A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Adriano Valenga Arruda Brasil-colônia (1500/1822) O Brasil foi descoberto, fundado, invadido ou formado?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Adriano Valenga Arruda Brasil-colônia (1500/1822) O Brasil foi descoberto, fundado, invadido ou formado?"— Transcrição da apresentação:

1 Adriano Valenga Arruda Brasil-colônia (1500/1822) O Brasil foi descoberto, fundado, invadido ou formado?

2 Adriano Valenga Arruda Tratado de Methuen

3 Adriano Valenga Arruda Mudanças do Brasil a partir da descoberta de ouro: Aumento populacional. Aumento do mercado interno. Integração econômica.

4 Adriano Valenga Arruda Quadro comparativo CANA Séculos XVI e XVII. Litoral. Dependência holandesa. Duas classes sociais. Sociedade patriarcal. Mão-de-obra escrava. Incipiente mercado interno. Capital: Salvador. Não havia mobilidade social. Ruralização (arcaica). Pecuária (interior NE) Uso intensivo da terra. Lutas nativistas. OURO Século XVIII. Interior. Dependência inglesa. Três classes sociais (nasce a classe média). Sociedade patriarcal moderada Mão-de-obra escrava e livre. Forte mercado interno. Capital: Rio de Janeiro Mobilidade social relativa. Urbanização (letrada). Pecuária (Sul) Terra descartável. Lutas nacionalistas.

5 Adriano Valenga Arruda Os magníficos palácios em Portugal mostram para que serviam as riquezas levadas das colônias.

6 Adriano Valenga Arruda O distrito Diamantino: Maior controle de POR. Até 1740 cobrava-se o Quinto. A partir de 1740: concessão de contrato. Contratador. A partir de 1771: monopólio de POR. A arte na época do ouro: Estilo barroco. Obras de caráter religioso. Manuel da Costa Ataíde e Antônio Francisco Lisboa, Aleijadinho (maiores representantes).

7 Adriano Valenga Arruda O escultor e arquiteto Aleijadinho marca o melhor momento do estilo barroco brasileiro, representação artística da ideologia que pregava a libertação de Portugal.

8 Adriano Valenga Arruda Capela-mor e altares laterais, projetos de Aleijadinho O painel do teto é uma das obras-primas de mestre Ataíde. Altar lateral

9 Adriano Valenga Arruda

10

11

12

13

14 Principais revoltas coloniais REVOLTAS NATIVISTAS: Revolta de negros (1695) Guerra dos emboabas (1707) Guerra dos Mascates (1710) Revolta de Felipe dos Santos (1720) Guerras guaraníticas (1751/58) Aclamação de Amador Bueno (SP) Revolta de Beckman (MA): ocorreu contra os abusos da Companhias de Comércio que não cumpriu os acordos feitos com os colonos e com a Cia de Jesus, que se opunha a escravidão indígena. REVOLTAS NACIONALISTAS: Inconfidência Mineira (1789) Conjuração baiana ou Revolta dos alfaiates (1798).

15 Adriano Valenga Arruda Revolta de negros Contra a escravidão, maus tratos e humilhações. Iniciativas individuais: fugas, suicídios, abortos, assassinato de senhores e feitores, sabotagens de máquinas, queima de plantações. Iniciativas coletivas: fugas e quilombos (aldeamentos de escravos fugidos). Zumbi

16 Adriano Valenga Arruda Quilombo de Palmares (AL – PE 1629 – 1694): – Maior e mais duradouro entre os quilombos. – Federação de quilombos. – ZUMBI (último líder). Aproximadamente 20 mil habitantes. Destruído por ataques liderados pelo bandeirante Domingos Jorge Velho. 20/11/1695 – Assassinato de Zumbi (Dia Nacional da Consciência Negra).

17 Adriano Valenga Arruda Guerra dos emboabas (1707/09) – Bandeirantes paulistas X emboabas (forasteiros). – Capão da Traição : grande massacre de paulistas. SP é separada de MG. Paulistas retiram-se em sua maioria e descobrem novas jazidas de ouro em GO e MT. Borba Gato: líder dos paulistas na Guerra.

18 Adriano Valenga Arruda Guerra dos Mascates (PE – 1710/11): Olinda X Recife Decadência de Olinda, expulsão dos holandeses, empréstimos feitos aos comerciantes de Recife. Causa básica: Recife obtém autonomia e Olinda não aceita. Recife confirma sua autonomia e torna-se a capital de Pernambuco (1714). Latifundiários: comerciantes portugueses.

