A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CE_07_Adam Smith e David Ricardo1 DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE : DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CE_07_Adam Smith e David Ricardo1 DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE : DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas."— Transcrição da apresentação:

1 CE_07_Adam Smith e David Ricardo1 DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE : DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: Prof. Bosco Torres

2 CE_07_Adam Smith e David Ricardo2 Principais Pensadores Econômicos do Século XVIII 1 – Adam Smith, da Escócia. Economista e filósofo (1723–1790): Liberalismo econômico. 2 – David Ricardo, da Inglaterra. Perito em finanças (1772–1823): Liberalismo econômico. 2 Prof. Bosco Torres

3 Causa da Riqueza das Nações ADAM SMITH é o pai da economia moderna, e é considerado o mais importante teórico do liberalismo econômico. Autor de Uma investigação sobre a natureza e a causa da riqueza das nações, a sua obra mais conhecida, e que continua sendo como referência para gerações de economistas, na qual procurou demonstrar que a riqueza das nações resultava da atuação de indivíduos que, movidos apenas pelo seu próprio interesse (self-interest), promoviam o crescimento econômico e a inovação tecnológica. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo3

4 O auto-interesse ADAM SMITH ilustrou bem seu pensamento ao afirmar "não é da benevolência do padeiro, do açougueiro ou do cervejeiro que eu espero que saia o meu jantar, mas sim do empenho deles em promover seu"auto-interesse". Assim acreditava que a iniciativa privada deveria ser deixada agir livremente, com pouca ou nenhuma intervenção governamental. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo4

5 Mão invisívelMão invisível A competição livre entre os diversos fornecedores levaria forçosamente não só à queda do preço das mercadorias, mas também a constantes inovações tecnológicas, no afã de baratear o custo de produção e vencer os competidores. Uma frase de ADAM SMITH se tornou famosa: "Assim, o mercador ou comerciante, movido apenas pelo seu próprio interesse egoísta (self-interest), é levado por uma mão invisível a promover algo que nunca fez parte do interesse dele: o bem-estar da sociedade." Como resultado da atuação dessa "mão invisível", o preço das mercadorias deveria descer e os salários deveriam subir. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo5

6 6 Liberdade X Resultados A LIBERDADE conduz as pessoas para a iniciativa individual. Assim, cada indivíduo – desenvolve a atividade econômica que mais lhe interessa; – procura fazer aquilo que tem maior capacidade ou melhor competência; – obtém os melhores resultados; Toda a sociedade ganha, pela soma dos melhores resultados de cada indivíduo. Prof. Bosco Torres

7 CE_07_Adam Smith e David Ricardo7 Origem da Motivação A motivação para a atividade econômica advém do desejo existente pela troca das mercadorias de modo geral, em que cada indivíduo produz aquilo com o que mais se identifica, ou em que possui determinada competência, o que lhe possibilita almejar os outros artigos produzidos por outras pessoas com competências distintas. Prof. Bosco Torres

8 CE_07_Adam Smith e David Ricardo8 Benefícios do Liberalismo 1. Conduz à divisão internacional do trabalho, 2. Leva os países a produzir apenas aquilo que for economicamente mais conveniente, 3. Permite aos países trocar seus excedentes através do comércio internacional; 4. Gera, em consequência, maior produtividade e custos globais mais baixos, 5. Proporciona, assim, maior bem-estar para a população. Prof. Bosco Torres

9 CE_07_Adam Smith e David Ricardo9 Vantagem do custo menor Se um país estrangeiro estiver em condições de nos fornecer uma mercadoria a preço mais barato do que a mercadoria fabricada por nós mesmos, é melhor comprá-la com uma parcela da produção de nossa própria atividade, empregada de forma que possamos auferir alguma vantagem ( Adam Smith, 1776) Prof. Bosco Torres

10 CE_07_Adam Smith e David Ricardo10 Vocação econômica A maximização global do bem-estar social no âmbito da relação entre países só é possível a partir do momento em que cada país consegue identificar sua real vocação econômica, baseada em: seus fatores de produção (terra, capital, trabalho); seus fatores de produção (terra, capital, trabalho); seus agentes econômicos (instituições públicas e privadas); seus agentes econômicos (instituições públicas e privadas); na maneira de trabalhar, ou seja, como os agentes econômicos transformam tais fatores de produção em produtos e serviços em favor do bem-estar da população (tecnologia). na maneira de trabalhar, ou seja, como os agentes econômicos transformam tais fatores de produção em produtos e serviços em favor do bem-estar da população (tecnologia). Prof. Bosco Torres

