A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONTINUAÇÃO DE: INFECÇÕES TRANSMITIDAS POR ALIMENTOS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONTINUAÇÃO DE: INFECÇÕES TRANSMITIDAS POR ALIMENTOS."— Transcrição da apresentação:

1 CONTINUAÇÃO DE: INFECÇÕES TRANSMITIDAS POR ALIMENTOS

2 OXIURÍASE Conceito Parasitose intestinal também denominada oxiurose, enterobíase e enterobiose. Popularmente é conhecida como caseira, murróide ou tuxinha. Constitui uma infecção benigna, mas incômoda pelo intenso prurido anal que produz e por suas complicações, principalmente nas crianças.

3 Agente causador O Enterobius vermiculares é um parasito exclusivo da espécie humana, passando de uma pessoa a outra pela transferência de ovos através das mãos que coçam a região anal e, posteriormente, são levadas à boca do próprio hospedeiro ou a outra pessoa, por meio da contaminação dos alimentos pelas mãos sujas.

4 A poeira também pode ser outra via de transmissão porque permite a inalação de ovos por parte de pessoas que dormem no mesmo quarto, na mesma cama ou que frequentam as mesmas instalações sanitárias (dormitórios, colégios e habitações coletivas). Ocorre com frequência entre as crianças pequenas e os adultos que cuidam delas.

5 Profilaxia e controle A medida mais importante é o tratamento dos indivíduos infectados, de forma a eliminar as fontes de infecção. Paralelamente, deve-se: Manter rigorosa higiene pessoal Usar unhas curtas Mudar frequentemente as roupas de baixo, as roupas de dormir, os lençóis de cama e as toalhas, que devem ser fervidas ou lavadas em máquinas com aquecimento Evitar superlotação dos dormitórios Dispor de instalações sanitárias adequadas e limpas

6 Complicações Em casos de infecção intensa, as escoriações produzidas pela coceira permitem a penetração de bactérias nas lesões, levando à inflamação crônica do cólon(colite).

7 POLIOMIELITE Conceito É uma doença conhecida popularmente como paralisia infantil, denominação que não é muito adequada, não só porque esta não é uma doença exclusiva da infância como também nem sempre causa a paralisia. Trata-se de uma infecção viral aguda com gravidade variável.

8 Agente causador Poliovírus tipos 1,2 e 3. Sinais e sintomas É uma virose aguda que ocorre naturalmente em seres humanos e produz uma grande variedade de manifestações clínicas. Na forma mais grave atinge o sistema nervoso central. Na maioria dos casos, o sistema nervoso não é invadido e a doença passa despercebida ou com sintomas leves. A virose pode assumir as seguintes formas: Infecção inaparente(despercebida) Poliomielite não-paralítica Poliomielite paralítica

9 Contágio A transmissão ocorre, principalmente, por contato direto pessoa-a-pessoa. A boca é a porta de entrada do poliovírus, e o tubo intestinal é a principal fonte de disseminação. O vírus pode, a partir das fezes, contaminar principalmente a água ou outros elementos que, ao penetrarem na boca, irão infectar a orofaringe e a parte inferior do tubo intestinal.

10 Profilaxia e controle A principal medida para evitar e controlar a doença é a vacinação da população(vacina Sabin)2,4 e 6 meses R-15 m. A melhoria das condições sanitárias também é importante. Complicações Na forma paralítica a principal complicação é a insuficiência respiratória, que pode resultar da paralisia dos músculos respiratórios como comprometimento do sistema nervoso central.

11 TENÍASE Conceito Parasitose intestinal comumente conhecida como solitária, pois em geral o indivíduo é parasitado por apenas um espécime.

12 Agente causador Vermes grandes e achatados, em forma de fita, segmentados(cada segmento é chamado de proglote) e de cor branca, denominados Taenia solium e Taenia saginata. A T. Solium, também conhecida como tênia do porco, pode alcançar de 1,5 a 4 metros de comprimento, enquanto a T. Saginata, conhecida como tênia do gado bovino. Pode atingir de 4 a 12 metros.

13 Sinais e sintomas Tonturas, fraqueza, insônia, dor de cabeça, irritabilidade, apetite aumentado ou falta de apetite, náuseas, vômitos, distensão abdominal, diarréia, perda de peso e dores abdominais e, em alguns casos, convulsões e constipação intestinal. A eliminação de proglotes da T. saginata costuma provocar sensação de desconforto perianal.

14 Contágio O homem é o hospedeiro definitivo, e contamina o solo com seus dejetos-fezes contendo ovos do verme(proglotes grávidos). O gado bovino e o suíno se infectam por ingestão de fezes junto com o pasto. O hospedeiro intermediário(boi ou porco) ingere os ovos e estes se fragmentam no intestino do animal, colocando em liberdade o embrião(oncosfera), que sai do intestino e vai se localizar nos músculos desse hospedeiro, onde se transforma em cisticerco ou, vulgarmente, canjiquinha.

15 A carne de porco ou de boi contendo os cisticercos, quando ingerida crua ou pouco cozida, sofre a ação dos sucos digestivos liberando uma forma denominada escólex (cabeça com ventosas), que se fixa na mucosa do intestino delgado por meio de ventosas; depois disso ocorre o desenvolvimento do restante do verme(verme adulto), ao longo da luz intestinal, fechando o ciclo.

