A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tem gente que passa a vida inteira travando na inútil luta com os galhos, sem saber que é lá no tronco que está o coringa do baralho (Raul Seixas)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tem gente que passa a vida inteira travando na inútil luta com os galhos, sem saber que é lá no tronco que está o coringa do baralho (Raul Seixas)"— Transcrição da apresentação:

1 tem gente que passa a vida inteira travando na inútil luta com os galhos, sem saber que é lá no tronco que está o coringa do baralho (Raul Seixas)

2 Desenvolvimento sustentável Definição do significado e utilização: uma questão político-ideológica Sustentar o curso da acumulação capitalista Prover os meios de sobrevivência aos povos Sustentabilidade ecológica

3 Desenvolvimento sustentável Na disputa pelo significado......Vem ganhando a sustentabilidade capitalista: como adaptar o capital para que ele se sustente? –A hipocrisia: Criar uma imagem verde –Briga constante entre crescimento (uso de recursos) e tecnologias limpas

4 Na briga pela contrução da imagem a grande hipocrisia

5 Incongruência dos propósitos Verdes: sustentabilidade ecológica Capitalistas: sustentar a rentabilidade e a acumulação. –Refazer a natureza, não sustentar a natureza natural Capital não se limita a apropriar-se da natureza, mas convertê-la em mercadoria. Refaz a natureza a sua própria imagem e semelhança. Qual a imagem do capital? –Movimento de trabalhadores: mais valia absoluta - mais valia relativa –Movimentos ambientalistas: exploração pré-capitalista da natureza - exploração capitalista da natureza –Em algum momento a natureza não será mais natural, será regida pela lei do valor e processo de acumulação capitalista!

6 Sustentabilidade capitalista Não existe capitalismo em estado estacionário. A reprodução ampliada (crescimento) é condição necessária. (D-M-D) –Lucro e crescimento econômico: uma confusão de meios e fins

7 Sustentabilidade capitalista: 1ª contradição Produção social x apropriação privada. –Quanto maior a exploração do trabalho, maior o ganho, mais difícil a realização dos ganhos. Ceteris paribus: CRISE DE DEMANDA definitiva Mutatis mutandis: déficits públicos, crédito, financiamento, política exterior agressiva (comercial e financeira), guerras,... Sustentam o capitalismo –Necessidade de um sistema político e econômico em escala global que regule essa contradição. G7, FMI, BIRD, BID,... –G7, FMI, BIRD, BID,...: políticas anti-keynesianas, corte de gastos públicos, aumento da eficiência,..., ausência completa de reflexões sobre superprodução global. –E se os EUA esgotarem suas possibilidades de endividamento, de absorção da produção exterior... ? »Em outros tempos... 1ª Guerra Mundial!

8 Sustentabilidade capitalista: 2ª contradição Condições de produção: custos –Capitais, individualmente, adotam estratégias que degradam condições materiais e sociais de sua própria produção –Poder social dos movimentos sociais (trabalhadores, feministas, ambientalistas): exigências aumentam custos diminuem flexibilidade do K –Capital necessita que as condições de produção (força de trabalho, recursos naturais e infra-estrutura urbana) estejam disponíveis em quantidade e qualidade suficientes, nos lugares adequados e com preços (fictícios) corretos. –Alta dos custos é resultado do próprio crescimento capitalista –Estado e K tentam racionalizar os mercados de trabalho, recursos e usos das terras urbanas e rurais para reduzir os custos de produção. –Problemas se agravam em épocas de crise de demanda – tendência à externalização de custos

9 Sustentabilidade capitalista: qualquer semelhança é mera coincidência Queda dos ganhos (aumento dos custos) obriga os capitais individuais a reduzir o tempo de retorno. Solução capitalista: financeirização D-M-D D-D Descolamento da riqueza de sua base material. Hegemonia do capital financeiro. Risco de implosão financeira

10 Sustentabilidade capitalista Antes: abundância de FT, riquezas naturais inexploradas com preços sob controle. Movimentos sociais e ambientais sob o controle do capital Com o tempo, o K capitaliza tudo e todos. –Natureza se torna humanizada (segunda natureza). –Aumenta preço da FT, matérias primas e bens comunais não contaminados se tornam escassos, espaços urbanos se tornam saturados. Enfim, aumento de custos e redução de flexibilidade do K. –Capitais individuais não têm incentivos pra usar racionalmente os recursos, sobretudo em tempos de crise

11 Conseqüências ecológicas de uma recessão econômica generalizada –Superprodução, baixo consumo (subconsumo),..., queda dos lucros, externalização dos custos...aumento dos custos..., externalização... Aumento dos custos...externalização... aumento... –Moviementos ambientalista brigam pela internalização dos custos do capital. Salvar o capital de si mesmo!!!! percam-se os anéis, mas... –Crise generalizada poderia ser motivação para rever a estrutura de consumo, de produção, de acumulação,... –O problema é a correlação de forças, a construção das imagens... Mudança de paradigmas!

