 4,2 14,0 4,3 12,4 3,9 11,1 4,6 9,7 3,8

34 TESTE DE 1RM 5 a 10 Repetições (40% a 60% da carga máxima prevista); 1 int + along.; 3 a 5 Repetições (60% a 80% da carga máxima prevista); 2 int.; 2 a 3 Repetições ( 90% da carga máxima prevista); 3 a 5 int.; 1 RM (100% da carga máxima prevista) O avaliado deve ser capaz de realizar, sem auxílio, o movimento completo (fase excêntrica e concêntrica); Caso a RM não seja obtida na primeira tentativa, repete-se o teste mais uma vez após 3-5 minutos de descanso; Máximo de 3 tentativas por teste KRAEMER et al. (2002)

35 O teste de 1RM pode se aplicado ao idoso ? SHAW et al – Avaliaram os efeitos no teste de 1 RM em 3 grupos distintos de 84 indivíduos: A) sem experiência de treino ; B) de 1 a 6 meses de experiência; C) mais de 6 meses de experiência; D) press reto, flexão de cotovelo, cadeira extensora APENAS 2 INDIVÍDUOS (2,4%) RELATARAM LESÕES: - 1 COM HISTÓRIO ANTERIOR DE DORES NAS COSTAS - 1 TEVE QUEBRA DE COSTELA AO LEVANTAR O PESO E DEIXÁ-LO CAIR NO CORPO Shaw, C.E., K.K. McCully, and J.D. Posner. Injuries during the one repetition maximum assessment in the elderly. J. Cardiopulm. Rehabil. 15:283–

36 PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIO PARA O IDOSO

37 VOLUME INTENSIDADE DENSIDADE FREQUÊNCIA EXERCÍCIOS MEIOS MÉTODOS DURAÇÃO ORDEM DOS EXERCÍCIOS

38 CONTATO


Carregar ppt "ENVELHECIMENTO – AVALIAÇÃO FÍSICA/FUNCIONAL PROF. DNDO. ALEXANDRE EVANGELISTA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google