A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Rumo a um Brasil sustentável 2º Seminário Nacional MPE Brasil Pedro Luiz Passos Conselho Co-presidente do Conselho da Natura 23 de março de 2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Rumo a um Brasil sustentável 2º Seminário Nacional MPE Brasil Pedro Luiz Passos Conselho Co-presidente do Conselho da Natura 23 de março de 2010."— Transcrição da apresentação:

1 Rumo a um Brasil sustentável 2º Seminário Nacional MPE Brasil Pedro Luiz Passos Conselho Co-presidente do Conselho da Natura 23 de março de 2010

2 Índice 1. Contexto 2. Cenário do Mundo 3. Posição do Brasil 4. Oportunidades para o Brasil 5. Políticas para um Brasil sustentável 6. Conclusões

3 Contexto » Maior envolvimento da sociedade civil organizada; » Estabilidade econômica; » Consolidação das instituições democráticas; » Revolução tecnológica – acesso ao conhecimento e mundo cada vez mais plano (Thomas Friedman); » Novo papel das economias emergentes. » Fortalecimento do debate sobre desenvolvimento sustentável;

4 Cenário do mundo » Crescimento populacional – população mundial estará entre 8 e 10 bilhões em 2030; » Envelhecimento populacional é uma tendência global – pressão no sistema previdenciário » Aumento da demanda por recursos básicos e infraestrutura – 1,4 bilhão de pessoas terão restrições no acesso a água potável em 2030; » Concentração da população nas megacidades – as 30 maiores cidades em 2030 representarão 6% da população mundial;

5 Posição do Brasil » Crescimento do país ainda apoiado no mercado interno e em uma exportação ligada a recursos naturais com baixa sofisticação tecnológica (exceções devem ser valorizadas); » Estado não propicia bons serviços públicos e ainda possui baixa capacidade de investimento; » Pré-sal: 79% da demanda por energia virá de combustíveis fósseis em 2030, podendo cair para 68% em um cenário otimista » Pós-crise: indica solidez macroeconômica – oportunidade para ampliar as reformas que propiciem melhores condições de investimentos; » Posição privilegiada do Brasil como potência socioambiental de rico patrimônio natural, social e cultural; » Imensas vantagens competitivas no acesso a fontes renováveis de energia e produção agrícola;

6 Posição do Brasil » Janela de oportunidade – menor crescimento populacional; maior inserção feminina na população economicamente ativa (PEA); crescimento na taxa de escolaridade; aumento da PEA; menor relação de dependência: Evolução da Razão de Dependência (1) 1. População em idade não ativa dividido pela população em idade ativa (PIA: 15 – 60 anos). Se o ratio for igual a 1 significa que uma pessoa do grupo não economicamente ativo é dependente de uma pessoa economicamente ativa. 2. Exclui Brasil Países desenvolvidos tiveram seu melhor ratio entre 1985 e 1990, China teve o seu melhor período entre 2005 e F2020F2010F F2040F LatAm (2) Brazil Russia G-7 China Africa India

7 Oportunidades para o Brasil Agenda do século XXI será pautada pela economia do baixo carbono e o Brasil precisa se adequar a esse novo paradigma: » Aumento acelerado da eficiência energética; O crescimento a partir do desenvolvimento sustentável significa uma oportunidade de inovação para transformar nossas vantagens comparativas naturais em vantagens competitivas globais. » Mudanças de comportamento e mudanças nos processos produtivos: carros híbridos, edificações verdes, aviões com materiais leves; » Aumento da proporção de energias não-fósseis renováveis – hidroelétrica, eólica, solar e biocombustíveis. Buscar melhor aproveitamento das riquezas do pré-sal; » Investimento cooperativo internacional em pesquisas de novas tecnologias; » Fazer dos serviços ambientais uma forma de inclusão social e fonte de riqueza para o país. » Fim do desmatamento e consolidação de vastas áreas de preservação da biodiversidade induzindo o país a se tornas um importante polo biotecnológico;

8 Políticas para um Brasil sustentável a) Aspectos governamentais: » Buscar novos padrões de eficiência do governo, reduzir os gastos públicos, gerando recursos para aumentar a capacidade de investimento » O país precisa constituir um processo de planejamento de longo prazo, eleger suas áreas prioritárias e ter um banco de projetos » Reforma tributária: redução e simplificação da carga tributária e incentivo a produção e o consumo de bens de menor impacto ambiental » Eliminar os gargalos de infraestrutura com uma ampla reestruturação do sistema logístico.

9 Políticas para um Brasil sustentável b) Aspectos educacionais: » Incentivo ao empreendedorismo e reconhecimento como atividade fundamental para o processo de inovação e crescimento econômico. » Estímulo ao aumento de parcerias entre universidades, indústria e instituições de pesquisa; c) Aspectos de Inovação e Tecnologia: » Investir em educação de maneira a nos colocar entre as maiores economias do mundo em 20 anos; » Integração dos instrumentos de fomento à inovação tecnológica; » Desenvolvimento de fontes de financiamento específicas para atividades inovadoras: venture capital.

10 Políticas para um Brasil sustentável d) Aspectos ambientais: » Inserção competitiva da indústria nacional como referência em biotecnologia; » Contenção dos impactos ambientais: desmatamento e emissões; » Desenvolvimento de marcos regulatórios sólidos e voltados para inovação (biodiversidade, propriedade intelectual e proteção tecnológica) de forma a promover sinergia entre desenvolvimento e preservação do meio ambiente; » Políticas públicas que viabilizem o aproveitamento econômico dos serviços ambientais: descabornização da matriz energética;

11 Empreendedores do Século XXI » Importância da economia dos países emergentes; » Mundo Plano – acesso ao conhecimento e troca de informações; » Maior capacidade de mobilização; » Empreendedor com propósito; » Economia do século XXI baseada na inovação empreendedora, que transforme conhecimento em inovação e inovação em desenvolvimento sustentável. » Micro e pequenas empresas globais;

12


Carregar ppt "Rumo a um Brasil sustentável 2º Seminário Nacional MPE Brasil Pedro Luiz Passos Conselho Co-presidente do Conselho da Natura 23 de março de 2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google