12 Se é pra falar de mudança de paradigma... O Ecossocialismo Marx definiu o socialismo como a sociedade onde os produtores associados organizam racionalmente as suas trocas com a natureza

13 Ecosocialismo Se o capitalismo não pode ser reformado para subordinar o lucro à sobrevivência humana, que alternativa existe senão caminhar para um tipo de economia nacional ou globalmente planificada? Problemas como as alterações climáticas requerem a mão visível do planejamento direto. (…) Os nossos empresários capitalistas não se podem ajudar a si próprios. Sobre economia e ambiente, não têm escolha senão tomar sistematicamente decisões erradas, irracionais e, em última análise – dada a tecnologia que comandam –, suicidas. Então, que outra escolha temos além de considerar uma verdadeira alternativa ecossocialista? (ROBERT SMITH )

14 Ecossocialismo O Ecossocialismo é uma tentativa de fornecer uma alternativa civilizacional ao processo destrutivo do capitalismo. (Michael Löwy) É, ao mesmo tempo, uma crítica à ecologia de mercado, que não desafia o capitalismo, e ao socialismo produtivista, que ignora os limites naturais. Segundo OConnor, o objetivo do ecossocialismo é uma sociedade baseada na racionalidade ecológica, no controlo democrático, na igualdade social e no predomínio do valor de uso sobre o valor de troca.

15 Objetivo ecossocialista Ao contrário do socialismo produtivista stalinista, Marx colocava que o objetivo do socialismo não é produzir mais e mais bens, mas proporcionar aos seres humanos tempo livre para desenvolverem plenamente as suas potencialidades. Produção racional, troca racional entre homens e entre homens e natureza

16 Ecosocialismo Fudamentos e transformações Planejamento democrático Necessidade de mudanças do sistema produtivo. Descontinuidade de alguns setores produtivos Necessidade de políticas de pleno emprego: hegemonia Organização racional da produção e do consumo tem que ser obra não são só dos produtores, mas também dos consumidores

17 Ecossocialismo Preços dos bens (transição): definidos por critérios sociais, políticos e ambientais. Valor de uso. Instrumento de planejamento social. O valor de uso é o único critério para a produção de bens e serviços, o que permite pesar consequências econômicas, sociais e ambientais de longo alcance.

18 Transformação qualitativa do desenvolvimento Fim enorme desperdício de recursos Fim da produção inútil (desprovido do valor de uso criado pela propaganda) Substituição da publicidade por informação sobre bens e serviços providenciados pelas associações de consumidores – desfetichização! Identificação social das necessidades Redefinição do significado de padrão de vida no sentido de modo de vida.

19 Necessidade de hegemonia Não haverá transformação radical sem que as forças comprometidas com um programa socialista e ecológico radical se tornem hegemônicas, no sentido Gramsciniano. –Necessidade de convencimento – construção da imagem –Por um lado, o desenvolvimento capitalista, e suas contradições, jogam a favor de uma mudança de paradigma –Por outro, as elites dominantes entrincheiradas no sistema são incrivelmente poderosas, e a força da oposição radical é ainda pequena.

20 Utopia? No seu sentido etimológico – algo que não existe em lado nenhum – certamente. Mas não serão as utopias todas as visões de um futuro alternativo, de imagens de uma sociedade diferente, condição necessária de qualquer movimento que queira desafiar a ordem estabelecida? A utopia socialista e ecológica é apenas uma possibilidade objetiva, não o resultado inevitável das contradições do capitalismo, ou das leis de ferro da história. Não é possível predizer o futuro, exceto nos termos tradicionais: o que é previsível é que, na ausência de uma transformação ecossocialista, de uma alteração radical do paradigma civilizacional, a lógica do capitalismo vai levar a desastres ecológicos e sociais dramáticos, ameaçando a saúde e a vida de milhões de seres humanos, e talvez até a sobrevivência da espécie.

