A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FUNDAMENTOS DE AGROECOLOGIA Agricultura Biológica, Natural; Permacultura; Regenerativa e Sustentável Prof. Dr. CORLETT, F.M.F.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FUNDAMENTOS DE AGROECOLOGIA Agricultura Biológica, Natural; Permacultura; Regenerativa e Sustentável Prof. Dr. CORLETT, F.M.F."— Transcrição da apresentação:

1 FUNDAMENTOS DE AGROECOLOGIA Agricultura Biológica, Natural; Permacultura; Regenerativa e Sustentável Prof. Dr. CORLETT, F.M.F

2 O nome AB está muito ligado a uma corrente francesa de agricultura não- convencional; Claude Aubert, agrônomo francês, após ter trabalhado na África, observou os problemas e a inadequação da Agricultura Industrial; Aubert (1977) lançaria seu mais famoso trabalho, chamado de L'Agriculture Biologique, um marco importantíssimo. Nesse livro, é apresentada a irracionalidade dos métodos agrícolas industriais, assim como os fundamentos e as bases práticas da AB; Aubert é também herdeiro da tradição de Howard, mas também de André Voisin, que, trabalhando durante muitos anos com pastagens e manejo animal, criou o Pastoreio Racional Voisin ou Pastoreio Rotativo Voisin, como alguns preferem; Agricultura biológica (AB)

3 Com seu trabalho, verificou que os excessos de adubação nitrogenada provocavam desequilíbrios nutricionais nas pastagens e nos animais e, por conseqüência, nos consumidores; Em seu livro sobre adubos e sua aplicação, Voisin (1973) discute os excessos da adubação intensiva com fertilizantes solúveis, propondo novas regras para o uso desses insumos; A influência do trabalho de Voisin também chegou até Chaboussou (1980), que lançou a Teoria da Trofobiose; É muito difícil, se não for impossível, diferenciar a AB da AO; Seria mais uma questão de adoção de nomenclatura diferenciada, do que propriamente uma distinção teórico- filosófica ou prática, como ocorre entre a ABD e essas duas outras correntes; Agricultura biológica (AB)

4 Rotação de culturas, como um pré-requisito para o uso eficiente dos recursos locais; Limites muito restritos ao uso de pesticidas e fertilizantes sintéticos, de antibióticos, aditivos alimentares e auxiliares tecnológicos, e outro tipo de produtos; Proibição absoluta do uso de organismos geneticamente modificados; Aproveitamento dos recursos locais, tais como o uso do estrume animal como fertilizante ou alimentar os animais com produtos da própria exploração; Escolha de espécies vegetais e animais resistentes a doenças e adaptadas às condições locais; Criação de animais em liberdade e ao ar livre, fornecendo-lhes alimentos produzidos segundo o modo de produção biológico; Utilização de práticas de produção animal apropriadas a cada espécie. Princípios Para alcançar isto, a agricultura biológica baseia-se numa série de objetivos e princípios:

5 Agricultura Ecológica (AE) Na Alemanha, onde existe longa tradição em AA, no início da década de 1980, o professor Hartmut Vogtmann estabeleceu um trabalho de ensino formal nessa área, na Universidade de Kassel-Witzenhauzen; Inicialmente, era apenas uma disciplina e chamava-se Métodos Alternativos de Agricultura; Mais recentemente, passou a se chamar agricultura ecológica; Vogtmann organizou o livro Okologische Landbau: Landbau mit Zukuritt (VOGTMANN, 1992), no qual apresenta a contribuição de diversos autores em relação aos diversos aspectos teórico-filosóficos e práticos da AE.

6 Agricultura Ecológica (AE) Na Universidade de Wageningen, desde 1981, foi estabelecida uma disciplina de AE, que evoluiu para a criação de um Departamento de Agricultura Ecológica: assim como para a criação de um mestrado nessa área; No Brasil, a denominação de AE está muito ligada ao trabalho do agrônomo José Lutzenberger, recentemente falecido; Em 1975, Lutzenberger lançou o Manifesto Ecológico Brasileiro, um documento de vital: importância na organização e na conscientização de toda uma geração de agrônomos e ambientalistas;

7 Agricultura Ecológica (AE) Nos primeiros anos de popularização dos nomes AB e AO, houve intenso debate, principalmente na Europa, entre representantes das indústrias de insumos agrícolas e os representantes e ativistas desses movimentos; Os representantes da agricultura industrial argumentavam que essas denominações eram incorretas: pois mesmo com o uso dos insumos industriais, os processos biológicos e os processos orgânicos não deixavam de acontecer; Na verdade, pode-se dizer que geralmente a AE procura: maior equilíbrio com o ambiente; buscando desenhos agrícolas mais integrados; um manejo dos solos mais racional; mas é menos restritiva com relação ao uso de insumos do que a AB e a AO; é dirigida às propriedades médias e grandes e não apenas às pequenas propriedades;

