A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SAÚDE E DOENÇA: EPIDEMIOLOGIA EM SAÚDE PÚBLICA FATERN – GAMA FILHO AULA 02 PROFª SANDRA BEZERRIL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SAÚDE E DOENÇA: EPIDEMIOLOGIA EM SAÚDE PÚBLICA FATERN – GAMA FILHO AULA 02 PROFª SANDRA BEZERRIL."— Transcrição da apresentação:

1 SAÚDE E DOENÇA: EPIDEMIOLOGIA EM SAÚDE PÚBLICA FATERN – GAMA FILHO AULA 02 PROFª SANDRA BEZERRIL

2 Conceitos Para a Prática Clínica: Ausência de doença Doença: Falta ou perturbação da saúde Para a OMS (1948) Saúde é um completo estado de bem estar físico, mental e social. Para Aurélio Saúde é o estado do indivíduo cujas funções orgânicas, físicas e mentais se acham em situação normal.

3 SER HUMANO BIOPSICOSOCIAL

4 Conceito de Saúde – Mais abrangente Saúde: é a resultante das condições de alimentação, educação, renda, meio ambiente, trabalho, transporte, emprego, lazer, liberdade, acesso e posse da terra, acesso a serviços de saúde.... resultado de formas de organização social de produção, as quais podem gerar profundas desigualdades no níveis de saúde.

5 Conceitos de Doença / Qualidade de vida A doença é um sinal da alteração do equilíbrio homem- ambiente, estatisticamente relevante e precocemente calculável, produzida pelas transformações produtivas, territoriais, demográficas e culturais. A qualidade de vida resulta da adequação das condições sócio-ambientais às exigências humanas.

6 História Natural da Doença

7 São as inter-relações do agente, do suscetível e do meio ambiente que afetam o processo global e seu desenvolvimento, desde as primeiras forças que criam o estímulo processo patológico no meio ambiente, ou em qualquer outro lugar; passando pela resposta do homem ao estímulo, até as alterações que levam a um defeito, invalidez, recuperação ou morte (Leavell & Clark, 1976) Como Definir?

8 História natural da doença: Períodos Período Pré-patogênico (epidemiológico): Interação susceptível – ambiente Período Patogênico: Pré-condições internas

9 ESCALA DO ESTADO DE SAÚDE PRESENçA DESAÚDEPRESENçA DESAÚDE Saúde ótima Saúde sub- ótima Doença ou incapacidade declarada Próximo da morte Morte AUSÊNCIA DESAÚDEAUSÊNCIA DESAÚDE

10 HISTÓRIA NATURAL DE UMA DOENÇA NO HOMEM Etapa Sub-clínica Doença ou incapacidade declarada Próximo da morte Saúde ótima Morte Ambiente Agente Hospedeiro Período pré-patogênese Período de patogênese Saúde sub-ótima Produção de estímulos Horizonte clínico Interação

11 Racionalidades Ciências médicas X Ciência Epidemiológica Objeto singular: a doença no indivíduo Qual o estágio da doença? Quais os órgão afetados? Objeto singular: a doença na população Que segmentos desta população são acometidos? Em que circunstâncias ou época? Como se distribui a doença espacialmente? O enfoque epidemiológico do problema envolve todo o processo saúde- doença, incluindo a dimensão biológica e individual, diagnosticada e tratada pela medicina.

12 ETIOLOGIA

13 MODELOS PARA REPRESENTAR FATORES ETIOLÓGICOS EM EPIDEMIOLOGIA Modelo Biomédico –Cadeia de eventos –Rede de causas –Múltiplas causas – múltiplos efeitos Modelos ecológicos –Tríade ecológica: agente, hospedeiro e meio ambiente –Dupla ecológica: hospedeiro e meio ambiente Abordagem sistêmica da saúde Etiologia social da doença –Vertente centrada no componente sócio-político (estrutura social) –Vertente centrada na influência dos fatores comportamentais (indivíduo)

14 FATORES DETERMINANTES DA DOENÇA Endógenos: Fatores determinantes que, no quadro geral da ecologia da doença, são inerentes ao organismo e estabelecem a receptividade do indivíduo. Herança genética. Anatomia e fisiologia do organismo humano. Estilo de vida. Exógenos: Fatores determinantes que dizem respeito ao ambiente. Ambiente biológico: determinantes biológicos. Ambiente físico: determinantes físico-químicos. Ambiente social: determinantes sócio-culturais.

15 DUPLA ECOLÓGICA: HOSPEDEIRO E MEIO AMBIENTE AmbienteFísicoAmbienteFísico AmbienteBiológicoAmbienteBiológico AmbienteSocialAmbienteSocial Interação complexa com o ambiente Interação complexa com o ambiente HOMEM Estilo de Vida HerançaGenéticaAnatomiaFisiologia

16 FATORES DETERMINANTES ENDÓGENOS Genéticos: Âmbito da Genética Médica Outros: Fatores constitucionais

17 FATORES DETERMINANTES BIOLÓGICOS Exógenos Infecções Varias espécies Âmbito da Microbiologia e da Entomologia médicas O resultado do relacionamento da população humana com uma ou mais espécie com conseqüente advento de diversos agravos à saúde. O resultado do relacionamento da população humana com uma ou mais espécie com conseqüente advento de diversos agravos à saúde.