11 CE_07_Adam Smith e David Ricardo11Desregulamentação Outra característica determinante do liberalismo é a DESREGULAMENTAÇÃO da atividade econômica pelo estado, já que a determinação da real vocação de um indivíduo em gerar riqueza começa pela livre iniciativa. Prof. Bosco Torres

12 CE_07_Adam Smith e David Ricardo12 Surgimento das vocações de cada país Havendo liberdade de escolha dos indivíduos, surgem as vocações de cada país. Cada país identificando suas vocações, o sistema econômico global passa a reger-se pela divisão do trabalho, que é o maior aproveitamento das forças produtivas, reforçadas pelo livre- cambismo entre os países. Prof. Bosco Torres

13 CE_07_Adam Smith e David Ricardo13 Divisão do Trabalho A divisão do trabalho entre os países, que resulta em eficiência, é a especialização dada à atividade econômica praticada por cada indivíduo em cada país: Operário (executa operações) Operário (executa operações) Empresário (empreende e administra) Empresário (empreende e administra) Capitalista (fornece o capital) Capitalista (fornece o capital) Intelectual (estuda e cria tecnologias) Intelectual (estuda e cria tecnologias) Pesquisador ou engenheiro etc. Pesquisador ou engenheiro etc. Prof. Bosco Torres

14 CE_07_Adam Smith e David Ricardo14 Divisão do Trabalho Operário, cede sua força de trabalho; Operário, cede sua força de trabalho; Empresário, utiliza sua capacidade intelectual para transformar os fatores de produção em bens necessários à sociedade; Empresário, utiliza sua capacidade intelectual para transformar os fatores de produção em bens necessários à sociedade; Capitalista, emprega o capital na obtenção de juros e com isso gera produção Capitalista, emprega o capital na obtenção de juros e com isso gera produção Intelectual, pesquisador ou engenheiro, desenvolvem a tecnologia e os processos produtivos na busca de melhor eficiência no aproveitamento dos meios de produção. Intelectual, pesquisador ou engenheiro, desenvolvem a tecnologia e os processos produtivos na busca de melhor eficiência no aproveitamento dos meios de produção. Prof. Bosco Torres

15 CE_07_Adam Smith e David Ricardo15 Papel do Estado Defesa Nacional – atividades inerentes à garantia da soberania do país; Defesa Nacional – atividades inerentes à garantia da soberania do país; Justiça, Educação e Saúde – atividades de interesses coletivos da população; Justiça, Educação e Saúde – atividades de interesses coletivos da população; Essenciais e Não-Lucrativas – atividades econômicas em empreendimentos onde não há interesse da iniciativa privada. Essenciais e Não-Lucrativas – atividades econômicas em empreendimentos onde não há interesse da iniciativa privada. Prof. Bosco Torres

16 CE_07_Adam Smith e David Ricardo16 Investimentos do Estado Há investimentos que o interesse privado é pequeno em função do elevado tempo de retorno (Exemplo: hidrelétricas, companhias de petróleo, estradas e redes de eletricidade). Nesses casos, alguns países concedem Garantia pública de retorno através de fundos de compensação ou Garantia pública de retorno através de fundos de compensação ou Garantia pública de devolução de impostos. Garantia pública de devolução de impostos. O objetivo é eliminar cada vez mais a participação estatal em atividades típicas do setor privado. Prof. Bosco Torres

17 Intervencionismo no Brasil Agroindústria; Banco; Celular; Celulose; Cobrança; Confecções; Cooperativas; Eletricidade; Estaleiro; Hotéis; Imobiliária; Lançamento Foguetes; Mecânica; Minerais; Multimídia; Pesca; Petróleo e petroquímicas; Processamento de dados; Portos; Sementes; Siderurgia; Tecnologia eletrônica; Telecomunicações; Turismo; etc. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo17