16 Profilaxia e controle Modernização e aperfeiçoamento dos métodos de criação de suínos e bovinos Desinfecção nos matadouros Destino adequado dos dejetos humanos Tratamento do indivíduo infectado

17 Complicações Quando um ser humano(o próprio indivíduo infectado ou uma outra pessoa) ingere os ovos do verme, passa a desenvolver a cisticercose, isto é, o processo que se desenvolveria nos músculos do animal passa a ocorrer particularmente no cérebro, provocando inflamação e mau funcionamento desse órgão.

18 TOXOPLASMOSE Conceito Infecção em geral assintomática, localizada ou sistêmica, sendo a doença uma exceção no homem, considerando que normalmente ele é apenas o hospedeiro intermediário. O agente causador Protozoário Toxoplasmose gondii.

19 Sinais e sintomas Febre, exantema, linfadenopatias, também podem ser observadas perturbações respiratórias, cardíacas, hepáticas e encefálicas.

20 Contágio Os gatos são os hospedeiros finais do protozoário, ao passo que os seres humanos, os mamíferos não-felinos e os pássaros são os hospedeiros intermediários. Os gatos eliminam cistos pelas fezes. Esses cistos, na presença de oxigênio e temperatura entre 20 e 30º C, tornam-se infectantes.

21 O homem ingere os cistos de toxoplasma originários do solo, da areia, de latas de lixo ou de qualquer local onde os gatos defecam, ou mesmo de carne crua e mal cozida, especialmente de porco e carneiro. A infecção também pode acontecer através da placenta.

22 Profilaxia Alimentar os gatos somente com alimentos secos, evitando carne crua Limpar e desinfetar os locais onde os gatos defecam Usar luvas plásticas para cuidar dos gatos Usar luvas grossas quando lidar com solos contaminados Complicações Lesões cerebrais ou mesmo morte do feto.

23 Que a comida seja teu alimento e o alimento tua medicina." (Hipócrates)

24 Infecções transmitidas pela pele A pele pode funcionar como via de transmissão para vários micro e macrorganismos. Particularmente as soluções de continuidade provocadas por ferimentos, queimaduras, escarificações, etc. Podem servir como porta de entrada.

25 Ancilostomíase Conceito É uma verminose vulgarmente conhecida como opilação ou amarelão. Agentes causadores Os helmintos Ancylostoma duodenale e Necator americanus.

26 Sinais e sintomas Durante a invasão da pele exposta à larvas podem surgir eritema(vermelhidão) e edema(inchaço) com intenso prurido (coceira). Durante a passagem da larva para os pulmões é comum ocorrer tosse e febre. Os sintomas gastrintestinais variam de um mal-estar na boca do estômago até a dor típica de úlcera. O indivíduo pode apresentar anemia, anorexia(falta de apetite) ou perversão do apetite(comer terra, barro). O retardamento físico e mental também pode estar relacionado com a doença.

27 Contágio Ao deixar suas fezes no chão, a pessoa que tem amarelão contamina a terra com ovos do verme; os ovos se rompem e liberam larvras que, com o tempo(cerca de oito dias), transformam-se em formas infectantes; no solo, se essas larvas encontrarem um hospedeiro( no caso, o homem) penetram na sua pele, caem na circulação sanguínea e realizam o seguinte trajeto: pulmões->brônquios-> traquéia-> faringe-> esôfago-> estômago-> intestinos. ao chegarem ao duodeno, fixam-se na parede intestinal, onde amadurecem, acasalam-se e a fêmea passa a liberar ovos. se as fezes dessa pessoa forem depositadas no chão, o ciclo será reiniciado.

28 Profilaxia e controle providenciar destino adequado às fezes por meio de saneamento básico(construção de fossas, esgotos e privadas) não defecar nem jogar fezes no chão não andar descalço

29 Complicações Quando a doença não é tratada podem ocorrer problemas cardíacos e retardamento mental.

30 Candidíase Conceito Micose que atinge a pele ou as membranas mucosas, também conhecida por monilíase. Agente causador Fungo candida albicans. Esse fungo é hóspede natural do tubo digestivo, genitália da mulher, pele e vias respiratórias. Torna-se patogênico em situações de umidade e atrito excessivos, uso prolongado de antibióticos, alterações hormonais ou imunodepressão.

31 Sinais e sintomas A infecção da mucosa da boca, também conhecida por sapinho, ocorre principalmente em recém- nascidos e caracteriza-se por placas brancas que se formam na amígdalas, bochecha, gengiva e língua. Essas placas são facilmente removíveis, deixando uma superfície avermelhada. Outras manifestações são febre, náuseas e dor durante a deglutição. Em alguns casos, a doença pode se espalhar para outras superfícies mucosas ou áreas do corpo, como pregas do cotovelo, pregas entre os dedos, sulco inframamário(abaixo das mamas), umbigo, axilas e unhas. O fungo pode determinar também inflamações na mucosa da vagina e do colo uterino, e quando prolifera no intestino pode causar um quadro de diarréia.

