A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Nossa metodologia na prática: como desenvolver os cursos nos CDIs Comunidade Como utilizar a tecnologia em alguma ação para valorizar algo bom ou solucionar.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Nossa metodologia na prática: como desenvolver os cursos nos CDIs Comunidade Como utilizar a tecnologia em alguma ação para valorizar algo bom ou solucionar."— Transcrição da apresentação:

1 Nossa metodologia na prática: como desenvolver os cursos nos CDIs Comunidade Como utilizar a tecnologia em alguma ação para valorizar algo bom ou solucionar um problema? Qual o passo a passo seguir? O que esperamos alcançar?

2 Missão Promover a inclusão social de populações menos favorecidas, utilizando as tecnologias da informação e comunicação como um instrumento para a construção e o exercício da cidadania. Visão Tornar-se um projeto com efetiva influência no destino dos países onde atua, ampliando o conceito de inclusão digital como uma integração entre educação, tecnologia, cidadania e empreendedorismo - com vistas à transformação social. Valores Solidariedade Protagonismo Transparência Co-responsabilidade Eqüidade Inovação Excelência Não são as técnicas, mas sim a conjugação de homens e instrumentos o que transformam uma sociedade. Paulo Freire

3 Na essência da Proposta Político-pedagógica desejamos desenvolver 4 eixos do nosso trabalho de inclusão digital. É um processo vivo que contribui para a equipe do CDI Comunidade e educandos se envolverem em reflexões, questionamentos, práticas, experiências e ações.

4 Parece simples praticar os 4 eixos. Mas... como fazer isto acontecer de verdade em nossos cursos das EICs? Para nesta importante função, a área de educação do CDI criou o Passo a Passo da Metodologia de Inclusão Digital para ajudar a desenvolver os cursos que uma EIC pode oferecer na sua comunidade. É uma orientação que pode ser usada num curso de edição de vídeos, de imagens, redes; enfim, você pode usar várias tecnologias de informação e comunicação, mas o passo a passo é o mesmo. O que muda é o resultado porque cada um e cada realidade tem sua característica que pode ser diferente da outra. Mas caminham para o mesmo rumo, ou seja, execução de ações concretas para o desenvolvimento de pessoas e comunidades. Mas como fazer acontecer os eixos?

5 Apresentar a metodologia de inclusão digital desenvolvida nas Escolas de Informática e Cidadania. Apoiar a equipe da EIC a desenvolver os cursos, usando nossa Metodologia de Inclusão Digital. Fortalecer o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação para o desenvolvimento de ações de mobilização comunitária desenvolvidas pelas EICs. Este Passo a Passo tem o objetivo de: Qual objetivo?

6 E E O O Como é o passo a passo? O passo a passo da Metodologia de Inclusão Digital é um jeito de educar que propicia o encontro da realidade local da comunidade com variadas tecnologias disponibilizadas nos cursos das EICs. Com isto os educandos aprendem a usar as TICs para discutir, refletir e planejar ações comunitárias. Eles ajudarão a construir, aos poucos, o conhecimento das pessoas, da realidade, das ferramentas tecnológicas e da ação que você escolherá para executar na comunidade. E este jeito de educar possui 5 momentos-chave para a realização de qualquer curso, podendo ser um curso de Web, Vídeo, Internet, etc. É provável que em alguns grupos ou comunidades surjam idéias diferentes, características ou ações diferentes, porque ao realizar o processo, depende de onde ele for realizado, quem participa dele, etc. Mas faça junto com o grupo e o estimule a trabalhar em equipe.

7 Incentivar o grupo a trazer e compartilhar seus conhecimentos e experiências, além de aprender através das trocas. Ajudar ao grupo a considerar as novas idéias e pesquisar as informações apresentadas. Possibilitar um processo de ensino e aprendizagem coletivo que prepare o grupo para iniciar e promover mudanças pessoais e na sua comunidade. Criar condições para que haja uma resposta prática aos dados coletados e pesquisados. Quais os objetivos ao longo do processo?

8 Os momentos: passo a passo de um curso na EIC Avaliar o caminho percorrido Ler o mundo Pesquisar os dados Planejar a ação Mobilizar para agir

9 Objetivo: mostra o que se espera realizar Ferramenta: mostra o uso da tecnologia do curso em destaque A prática deste momento: indica as atividades que devem acontecer na prática com o grupo Resultado esperado neste momento: mostra o resultado que deve ser conquistado com as atividades indicadas no momento Acompanhamento e avaliação deste momento: orienta com algumas questões como monitorar os momentos Utilizamos alguns símbolos para comunicar cada item dos momentos. Para você tirar um melhor proveito fique de olho para que eles te guiem. Como organizamos as informações? Que tal uma dica: um link para um banco de opções de textos ou imagens para ajudar a entender um assunto ou conhecer um exemplo.

