A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SPTDT REUNIÃO CLÍNICA ABRIL - 2012 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS Rodney Frare e Silva Prof Adjunto de Pneumologia - UFPR.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SPTDT REUNIÃO CLÍNICA ABRIL - 2012 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS Rodney Frare e Silva Prof Adjunto de Pneumologia - UFPR."— Transcrição da apresentação:

1 SPTDT REUNIÃO CLÍNICA ABRIL PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS Rodney Frare e Silva Prof Adjunto de Pneumologia - UFPR

2 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS OBJETIVOS Impactos causados pela exacerbação Exacerbação e a nova classificação do GOLD Novas estratégias

3 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS A DPOC afeta 210 milhões de pessoas no mundo com 3 milhões de morte/ano É previsto ser a terceira causa de morte no mundo em 2030 Peso econômico altíssimo * Custo da DPOC grave é 17 vezes maior que a moderada * Maior custo deve-se às exacerbações ( hospitalização) * Custos indiretos – diminuição de produtividade

4 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS EXACERBAÇÃO Hospitalizações Mortes 18 bilhões US$ em custo direto ? Dias perdidos de trabalho ? Limitações na qualidade de vida

5 O QUE É EXACERBAÇÃO? – Comumente causada por infecção bacteriana ou viral – Associada a aumento dos marcadores inflamatórios – Frequentemente a exacerbação está associada a piora e progressão da doença Piora da qualidade de vida Acelera a queda da função pulmonar Aumenta o risco de hospitalização e mortalidade Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease (GOLD) defines an exacerbation as:an acute event characterized by a worsening of the patients respiratory symptoms that is beyond normal day-to-day variations and leads to a change in medication 1. Global Strategy for the Diagnosis, Management, and Prevention of Chronic Obstructive Pulmonary Disease, Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease (GOLD) Available from 2. Perera W, Hurst JR, Wilkinson TM et al. Eur Respir J 2007;29: Papi A, Bellettato CM, Braccioni F et al. Am J Respir Crit Care Med 2006;173:1114– Wedzicha JA & Seemungal TA. Lancet 2007;370:

6 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS Condições associadas à exacerbação além da infecção Poluição industrial Alérgenos Sedativos Insuficiência cardíaca Congestiva TEP

7 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS Fatores de risco para exacerbação em DPOC Aumento da idade Queda deVEF1 Hipersecreção mucosa Frequência das exacerbações anteriores Sintomas persistentes de bronquite crônica Performance baixo Comorbidades

8 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS EXACERBAÇÃO Impacto causado pela frequência das exacerbações em relação à gravidade DPOC grave: 3,43 ex/ano GOLD VEF1 > 60%: 1,6 ex/ano VEF %: 1,9 ex/ano VEF1 <40%: 2,3 ex/ano Donaldson Thorax-2002

9 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS EXACERBAÇÃO Impacto na Função Pulmonar ( Episódios repetidos de infecção > agridem o tecido pulmonar >> piora a função) Exacerbações repetidas aumentam a concentração de marcadores infamatórios no escarro Promovem a atração de neutrófilos > neutrofilos escarro – queda rápida do VEF1 (follow up 15anos) Stanescu Thorax 1996 Bactéria na secreção –maior inflamação – queda da função pulm. Excreção urinária deDesmosina e Issodesmosina (degradação da elastina) aumentada durante a exacerbação Viglio S. Eur Resp J 2000

10 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS EXACERBAÇÃO Impacto na Qualidade de vida Classificação do número de exacerbações por ano: Infrequente: 0-2 Frequente: 3-8 SGRQ: Escore total significativamente pior no grupo de exacerbações frequentes p<0,001 Seemungal TA.Am J Resp Crit Care Med 2000 CRQD pós exacerbação 1 mês sem exac: melhora de 11,8 unidades 5 meses sem exac: melhora de 17 unidades Spencer S. Am J Resp Crit CareMed 2001

11 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS EXACERBAÇÃO Impacto na Mortalidade EADPOC Grave Hospitalização + IRHipercapnica: 11% mortalidade Após 180 dias : 33% Após 2anos: 49% Foram preditores de mortalidade: APACHE III; IMC baixo;idade; função pulm 2 meses antes; Dim rel PO2/FiO2; ICC albumina baixa Connors Am J Resp Crit Care Med 1996

12 * p < 0,001 versus período basal * Concentração sérica * PCR (g/dL) período basal Exacerbação IL-6 (pg/mL) Elevação dos marcadores séricos para inflamação sistêmica nas exacerbações agudas Hurst JR, Donaldson GC, Perera WR, Wilkinson TM, Bilello JA, Hagan GW, et al. Use of plasma biomarkers at exacerbation of chronic obstructive pulmonary disease. Am J Respir Crit Care Med. 2006;174: Slide 12

