A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Internet História de uma construção coletiva. Internet: base da sociedade em rede Redes: forma antiga de organização social Dificuldade de se articular.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Internet História de uma construção coletiva. Internet: base da sociedade em rede Redes: forma antiga de organização social Dificuldade de se articular."— Transcrição da apresentação:

1 Internet História de uma construção coletiva

2 Internet: base da sociedade em rede Redes: forma antiga de organização social Dificuldade de se articular em tarefas de grande complexidade Circunscritas à vida privada Tecnologias de informação e comunicação de base informática permitem a gestão da complexidade Desenvolvimento de uma nova forma de organização da atividade humana

3 Comunicação como base da nova economia Todos são transmissores em potencial, todos são receptores em potencial Comunicação de muitos para muitos em escala global Nova economia não é sinônimo de empresas pontocom 2001: 400 milhões de usuários 2005: 1 bilhão de usuários 2008: 1 bilhão e 463 mil usuários 2010: 2 bilhões?

4

5

6 Tecnologia maleável A internet foi desenhada premeditadamente como uma tecnologia de comunicação livre, por uma série de razões históricas e culturais. Castells, 2004

7 Início militar Guerra fria: Sputnik x Arpa Arpanet – Setembro de 1969 Objetivo: estimular o campo da informática interativa Backbone (espinha dorsal ou rodovia) Packet Switching (divisão da informação em pacotes para transmissão separada aproveitando a capacidade da rede)

8 Primeiros desenvolvimentos 1969: Arpanet é fundada sob direção de Joseph Licklider 1971: Primeira demonstração da Arpanet em Washington D.C. 1973: Cerf e Kahn desenham a arquitetura básica da rede de redes

9 Arpanet em 1971

10 A evolução da internet 1973: Criação da primeira Ethernet 1975: Primeiro computador pessoal, o Altair (Microsoft) 1976: Segundo computador pessoal, Apple I (Apple) 1978: Fusão do TCP com o IP (internet protocol) 1983: Separação da rede militar (Milnet) e criação da Arpanet/Internet

11 Evolução da internet 1983: A Time elege o computador o Homem do Ano e a Apple lança um computador com tecnologia de mouse e menus 1985: Estabelecido o Domain Name System. A Microsoft lança o Windows 1985: Fapesp se conecta à internet 1990: Gestão da internet passa para a NSF (National Science Foundation)

12 A evolução da internet 1990: Tim Berners-Lee começa a desenvolver a World Wide Web 1990: Brasil cria a RNP (Rede Nacional de Pesquisas) 1992: Criada a Internet Society, que administra a rede internacionalmente 1994: Criado o Netscape Navigator, programa para navegação na internet

13 A proposta de Berners-Lee e o primeiro desenho da World Wide Web

14 Evolução da internet 1995: A Sun Microsystems introduz a linguagem Java e a Microsoft lança o Internet Explorer 1995: Brasil tem 20 Estados conectados à Rede Nacional de Pesquisas e cria o Comitê Gestor Internet

15 A internet e o jornalismo 1969: videotexto 1969: Infobank do NY Times 1970: Associated Press transmite notícias através do computador. Um terminal em Columbia transmite, em 08/11, informação para um terminal em Atlanta 1971: Computadores nas redações de jornais

16 A internet e o jornalismo 1972: 1972: Jornalistas do Philadelphia Inquirer criam banco de dados 1973: A United Press International instala computadores em todos os cem escritórios dos Estados Unidos 1975: TVs a cabo transmitem Reuters por videotexto 1982: Várias empresas testam sistemas de videotexto, inclusive no Brasil

17 A internet e o jornalismo 1984: 15 jornais oferecem textos completos em bancos de dados 1985: 50 jornais oferecem textos completos em bancos de dados 1987: Middlesex News lança um site de mídia 1990: Albuquerque Tribune lança seu site

18 A internet e o jornalismo 1992: 150 jornais oferecem bancos de dados 1994: Embratel cria a internet comercial no Brasil 1995: Explosão de sites noticiosos

19 A internet e o jornalismo 1995: Internet explorer, Windows 95, MSN Wall Street Journal e Washington Post chegam à internet Jornal do Brasil é o primeiro brasileiro a chegar à internet

20 Jornalismo on-line 1997: 2 mil e 600 sites de jornais 1998: Governo americano processa a Microsoft por monopólio 1998: Drudge Report fura todo mundo e publica o relatório Monica Lewinski 1998: O New York Times é atacado por hackers e fica 9 horas fora do ar (caso Kevin Mitnick)