32 Contágio A infecção é geralmente endógena. Profilaxia e controle diagnóstico e tratamento da gestante no primeiro trimestre da gravidez (evitar infecção neonatal) medidas de higiene pessoal e dos objetos com o objetivo de manter o equilíbrio entre a flora microbiana normal e a defesas do homem(exemplo: evitar o sapinho na criança mantendo os utensílios domésticos adequadamente limpos).

33 Complicações Nos casos mais graves, principalmente nos indivíduos desnutridos ou com deficiência imunológica, pode ocorrer dificuldade de deglutição(quando atinge a boca), com emagrecimento acentuado, ou diarréia aguda com desidratação(quando atinge o intestino). A candidíase é uma das doenças que fazem parte da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida(AIDS). Nesse caso, como esse fungo é encontrado frequentemente em nosso corpo, a flora microbiana normal torna-se um elemento favorável ao aparecimento de doenças.

34 Via sexual-> atenção, essa também é uma das possíveis vias de transmissão da candidíase.

35 Erisipela Conceito É uma infecção da pele e dos tecidos subcutâneos que geralmente acomete a face e os membros inferiores. Agente causador É uma bactéria, os Streptococcus pyogenes, que pode ser encontrada na lesão ou na corrente sanguínea do doente. Sinais e sintomas Lesão cutânea que se aprofunda, caracterizada por vermelhidão, inchaço e endurecimento.

36 Profilaxia e controle Tratamento imediato da lesão na fase inicial com antibióticos, segundo orientação médica, para evitar as complicações. Complicações Alguns doentes, quando não tratados, podem desenvolver inflamação grave nos rins.

37 Escabiose Conceito É uma doença conhecida popularmente como sarna, caracterizada por lesões da pele com formação de túneis superficiais.

38 Agente causador Sarcopes scabiei, um tipo de ácaro Sinais e sintomas As lesões causam prurido intenso(coceira), geralmente nas dobras da pele Contágio Pode ocorrer através de relações sexuais, pelo contato com a pele da pessoa contaminada e pelo contato prolongado com roupas e objetos pessoais ou de cama usados anteriormente por pessoas com a doença.

39 Profilaxia e controle tratar o indivíduo doente com medicação de uso externo lavar separadamente a roupa da pessoa doente em máquina de lavar. Caso isso não seja possível, ferver a roupa depois de lavada à mão recomendar ao doente o banho diário Complicações Se não houver tratamento adequado, pode ocorrer infecção bacteriana das lesões resultantes do ato de coçar.

40 Esquistossomose Conceito É uma doença geralmente crônica provocada por um verme. Também é conhecida pelos nomes vulgares de xistose, bariga dágua ou doença do caramujo, porque o verme se desenvolve dentro desse hospedeiro. Agente causador É o Schistosoma mansoni, um helminto.

41 A doença, na maioria das vezes, é assintomática(não apresenta sintomas), mas pode produzir: Reação na pele, caracterizada pelo aparecimento de áreas avermelhadas, um pouco salientes, acompanhadas de coceira intensa(urticária) Febre Aumento do volume do fígado(hepatomegalia), alterando seu funcionamento Aumento de líquido na cavidade abdominal(ascite) Diarréia crônica

42 Contágio A transmissão segue uma sequência de fatos que devem ser conhecidos para que possamos entender as ações de profilaxia: 1- As larvas penetram na pele quando o homem entra em contato com a água contaminada 2- No organismo do homem os vermes acasalam-se nas veias do fígado 3- Após a fecundação a fêmea migra para as veias do intestino, onde coloca centenas de ovos que são eliminados nas fezes 4- As fezes do homem doente contaminam a água com ovos do verme 5- Dos ovos saem larvas que penetram no caramujo, onde completam seu desenvolvimento 6- Dos caramujos as larvas saem para a água, podendo contaminar outro homem e iniciar um novo ciclo.

43 Profilaxia e controle Destinação e tratamento adequado dos dejetos humanos, evitando a contaminação ambiental das águas de rios, lagoas e represas; Evitar o banho ou a lavagem de roupa em água cuja origem seja desconhecida; Educação ambiental.

44 Complicações Geralmente ocorrem disfunções hepáticas(do fígado) e/ ou renais. Disfunção -> significa perda ou diminuição da função de um órgão

45 Hanseníase Conceito É uma infecção bacteriana caracterizada por lesões na pele. A doença pode se apresentar desde uma forma branda até à grave, dependendo do organismo do indivíduo. Agente causador É uma bactéria em forma de bacilo, o Mycobacterium leprae.

46 Sinais e sintomas Na manifestação branda da doença a lesão na pele é acompanhada de perda de sensibilidade e despigmentação(ausência ou diminuição do pigmento, o que determina a perda da cor original da pele ou de um órgão). Na forma mais grave, além da perda da sensibilidade tátil na área da lesão, também ocorrem: Espessamento e enrugamento da pele e da face, que adquire o aspecto de face leonina; Perda de sobrancelhas; Destruição progressiva das cartilagens das orelhas e do nariz, assim como das pontas dos dedos.

47 Contágio Não se sabe exatamente a forma de transmissão do bacilo da hanseníase. É provável que a bactéria penetre através da pele, do nariz ou da boca, onde causa as lesões que também podem atingir as vias respiratórias superiores, os olhos, os nervos periféricos e as glândulas supra-renais.

