A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 III CONGRESSO INTERNACIONAL BRASIL COMPETITIVO POLÍTICA INDUSTRIAL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 III CONGRESSO INTERNACIONAL BRASIL COMPETITIVO POLÍTICA INDUSTRIAL."— Transcrição da apresentação:

1 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 III CONGRESSO INTERNACIONAL BRASIL COMPETITIVO POLÍTICA INDUSTRIAL TECNOLÓGICA E DE COMÉRCIO EXTERIOR Diretrizes da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial

2 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 Existe um Brasil que muita gente conhece… Floresta Amazônica FutebolCarnavalCafé …e que continua a fazer sucesso, porém existe muito mais a conhecer.

3 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 O Brasil que você precisa conhecer Inovação Tecnologia Competitividade Produtividade

4 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 Uma nova trajetória de desenvolvimento requer políticas públicas que aumentem a eficiência produtiva, diminuam a vulnerabilidade externa e estimulem o investimento Para dinamizar a estrutura produtiva, a política industrial deve integrar a busca da eficiência econômica com a inovação tecnológica e a ampliação do comércio exterior A inovação e diferenciação de produto é elemento central para a sustentação do crescimento. INOVAÇÃO

5 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 PITCE Crescimento Industrial Sustentável CrescimentoEconômico Crescimento Econômico Geração de Emprego e Renda Arcabouço Institucional Alvo Mudança do Paradigma Produtivo Melhora da Competitividade Sistêmica Rumos do Desenvolvimento Industrial Brasileiro

6 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 PROMOVER O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO BRASILEIRO, POR MEIO DO AUMENTO DA COMPETITIVIDADE E DA INOVAÇÃO. MISSÃO DA ABDI

7 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 O OBJETIVO GERAL DA ABDI É ARTICULAR, COORDENAR E PROMOVER A EXECUÇÃO DA PITCE EM INTERAÇÃO COM OS DIVERSOS ÓRGÃOS PÚBLICOS E COM A INICIATIVA PRIVADA. OBJETIVO GERAL DA AGÊNCIA

8 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 Indústria ameaçada por baixo pela concorrência de produtores que se apóiam em baixos salários e por cima por produtores que têm alto potencial de inovação e criação de produtos e serviços VISÃO ESTRATÉGICA

9 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 Mudança do patamar da indústria pela inovação e diferenciação de produtos e serviços, com inserção e reconhecimento nos principais mercados do mundo VISÃO ESTRATÉGICA

10 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 Mudança do patamar da indústria pela inovação e diferenciação de produtos e serviços, com inserção e reconhecimento nos principais mercados do mundo. Indústria ameaçada por baixo pela concorrência de produtores que se apóiam em baixos salários e por cima por produtores que têm alto potencial de inovação e criação de produtos e serviços. AUMENTAR A CAPACIDADE INOVADORA DAS EMPRESAS FORTALECER E EXPANDIR A BASE INDUSTRIAL BRASILEIRA Restrições ao Desenvolvimento Industrial, Tecnológico e de Comércio Exterior Visão de Presente Visão de Futuro AGENDA ESTRATÉGICA DA INDÚSTRIA

11 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 EDUCAÇÃO FINANCIAMENTO PARA A ATIVIDADE PRODUTIVA INFRA-ESTRUTURA CARGA TRIBUTÁRIA MARCOS REGULATÓRIOS Restrições ao Desenvolvimento Industrial, Tecnológico e de Comércio Exterior AGENDA DAS RESTRIÇÕES

12 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 Desafio 1: FORTALECER AS CADEIAS PRODUTIVAS Desafio 2: FORTALECER APLs E A ESTRUTURA PRODUTIVA REGIONAL Desafio 3: INSERÇÃO INTERNACIONAL ATIVA Desafio 4: APOIAR O DESENVOLVIMENTO DAS OPÇÕES ESTRATÉGICAS E DAS ATIVIDADES PORTADORAS DE FUTURO Macro Objetivo 1: FORTALECER E EXPANDIR A BASE INDUSTRIAL BRASILEIRA AGENDA DA MODERNIZAÇÃO