13 Doença estável Exacerbações * p < 0,01 versus doença estável Neutrófilos/mm Exacerbações se associam a aumento das células inflamatórias Saetta M, Di Stefano A, Maestrelli P, Turato G, Ruggieri MP, Roggeri A, et al. Airway eosinophilia in chronic bronchitis during exacerbations. Am J Respir Crit Care Med. 1994;150: Slide 13

14 Número de exacerbações no ano anterior 20,000 10,000 0 IL-8 (pg/mL) n=21 2 n=23 3 Marcadores inflamatórios encontram-se elevados em exacerbadores frequentes Bhowmik A, Seemungal TA, Sapsford RJ, Wedzicha JA. Relation of sputum inflammatory markers to symptoms and lung function changes in COPD exacerbations. Thorax. 2000;55: Slide 14

15 Inflamação crônica Exacerbações frequentes Número de exacerbações Pacientes COM tosse crônica e escarro Pacientes SEM tosse crônica e escarro Tosse crônica e escarro P< Número de exacerbações por paciente ao ano Tosse e expectoração indicam aumento do risco de exacerbações Burgel PR, Nesme-Meyer P, Chanez P, Caillaud D, Carré P, Perez T, et al.; Initiatives Bronchopneumopathie Chronique Obstructive Scientific Committee. Cough and sputum production are associated with frequent exacerbations and hospitalizations in COPD subjects. Chest. 2009;135: Slide 15

16 GOLD Taxa de exacerbação em um ano (número de pacientes) Percentual de pacientes que sãoexacerbadores frequentes Moderada0,8522 Grave1,3433 Muito grave2,0047 Gravidade da DPOC e exacerbadores frequentes Hurst JR, Vestbo J, Anzueto A, Locantore N, Müllerova H, Tal-Singer R, et al. Susceptibility to exacerbation in chronic obstructive pulmonary disease. N Engl J Med. 2010;363: Slide 16

17 P < P = P < Pacientes sem exacerbações agudas Pacientes com 1-2 exacerbações com necessidade de conduta hospitalar Pacientes com > 3 exacerbações Tempo (meses) Probabilidade de sobrevivência Frequência e gravidade das exacerbações elevam o risco de mortalidade Soler-Cataluña JJ, Martínez-García MA, Román Sánchez P, Salcedo E, Navarro M, Ochando R. Severe acute exacerbations and mortality in patients with chronic obstructive pulmonary disease. Thorax. 2005;60: Slide 17

18 - 40,1 - 32, Exacerbações frequentes Exacerbações infrequentes Anos 0,90 0,75 0 0,95 0,85 Mudança percentual do VEF 1 a partir do período inicial 0, Exacerbações infrequentes Exacerbações frequentes * VEF 1 (mL) Mudança anual * p < 0,05 versus exacerbações infrequentes Exacerbações frequentes levam a declínio mais acelerado do VEF1 Donaldson GC, Seemungal TA, Bhowmik A, Wedzicha JA. Relationship between exacerbation frequency and lung function decline in chronic obstructive pulmonary disease. Thorax. 2002;57: Slide 18

19 EXACERBAÇÕES FREQUENTES ESTÃO ASSOCIADAS A AUMENTO DO RISCO FUTURO Adapted from: 1. Wedzicha JA & Seemungal TA. Lancet 2007;370: Donaldson GC & Wedzicha JA. Thorax 2006;61: Paciente com exacerbações frequentes Aumento das exacerbações Aumento Da Inflamação Aumento Da Inflamação Queda na qualidade de vida Queda na qualidade de vida Aumento da mortalidade Aumento das hospitalizações Progressão mais rápida da doença Progressão mais rápida da doença

20 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS O que fazer para prevenir exacerbação? Medicamentos usuais LABA – LAMA – Anticolinérgicos – CI Vacinas Antiinfluenza Antipneumocócica * conjugada Cessação do tabagismo Reabilitação pulmonar Prevenção medicamentosa

21 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS Inhaled drugs to reduce exacerbations in patients with chronic obstructive pulmonary disease:a network meta-analysis Puhan, MA BMC Med estudos com ptes Drogas isoladas ou em combinação X placebo ( LABA – anticolinergico – corticoide inalado) Nenhum regime de droga isolada é mais efetivo que outro em reduzir exacerbação CI qdo associado a LABA – reduz exacerbação em DPOC com VEF1 < 40%

22 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS O que fazer para prevenir exacerbação? Medicamentos usuais LABA – LAMA – Anticolinérgicos – CI Vacinas Antiinfluenza Antipneumocócica * conjugada Cessação do tabagismo Reabilitação pulmonar Prevenção medicamentosa

23 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS PREVENÇÃO MEDICAMENTOSA Tobramicina inalada Macrolídeos Roflumilaste