48 Profilaxia e controle A prevenção da enfermidade exige certas medidas: Exame regular de lesões na pele, principalmente de indivíduos que mantenham contato prolongado e direto com pessoas que têm a doença; Diagnóstico precoce, favorecendo o tratamento imediato e eficaz; Educação em saúde, destacando que a hanseníase é uma doença que tem cura; Vacinação com BCG nos contatos intradomiciliares dos doentes.

49 Complicações A perda da sensibilidade da pele favorece o descuido em relação a pancadas, corte e queimaduras, podendo ocasionar feridas que geralmente se tornam infectadas por outras bactérias. Na fase mais avançada da doença podem ocorrer também atrofia muscular e contratura das mãos e dos pés.

50 Herpes simples Conceito É uma virose que se manifesta na pele ou nas mucosas, apresentando sinais e sintomas que podem desaparecer durante algum tempo. Agente causador É um vírus que, após um período de latência, pode ser reativado quando organismo do indivíduo é afetado por gripe, febre, cansaço, transtorno emocional, exposição excessiva à luz solar, traumatismos ou menstruação.

51 Sinais e sintomas A doença se caracteriza por pequenas vesículas sobre uma área eritematosa, geralmente em torno da boca, nos lábios, nos olhos, na conjuntiva e nos órgãos genitais, acompanhadas de febre, dor de cabeça e mal-estar.

52 Contágio O vírus é transmitido através do contato direto com as lesões, por exemplo, através do beijo, da relação sexual e na prática dos profissionais de saúde(médicos, dentistas,enfermeiros, auxiliares de enfermagem). Profilaxia e controle A principal maneira de se evitar a virose é não manter contato direto com pessoas infectadas. Os profissionais da área de saúde devem adotar medidas de proteção individual, como:

53 Lavar as mãos com água e sabão e secá-las com papel ou toalhas estéreis antes e após atender cada cliente; Quando houver contato com sangue, secreções ou fluidos corpóreos, lavar as mãos imediatamente; Usar luvas sempre que houver risco de contato com sangue, secreções ou fluidos corpóreos; Usar óculos protetores em procedimentos nos quais gotículas de saliva ou sangue possam atingir os olhos(conjuntiva). Usar máscaras para proteger as mucosas da boca e do nariz nas situações de risco; Usar avental nos procedimentos que proporcionem contato com sangue, secreções ou fluidos e superfícies corpóreas contaminados; Utilizar com o máximo cuidado instrumentos perfurocortantes(agulhas, bisturis, tesouras, etc).

54 Complicações Inflamação grave da pele; Encefalite; Meningite; Transmissão da infecção da mãe para o filho durante o parto.

55 Pediculose Conceito É uma inflamação da pele causada por pequenos artrópodes(piolhos), mais comumente nas regiões do corpo cobertas por pêlos. Considerando-se que esses artrópodes são ectoparasitos, a doença pode ser considerada uma infecção.

56 A enfermidade pode ser causada pelo artrópode Pediculus humanus, o piolho da cabeça, ou pelo Pthirus púbis, que parasita os pêlos da região pubiana. Os ovos dos piolhos são chamados lêndeas e caracterizam-se pela capacidade de se agarrar nas hastes dos pêlos, dificultando sua retirada e favorecendo a permanência no hospedeiro.

57 Sinais e sintomas Prurido intenso no local das lesões. Contágio Ocorre por contato direto com indivíduos que têm piolho ou pelo uso de seus objetos pessoais, principalmente pentes e escovas. A disseminação do artrópode é comum em locais onde há superlotação com grandes períodos de convivência (creches, escolas e alojamentos militares, por exemplo).

58 Profilaxia e controle É importante atuar sobre os parasitos existentes e impedir sua transmissão. Para isso é preciso: Eliminar os piolhos por meio de medidas específicas; Inspecionar cuidadosamente os cabelos das pessoas infestadas; Usar pentes e escovas individuais; Lavar as roupas, pentes e escovas contaminados com água quente e sabão Manter boa higiene pessoal Evitar contato direto com quem estiver infestado com piolhos.

59 Complicações Em conseqüência do ato de coçar, é possível que surjam infecções bacterianas no local da picada. Eventualmente pode ocorrer uma doença febril(tifo exantemático), transmissível de pessoa para pessoa através da picada do piolho.

60 Raiva Conceito É uma virose fatal, conhecida também como hidrofobia transmitida por animais domésticos ou silvestres. Agente causador Um vírus pertencente à família Rhabdoviridae.

61 Sintomas Dor de cabeça; Febre; Mal-estar geral; Falta de apetite(anorexia); Sensação de angústia;

62 Contágio A doença é transmitida pelo vírus presente na saliva de animais infectados(cães, gatos, raposas, morcegos, macacos, micos, gados, etc.) A transmissão ocorre principalmente pela mordedura e, mais raramente, por arranhadura e lambedura de animais contaminados. Ao contrário do que muita gente imagina, os animais roedores por exemplo, ratos, camundongos, ratazanas do mato, não transmitem a raiva.

63 Profilaxia e controle A profilaxia exige ações em relação ao homem contaminado e ao animal. Quando as pessoas são expostas ao vírus rábico, a profilaxia é feita por meio do uso de vacinas e soro anti-rábico.