8 Agricultura Natural Termo considerado incorreto, pois (AN), representa uma contradição; Agricultura (Latim agro campo cultivo do campo); Conceito cultural que é essencialmente humano; Natural é aquilo que a natureza produz, sem interferência humana; Ex: Pastagem natural exploração da pecuária; Extrativismo seringueiros Látex; Não se pode falar em AN, pois: Não existe agricultura sem intervenção humana; Maior ou menor artifilização; OBS: Alguns líderes de agricultura Ñ Convencional adotaram essa denominação, temos que respéitá-la. Entretanto, um desses grupos adotou a denominação de sustentável em vez de natural. Denominação ligada a trabalhos no Japão – dois grupos principais: Mokiti Okada – Religião com base na agricultura « Natural » ; Fukooka – 1978 – livro – Revolução verde.

9 Agricultura Permacultura (PA) É permacultura ou « agricultura permanente » um sistema de AA; Teve início na decáde de 70 com as idéias de BILL MOLLISON ( ) - Austrália; Mais indicada a ecossistemas: tropicais ou subtropicais, úmidos-subúmidos, semi-áridos ou mesmo áridos; Apresenta uma visão holistica da agricultura de forma mais intergrada com o ambiente natural; Buscando a ética na agricultura, integrando a propiedade agrícola e ecossistema; Aplica modelos de sucessão de cultivos – maximizando a produção;

10 Agricultura Permacultura (PA) Trabalha os aspectos: Paisagísticos e socioambiental, comum às outras vertentes de agricultura alternativas; O símbolo da permacultura tem um formato oval, repreenta o ovo da vida; Bahia – Grupo de estudos de permacultura – Instituto de Permacultura da Bahia;

11 OS TRÊS PILARES DA PERMACULTURA Cuidado com a Terra, Cuidado com as Pessoas e Repartir os excedentes; Os princípios da permacultura são: Observe e interaja; Capte e armazene energia; Obtenha rendimento; Pratique auto-regulação e aceite retorno; Use e valorize os serviços e recursos renováveis; Não produza desperdícios; Design partindo de padrões para chegar a detalhes; Integrar em vez de segregar; Use soluções pequenas e lentas; Use e valorize a diversidade; Use as bordas e valorize os elementos marginais; Use criativamente e responda às mudanças.

12 Agricultura Regenerativa (AR) Segundo Ehlers (1994), o termo AR foi cunhado por Roberto Rodale; Entretanto o termo (AO) foi adotado na década de 1940 por seu pai J. I. Rodale; Denominação dominante de agricultura não convencional: E.U.A e Europa; (AR) está ligada a possibilidade de se produzir, recuperando os solos; Sistemas de: Agrosilvicultura ou agrossilvicultural (Bahia); Conhecida também por método Ernst (Sistema regenerativos) – Suíço – América Central onde: Fez contato com povos nativos; Abordagem agroflorestal regenerativa; Método estudado por diversas instituições, mas infelizmente sem comunidades.

13 Agricultura Regenerativa (AR) Sistema – recuperação de áreas degradadas por meio de: Poda intensiva das árvores: Acelera a incorporação de biomassas ao solo; Do intensivo controle de sucessão vegetal; Ocorre o rejuvenescimento e intenso crescimento e vigor: Que a poda induz ao sistema; Jackson (1989) – também se encaixa na (AR): Defende um sistema de agricultura voltado para o aproveitamento das pastagens e cereais nativos; Método conservacionista e produtivo: Evita o revolvimento do solo; Não havendo praticamente erosão.

14 A Agricultura Regenerativa consiste em promover a produção de alimentos saudáveis, a criação de ciclos fechados de geração de insumos a partir de resíduos e a aplicação no campo de práticas conservadoras da natureza.

15 Agricultura Sustentável (AS) Designação (AS) é bastante controverso; É considerado um termo em disputa; Segundo alguns autores existem cerca de 60 difinições para desenvolvimento sustentável (DS); Isso indica: Nehuma serve ou cada uma serve a interesses específicos; DS – surgiu com o documento: Nosso Futuro Comum – 1987 – World Cornission on Environment and development: Comissão dirigida pela primeira ministra da Noruega – conhecido também como Relatório Brundtland, que afirma: « a possibilidade de sastisfazer as necessidades do presente, sem comprometer as possibilidades de sobrevivência das futuras gerações ». Dai podemos deduzir que: (AS) ou (DS) seria aquela capaz de produzir alimentos para a atual população mundial sem comprometer a produção e a alimentação das futuras gerações;

16 Veja no site e baixe o arquivo completo das aulas; Bom estudo e Sucesso para todos!


Carregar ppt "FUNDAMENTOS DE AGROECOLOGIA Agricultura Biológica, Natural; Permacultura; Regenerativa e Sustentável Prof. Dr. CORLETT, F.M.F."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google