A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade Federal de Pernambuco Pós-graduação em Psicologia – Psicologia Cognitiva Professor: Lafayette B. Melo Relações entre cultura e cognição abordagens.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade Federal de Pernambuco Pós-graduação em Psicologia – Psicologia Cognitiva Professor: Lafayette B. Melo Relações entre cultura e cognição abordagens."— Transcrição da apresentação:

1 Universidade Federal de Pernambuco Pós-graduação em Psicologia – Psicologia Cognitiva Professor: Lafayette B. Melo Relações entre cultura e cognição abordagens trans-culturais e culturais e suas orientações na psicologia Objetivo: compreender alguns enfoques de cultura e a forma como são utilizados em diferentes abordagens teórico-metodológicas da psicologia cognitiva

2 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE TÓPICOS 1.Introdução 2.Significados de cultura 3.Cultura dentro das tradições da psicologia trans-cultural 4.Cultura dentro das tradições da psicologia cultural

3 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE Introdução Uma questão corrente em psicologia refere-se a como construímos conhecimento durante o desenvolvimento cultural Pressupostos As funções psicológicas humanas são culturais em sua natureza O desenvolvimento psicológico humano é culturalmente guiado e pessoalmente construído Duas perspectivas de investigação científica tratam da forma como o conhecimento é construído Psicologia trans-cultural Ênfase indutiva tradicional Comparação de exemplos Psicologia cultural Causalidade sistêmica Concepções desenvolvimentistas

4 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE Significados de cultura Cultura utilizada para designar um grupo de pessoas que pertencem juntas devido a algumas características compartilhadas Psicologia trans-cultural Diferentes grupos étnicos, de linguagem, de países etc Constrói normalmente explicações causais circulares Exemplos: Estudantes americanos e brasileiros Bascos Pessoas que moram na alemanha

5 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE Cultura utilizada como um organizador sistêmico de sistemas psicológicos das pessoas individualmente – cultura pertence à pessoa A cultura é parte de uma auto-organização que é funcional para a vida pessoal Cultura como um termo que pertence a como as pessoas e o ambiente estão inter-relacionados Requer uma separação da pessoa do mundo Pode ser criticada como dualismo Mas se a diferenciação das partes do todo é mantida enquanto o todo também é mantido não é dualismo, mas a elaboração de estruturas funcionais do todo Exemplo: A composição química da água

6 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE Estratégias analíticas de pesquisa quanto ao significado de cultura Separação exclusiva – leva a uma separação atomística dos elementos fora do todo Muita ligada a métodos estatísticos Elementos separados revelando a mesma qualidade do todo Exemplo: Pessoas que têm um determinado desempenho escolar e representam um determinado grupo Separação inclusiva – estratégia para distinguir partes do todo, possibilitando ao pesquisador buscar relações entre partes separadas inclusivamente do todo Exemplo: Internalizações e externalizações Apropriação, participação guiada e domínio

7 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE A antropologia tem tomado da psicologia a idéia de transmissão cultural a partir de uma noção bevaviorista Mas há um foco holístico também nos fenômenos estudados no qual cultura é definida como um todo integrado com interconexões entre direcionamentos fisiológicos e suas transformações através das institituições sociais que são o núcleo do conceito A antropologia, então, tem privilegiado uma visão ontológica da cultura As culturas existem estavelmente de alguma forma e podem ser descritas a partir de observações dos participantes e informações em entrevistas

8 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE A homegeneização da cultural (estável) tem, porém, sido minada por numerosas críticas nas ciências sociais Há três tipos básicos de visões da cultura na antropologia: 1) Cultura vista como conhecimento 2) Cultura vista como um núcleo de estruturas conceituais que provêem a base para uma representação do mundo compartilhada subjetivamente na qual as pessoas vivem 3) Cultura vista como a construção de estruturas conceituais pelas atividades das pessoas Essas visões compartilham com a psicologia a idéia do estudo da cultura através das pessoas e levam a estudos na psicologia trans-cultural e cultural

9 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE Cultura dentro das tradições da psicologia trans- cultural Estratégias para lidar com as diferenças na psicologia trans- cultural Construtivamente ignorá-las Focar diferenças inter-individuais Focar diferenças intra-individuais Na psicologia trans-cultural, o trabalho com populações faz com que os dados que caracterizem a população também caracterizem a cultura Formato de estudo: população A – é (não é) diferente de – B