64 CUIDADOS: lavar imediatamente o ferimento com água e sabão, desinfetar com álcool iodado a 1%, fazer a profilaxia do tétano e usar antibiótico nos casos indicados pelo serviço de saúde. No que se refere aos animais, providenciar a vacinação de cães e gatos. Para o controle, além da vacinação são importantes o isolamento, a observação e a eliminação dos animais doentes, que em geral apresentam mudanças de comportamento, mostrando-se furiosos, podendo evoluir para uma forma de paralisia. Complicação Ainda hoje, a raiva não tem cura e leva à morte.

65 Tétano Conceito É uma infecção aguda e grave provocada por um microrganismo encontrado no solo, na poeira, nas fezes de animais e objetos contaminados. Agente causador É o Clostridium tetani, uma bactéria capaz de assumir a forma de esporo para assim resistir durante muitos anos às condições adversas do meio ambiente.

66 Sinais e sintomas Os principais são: Inquietação; Dor de cabeça; Irritação; Estado febril. Com a evolução da doença, os músculos são comprometidos primeiro os da mandíbula, o que dificulta a abertura da boca e a deglutição. Pouco tempo depois, todos os músculos do corpo são acometidos de espasmos. Devido à alta sensibilidade do sistema nervoso, qualquer ruído ou luz intensa pode desencadear uma convulsão generalizada.

67 Contágio A bactéria do tétano ou seu esporo penetra no organismo através de feridas na pele contaminadas com terra, poeira, fezes de animais ou humanas. A bactéria cresce e produz toxinas que atingem o sistema nervoso. Outra forma de contágio observada no Brasil é a do coto umbilical causando o tétano do recém-nascido, popularmente conhecido como mal dos sete dias. O tétano neonatal ou do recém-nascido é uma doença aguda, na qual os esporos estão presentes em instrumentos cirúrgicos sujos ou em produtos colocados no coto umbilical, em razão de crenças populares e simpatias(pó de café, teia de aranha, etc).

68 Profilaxia e controle As principais medidas são: Educação em saúde; Lavar os ferimentos com água e sabão; Vacinar com toxóide tetânico(inclusive gestantes), utilizando a vacina DPT(tríplice) até os sete anos ou a vacina dupla após essa idade.

69 Complicações Quando a doença não é tratada geralmente o paciente é levado à morte. Se tratada, podem permanecer seqüelas neurológicas diversas(distúrbios da fala, espasmos musculares).

70 Infecções transmitidas por relação sexual Dentre as enfermidades transmitidas pela relação sexual estão a SIDA(Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) ou AIDS, e a hepatite B; a via sexual é sua principal forma de contaminação e, no Brasil, representa o meio pelo qual ocorre o maior número de casos. A candidíase e o herpes simples, também transmitidos por via sexual, são descritos como decorrentes da transmissão pela pele, por ser esta a de maior ocorrência.

71 Aids Conceito A AIDS é um conjunto de sinais e sintomas associados a doenças infecciosas e não- infecciosas, chamadas oportunistas, por se instalarem no ser humano em conseqüência da diminuição de sua resistência, do enfraquecimento de sua imunidade. Esse conjunto de sinais e sintomas é chamado de síndrome porque aparece como um conjunto de doenças; imunodeficiência porque diminui a capacidade de o organismo defender-se das doenças; e adquirida porque é decorrente da infecção pelo HIV. A AIDS ainda não tem cura.

72 Agente causador É o vírus denominado HIV(vírus da imunodeficiência humana). Sinais e sintomas O portador do HIV pode ter um longo período assintomático. No caso de desenvolver-se a doença, os principais sinais e sintomas relacionados à baixa imunidade são: Febre(durando mais de um mês); Grande perda de peso(mais de 10% do peso anterior); Cansaço permanente não relacionado a esforço físico; Suor noturno e calafrios;

73 Contágio O vírus da AIDS é transmitido por: Via sexual(sexo vaginal, oral ou anal) nas relações heterossexuais, bissexuais e homossexuais; Exposição a sangue, produtos sanguíneos ou tecidos(transfusão de sangue ou seus derivados; transplantes de órgãos; compartilhamento de drogas endovenosas); De mãe para filho por via perinatal (pelo útero ou parto) e pelo leite materno; Material cortante não-esterilizado(agulhas, seringas, cortador de cutícula, instrumental médico-cirúrgico e odontológico).

74 O vírus HIV não é transmitido pelo contato diário, nem por abraços, beijos, apertos de mão, água, picadas de mosquitos ou outros insetos, uso de assentos sanitários, telefones, louças, talheres, roupas de cama e banho.

75 Profilaxia e controle Para evitar a AIDS é necessário: Usar camisinha nas relações sexuais(sexo seguro); Limitar o número de parceiros sexuais; Utilizar somente seringas e agulhas esterilizadas e descartáveis; Esterilizar instrumentos perfurantes e cortantes, como agulhas de acupuntura, cortadores de cutícula, instrumental médico e odontológico; Manipular cuidadosamente instrumentos cortantes e perfurantes; Controlar rigorosamente o sangue doado; Orientar as mulheres contaminadas para que façam um pré-natal cuidadoso e não amamentem seus filhos; Fazer triagem de doadores de órgãos, óvulos e sêmen; Não compartilhar seringas.

