A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GINÁSIO CLUBE DE SANTO TIRSO NATAÇÃO ÉPOCA 2008/2009 APRESENTAÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GINÁSIO CLUBE DE SANTO TIRSO NATAÇÃO ÉPOCA 2008/2009 APRESENTAÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 GINÁSIO CLUBE DE SANTO TIRSO NATAÇÃO ÉPOCA 2008/2009 APRESENTAÇÃO

2 AGENDA Introdução Apresentação das Equipas Plano Anual de Provas e Objectivos Gerais Objectivos específicos por Categoria Natação/Estudos: Testemunhos Papel dos Pais Alimentação para Atletas de Natação Plano de Actividades Espaço para discussão

3 INTRODUÇÃO GINÁSIO CLUBE DE SANTO TIRSO Fundado em 1961 – 47 anos Maior Clube do Concelho em termos de Atletas federados, Técnicos e Sócios Conta actualmente com cerca de 400 Atletas federados nas várias modalidades: Andebol, Ginástica Rítmica, Natação, Pesca Desportiva, Voleibol, Ténis, Ténis de Mesa Piscina é frequentada por cerca de utentes/mês

4 INTRODUÇÃO OBJECTIVOS ESSENCIAIS Proporcionar aos jovens do Concelho uma oferta variada ao nível da prática desportiva Permitir um desenvolvimento saudável do ponto de vista físico Dotar os jovens de uma estrutura mental que lhes permita um desenvolvimento equilibrado e uma integração plena na sociedade Integrar os jovens em grupos sãos, focados em objectivos comuns e longe das cada vez maiores ameaças/vícios da sociedade

5 INTRODUÇÃO NATAÇÃO Desporto completo e saudável Prática competitiva focada em objectivos de equipa e objectivos individuais Ambiente de salutar convívio e entreajuda entre atletas e treinadores Exigência de treinos molda os jovens na sua vida pessoal, tornando-os muito mais organizados e selectivos nas suas actividades

6 INTRODUÇÃO NATAÇÃO - COMPROMISSO Condições de treino Qualidade dos Técnicos Espírito de grupo e ambiente de trabalho Participação em todas as provas do Calendário Regional e nos Torneios para os quais sejamos convidados Acompanhamento permanente por parte da Direcção do trabalho desenvolvido e das necessidades sentidas

7 INTRODUÇÃO NATAÇÃO – O QUE ESPERAMOS Atletas: assiduidade, motivação, espírito de sacrifício, estabelecimento de objectivos e boa disposição Técnicos: competência, liderança, exemplo Pais: acompanhamento dos filhos, espírito de sacrifício, motivação dos filhos, gestão de expectativas

8 CATEGORIAS (Regulamento FPN)

9 CADETES A/B João Tomás Abreu David André Almeida Gonçalo Garrett Barbosa Jose Pedro Barbosa Manuel Luis Branca Barbara Morais Costa Pedro Ferreira Lopes João Pedro Martins Sergio Miguel Neto Ana Rita Nogueira Gonçalo Afonso Pimenta Joao Paulo Ribeiro Mariana Faria Rossi Maria Ines Silva Pedro Manuel Silva André Ricardo Sousa

10 INFANTIS Ana Paula Araújo Ricardo Alexandre Ascensão Joao Pedro Barroso Tiago Sobral Coelho Ana Rita Figueiredo Duarte Magalhães Pinto Miguel Filipe Pinto Sara Isabel Silva

11 JUVENIS Mónica Pinto Coelho Pedro Sousa Ferreira Sara Jose Pinto

12 ABSOLUTOS Andreia Patrícia Aguiar Mariana Dias Almeida Maria João Oliveira JUNIORESSENIORES Tiago José Ferreira Helena Manuel José Maria João José Ana Raquel Lírio Luis Carlos Teixeira Rute Sofia Teixeira

13 TREINADORES Sandra Bárbara – Treinadora Absolutos, Juvenis e Infantis Miguel Coelho – Treinador Cadetes e Adjunto Absolutos/Infantis Filipe Simões – Treinador Musculação Locais de Treino: Piscina do Ginásio Clube de Santo Tirso Piscinas Municipais de Santo Tirso Piscina Olímpica da Póvoa de Varzim Instalações do Ginásio Clube de Santo Tirso