10 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE Conhecimento generalizado em inferências sobre amostras na psicologia trans-cultural

11 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE Níveis de análise do problema A noção de cultura é aplicada em diferentes níveis de organização sistêmica dos fenômenos psicológicos Individual, grupo social, comunidade, instituição social, nação etc Como a organização psicológica de um nível não necessariamente reflete o outro nível, os dados empíricos obtidos em um nível necessariamente não refletem a organização de domínios psicológicos de outros indivíduos obtidos naquela amostra Nível 3 – hipersociedade – um todo consistindo de sociedades Nível 2 – sociedades de indivíduos como todos Nível 1 – pessoas individualmente em suas sociedades conclusão

12 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE Cultura dentro das tradições da psicologia cultural Em comparação com a psicologia trans-cultural, diferentes versões da psicologia cultural operam com noções de um tipo de cultura Da antropologia social à cultural, passando pelos estudos da psicologia popular, várias influências são encontradas A linguagem é vista como uma ferramenta semiótica dentro de um sistema psicológico que se forma à maneira como as pessoas pensam, sentem e formulam enunciados Como resultado, o conhecimento generalizado na psicologia cultural difere totalmente daquele da psicologia trans-cultural

13 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE Conhecimento generalizado na psicologia cultural

14 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE É a capacidade do ser humano e sua propensão para construir e usar dispositivos semióticos que permitem mantê- lo DISTANCIADO em relação ao seu contexto de vida imediato A pessoa se torna simultaneamente um ator e um agente reflexivo Esta dualidade é relevante para transcender a demanda adaptacional do contexto do aqui-e-agora Eu reflito sobre este contexto do qual faço parte Permito-me considerar contextos do passado, imaginar o futuro e me colocar no lugar de outro

15 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE A pessoa que declara ISTO É X Desenvolve a operação EU (da minha posição) EM RELAÇÃO A ISTO (o objeto indicado) CRIO O SIGNIFICADO DAQUELE OBJETO (que eu afirmo que é X) Momentos de distanciamento O sujeito (eu) distanciado do objeto O Objeto distanciado dele mesmo

16 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE Exemplo: [algo é/está][algo ainda é/está] Este algo é XPermita X X não é permitidoO que fazer com X X é um pecadoAlguém deve reprimir A vida está cheia de pecadosmas a humanidade deve prevalecer

17 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE A emergência do processo depende do POSICIONAMENTO DO PAPEL SOCIAL de construção do significado em um dado contexto Exemplo: o soldado em uma frente de batalha e uma pessoa que vê a guerra pela televisão A cultura também opera com base em oposições funcionais que são fundamentais para o desenvolvimento da história humana Exemplo: controle de processos de produção de calor ou frio por meio da tecnologia para preservar ou utilizar o alimento Muitos eventos opostos são resultado basicamente dos mesmos processos culturais que em diferentes condições geram finalizações opostas Exemplo: infanticídio e preservação da criança

18 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE A transferência cultural é dada de forma bidirecional AdultoCriança Mensagem codificada Mensagem analisada Mensagem sintetizada (reconstruída) Mensagem internalizada (transformada) Ação no processo de recepção

19 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE Como a psicologia humana é organizada pela cultura Cultura pessoal – refere-se não apenas ao fenômeno subjetivo internalizado, mas às externalizações deste processo O sistema pessoal de significados criados torna-se projetado para o mundo através de um arranjo pessoal das coisas que são importantes para uma determinada pessoa Culturas coletivas – composta de externalizações de um sistema de significados pessoais de grupos limitados de pessoas Vista em pequenos grupos orientados a objetivos comuns (religiosos, gangs, torcidas de futebol etc)

20 Lafayette B. Melo – Psicologia Cognitiva – UFPE Orientação final AXIOMA DA HISTORICIDADE: O estudo do curso do tempo de formação de um determinado fenômeno pode explicar o estado presente deste fenômeno


Carregar ppt "Universidade Federal de Pernambuco Pós-graduação em Psicologia – Psicologia Cognitiva Professor: Lafayette B. Melo Relações entre cultura e cognição abordagens."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google