76 Complicações Decorrem dos efeitos das doenças oportunistas. As vis de transmissão congênita e aquelas relacionadas ao contato com objetos e sangue contaminados também são possíveis vias de transmissão da AIDS. Principais meios de prevenção da AIDS Uso de camisinha nas relações sexuais Uso de seringas descartáveis

77 Hepatite B Conceito É uma inflamação do fígado que pode provocar a destruição de seu tecido e comprometer suas funções. A transmissão dessa enfermidade tem sido atribuída às relações sexuais, administrações parenterais e de mãe para o filho através da placenta. Agente causador É o vírus da hepatite B.

78 Sinais e sintomas Mais de 50% das infecções passam despercebidas; No início, a doença provoca dor de cabeça, febre, falta de apetite, náuseas e dor à palpação do fígado, além de vômitos; Mais tarde pode ocorrer uma fase chamada ictérica, quando se verifica icterícia, urina escura e aumento do fígado.

79 Contágio Sangue, saliva e sêmen são infectantes; Lesões na pele e mucosa; Agulhas e outros instrumentos contaminados(tatuagem, perfuração de orelha, drogas endovenosas, etc); Procedimentos odontológicos, cirúrgicos e hemodiálise que não obedecem às recomendações sanitárias; De mãe para filho, através da placenta.

80 Profilaxia e controle As melhores formas de evitar a hepatite B são: Utilizar somente seringas e agulhas esterilizadas e descartáveis; Desinfetar e esterilizar instrumentos perfurantes e cortantes,como agulhas de acupuntura, cortadores de cutículas de unha, instrumental médico e odontológico; Manipular cuidadosamente instrumentos cortantes e perfurantes; Controlar rigorosamente o sangue doado e seus derivados; Vacinar contra o vírus da Hepatite B(principalmente as pessoas que moram em áreas endêmicas e grupos de risco_profissionais de saúde).

81 Complicações É comum a ocorrência de cirrose e câncer hepático. A via congênita e aquelas relacionadas ao contato com objetos e sangue contaminados também constituem possíveis vias de transmissão da hepatite.

82 Gonorréia Conceito É uma doença infecciosa aguda que atinge as mucosas da uretra, colo do útero e reto. Pode afetar também a faringe(faringite gonocócica) em conseqüência da prática do sexo oral. Agente causador Bactéria Neisseria gonorrhoeae, ou gonococo.

83 Sinais e sintomas No homem: Dor e dificuldade para urinar; Corrimento de cor amarelada ou esverdeada ou, até mesmo, com sangue, que sai pelo pênis. Na mulher: A mulher geralmente não apresenta sintomas, embora em alguns casos possa haver: Corrimento vaginal; Aumento na freqüência urinária; Dor ao urinar Dependendo das práticas sexuais, pode ocorrer infecção retal em ambos os sexos.

84 Contágio A infecção é transmitida geralmente pelo contato sexual direto, mas eventualmente pode ser transmitida a um recém-nascido durante o parto, causando a conjuntivite gonocócica. Profilaxia e controle Não manter relações sexuais com pessoas infectadas(pelo menos enquanto a infecção não estiver controlada); Usar camisinha; Limitar o número de parceiros sexuais; Urinar após o ato sexual, pois o jato de urina arrasta para fora os microrganismos que estão na uretra; Lavar os órgãos genitais com água e sabão logo após o ato sexual.

85 Complicações Nos homens, inflamação nos testículos e na próstata; nas mulheres, inflamação nas trompas de Falópio, que podem provocar esterilidade; além disso, a enfermidade pode provocar inflamação nas articulações (artrite).

86 Sífilis Conceito É uma infecção crônica que pode atingir qualquer tecido ou órgão do corpo, apresentando intervalos assintomáticos. Pode ser transmitida sexualmente(sífilis adquirida) ou da mãe para o feto(sífilis congênita). Agente causador É a bactéria espiralada Treponema pallidum, encontrada nas secreções das lesões, no esperma, sangue e secreções vaginais da pessoa doente.

87 Sinais e sintomas A primeira manifestação da sífilis adquirida é uma ferida indolor denominada cancro, que aparece no local em que houve o primeiro contágio. Mesmo sem tratamento, essa ferida desaparece depois de algum tempo e a pessoa pode pensar que ficou curada. A seguir, surgem indisposição, febre e pequenas manchas avermelhadas na pele(inclusive nas palmas das mães e nas solas dos pés). Esses sinais e sintomas também desaparecem e inicia-se um longo período de latência, que é assintomático. Na sífilis congênita, dependendo do grau de infecção do feto, pode ocorrer aborto espontâneo ou a criança pode sobreviver com feridas no corpo, pneumonia, cegueira, surdez ou apresentando, mais tarde, defeitos nos ossos da face, nos dentes e retardamento mental.

88 Contágio Sífilis adquirida- o contágio ocorre, na maioria dos casos, através da relação sexual(vaginal, anal e/ou oral), embora possa ocorrer a transmissão da bactéria, ocasionalmente, através de pequenas lesões não valorizadas(beijo ou mordedura). O microrganismo também pode ser transmitido por transfusões de sangue contaminado. Sífilis congênita- a mãe sifilítica passa a infecção através da placenta para o feto, a partir do quarto mês de gestação.