13 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 Desafio 5: DESENVOLVER CULTURA E AMBIENTE INOVADOR Desafio 6: DESENVOLVER INSTRUMENTOS DE POLÍTICAS DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO (P,D&I) Desafio 7: FORMAÇÃO PARA A INOVAÇÃO Macro Objetivo 2: AUMENTAR A CAPACIDADE INOVADORA DAS EMPRESAS Desafio 4: INCENTIVAR OS PROCESSOS DE INOVAÇÃO NAS OPÇÕES ESTRATÉGICAS E NAS ATIVIDADES PORTADORAS DE FUTURO AGENDA DA INOVAÇÃO

14 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 Desafio 1: FORTALECER AS CADEIAS PRODUTIVAS Desafio 2: FORTALECER APLs E A ESTRUTURA PRODUTIVA REGIONAL Desafio 3: INSERÇÃO INTERNACIONAL ATIVA Desafio 4: APOIAR O DESENVOLVIMENTO E OS PROCESSOS DE INOVAÇÃO NAS OPÇÕES ESTRATÉGICAS E NAS ATIVIDADES PORTADORAS DE FUTURO EDUCAÇÃO FINANCIAMENTO PARA A ATIVIDADE PRODUTIVA INFRA- ESTRUTURA CARGA TRIBUTÁRIA MARCOS REGULATÓRIOS AUMENTAR A CAPACIDADE INOVADORA DAS EMPRESAS FORTALECER E EXPANDIR A BASE INDUSTRIAL BRASILEIRA Restrições ao Desenvolvimento Industrial, Tecnológico e de Comércio Exterior Desafio 5: DESENVOLVER CULTURA E AMBIENTE INOVADOR Desafio 6: DESENVOLVER INSTRUMENTOS DE POLÍTICAS DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO (P,D&I) Desafio 7: FORMAÇÃO PARA INOVAÇÃO VISÃO GERAL DA ESTRATÉGIA Indústria ameaçada por baixo pela concorrência de produtores que se apóiam em baixos salários e por cima por produtores que têm alto potencial de inovação e criação de produtos e serviços. Visão de Presente Mudança do patamar da indústria pela inovação e diferenciação de produtos e serviços, com inserção e reconhecimento nos principais mercados do mundo. Visão de Futuro

15 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 INSTITUCIONALIDADE CPE Câmara de Política Econômica Presidente: Ministro de Estado da Ciência e Tecnologia CD Conselho Deliberativo da ABDI PRESIDENTE DIRETORIA DE INOVAÇÃO DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL GERÊNCIA GERAL CDE Câmara de Desenvolvimento Econômico Presidente: Ministro de Estado da Casa Civil CPE Câmara de Política Econômica Presidente: Ministro de Estado da Fazenda CPE Câmara de Política Econômica GOVERNO CNDI Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial Presidente: Ministro de Estado do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior GOVERNO E SOCIEDADE CIVIL

16 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 DIRETRIZES E ESTRATÉGIAS CDE, CPE, CNDI, MINISTÉRIOS E ENTIDADES VINCULADAS COORDENAÇÃO. ARTICULAÇÃO E PROMOÇÃO DA EXECUÇÃO ABDI EXECUÇÃO MINISTÉRIOS, ENTIDADES VINCULADAS E ENTIDADES DE CLASSE Coordenação e Execução da PITCE

17 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 Muito Obrigado! Alessandro Teixeira


Carregar ppt "PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL, TECNOLÓGICO E DE COMÉRCIO EXTERIOR HORIZONTE 2008 III CONGRESSO INTERNACIONAL BRASIL COMPETITIVO POLÍTICA INDUSTRIAL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google