A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A INTERAÇÃO SIMBÓLICA George Mead. A INTERAÇÃO SIMBÓLICA Escola de interação simbólica: clássicos da sociologia – Cooley, Thomas, Mead Termo interacionismo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A INTERAÇÃO SIMBÓLICA George Mead. A INTERAÇÃO SIMBÓLICA Escola de interação simbólica: clássicos da sociologia – Cooley, Thomas, Mead Termo interacionismo."— Transcrição da apresentação:

1 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA George Mead

2 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA Escola de interação simbólica: clássicos da sociologia – Cooley, Thomas, Mead Termo interacionismo simbólico: Herbert Blummer Pontos em comum: A sociedade como um processo O indivíduo e a sociedade estão ou há um inter- relacionamento O aspecto subjetivo do comportamento humano como parte necessária no processo de formação e manutenção dinâmica do self social e do grupo social

3 G EORGE H ERBERT M EAD Professor da Universidade de Chicago Publicações póstumas: Mind, Self and Society Referia a sua obra como behaviorismo social – descrição do comportamento do nível humano, ou seja, o ato social que entendia como descrição do comportamento externo observável, como também a atividade encoberto do ato. Arquiteto do interacionismo simbólico: explora a relação entre a sociedade e o indivíduo, expõe a gênese do self e o desenvolvimento de símbolos significantes e o processo de comportamento da mente. Ilustra suas propostas a partir de fatos da vida cotidiana

4 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA A Sociedade Toda atividade grupal se baseia comportamento cooperativo Devido a diversidade de padrões, não é possível explicar o comportamento humano a partir de padrões fisiológicos A associação humana surge quando: (a) cada ator individual percebe a intenção dos atos dos outros e, então, (b) constrói sua própria resposta baseado naquela intenção.

5 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA A Sociedade Para que haja cooperação entre os humanos, é necessário que cada ator individual (a) Possa entender a linha de ação dos outros (b) Possa direcionar seu comportamento a fim de acomodar-se aquelas linhas de ação.

6 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA A Sociedade O COMPORTAMENTO HUMANO NÃO É UMA QUESTÃO DE RESPOSTA DIRETA ÀS ATIVIDADES DOS OUTROS, OU SEJA, AO FUTURO E INTENCIONAL COMPORTAMENTO DOS OUTROS, NÃO SOMENTE ÀS SUAS AÇÕES PRESENTES.

7 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA A Sociedade Intenções são transmitidas através de gestos que se tornam simbólicos, passíveis de interpretação. Sociedade se organiza a partir do consenso, de sentidos compartilhados sob a forma de compreensões e expectativas comuns. Quando os gestos assumem um sentido comum, eles adquirem um elemento linguistico e podem ser designados como símbolos significantes.

8 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA A Sociedade O componente significativo de um ato, que representa uma atividade mental = o indivíduo deve colocar-se no lugar da outra pessoa, para identificar-se com ela. Mead – O indivíduo deve responder aos próprios gestos – isto que resulta a relação dos seres humanos. Ao responder da mesma forma ao mesmo gesto, possibilita compartilhar experiências, a incorporação entre si do comportamento.

9 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA A Sociedade Identifico - ou reconheço – o comportamento do outro, em mim mesmo, então respondo da mesma forma ao mesmo gesto e compartilho experiências e incorporo o comportamento. Assim o COMPORTAMENTO SOCIAL, e não uma mera resposta. Mead – A sociedade é feita de indivíduos que tem selves.... A ação é construída através da interpretação da situação, consistindo a vida grupal de unidades de ação desenvolvendo ações para enfrentar situações nas quais elas estão inseridas.

10 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA O Self Mead: o indivíduo age socialmente com outras pessoas, ele interage socialmente consigo mesmo. O self é formado através das definições feitas por outros que servirão de referencial para que ele posa ver-se a si mesmo. A sociedade representa o contexto dentro do qual o self surge e se desenvolve.

11 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA O Self O desenvolvimento do self se inicia na infância, a partir da imitação sem componente significativo Em seguida, passa a assumir o papel dos outros em relação a si própria, ou seja, mãe, professora – e quando começa a fazer o jogo de diferentes papéis – constrói o outro generalizado – que adquiriu com a associação com os outros e cujas expectativas já internalizou.

12 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA O self Para Mead, o self representa um processo social no interior do indivíduo envolvendo: Eu – tendência impulsiva do indivíduo Mim – representa o outro incorporado ao indivíduo. Compreende o outro generalizado MIM – definições e expectativas dos outros EU – iniciação do ato

13 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA O Self O self não é estático, ele me modifica de acordo com as mudanças nos padrões e nos conteúdos das interações que o indivíduo experiencia, não só com os outros, como consigo mesmo. O self tem uma vida mental, porque faz indicações para si mesmo // vida mental – no sentido que tem a possibilidade de dirigir e controlar o comportamento.

14 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA A Mente Mente – sistema nervoso central e córtex Cérebro – mente: indispensável – o cérebro como aparato biológico Sociedade – interação social usando os cérebros que forma a mente. Mente – é um processo que se manifesta sempre que o indivíduo interage consigo próprio usando os símbolos significantes. Surge no processo social de comunicação.

15 A INTERAÇÃO SIMBÓLICA Críticas Contribuições

16 A Interação Simbólica Contribuições de Blummer A natureza da sociedade e da vida em grupo A natureza dos objetos, da ação humana e a ação conjunta

17 A Interação Simbólica Três pontos básicos: A ação do indivíduo está baseada no sentido que que as coisas tem para ele. As coisas são objetos físicos, outros seres humanos, amigos, inimigos, etc. O sentido destas coisas é derivado da interação social que estabelece com seus companheiros Estes sentidos são manipulados e modificados através de um processo interpretativo usado pela pessoa ao tratar as coisa que ela encontra

18 A Interação Simbólica Sentido : nasce do processo de interação social Sentido: base do comportamento humano Processo Interpretativo: Comunicação consigo mesmo As coisas tem sentido: ator indica a si mesmo as coisas em direção as quais ele está agindo Interpretação feita: o ator passa a manipular os sentidos – ou seja, seleciona, checa, suspende, reagrupa e transforma os sentidos à luz da situação na qual ele está colocando e da direção de sua ação

19 A Interação Humana A interação simbólica propõe um esquema analítico da sociedade humana e da conduta humana a partir dos grupos humanos e da sociedade. A sociedade é vista a partir das ações humanas, de pessoas que interagem e que as colocam em diferentes situações Grupos e pessoas estão em ação – e a partir daí, estruturas e organizações são estabelecidas – grupos e instituições em constante ações


Carregar ppt "A INTERAÇÃO SIMBÓLICA George Mead. A INTERAÇÃO SIMBÓLICA Escola de interação simbólica: clássicos da sociologia – Cooley, Thomas, Mead Termo interacionismo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google