21 O futuro da internet 1998: Nasce o google 1999: 3250 jornais on- line 1999: Nasce a Indymedia 2000: Jornalismo on- line cresce no Brasil, com a criação de redações específicas para a produção na web 2001: 500 milhões de computadores pessoais 2001: 400 milhões de internautas 2001: Globonews.com 2002: Blogs e fotologs 2003: Mozilla Firefox, Skype

22 O futuro da internet 2004: Orkut Buyokkokten 2005: Podcast, Youtube 2006: Internet é a mídia mais consumida no mundo, batendo rádio, tevê e jornal

23 Gerações do jornalismo online Primeira geração: tradução de conteúdos das mídias tradicionais Gráfico de Bruno Ávila

24 Gerações do jornalismo online Segunda geração: conteúdo novo com formas tradicionais. Surgem os últimas notícias

25 Gerações do jornalismo Online Terceira geração: webjornalismo, com as seis características (interatividade, personalização, multimidialidade, hipertextualidade, instantaneidade, memória)

26 Gerações do jornalismo online Quarta geração (?)

27 As previsões de antigamente No futuro, os computadores podem pesar menos de 1,5 tonelada (Revista Popular Mechanics, em 1949) Acredito que o mercado mundial pode demandar cerca de cinco computadores (Thomas Watson, Presidente da IBM, 1943) Não há nenhuma razão para que alguém queira ter um computador em casa (Ken Olson, presidente e fundador da Digital Equipment Corporation, 1977)

28 As tendências do futuro Segundo Matthew Buckland (empreendedor da web, gerente geral da 24.com) : Conectividade barata, rápida e sempre ligada; computadores mais leves, precisarão de conexão à rede para trabalhar; aplicativos baseados na internet Todos os aparelhos digitais estarão conectados Crescimento da internet móvel, celulares serão a plataforma dominante para acesso à rede (navegação, pagamentos e, quem sabe, eleições pelo celular) Empreendendorismo individual: fontes abertas com acesso sem precedentes à códigos e aplicativos

29 As tendências do futuro Segundo Matthew Buckland (empreendedor da web, gerente geral da 24.com): Fim da privacidade na web: dados de todos estarão disponíveis e estará tudo bem porque todo mundo estará no mesmo barco Crescimento do mundo virtual: mundos virtuais como o SL podem se tornar alternativa ao ambiente da web

30 As tendências do futuro Segundo Matthew Buckland (empreendedor da web, gerente geral da 24.com): Excesso de informações: o próximo grande desafio é administrar a quantidade de informação na rede. As pessoas irão reclamar de fadiga digital e ruído digital. O foco passará a ser o desenvolvimento de filtros e agregadores para a informação. Médicos irão receitar regularmente switch-off holidays Crescimento de movimentos anti-digitais proclamando a volta ao básico

31 As tendências do futuro Segundo Matthew Buckland (empreendedor da web, gerente geral da 24.com): Declínio do Estado-Nação? Governos passarão a ter cada vez menos influência e controle; A indústria musical resistiu ao compartilhamento e ao Napster, mas agora regimes poderão cair através da internet e alguns países retornarão a tempos sombrios;

32 As tendências do futuro Segundo Matthew Buckland (empreendedor da web, gerente geral da 24.com): Na mídia, a distribuição e a produção devem mudar radicalmente; Tudo passará a ser publicado na web: rádio, tevê e jornal A mídia estará em várias plataformas digitais; O ambiente midiático se tornará fragmentado, com novos competidores no mercado, como companhias de celular, que passarão a produzir conteúdo além de distribuí-lo. O papel da mídia muda: passa de produtora de informação para agregadora, filtradora, facilitadora.

33 As tendências do futuro Segundo Matthew Buckland (empreendedor da web, gerente geral da 24.com): É o fim da impressão? Livros, jornais e revistas…Serão lidos em tábuas digitais flexíveis, websites e jornais online se tornarão a mesma coisa. Os jornais continuarão sendo impressos, mas menores e voltados para públicos específicos, se tornando caros itens de luxo, vendidos como uma experiência de tempos atrás

34 Para saber mais: Castells, Manuel. A galáxia da internet. Jorge Zahar Editores, net/ net/ Moherdaui, Luciana. Guia de Estilo Web – Produção e edição de notícias online. Senac São Paulo


Carregar ppt "Internet História de uma construção coletiva. Internet: base da sociedade em rede Redes: forma antiga de organização social Dificuldade de se articular."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google