18 Intervencionismo no Brasil. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo18

19 Intervencionismo no Brasil. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo19

20 Intervencionismo no Brasil. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo20

21 Intervencionismo no Brasil. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo21

22 Intervencionismo no Brasil. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo22

23 Intervencionismo no Brasil. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo23

24 Intervencionismo no Brasil. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo24

25 Intervencionismo no Brasil. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo25

26 Intervencionismo no Brasil. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo26

27 Intervencionismo no Brasil. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo27

28 CE_07_Adam Smith e David Ricardo28 Liberalismo e Democracia O liberalismo só pode existir nas democracias, visto que nas democracias a liberdade individual está plenamente assegurada e a liberdade individual está plenamente assegurada e o estado atua somente em questões que lhe são afins. o estado atua somente em questões que lhe são afins. Prof. Bosco Torres

29 CE_07_Adam Smith e David Ricardo29 O Laissez-Faire do Liberalismo O Liberalismo é uma doutrina conhecida como laissez-faire ( deixai fazer ). Permite total liberdade de atuação dos diversos agentes econômicos, livres para a escolha de suas atividades. Laissez-faire é parte da expressão em língua francesa "laissez faire, laissez aller, laissez passer", que significa literalmente "deixai fazer, deixai ir, deixai passar. Prof. Bosco Torres

30 Intervencionismo Exemplo de intervencionismo global: O Google, que atua em 100 países, revelou que em 25% deles seus serviços são parcialmente bloqueados. Veja, 28/abril/2010, pg. 66 Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo30

31 CE_07_Adam Smith e David Ricardo31 Diferenças entre os países O comércio internacional decorre das diferenças existentes entre os diversos países, que buscam complementar suas necessidades internas com produtos e serviços de outras regiões do planeta onde ocorrem em abundância. Prof. Bosco Torres

32 CE_07_Adam Smith e David Ricardo32 Justificativas da existência do Comex 1 – Diferentes condições de clima fazem com que a produção agrícola de um país seja diferente da de outro. 2 – A diversidade mineral do subsolo de diferentes regiões do planeta determina que alguns países sejam mais ricos em alguns tipos de minérios do que outros, obrigando as nações a comerciar entre si. 3 – Ganhos de escala pela produção de grandes volumes de maneira repetitiva proporcionam redução dos custos de produção. 4 – Divisão do trabalho gera a especialização das atividades como um todo e, consequentemente, determina ganhos de produtividade pelo melhor aproveitamento dos recursos. 5 – Diferentes níveis de consumo e produção entre os países os levam a compatibilizar de maneira conjunta as fontes de produtos com seus consumidores. Prof. Bosco Torres

33 CE_07_Adam Smith e David Ricardo33 Teorias clássicas do Comércio Internacional. AutorTeoriaCaracterísticas Adam Smith 1776 Teoria da Vantagem Absoluta Cada país deve concentrar-se em produzir somente as mercadorias que apresentar melhores condições de fazê-lo. David Ricardo 1817 Teoria da Vantagem Comparativa Cada país deve concentrar-se em mercadorias que apresentem maior vantagem absoluta ou menor desvantagem comparativa entre si. Prof. Bosco Torres

34 CE_07_Adam Smith e David Ricardo34 Liberdade de comércio Adam Smith e David Ricardo são favoráveis à COMPLETA LIBERDADE de comércio entre os países, de modo a garantir que cada país, através de seus empresários, PRODUZA somente aquilo que tem maior vantagem em termos de produtividade, custo e competência, PRODUZA somente aquilo que tem maior vantagem em termos de produtividade, custo e competência, COMPRE os itens para os quais não apresenta uma pronunciada vantagem. COMPRE os itens para os quais não apresenta uma pronunciada vantagem. Prof. Bosco Torres

35 CE_07_Adam Smith e David Ricardo35 Teoria de David Ricardo do Comércio Internacional Complementando a proposta de Adam Smith, David Ricardo apresenta sua teoria da Vantagem Comparativa, em que cada país deve analisar sua balança comercial a fim de mantê-la equilibrada, buscando a produção de produtos nos quais tenha MAIOR Vantagem Absoluta ou MAIOR Vantagem Absoluta ou MENOR Desvantagem Comparativa. MENOR Desvantagem Comparativa. Prof. Bosco Torres

36 CE_07_Adam Smith e David Ricardo36 Comparação de custos A teoria de Ricardo atende especialmente a países em desenvolvimento, onde até mesmo a produtividade do campo muitas vezes é inferior a de países desenvolvidos. Para Ricardo, países que não apresentam vantagens absolutas passam, então, a se concentrar na produção de bens em que a desvantagem produtiva seja menor (CUSTOS COMPARADOS). Prof. Bosco Torres

