A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Farmacoeconomia na asma Paciente estável Ana Luisa Godoy Fernandes Profa Associada Livre-docente Coordenadora Programa de Pós-graduaçäo Pneumologia Unifesp.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Farmacoeconomia na asma Paciente estável Ana Luisa Godoy Fernandes Profa Associada Livre-docente Coordenadora Programa de Pós-graduaçäo Pneumologia Unifesp."— Transcrição da apresentação:

1 Farmacoeconomia na asma Paciente estável Ana Luisa Godoy Fernandes Profa Associada Livre-docente Coordenadora Programa de Pós-graduaçäo Pneumologia Unifesp - EPM

2 Potencial conflito de interesse CFM nº 1.59/00 de 18/5/2000 ANVISA nº 120/2000 de 30/11/2000 Nos últimos doze meses recebi apoio financeiro da indústria farmacêutica,de laboratórios clínicos ou de outras empresas em forma de diárias, passagem ou apoio didático para participação em evento médico Ache; Altana ; AstraZeneca; Glaxo Smith Klein; Novartis; Sanofi-Aventis Sou funcionário de entidade governamental. Prof Associada Livre-docente de Pneumologia Unifesp - EPM Coordenadora do Curso de Pós-graduação em Pneumologia Sou membro de organização não-governamental destinada a defesa de interesses de profissionais de saúde. Membro da Comissão de Asma da SBPT

3 Mapa Mundial da Prevalência da Asma Global Burden of Asthma in >10,1 7,6-10,0 5,1-7,5 2,5-5,0 0-2,5 Dados não disponíveis Proporção da População (%)

4 Mapa Mundial de Mortalidade por Asma (idade 5-34 anos, por asmáticos) Global Burden of Asthma in >10,05,1-10,00-5,0Dados não disponíveis Países destacados de acordo com a taxa de casos fatais (por habitantes asmáticos)

5 Economia Economia da saúde Farmacoeconomia

6 A partir da década de 70, iniciou-se uma associação de princípios de ciências administrativas com a medicina, tentando entender as relações entre os custos e os benefícios das ações de saúde, iniciando-se a FARMACOECONOMIA

7 Análise 3D da avaliação econômica Intangível Indiretos Diretos Tipo de custos e benefícios Sociedade Paciente Pagador Provedor Identificação de custo Custo efetividade Custo benefício Tipos de análises NAEPP Report on the Cost Effectiveness of Asthma Care Sullivan et al AJRCCM 1996 Pontos de vista Custo utilidade

8 Custos Diretos Consultas médicas Medicação Hospitalização Visitas ao pronto-socorro A aparelhagem Programas de educação para asmáticos Pagamento médico e da enfermagem Uso de ambulância Exames complementares para o diagnóstico da doença e das pequenas e grandes complicações

9 Custos Indiretos Absenteísmo na escola e trabalho tanto do paciente quanto do acompanhante Despesas com transporte Espera por atendimento Aposentadoria precoce Morte.

10 Custos Intangíveis Perdas pessoais Dor Sofrimento Ansiedade do paciente e dos familiares

11 Custo Diretos e Indiretos ASMA Smith D.H et al. Am J Resp Crit Care Med 156 :787-93,1997

12 Análise Farmacoeconomica Tipo de análise Medida dos custos Medida dos efeitos Custo - efetividade Custo-benefício Custo Utilidade QALYs

13 Tipos de Análise Análise de Custo Efetividade Análise de custo-efetividade: Quando uma opção terapêutica é avaliada em termos dos resultados clínicos obtidos

14 Custo-efetividade de programa de educação para adultos asmáticos em instituição pública Oliveira MA et al J Pneumologia 2002;28(2):71-76 EducaçãoControle Custo em US $AntesDepoisAntesDepois Hospitalizações148,00,0285,1183,0 Visitas ao PS26,85,027,313,0 Visitas ambulatoriaisNd24,0Nd10,0 Medicações *122,2195,6124,8124,3 Corticóide inalatório42,0104,657,751,7 Corticóide oral31,752,430,034,7 Xantinas28,60,517,125,3 Beta 2 de curta duração19,912,120,212,6 * custo médio dos medicamentos/doente

15 Intervenção medicamentosa B2 + CI B2 + AC B2 + PL Outros custos de assistência médica Custo do tratamento Custo médio/paciente em US$ Rutten-van Mölken e col. – Educação Controle Oliveira MA et al J Pneumologia 2002 Educativa

16 Tipos de Análise Análise de Custo Benefício Quando uma opção terapêutica é avaliada em termos de suas vantagens e desvantagens econômicas, ou seja, mede os benefícios em termos monetários

17 Resultados Exacerbada n=45 Controlada n=45 p Visitas ao Pronto- Socorro( n) 34634< 0,0001 * Hospitalização 6 meses(n) 91NA Uso de corticóide inalatório (n) 1037 < 0,0001 * Absenteismo(n) Escolar5430 trabalho4812 Santos LA, et al. Brazillian Journal, 2007, 40:943-8