14 Plano Época 2008/2009

15 OBJECTIVOS GERAIS Criação de uma atmosfera de alegria durante o treino e estimulação do gosto por nadar Promover o progresso do nadador: Melhorias da técnica de nado, partidas e viragens Evolução das suas marcas Acompanhamento constante do nadador Desenvolvimento de uma carreira de nadador Criação de um forte Espírito de Equipa Criação/Manutenção de hábitos de treino: Assiduidade Pontualidade Disciplina Organização Independência

16 CADETES - OBJECTIVOS Evolução no aperfeiçoamento das 4 técnicas de natação pura, seus regulamentos, partidas, chegadas e viragens; Estimular o respeito pelos adversários, árbitros e restantes elementos desta modalidade; Criar o espírito de vencedor, mesmo quando não se ganha, atribuindo grande importância à superação pessoal ao atingir os seus objectivos e ao estar presente nas competições; Aprender procedimentos básicos: respeitar intervalos de descanso, nadar em carrocel, não virar a meio, não parar durante uma tarefa, partir e chegar sempre pela parede da piscina.

17 CADETES - HORÁRIOS CADETES B - Masc. 98/99/00/01 e Fem. 99/00/01 Dia2ª feira3ª feira4ª feira5ª feira6ª feiraSábado Horário18: :15 9: :15 TreinadorMiguel LocalGCST CADETES A - Masc. 97 e Fem. 98 Dia2ª feira3ª feira4ª feira5ª feira6ª feiraSábado Horário18: :45 9: :15 TreinadorMiguelSandraMiguel LocalGCSTMunicipalGCST

18 CADETES - PROVAS Participação em todas as competições da ANNP no âmbito deste escalão etário, bem como em torneio de clubes para os quais a secção de natação do GCST entenda participar. O mapa geral de competições e para este escalão etário encontra-se disponível em:

19 CADETES - PROVAS DataCategoriaProvaLocal Nov.Cadetes A/BPreparação 1Gondomar 01 Dez.Cadetes BEncontro Tec. AlternadasSenhora da Hora Dez.Cadetes A/BTorregri 1*Paços de Ferreira 31 Jan – 1 Fev.Cadetes A/BPreparação 2Guimarães (Bombeiros) 14 MarçoCadetes BEncontro Tec. SimultâneasVila d´este (VNG) 21 – 22 MarçoCadetes A/BTorregri 2**Lousada AbrilCadetes AAcção de Formação 2Baião MaioCadetes A/BFundo CadetesGuimarães( Bombeiros) 10 JunhoCadetes BEncontro Tec. CombinadasLousada JulhoCadetes A/BTorregri 3Vila Meã

20 CADETES - PROVAS * Torregri 1: Serão seleccionados 16 nadadores Masculinos e 16 nadadores Femininos, os mais pontuados pela tabela FINA, no somatório dos pontos obtidos nas 2 provas (200 m Estilos/400 m Livres) para uma acção de formação que realizar-se-à a 29 e 30 de Dez ** Torregri 2: Serão seleccionados 18 nadadores Masculinos e 18 nadadores Femininos, os mais pontuados pela tabela FINA, no somatório dos pontos obtidos nas 2 provas (200 m Estilos/400 m Livres) para uma acção de formação que realizar-se-à a Abril 2009.

21 INFANTIS - OBJECTIVOS Efectuar Tempos de Admissão ao Torneio Zonal no Torneio Regional de Infantis – 6 a 8 de Dezembro / Recarei Participação no Torneio Zonal – 6 a 8 de Março / Cantanhede Participação nos Campeonatos Nacionais de Infantis – 24 a 25 de Julho / S. João da Madeira

22 INFANTIS - HORÁRIOS Dia2ª feira3ª feira4ª feira5ª feira6ª feiraSábado Horário19: :3018: :0019: :30 8: :15 TreinadorSandra/MiguelSandra Sandra/MiguelMiguelSandra LocalGCSTMunicipal GCST

23 JUVENIS - OBJECTIVOS Efectuar TACs no Torneio Regional de Juvenis – 28 a 30 de Novembro / Vila Meã Participação nos Campeonatos Nacionais de Juvenis – 13 a 15 de Março / Póvoa de Varzim Participação nos Campeonatos Absolutos de Portugal Juvenis/ Juniores/Seniores – 18 a 21 Julho / Loulé