37 David Ricardo David Ricardo, inglês (1772–1823) é considerado um dos principais representantes da economia política clássica. Em 1799, teve a oportunidade de ler a Riqueza das nações de Adam Smith que atraiu o seu interesse pela pesquisa sobre assuntos econômicos. Entre 1809 e 1815 publicou alguns panfletos sobre temas de economia monetária, repartição da renda e comércio internacional. A partir de então dedicou-se a escrever um tratado teórico geral sobre a economia, os Princípios, que foi publicado em 1817 e se constituiria num marco teórico decisivo para o desenvolvimento da economia política clássica. Prof. Bosco Torres CE_07_Adam Smith e David Ricardo37

38 CE_07_Adam Smith e David Ricardo38 Vantagem Comparativa SE um país A pode produzir duas mercadorias (tecido e vinho) a custo mais baixo do que outro país B, MAS a vantagem em produzir uma mercadoria (tecido : vantagem de 10) não é tão grande quanto a obtida pela outra mercadoria (vinho : vantagem de 40), Prof. Bosco Torres

39 CE_07_Adam Smith e David Ricardo39 Vantagem Comparativa Então o país A deve não produzir tecido, mas importar tecido do país B; não produzir tecido, mas importar tecido do país B; produzir vinho e exportar vinho, para pagar tecido. produzir vinho e exportar vinho, para pagar tecido. Prof. Bosco Torres

40 CE_07_Adam Smith e David Ricardo40 Vantagem Comparativa Quando consideradas as relações entre dois países, passamos a falar de VANTAGEM RELATIVA. PaísCusto do TECIDOCusto do VINHO A9080 B DIFE- RENÇA 1040 A tem vantagem de 10 em TECIDO A tem vantagem de 40 em VINHO Prof. Bosco Torres

41 CE_07_Adam Smith e David Ricardo41 A teoria de Adam Smith Pela teoria das Vantagens Absolutas, de Adam Smith, o país A seria o produtor e exportador natural tanto de tecido quanto de vinho. Isto seria prejudicial ao comércio entre os países A e B, uma vez que A seria sempre vendedor, gerando acúmulo de riqueza somente em A; A seria sempre vendedor, gerando acúmulo de riqueza somente em A; B seria sempre comprador, gerando empobrecimento constante em B, até o momento em que cessaria o comércio entre os países. B seria sempre comprador, gerando empobrecimento constante em B, até o momento em que cessaria o comércio entre os países. Prof. Bosco Torres

42 CE_07_Adam Smith e David Ricardo42 A teoria de David Ricardo Pela Teoria das Vantagens Relativas, de David Ricardo, a vantagem apresentada por A na produção de tecido ( = 10) é inferior à vantagem apresentada também por A na produção de vinho ( = 40). Assim, país A deveria concentrar-se na produção de VINHO, em que possui maior vantagem (40), país A deveria concentrar-se na produção de VINHO, em que possui maior vantagem (40), país B deveria concentrar-se na produção de TECIDO, onde possui menor desvantagem (10). país B deveria concentrar-se na produção de TECIDO, onde possui menor desvantagem (10). Prof. Bosco Torres

43 CE_07_Adam Smith e David Ricardo43 Comparação das teorias Adam Smith expõe as vantagens do comércio internacional quando um país produz algum produto a custo mais baixo que os outros: TEORIA DA VANTAGEM ABSOLUTA. David Ricardo demonstra a possibilidade de haver comércio internacional, mesmo que um país não possa produzir mercadorias a um custo mais baixo que os outros países: TEORIA DA VANTAGEM COMPARATIVA. Prof. Bosco Torres

44 CE_07_Adam Smith e David Ricardo44 Agronegócio brasileiro. Prof. Bosco Torres

45 CE_07_Adam Smith e David Ricardo45 Agronegócio brasileiro. Prof. Bosco Torres

46 CE_07_Adam Smith e David Ricardo46 Custo das mercadorias produzidas O custo das mercadorias produzidas é consequência de diversos fatores, dentre eles: Matéria-prima Matéria-prima Mão-de-obra Mão-de-obra Capital (investimentos, tecnologia e know-how) Capital (investimentos, tecnologia e know-how) Logística Logística Custos comerciais, etc Custos comerciais, etc Prof. Bosco Torres Agronegócio


Carregar ppt "CE_07_Adam Smith e David Ricardo1 DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE : DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google