18 Custos diretos US$/ 6meses US$ 456,50 44, ,20 128, ,54 Santos LA, et al. Brazillian Journal, 2007, 40:943-8

19 Tipos de Análise Análise de custo utilidade Utility:Indivíduos têm preferência por determinados estados de saúde Quando a opção terapêutica é avaliada em termos de aumento ou redução de indicadores de utility Ex: QQV, escala visual, Índice de Karnovski, tto adequado QALYs

20 Análise de custo vs Manejo adequado Jornal Brasileiro de Pneumologia J Bras Pneumol. V. 32, supl 7 p. S nov 2006 IV Diretrizes Brasileiras para o Manejo da Asma 2006

21 2000….2006 o terceiro milênio Dia nacional da Asma (SBPT-1998) Primeiro dia do inverno Dia mundial da asma (GINA) Esforço mundial para educar pacientes, familiares e profissionais da saúde sobre o correto tratamento e controle da asma Contraste entre a disponibilidade de uma terapia efetiva e ausência de tratamento adequado em inquéritos epidemiológicos

22 Avaliação do tratamento da asma no mundo AIRLA

23 2000….2006 o terceiro milênio Dia nacional da Asma (SBPT-1998) Primeiro dia do inverno Dia mundial da asma (GINA) Esforço mundial para educar pacientes, familiares e profissionais da saúde sobre o correto tratamento e controle da asma Contraste entre a disponibilidade de uma terapia efetiva e ausência de tratamento adequado em inquéritos epidemiológicos GINA ….a revisão deveria incorporar novos dados da literatura e passasse a enfocar o tratamento visando o controle da doença e não a gravidade....

24 Dados clínicos antes do tratamento IntermitenteLeveModeradoGrave Sint diu< 1x/sem > 1x/sem < 1x /dia diários Sint not< 2x/mes > 1x/semfrequentes VEF1 Var PFE >80%prev < 20% var >80%prev 20-30% var 60-80%prev >30% var <60%prev >30% var ExacerbBreves Afetam atividade e sono Afetam atividade e sono Frequentes Classificação de gravidade inicial

25 Nível de controle do paciente com asma CaracterísticasControlado Parcialmente controlado Não controlado Sint diurnos Nenhum ou Min < 2x/sem >2 x/sem 3 ou mais parametros presentes em qualquer semana Lim de atividadesnenhumaalguma Desp noturnosnenhumpelo menos 1 Uso med alívionenhum2 ou + /sem PFE ou VEF1 nl próxima ao nl < 80 % prev ou MVR (se conhecido) Exacerbaçaonenhuma1 ou mais por ano1 em qq sem IV Diretrizes Asma & GINA 2006

26 Gravidade tto vs Controle Santos LA, et al. Brazillian Journal, 2007, 40:943-8

27 Custo Direto e a gravidade Santos LA, et al. Brazillian Journal, 2007 (in press) Godard et al. Cost of asthma are correlated with severity: a 1 yr prospective study. Eur Resp J 2002; 19: Brasil Canadá França LeveModeradaGrave

28 Custos diretos em relação à expressão clínica da doença Santos LA, et al. Brazillian Journal, 2007, 40:943-8

29 Conclusões Estudo Distribuição da gravidade foi semelhante nos dois grupos. Custo total direto:Maior parcela de gastos Exacerbados - moderada Controlados – grave Estratificação dos custos : Exacerbada – emergência/ hospitalização Controlada - medicação

30 Para a família – ASMA % renda familiar gasta com a asma ? % renda familiar gasta com a asma ?

31 Região Metropolitana Porcentagem RM Belém 5,75 RM Fortaleza 4,44 RM Recife 7,17 RM Salvador 5,88 RM Belo Horizonte 6,11 RM Rio de Janeiro 5,44 RM São Paulo 5,78 RM Curitiba 6,13 RM Porto Alegre 4,95 Despesa familiar com saúde % de renda familiar-1996

32 Asma % renda familiar Leve 1,6 Moderada 6,5 Grave 8,8 Custo de medicamentos PROGRAMA – EM ADULTOS DATASUS : RM São Paulo 5,78

33 Impacto do custo da medicação na renda familiar/ 6 meses ExacerbadaControlada GravidadeMedicaçãorenda% impactoMedicaçãorenda % impacto Leve 9,482007,840,4737,801862,732,02 Mod 62,801162,265,4114,722451,64,68 Grave 180,721456,43 12,41 286,021615,80 17,7 TOTAL253,004626,535,47438,545933,137,39 Santos LA, et al. Brazillian Journal, 2007 (in press) Antes da Portaria da Asma Grave

34 Conclusões Importância de um estudo local farmacoeconomico da asma para melhor estratificação dos recursos disponíveis no país Gastos com medicamentos dos asmáticos moderados e graves representam um alto impacto na sua renda mensal o que pode ser um fator de não adesão ao tratamento Distribuição de medicamentos e programas de educação são açoes efetivas para controle da doença com redução dos gastos totais

35 CONVITE


Carregar ppt "Farmacoeconomia na asma Paciente estável Ana Luisa Godoy Fernandes Profa Associada Livre-docente Coordenadora Programa de Pós-graduaçäo Pneumologia Unifesp."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google