24 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS ANTIBIÓTICOS Tobramicina inalada é efetiva em infecção crônica por P aeruginosa? Tobramycin Nebulizer Solution in severe COPD patients colonized with Pseudomonas aeruginosa: effects on bronchial inflammation Dal Negro R. Adv Th 2008 N :13 Ptes GOLD III-IV Pacientes colonizados por P aeruginosa multirresistente DPOC grave Marcadores inflamatórios na secreção brônquica(antes e após 2 sem.) Dosagem: Prot eosinofílica catiônica; IL 1 beta; IL 8; TNF alfa; contagem celular Nebulização com Tobra 300 mg 2 X ao dia

25 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS ANTIBIÓTICOS Tobramicina inalada é efetiva em infecção crônica porP aeruginosa? Tobramycin Nebulizer Solution in severe COPD patients colonized with Pseudomonas aeruginosa: effects on bronchialinflammation Dal Negro R. Adv Th 2008 Redução significativa: IL 1 beta p < 0,03 IL8 p < 0,02 PEC p < 0,01 Após 6 meses Red da densidade P aeruginosa Redução em 42% de EADPOC

26 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS PREVENÇÃO MEDICAMENTOSA Tobramicina inalada Macrolídeos Roflumilaste

27 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS AÇÃO IMUNOMODULADORA DOS MACROLÍDEOS Corrales-Medina, JID 2011 Diminui a produção de:citocinas inflamatórias, leucotrienos B4 e metaloprotases O QUE LEVA A Diminuição do influxo e atividade de neutrófilos na via aérea e pulmões

28 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS The NEW ENGLAND JOURNAL of MEDICINE Azithromicin for Prevention of Exacerbations of COPD Albert,RK Aug, N:1577 ptes Azithromicina 250 mg/d Placebo 1 x ao dia 1 ano 1 ano 1ª. Exacerbação:azitro ( 266 dias) plavebo (174 dias) Frequência de exacerbações azitro: 1,48 exac por paciente/ano Placebo: 1,83 exac por paciente/ano

29 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS Macrolide effects on the prevention of COPD exacerbations. Yamaya, M et al Eur Resp J mar 2012 Macrolídeos Previne a EA DPOC Melhora a qualidade de vida e sintomas em especial nos exacerbadores frequentes Função Fisiológica Antiinflamatória Efeito antiviral Dim a produção de secreção Inibe a formação do filme biológico Inibe a produção de fator de virulência bacteriana

30 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS Macrolide therapy for the prevention of acute exacerbations in chronic obstructive pulmonary disease Mammen,MJ Pol Arch Med Wewn – 2012 Exacerbação aumenta gastos e mortalidade Piora a qualidade de vida e sobrevida Maiores causadores : bactérias e virus ( vacinas) macrolídeos : Efeito imunomodulador antiinflamatório bactericida Albert NEJM 2011 Patógenos macrolídeos resistentes Qual o tempo ótimo de uso e a melhor dosagem continuam incertos

31 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS PREVENÇÃO MEDICAMENTOSA Tobramicina inalada Macrolídeos Roflumilaste

32 3´-5´ AMPc Níveis elevados de AMPc intracelular reduzem a inflamação PDE4 desempenha papel importante na DPOC Vignola. Respir Med. 2004;98: Slide 32 Inflamação

33 3´-5´ AMPc PDE4 degrada o AMPc, causando aumento da atividade inflamatória celular PDE4 desempenha papel importante na DPOC Vignola. Respir Med. 2004;98: Slide 33 Inflamação AMP PDE4

34 3´-5´ AMPc Reduzir a atividade da PDE4 mantém níveis elevados de AMPc e reduz a atividade inflamatória PDE4 desempenha papel importante na DPOC Vignola. Respir Med. 2004;98: Slide 34 Inflamação AMP PDE4 Inibidor de PDE4

35 Fosfodiesterase 4 (PDE4) A enzima Fosfodiesterase 4 (PDE4) está presente em diversas células inflamatórias e estruturais. A PDE4 desempenha papel importante nas células inflamatórias envolvidas na DPOC Inibires da PDE4 ( ex Roflumilast) eleva os níveis intracelulares de AMPc e reduz a atividade inflamatória de neutrófilos, linfócitos CD8+, e macrófagos. Os inibidores da PDE4 são uma nova alternativa terapêutica para o tratamento da DPOC Slide 35

36 ASMA E DPOC EM CURITIBA NOSSA PRÓXIMA META


Carregar ppt "SPTDT REUNIÃO CLÍNICA ABRIL - 2012 PREVENÇÃO DA EXACERBAÇÃO AGUDA NA DPOC CONCEITOS ATUAIS Rodney Frare e Silva Prof Adjunto de Pneumologia - UFPR."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google