24 JUVENIS - HORÁRIO Dia2ª feira3ª feira4ª feira5ª feira6ª feiraSábado Horário 6:30 - 8:00 8: :15 Treinador Sandra Local GCST Horário 18: :00 10: :30 Treinador Filipe Sandra Local GCST (SM) Horário19: :45 19: :5019: :4518: :00 TreinadorSandra/MiguelMiguelSandraSandra/MiguelSandra LocalGCST MunicipalGCSTMunicipal

25 ABSOLUTOS - OBJECTIVOS Qualificação da Equipa Masculina para os Campeonatos Nacionais de Clubes 4ª Divisão – 8 de Novembro / Leiria Participação nos Campeonatos Absolutos de Portugal – 6 a 8 de Dezembro / Guimarães Subida à 3ª divisão da Equipa Feminina nos Campeonatos Nacionais de Clubes – 13 e 14 de Dezembro / Tomar Participação nos Campeonatos Nacionais Juniores/Seniores – 27 a 29 Março / EUL - Lisboa

26 Tempos de Admissão aos Campeonatos (TACs) disponíveis em Participação nos Campeonatos Absolutos de Portugal Juvenis/ Juniores/Seniores – Julho / Loulé ABSOLUTOS - OBJECTIVOS

27 ABSOLUTOS - HORÁRIO Dia2ª feira3ª feira4ª feira5ª feira6ª feiraSábado Horário 6:30 - 8:00 8: :15 Treinador Sandra Local GCST Horário 18: :00 10: :30 Treinador Filipe Sandra Local GCST (SM) Horário19: :45 19: :5019: :4518: :00 TreinadorSandra/MiguelMiguelSandraSandra/MiguelSandra LocalGCST MunicipalGCSTMunicipal

28 PAIXÃO E BOA ORGANIZA Ç ÃO

29 Maria João Azevedo Ferreira José 17 anos Frequenta o 1 º ano de medicina na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Terminou o Ensino Secund á rio com m é dia de 19 valores Entrou para a Faculdade com m é dia de 18.1 valores

30 Maria João Azevedo Ferreira José Escola: Recebeu os prémios de mérito escolar relativos ao 10ºano e ao Ensino Secundário Natação: Campeã regional Participou na selecção regional da ANNP

31 Mariana Dias Ferreira de Almeida 15 anos Frequenta o 10 º ano da Escola Secund á ria D. Dinis Terminou o 9 º ano com m é dia de 5

32 Mariana Dias Ferreira de Almeida Escola: Recebeu os prémios de mérito escolar relativos ao 2º e ao 3º ciclos Natação: Campeã regional 2 vezes Vice-Campeã Nacional Participou na selecção regional da ANNP

33 HORÁRIO

34 CONCILIAR ESTUDOS E TREINOS Aproveitar todos os tempos livres Não estudar apenas nas vésperas dos testes Levar livros/resumos para estudar durante provas Estudar com o grupo da nata ç ão (est á gios, NC, … ) Comer e descansar bem

35 TAMBÉM NOS DIVERTIMOS… Vamos ao Cinema Fazemos as nossas festas Passeamos todos juntos Vamos à s compras

36 EQUIPA

37 AGRADECIMENTOS Treinadores (Sandra e Miguel) Director (Dr. Fernando Vale) Presidente do GCST (Dr. Fernando Jorge) Pais e familiares

38 PAIXÃO E BOA ORGANIZA Ç ÃO

39 G. C.S.T. Natação "Uma noite tive um pesadelo horrível! Sonhei que nadava uma das provas mais importantes da época ao lado do meu filho e ele começava a ficar para trás, não conseguindo acompanhar o meu ritmo. Apesar de tentar animá-lo e puxar por ele, não conseguia evitar que ele se atrasasse e a verdade é que me fui distanciando até perdê-lo de vista. A determinada altura olhei para as outras pistas e verifiquei que ia em primeiro lugar e lembro-me de pensar: espero por ele ou ganho eu a prova?" PAPEL DOS PAIS

40 G. C.S.T. Natação - Será que existe um nível de envolvimento óptimo e desejável por parte dos pais na actividade desportiva dos seus filhos? - Será que esse envolvimento pode ter aspectos positivos e negativos? - Será que os filhos gostam de ter os pais a acompanhá-los de perto no desporto? PAPEL DOS PAIS - REFLEXÃO