10 É o ponto de partida. Educadores e educandos usam as tecnologias para se conhecer e registrar sobre sua realidade e comunidade onde vivem. Objetivo: apresentar educandos e educador apresentar a parceria CDI/Instituição comunitária apresentar a metodologia de trabalho conhecer a realidade para identificar talentos e necessidades Ferramenta: apresentar o equipamento, o software e suas características. A prática deste momento: Conhecendo o grupo: quem são? O que gostam? O que sabem? Quais interesses e sonhos querem realizar? Quais habilidades e talentos possuem? Com quais experiências de vida vocês mais aprenderam? A tecnologia como ferramenta de comunicação, pesquisa, registro, geração de renda e diversão: como a tecnologia pode ser usada para ajudar nossa comunidade? O que é possível ser feito para gerar serviços? Conhecendo a realidade local: quem são os talentos da nossa comunidade? O que já fizeram? O que precisam? Quais as dificuldades? Que tecnologia vamos usar para registrar? Ler o mundo Resultado esperado neste momento: Criação de um mapa de talentos e necessidades da comunidade Acompanhamento e avaliação deste momento: Conseguimos integração do grupo? Conseguimos criar o mapa de talentos e necessidades?

11 Educador e educandos pesquisam para conhecer melhor a realidade já levantada com olhar de pesquisador, para analisar talentos, ações, problemas e causas, e escolher uma oportunidade de ação e mobilização social. Objetivo: Conhecer melhor as situações da realidade levantada Escolher o tema gerador que será trabalhado para agir no local Pesquisar o tema em diferentes fontes (internet, jornal, livros, relatos de moradores, comerciantes. Ferramenta: tecnologia escolhido para o curso. A prática deste momento : Discutir a importância da EIC como agente cidadã e impulsionadora de ações para mudar: analisar os talentos descobertos e os problemas levantados. Pesquisar o tema gerador: o que é esse tema? Por que ele existe na comunidade? Ele só existe aqui? Alguma ação já foi feita? Alguma instituição já tentou mobilizar alguma ação? Como a turma da EIC pode contribuir com esta questão? Definir uma ação para agir na comunidade. Pesquisar os dados Resultado esperado neste momento : Escolha da ação para desenvolver na comunidade. Acompanhamento e avaliação deste momento: Conseguimos identificar e escolher a ação? Qual ação foi escolhida para agir?

12 Planejar a ação social Educadores e educandos elaboram um plano de ação para fortalecer um ponto forte da comunidade ou resolver um ou mais problemas identificado. Objetivo: Desenvolver um plano de ação coletivo, com os passos que precisam ser dados por cada um: educando, instituição e comunidade. Ferramenta: tecnologia escolhido para o curso. A prática deste momento: O que faremos? Por que faremos? Como faremos? Quais tarefas organizar? Quem são os responsáveis por cada tarefa? Quais outras pessoas podem se envolver para divulgar e fortalecer a ação? Alguém da comunidade? Alguma outra instituição? Quando e onde acontecerá cada tarefa? Que recursos são necessários? Como esta ação será registrada? Como esta ação será avaliada e monitorada? Que resultados esperamos alcançar com esta ação? Resultado esperado neste momento : Plano de ação coletivo com tarefas, responsáveis e prazos. Acompanhamento e avaliação deste momento: Conseguimos elaborar o plano de ação com todos os itens? elabora um plano para executar a ação desejada.

13 Mobilizar para agir É o momento de partir para ação seguindo o plano elaborado. Objetivo: Mobilizar pessoas para garantir a execução da ação. Ferramenta: tecnologia escolhido para o curso. A prática deste momento: A ação está sendo divulgada? Todos os responsáveis foram comunicados? O conteúdo da mensagem está sendo transmitido claramente? Todas os responsáveis estão executando suas tarefas? Os recursos estão sendo utilizados de forma eficaz e eficiente? As tarefas e resultados estão sendo registrados? Resultado esperado neste momento : Produção de um registro de todo o processo de desenvolvimento da ação realizada. Acompanhamento e avaliação deste momento: Conseguimos realizar os passos planejados? Faltou algo? Por quê? O que é possível ser feito para corrigir a tempo? Conseguimos registrar os passos?

14 Avaliar o caminho percorrido É o momento de refletir sobre a intervenção realizada e sobre a apropriação das tecnologias, ao longo do processo. Objetivo: Avaliar se os objetivos foram alcançados. Ferramenta: tecnologia escolhido para o curso. A prática deste momento: Os objetivos do plano de ação foram alcançados? Os objetivos do curso foram alcançados? O que poderia ser diferente? Quais os pontos fortes podem ser destacados? Quais as recomendações podemos deixar para quem quiser dar continuidade ou implementar em sua comunidade? Quais as dificuldades encontramos? Como as superamos? Resultado esperado neste momento : Produção de um registro de avaliação de todo o processo de inclusão digital realizado. Acompanhamento e avaliação deste momento: Conseguimos sistematizar a experiência, apresentando as fases e resultados?