18 FATORES DETERMINANTES FÍSICOS E QUÍMICOS Naturais/Previsíveis: Aqueles cuja ação, em boa parte, pode ser de antemão prevista, permitindo estimar as possíveis conseqüências e, desta forma, adotar medidas que possibilitem reduzir seus efeitos (a depender dos conhecimentos atingidos sobre o assunto). Atmosfera: Clima. Hidrosfera e litosfera: Carência de elementos essenciais ou presença de agentes indesejados.

19 FATORES DETERMINANTES FÍSICOS E QUÍMICOS Naturais/Imprevisíveis: Acidentes naturais; Desastres ou calamidades naturais; Mortalidade; Morbidade (epidemias ou doenças infecciosas); Desabilidades psicológicas.

20 FATORES DETERMINANTES FÍSICOS E QUÍMICOS Artificiais: –Acidentais: Acidentes ou desastres antrópicos. –Ambiente natural: Efeito estufa, buraco na camada de ozônio. –Ambiente antrópico: Impacto de tecnologias sofisticadas que, fora de controle, atingem o próprio ambiente antrópico (energia nuclear, acidentes com produtos químicos perigosos).

21 FATORES DETERMINANTES FÍSICOS E QUÍMICOS Artificiais: Produzidos: De uso programado e continuado (riscos antrópicos) Poluição. Poluição conseqüente (desenvolvimento industrial): Gases e partículas na atmosfera, substâncias químicas no meio hídrico e resíduos sólidos no meio terrestre. Poluição pressentida (consecução de certa finalidade): Defensivos agrícolas, medicamentos, agentes tóxicos e nocivos usados em conflitos armados.

22 FATORES DETERMINANTES SOCIAIS A aquisição de conhecimentos sobre os determinantes sociais parte do estudo da desigualdade social, tida como geradora de agravos à saúde, traduzidos em morbidade e mortalidade. Categorias gerais desses determinantes: Comportamentais: Psicossociais: Relacionados à personalidade do indivíduo. Hábitos e estilos de vida: sexualidade, étnicos (relacionados à cultura), adquiridos.

23 Organizacionais Estruturais –Ocupação –Família –Nível socioeconômico Evolutivos Relacionados ao Desenvolvimento –Intrasociais: convivência (mobilidade social); produção e desenvolvimento (apropriação dos recursos sociais); e competição. –Intersociais: agressões ao meio ambiente, migrações populacionais, intercâmbio social e conflitos. CONTINUAÇÃO:

24 MEDIDAS PREVENTIVAS

25 NÍVEIS DE PREVENÇÃO AutoresPrimárioSecundárioTerceário Leavel y clark Promoção da Saúde Diagnóstico precoce Reabilitação Proteção específica Tratamento adequado Limitação da incapacidade Universidade de Columbia Promoção de Saúde Diagnóstico precoce Limitação da incapacidade Proteção específica Tratamento adequado Reabilitação Itoh y LeePromoção da saúde Diagnóstico precoce Limitação da incapacidade Proteção específica Tratamiento adequado Reabilitação Cuidados de custodia

26 Preventiva Curativa Reabilitação ATENCÃO INTEGRAL DE SAÚDE

27 Prevenção Primária Promoção de Saúde –Moradia adequada; –Alimentação adequada; –Áreas de lazer; –Escolas; –Educação em todos os níveis.

28 Prevenção Primária Proteção Específica –Imunização; –Saúde ocupacional; –Higiene pessoal e do lar; –Proteção contra acidentes; –Aconselhamento genético; –Controle dos vetores.

29 Prevenção Secundária Diagnóstico Precoce –Inquéritos para descoberta de casos na comunidade; –Exames periódicos, individuais, para detecção precoce de casos; –Isolamento para evitar a propagação de doenças; –Tratamento para evitar a progressão da doença.

30 Prevenção Secundária Limitação da Incapacidade –Evitar futuras complicações; –Evitar seqüelas.

31 Prevenção Terciária Reabilitação (impedir a incapacidade total); Fisioterapia; Terapia ocupacional; Emprego para o reabilitado.

32 Referências Bibliográficas MINAYO M.C.S. Saúde – doença: uma concepção popular da etiologia. Cadernos de Saúde Pública, RJ. 4(4): , PEREIRA, M. G. Epidemiologia: teoria e prática. Ed. Guanabara Koogan Capítulo 3: Saúde e Doença. ROUQUAYROL, M.Z. Epidemiologia e Saúde. 6º edição. MEDSI, Rio de Janeiro, 2003, Capítulo 2: Epidemiologia, História Natural e Prevenção de Doenças. KNAUTH D.R; de OLIVEIRA F.A. Capítulo 15 - Antropologia e atenção Primária à Saúde. Em: Medicina Ambulatorial. Fundamentos e Práticas em Atenção Primária à Saúde.


Carregar ppt "SAÚDE E DOENÇA: EPIDEMIOLOGIA EM SAÚDE PÚBLICA FATERN – GAMA FILHO AULA 02 PROFª SANDRA BEZERRIL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google