41 G. C.S.T. Natação PAIS... - Que têm expectativas mais realistas sobre o rendimento desportivo; - Que encorajam e apoiam o esforço demonstrado pelos seus filhos enquanto atletas, e que raramente respondem com avaliações negativas quando acontecem prestações desportivas menos boas; DIMINUEM A PROBABILIDADE DE... - Contribuir para problemas de ansiedade nos seus filhos; - Aumentam o prazer e gozo dos seus filhos pelo facto de praticarem desporto; PAPEL DOS PAIS - REFLEXÃO

42 G. C.S.T. Natação Está capaz de confiar o seu filho ao treinador? Isto implica: Aceitar a autoridade do treinador Aceitar que o seu filho sinta admiração pelo treinador Conversar abertamente com o treinador no caso de discordar dele Está capaz de aceitar os triunfos do seu filho? Isto implica: Manifestar de forma clara o apoio ao seu filho quando este sente que ganhou algo Demonstrar agrado pela melhoria das capacidades físicas e técnicas do seu filho e não apenas pelas eventuais vitórias obtidas por ele RELA Ç ÃO PAIS/TREINADORES

43 G. C.S.T. Natação Está capaz de aceitar as frustrações do seu filho? Isto implica: Não sentir-se confundido, envergonhado ou zangado com as derrotas do seu filho Transmitir ao seu filho que, quer ele perca ou ganhe, continua a gostar dele e não está desiludido com ele devido aos seus resultados desportivos Está capaz de demonstrar auto-controle ao seu filho? Isto implica: Objectividade, calma e ponderação na forma com se relaciona com o seu filho Não se descontrolar emocionalmente nas competições (ex: gritar com os atletas, treinador ou dirigentes) RELA Ç ÃO PAIS/TREINADORES

44 G. C.S.T. Natação "Espero por ele ou ganho eu a prova?" é um dos dilemas fundamentais que os pais têm muitas vezes de enfrentar: saber onde está o limite do razoável e aceitável na relação com um filho desportista é um desafio de aprendizagem que se "treina" e melhora com o tempo. PAPEL DOS PAIS - REFLEXÃO

45 G. C.S.T. Natação A Alimentação desempenha um papel muito importante no êxito desportivo, pelo que os atletas, treinadores e pais deverão estar plenamente conscientes disto, dando-lhe a devida importância. Não existem alimentos nem suplementos mágicos. O segredo está em realizar uma selecção de alimentos adequada, sempre considerando a individualidade de cada um, os seus gostos e preferências. Deverão ser feitas escolhas bem pensadas, quanto aos alimentos consumidos diariamente, sendo que uma suplementação prudente poderá contribuir para uma dieta benéfica. ALIMENTA Ç ÃO PARA ATLETAS

46 G. C.S.T. Natação É importante sensibilizar os atletas e os pais que seguindo algumas práticas alimentares simples se poderá atingir resultados mais positivos: - Consumo de várias refeições por dia (aproximadamente 6) - Devem ser consumidos lanches ricos em hidratos de carbono antes e depois dos treinos, e bebidas ricas em hidratos de carbono durante os treinos A alimentação equilibrada é essencial para suportar horas seguidas de treinos, influenciando de modo decisivo o rendimento desportivo, nunca se devendo descuidar a hidratação durante os treinos. ALIMENTA Ç ÃO PARA ATLETAS

47 PLANO DE ACTIVIDADES Jantar de Natal: 20 de Dezembro (local a definir) / Proposta: organização a cargo dos pais Estágio de 3 a 4 dias com as Equipas de Infantis, Juvenis, Juniores e Seniores nas primeiras semanas de Abril: – Concentração/Convívio entre equipas e treinadores – Iniciação/adaptação ao treino em piscina de 50m Convívio de fim de época: data e local a definir Fim de época: – Cadetes: 15 de Julho – Infantis, Juvenis, Juniores e Seniores: 26 de Julho

48 Dúvidas Sugestões Críticas Desafio: 2 pais por Categoria para Seccionistas ESPAÇO PARA DISCUSSÃO

49 MUITO OBRIGADO! BOA SORTE A TODOS PARA A ÉPOCA 2008/2009!


Carregar ppt "GINÁSIO CLUBE DE SANTO TIRSO NATAÇÃO ÉPOCA 2008/2009 APRESENTAÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google