89 Profilaxia e controle Não manter relações sexuais com pessoas infectadas(pelo menos enquanto a infecção não estiver sob controle); Usar camisinha; Limitar o número de parceiros sexuais; Controlar rigorosamente o sangue doado e seus derivados; Realizar, pelo menos, dois exames VDRL durante a gravidez(1º e 3º trimestre); A lavagem dos órgãos sexuais após o ato sexual pode conferir alguma proteção aos indivíduos do sexo masculino.

90 Complicações Cegueira, problemas neurológicos, lesões cardíacas e ósseas.

91 Tricomoníase Conceito É uma infecção causada por um protozoário que determina inflamação na mucosa vaginal e, eventualmente, na uretra masculina. Agente causador Protozoário Trichomonas vaginalis. Sinais e sintomas O protozoário está associado à vaginite persistente em 20% das mulheres parasitadas, determinando prurido intenso(coceira), sensação de queimação e corrimento branco-amarelado. No homem, geralmente, a tricomoníase é assintomática, mas em alguns pode surgir uretrite com ligeira ardência durante a micção.

92 Contágio Na grande maioria dos casos a transmissão do Trichomonas vaginalis ocorre pelo contato sexual. Em alguns casos isso pode ocorrer de forma indireta, ou seja por meio de objetos contaminados, como roupas íntimas, espéculo vaginal(bico de pato) utilizados em exames ginecológicos), toalhas etc. se o parasito atinge o hospedeiro e encontra em condições adequadas de proliferação, multiplica-se no meio vaginal ou na uretra masculina.

93 Profilaxia e controle Os principais recursos são a higiene do corpo e o uso de camisinha, além de evitar contato sexual com pessoas contaminadas. A limitação do número de parceiros sexuais reduz drasticamente a possibilidade de contaminação.

94 Infecções transmitidas por vetores Vetores são seres vivos que transportam o agente infeccioso de um hospedeiro para outro. Vetor mecânico é aquele que se limita a transportar o agente infeccioso sem que o agente se desenvolva ou se multiplique nesse vetor. Como exemplo, podemos citar a mosca que transporta agentes infecciosos em suas patas. Vetor biológico é aquele que abriga o agente infeccioso e serve de local para p desenvolvimento de parte de sua vida. Exemplo de vetor biológico é o mosquito anófeles, em que o plasmódio, agente infeccioso da malária, passa parte do seu ciclo vital. Uma importante questão em relação aos vetores é a preocupação de preservar as florestas, evitando destruir o sistema ecológico existente, o que acarreta a invasão de mosquito nas áreas urbanas.

95 Dengue Conceito É uma virose transmite pelo mosquito Aedes aegypti(vetor) no ambiente urbano. A doença pode se apresentar sob duas formas: branda(clássica) e grave(hemorrágica). Esta última pode levar à morte. Agente causador Arbovírus da família Flaviviridae. Sinais e sintomas Febre alta(entre 39º e 40º C); Dor de cabeça; Dores nas articulações; Falta de apetite; Fraqueza; Vômitos; Manchas na pele(exantema); Pode haver também coceira, náusea e diarréia.

96 Contágio Mosquito que pica um indivíduo contaminado e depois um sadio. Profilaxia e controle A principal medida é a erradicação do mosquito Aedes aegpti no ambiente urbano através de: Educação ambiental; Rede básica de saneamento; Emprego de inseticidas; Evitar acúmulo de água parada(impedindo ou diminuindo a multiplicação do vetor). Outras medidas para evitar a picada do mosquito: Uso de repelentes na pele ou mosquiteiro nas camas; Colocação de telas protetoras em portas e janelas das habitações.

97 Complicações Um segundo ataque da doença pode determinar a enfermidade denominada dengue hemorrágico, caracterizada por hemorragias, principalmente intestinais. Esses casos podem levar o doente à morte.

98 Doença de chagas Conceito É uma infecção aguda causada por um protozoário encontrado no percevejo conhecido como barbeiro, chupança, chupão, bico de parede, fincão e bicudo. Também é chamada tripanossomíase americana e representa uma importante causa de problemas cardíacos no meio rural brasileiro. Agente causador Protozoário Trypanosoma cruzi. Criança com chagoma característico no olho direito e edema da pálpebra: o sinal de Romañachagomaolhoedemapálpebrasinal de Romaña

99 Sinais e sintomas Aumento do esôfago, colón, fígado e baço; Lesão do miocárdio e, em conseqüência, aumento do coração, prejudicando seu funcionamento; Falta de apetite; Febre; Dor de cabeça; Mal-estar geral.

100 Contágio O percevejo vive nos buracos das casas de pau-a-pique ou entre os tijolos de paredes sem reboco. Costuma atacar o homem à noite, mais frequentemente nos lábios ou na pálpebra externa, eliminando fezes contaminadas com o Trypanosoma. Esses parasitos penetram pelo local da picada, atingindo a corrente sanguínea do hospedeiro. Quando outro barbeiro pica o homem, ou animal infectado, absorve junto com o sangue os parasitos e torna-se capaz de infectar outra vítima. A transmissão pode ocorrer por transfusão de sangue a através da placenta, de mãe para filho. A transmissão transfusional (sangue) ganhou importância nos últimos 20 anos, através da migração de pessoas infectadas do meio rural para a cidade e do controle mal feito dos serviços de hemoterapia (antigamente denominados bancos de sangue).

