A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial Vida Artificial.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial Vida Artificial."— Transcrição da apresentação:

1 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial Vida Artificial e Ambientes Virtuais Marcio Lobo Netto 2012 Vida Artificial Conceitos e Fundamentos I Universidade de São Paulo Escola Politécnica - Engenharia de Sistemas Eletrônicos Núcleo de Ciência Cognitiva

2 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Procedimentos Evolutivos procedimentos evolutivos –emulação da evolução natural –forma para se atingir algo quando: não se sabe como proceder se sabe ou não onde se quer chegar –um tema –um projeto –vida Vida Artificial e Ambientes Virtuais2

3 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Natureza versus Engenharia bottom-up –natureza avaliação do sistema modificação do sistema reavaliação do sistema top-down –engenharia descrição sistemática (metódica) e estruturada (hierarquica) do sistema construção do sistema Vida Artificial e Ambientes Virtuais3

4 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Vida e Inteligência vida artificial –ontologia Estudo do ser –filogenia Estudo da espécie inteligência artificial –epistemologia Estudo do conhecimento Vida Artificial e Ambientes Virtuais4

5 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Vida e Inteligência vida artificial –para se construir / estabelecer / criar organismos vivos, quando não se sabe exatamente como faze-lo intervenção indireta –cria-se condições para que se desenvolva, sem interferir na forma do desenvolvimento inteligência artificial –para se construir / estabelecer / criar procedimentos inteligentes, quando se sabe exatamente (ou não) como faze-lo intervenção direta ou indireta –cria-se condições para que se desenvolva, com maior ou menor interferência na forma do desenvolvimento Vida Artificial e Ambientes Virtuais5

6 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Modelos biológicos Vida Artificial e Ambientes Virtuais6

7 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Modelos físicos/químicos Vida Artificial e Ambientes Virtuais7

8 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Modelos matemáticos / computacionais Vida Artificial e Ambientes Virtuais8

9 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Tipos evolução –genética condicionada apenas às condições impostas pelo meio sem opção de escolha pelos indivíduos –sexual ponderada biologicamente com opção de escolha individual –pode ser mais refinadamente condicionada a aspectos sócio culturais além da condicionante ambiental –onde, quando, situação permite ao individuo orientar a evolução ao escolher características que serão transmitidas aos descendentes Vida Artificial e Ambientes Virtuais9

10 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Tipos evolução –sexual ponderada culturalmente permite ao individuo orientar indiretamente a evolução, pois ao escolher características culturais, privilegia o substrato que favorece sua ocorrência –O cerébro que foi capaz de certa manifestação »Cultural, intelectual, artística –cultural indireta, pela transmissão de conhecimento, cultura aprendizagem desenvolvimento cultural da sociedade Vida Artificial e Ambientes Virtuais10

11 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Fatores Importantes na Evolução dependência estrutural –como a estrutura / a forma determinam ou condicionam as possibilidades de evolução dependência funcional –como o funcionamento / a operação determinam ou condicionam as diferentes formas / graus de evolução –neste caso pode ser recursivamente analisada a luz de como a função se estabelece a partir da estrutura Vida Artificial e Ambientes Virtuais11

12 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Vida espécie e indivíduo espécie –o que se perpetua –evolução procura melhores condições para a perpetuação indivíduo –elemento transitório do processo Vida Artificial e Ambientes Virtuais12

13 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Vida espécie e indivíduo espécie –perpetuação –evolução genética ao longo de gerações –melhoria da adaptação ao ambiente –provável aumento de complexidade dos indivíduos –também visto como aquilo que é comum a um grupo de indivíduos (de uma mesma espécie) Vida Artificial e Ambientes Virtuais13

14 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Vida espécie e indivíduo espécie –evolução serve para aprimorá-la fazer ou ser melhor, combinando –especialização –generalização aumento da complexidade Vida Artificial e Ambientes Virtuais14

15 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Vida espécie e indivíduo indivíduo –adaptação funcional de natureza física – desenvolvimento de natureza mental – aprendizado –em especies mais evoluidas forte caráter social (mamiferos, primatas) forte carater cultural (humanos) Vida Artificial e Ambientes Virtuais15

16 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial set-nov 2012 Vida espécie e indivíduo indivíduo –crescimento pré-natal – embriológico pós-natal –de natureza física – desenvolvimento –de natureza mental – aprendizado –maturidade continuidade do processo de aprendizado –Principalmente quando focando aspectos sociais e culturais em espécies mais evoluídas –envelhecimento perda progressiva de capacidades físicas e intelectuais Vida Artificial e Ambientes Virtuais16

17 EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial Vida evolução e sistemas dinâmicos dinâmica evolucionária –sistemas dinâmicos –evolução de sistemas dinâmicos entre caos e comportamento padrão surge a auto- organização (condição crítica) fundamentação formal com base matemática para estudo de sistemas –tempo contínuo: equações diferenciais –tempo discreto: equações de diferenças –automatas –automatas celulares análises globais –evolução de espécies –co-evolução de espécies (cooperação e competição) set-nov 2012Vida Artificial e Ambientes Virtuais17


Carregar ppt "EPUSP / PSI cognitio Marcio Lobo Netto Conceitos I //disciplinas.stoa.usp.br//disciplinas.stoa.usp.brEP PSI Vida Artificial Vida Artificial Vida Artificial."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google