19 Adriano Valenga Arruda Revolta de Felipe dos Santos Na região das Minas Gerais, a elevada carestia de vida, os tributos cobrados com rigor pela Coroa portuguesa e a perspectiva da criação da Casa de Fundição e da Moeda para recolher o quinto real, causavam a indignação da população local contra as autoridades metropolitanas. tributos Felipe dos Santos: seu "crime" de sonhar com a liberdade foi punido com a morte no garrote vil, argola de ferro que apertava o pescoço.crimeliberdade garrote vilpescoço

20 Adriano Valenga Arruda O seu corpo foi esquartejado e exibido publicamente. Como conseqüências, a Coroa procurou limitar as vias de acesso às Minas e o escoamento da produção, visando inibir o contrabando e a evasão fiscal. Para facilitar essa tarefa, foi criada a Capitania de Minas Gerais, separada da Capitania de São Paulo.Capitania de Minas Gerais Capitania de São Paulo Este movimento foi considerado o embrião da Inconfidência Mineira (1789). Inconfidência Mineira1789

21 Adriano Valenga Arruda Guerras guaraníticas

22 Adriano Valenga Arruda Inconfidência mineira – Causas: esgotamento do ouro, crise econômica, exploração abusiva de POR (impostos, derrama, proibição de produção de manufaturados na colônia – Alvará de D. Maria I (1785 ). – Penetração de ideais iluministas. Joaquim José da Silva Xavier

23 Adriano Valenga Arruda

24 – Líderes: elite mineira (Cláudio Manuel da Costa, Tomás Antônio Gonzaga, Alvarenga Peixoto, Joaquim José da Silva Xavier – o Tiradentes ). – Objetivos: proclamação da República, fim do pacto colonial, estímulo ao desenvolvimento de manufaturas, criação de uma Universidade, bandeira com a inscrição Libertas quae sera tamen (Liberdade ainda que tardia). Bandeira elaborada pelos inconfidentes e atual bandeira de MG.

25 Adriano Valenga Arruda – Denunciada por Joaquim Silvério dos Reis. – Líderes presos e degredados para a África. – Tiradentes é enforcado e esquartejado (exemplo). Tiradentes esquartejado, tela de Pedro Américo. No dia 21 de abril de 1792, Tiradentes foi enforcado. Seu corpo foi esquartejado e os despojos expostos em locais onde exercera seu papel de conspirador.

26 Adriano Valenga Arruda Sentença Condenatória de Tiradentes Justiça que a Rainha Nossa Senhora manda fazer a este infame réu Joaquim José da Silva Xavier, pelo horroroso crime de rebelião e alta traição de que se constitui chefe e cabeça, na Capitania de Minas Gerais, com a mais escandalosa temeridade contra a real soberania, e suprema autoridade da mesma Senhora que Deus guarde.

27 Adriano Valenga Arruda Mande que, com baraço e pregão, seja levado pelas ruas públicas desta cidade ao lugar da forca, e nela morra morte natural para sempre, e que separada a cabeça do corpo seja levada a Vila Rica, onde será conservada em poste alto junto ao lugar da sua habitação, até que o tempo a consuma; que seu corpo seja dividido em quartos, e pregados em iguais postes pela entrada de Minas, nos lugares mais públicos, principalmente no da Varginha e Cebolas; que a casa da sua habitação seja arrasada e salgada, e no meio de suas ruínas levantado um padrão em que se conserve para a posteridade a memória de tão abominável réu e delito, e ficando infame para seus filhos e netos, lhe sejam confiscados seus bens para a Coroa e Câmara Real.

28 Adriano Valenga Arruda

29 Conjuração baiana ou Revolta dos alfaiates Causas: extrema pobreza e desigualdades sociais. Objetivos: independência, República, liberdade de comércio, Igualdade em todos os níveis, abolição da escravidão. Influência da Revolução Francesa (Liberdade – Igualdade – Fraternidade). Líderes: João de Deus Nascimento, Manuel Faustino dos Santos (alfaiates e mulatos), Luís Gonzaga das Virgens, Lucas Dantas Amorim Torres (soldados e mulatos), entre outros. Todos pobres. Ampla participação popular. Repressão intensa de POR.

30 Adriano Valenga Arruda É a revolta colonial mais importante depois da Inconfidência Mineira (1789) mas dela distinta por se revestir de caráter popular. Inconfidência Mineira1789 Bandeira da Conjuração Baiana. as cores da bandeira do movimento (Azul, branca e vermelha) são até hoje as cores da Bahia. Praça da Piedade, local da execução dos conjurados.

31 Adriano Valenga Arruda Conjuração mineira Conjuração baiana Quando Objetivo fundamental Independência nacional Influência externaIndependência dos EUA Revolução Francesa Influência ideológica Iluminismo Causa localCrise da mineração Crise no abastecimento LiderançaElites coloniaisCamadas médias e populares Propostas sociaisModeradasRadicais

32 Adriano Valenga Arruda


Carregar ppt "Adriano Valenga Arruda Brasil-colônia (1500/1822) O Brasil foi descoberto, fundado, invadido ou formado?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google