101 Profilaxia e controle Algumas medidas podem ser tomadas para evitar a doença de Chagas: Combater o barbeiro, pulverizando com inseticidas específicos as paredes das casas; Melhorar as condições de habitação, evitando- se a construção de moradias de pau-a-pique, barro, etc. Instalar mosquiteiros nas camas; Controlar os doadores de sangue; Educação ambiental.

102 Complicações Insuficiência cardíaca.

103 Febre amarela Conceito É uma virose transmitida pelo mosquito Aedes aegypti(vetor). Doença infecciosa aguda febril. Agente causador Vírus amarílico, arbovírus da família Flaviviridae. Sinais e sintomas Os principais são: Febre; Dor de cabeça intensa; Dores musculares generalizadas; Náuseas e vômitos. À medida que a doença progride, aumenta a prostração, aparecendo sinais de ataque ao fígado e aos rins, cor amarelada na pele e diminuição dos batimentos cardíacos.

104 Contágio Mosquito Aedes aegypti que pica um homem contaminado e depois um indivíduo sadio. Profilaxia e controle O principal recurso é a vacinação, que está disponível desde Medidas de controle do vetor (mosquito), com uso de inseticidas e limpeza de objetos que podem funcionar como reservatórios, também são importantes. A educação ambiental pode desempenhar um papel relevante no que se refere à profilaxia e ao controle.

105 Complicações Embora o paciente possa ficar totalmente curado, existem casos fatais decorrentes de hemorragias. Observação: o vetor que transmite tanto a febre amarela como a dengue é o mosquito Aedes aegypti. A doença a ser transmitida variará de acordo com o vírus que o contamina.

106 Infecções hospitalares Infecção hospitalar é qualquer processo infeccioso que ocorra durante o período de permanência do paciente no hospital ou que esteja relacionado à hospitalização, manifestando-se durante a internação ou após a alta. Calcula-se que, no Brasil, a infecção hospitalar seja a quarta causa de morte, depois das cardiopatias, gastrenterites e neoplasias. Todos os profissionais que atuam no ambiente hospitalar têm um papel fundamental no controle da infecção hospitalar e um objetivo em comum: a qualidade da atenção prestada ao paciente. Todos os profissionais que atuam no ambiente hospitalar têm um papel fundamental no controle da infecção hospitalar e um objetivo em comum: a qualidade da atenção prestada ao paciente.

107 A infecção é resultado da interação entre o agente patogênico e o hospedeiro- representado, principalmente, pelo homem, através da transmissão de doenças. O controle da infecção objetiva quebrar essa cadeia. Diversos microrganismos podem estar envolvidos com o início de uma infecção hospitalar, como bactérias(90% dos casos), fungos, vírus, etc. Dentre as bactérias identificamos Staphylococcus aureus, Escherichia coli, Pseudomonas aeruginosa. Klebsiella e Enterobacter como causadoras do maior número de infecções hospitalares.

108 Essas infecções são transmitidas aos pacientes tanto pelo pessoal que trabalha no hospital como por outros pacientes, mas também podem ser causadas por microrganismos da própria flora do indivíduo hospitalizado, cujo sistema imunológico(mecanismo de defesa do organismo contra doenças) pode estar deficiente, sem capacidade de responder às agressões. A infecção hospitalar pode ser adquirida de diversas maneiras, destacando-se os procedimentos cirúrgicos, as mãos do pessoal que lida com pacientes no hospital também são um elemento importante na transmissão de microrganismos de um paciente para outro.

109 Na prevenção e no controle das infecções hospitalares devemos observar as seguintes medidas gerais: Promoção do aumento das defesas do organismo do paciente, através de nutrição adequada e tratamento da doença que causou a internação; Lavagem e anti-sepsia das mãos; Afastamento da condições que favorecem o desenvolvimento do microrganismo(calor,umidade, falta de higiene, etc.);

110 Melhores condições de trabalho do profissional de saúde; Medidas adequadas de isolamento e precaução; Controle do serviço de nutrição, lavanderia, limpeza e lixo hospitalar; Medidas de biossegurança da equipe de saúde(local adequado para descartar agulhas e seringas usadas, uso de luvas para punção, etc.); Práticas adequadas de limpeza, sanificação, desinfecção, anti-sepsia e esterilização; Determinação de áreas físicas adequadas para cada finalidade;

111 Conscientização profissional sobre a importância do controle das infecções. Por fim, cabe ressaltar a importância do papel de cada profissional de saúde no exercício consciente e competente de suas funções para evitar as infecções hospitalares e promover a qualidade de vida dos pacientes.

112 Escolha estar em sintonia com o seu tempo, tudo muda e é preciso estar preparado para as novas situações. Escolha descobrir o que você tem de melhor, isso será seu melhor auxilio diante das adversidades. Escolha alcançar objetivos estimulantes. Insegurança e ceticismo só atrapalham. Escolha aprender e reaprender todos os dias, sabedoria se conquista com paciência e tempo. Tenha um ótimo aprendizado!


Carregar ppt "CONTINUAÇÃO DE: INFECÇÕES TRANSMITIDAS POR ALIMENTOS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google