21 Sobre a sustentabilidade capitalista Soy Loco Por Sol (Mundo Livre S.A) Olha o sol tingindo a madrugada Um calor intenso estranho invade aos poucos o meu peito É uma paixão incontrolável eu não consigo resistir Comprar, comprar, gastar, torrar Eu não vivo sem consumir Sou o gatilho mais rápido do oeste Com um American Express na mão Já tenho 3 rifles em casa E não vejo a hora de sacar mais uma vez a carteira Aquela belezura prateada e automática Logo, logo reforçará a minha coleção Soy loco por carros novos Um modelo pra cada ocasião Vibro imaginando a quantidade de ozônio devastado Cada vez que acelero meu novo 4/4 Se alguns desses abraçadores de lagoas Estão mesmos dispostos a perder seu sono com isso Vão em frente! Quanto a mim estou ocupado demais Tentando decidir como investir e gastar bem meu dinheiro Liberdade, Liberdade! Regulação é o mesmo que censura Dane-se o planeta! Dane-se as futuras gerações! E é por isso Sol Que eu sou apaixonado Sou fanático e posso até morre por ti América Eu tive um sonho Diante da minha nova TV de 500 canais Me deparei com um estranho episódio dos Simpsons A Floresta Amazônica havia se transformado num imenso deserto americano Conheci a doce e ingênua Solange trabalhando pro lá Num dos milhares de postos da TEXACO Ela atendia a todos que paravam com o mesmo sorriso largo Dizendo "bem vindo ao deserto do real" Convidei-a para um café e ela terminou me contando Que tinha acabado de chegar da América Triste, desolada, confessou que tinha sido deportada. Pra minha surpresa Solange topou viajar comigo de Ultraleve A centésima para foi numa praia deserta próximo a Tihuana no México Olha o Sol tingindo a madrugada... Quando ela menos esperava estávamos sobrevoando a noite de balão O trecho do muro daquele imenso muro que adentra o pacífico Solange no entanto não se alegrou É difícil viver na clandestinidade ela lembrou Então eu lhe contei que seus problemas tinham acabado Pois eu conhecia uma maneira muito simples de conseguir o Green Card é só a gente se alistar para o glorioso exercito americano Em pouco tempo nos tornaríamos fuzileiros E viveríamos juntos, felizes e totalmente realizados Torturando aqueles vermes mulçumanos na base de Guatánamo em Cuba. Um calor intenso estranho invade aos poucos o meu peito Acordei suado e triste por ainda está aqui Mas de toda forma saiba América, Yo soy loco por ti!

22 Batedores (resistindo ao arrastão global) Mundo Livre S.A. Seus altos executivos circulam num mundo de fanatismo e devoção, venerando o onipresente deus Naiq/ Mesmo quando deveriam estar de folga, eles não param de pesquisar. Investigando as ruas, buscando novas pistas. Há décadas eles vêm comprando e subornando congressistas, democratas, modernos, liberais, patrocinando campanhas presidenciais, financiando planos de governo, armando, tramando novos consórcios globais que assumem rapidamente o controle de imensos e estratégicos patrimônios estatais - enfim, conquistando pequenos, médios e grandes mercados emergentes em todos os continentes, aquilo que antes chamávamos de países. Renegado, batedor sou. Não, não, não estamos falando só de macroeconomia ou geopolítica. Estamos falando de mutações, instituições, partidos, valores e concepções (religiões, no final das contas) que se anulam ou se reciclam vulgarmente a cada rotação da terra. De almas e mentes mutantes. Dos abjetos seres PDM – Portadores de Deficiência Moral. Mas exibindo seus reluzentes celulares digitais, palm-tops, pára-brisas blindados e bonés Naiq, esses são apenas os patéticos vilões da nossa história. Para enquadrarmos os heróis, temos que deslocar o cenário. Visualizemos uma zona metropolitana de um mercado decadente, berço de um verdadeiro exército de desajustados batedores. Becos da fome... Cassetetes...Escopetas... Nesse ambiente hostil, a senha para a sobrevivência consiste numa resposta equilibrada para um recorrente conflito. De um lado a duvidosa e farsesca resistência das consagradas tradições, e de outro a perigosa sedução das antenas..." Mas o batedor não come na mão de ninguém, não rezamos na cartilha dos Naiqmen, nosso combustivel é som. Não aquele contaminado que as donas de casa disputam nas prateleiras de ofertas dos grandes magazines incorporados só porque já ouviram um milhão de vezes nos Nike espaces, templos sagrados de Sir Nike, que nunca serão atingidos por míssei perdidos. Sentimos de longe o cheiro da diluição incorporada Estamos sempre nas quebradas e temos o poder de absorver só a batida que jamais fica batida


Carregar ppt "Tem gente que passa a vida inteira travando na inútil luta com os galhos, sem saber que é lá no tronco que está o coringa do baralho (Raul Seixas)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google