15 Quais ações já aconteceram ou acontecem usando tecnologias variadas? Internet Editor de textos e planilhas Vídeo acesse os links Finalizar apresentação

16 Julio 2007 Coordinación de Proyectos Sociales

17 FICHA DE IDENTIFICACIÓN Municipio: Santa Maria Quiegolani. Estado: Oaxaca Población: Predominantemente indígenas zapotecos (95%). Lengua materna: Zapoteco, actualmente la población es bilingüe. (español- zapoteco) Institución asociada: Patronato Nacional de Extensión Educativa. Bachillerato de extensión. Fecha de inauguración: 17 de mayo de 2004 Financiador. Microsoft Educador: José Roberto Aguilar Martínez. Coordinador: Antonio Chávez Tipo de conexión: Satelital QUIEGOLANI Coordinación de Proyectos Sociales

18 PROYECTOS COMUNITARIOS QUE SE HAN BENEFICIADO DEL USO DE LA INFORMATICA Utilización del aula de la EIC para la investigación y desarrollo del primer diccionario de lengua zapoteca. Actualmente han iniciado la elaboración del Primer Manual de Ortografía Zapoteca, recibiendo asesoria de monjas francesas a través del Internet. Desarrollo de materiales de difusión para los proyectos que desarrolla la Institución Asociada. Vinculación entre grupos de migrantes con sus familias a través del Internet. (México-EU) Gestión de recursos para el desarrollo social a nivel federal y local. Actualmente se encuentran desarrollando un proyecto de rescate de áreas verdes en la comunidad. Coordinación de Proyectos Sociales

19 PROYECTOS COMUNITARIOS QUE SE HAN BENEFICIADO DEL USO DE LA INFORMATICA Investigación de técnicas de cunicultura, lombricultura, y cría de ganado vacuno y avícola. Consultas veterinarias vía Internet. Coordinación de Proyectos Sociales El perfil de los proyectos desarrollados en la institución asociada se ha potencializado con el uso de la informática, permitiéndoles acceder a concursos para obtener recursos de programas federales y locales de apoyo al campo y de desarrollo comunitario. En octubre de 2006, las gestiones realizadas ante la Secretaria de Desarrollo Social, dieron como resultado la obtención de recursos para la compra de cinco cabezas de ganado, dos de las cuales parieron dos becerros en el transcurso del traslado. Este recurso les ha posibilitado para hacer uso personal y comercial de productos lácteos que contribuyen a la sustentabilidad no solo de la EIC, sino mas allá del proyecto integral de la Institución Asociada.

20 Ejercicio de la ciudadanía. Al contar con Internet, asesoria y apoyo de quienes colaboran en la EIC, algunos miembros de la comunidad descubrieron y evidenciaron el desvió de recursos por parte de la autoridad local para uso personal, se iniciaron procesos de participación y organización comunitaria para la destitución de dicho representante. Ejercicio del derecho a la Información. Actualmente en la EIC se han organizado para bajar información de periódicos locales, nacionales e internacionales, para que diariamente la comunidad conozca los acontecimientos más relevantes. Este es un hecho de gran importancia dado que la comunidad se encuentra 12 horas de la ciudad capital y a 6 de la ciudad mas cercana, para llegar solo se puede acceder por caminos de terrecería y la señal de radio y/o televisión no llega.

21 EIC CIDEC Instituição: Associação Comunitária Noiva do Cordeiro Belo Vale, MG CDI MINAS GERAIS

22 Em 2006, foi inaugurada a Escola de Informática e Cidadania – EIC CIDEC - Centro de Informática e Desenvolvimento da Educação Comunitária - que no primeiro ano de funcionamento capacitou 62 pessoas. Através da montagem da sala de informática, os moradores da comunidade Noiva do Cordeiro conseguiram informatizar algumas atividades produtivas locais, realizar trabalhos escolares, elaborar projetos, sistematizar as atividades da comunidade em planilhas, organizar os custos e lucros das atividades agrícolas, além de permitir uma aproximação e uma melhor integração com outras comunidades rurais de Belo Vale. A comunidade Noiva do Cordeiro tem uma presença forte e marcante na região pela determinação e esforço coletivo demonstrado na busca constante de manutenção e melhoria da qualidade de vida de todos seus moradores. EIC CIDEC

23 A sala da EIC CIDEC na comunidade de Noiva do Cordeiro possui um espaço amplo e bem organizado. Tem uma estrutura física bem planejada e que atende a demanda da comunidade. A sala da 1ª EIC Itinerante na comunidade do Palmital também foi planejada na mesma estrutura da escola em Noiva do Cordeiro. A comunidade disponibilizou apenas o espaço onde a população pudesse ter maior facilidade de acesso. A 2ª sala da EIC Itinerante, está na comunidade de Lajes, que fica a 20 quilômetros de Noiva do Cordeiro. Mais uma sala, no mesmo padrão, foi criada para atender outra comunidade rural da região. EIC CIDEC

24 EIC CIDEC Itinerante na comunidade do Palmital atendeu 6 turmas, um aluno por computador, sendo no total 48 alunos, com idade entre 08 a 60 anos. Na EIC CIDEC Itinerante na comunidade de Lajes, são atendidos 20 alunos em 4 turmas, um aluno por computador, com idade entre 08 a 60 anos. O público atendido é formado, segundo a coordenação da escola, por indivíduos discriminados pelo fato de residirem na zona rural; sem qualificação profissional; sem auto-estima, desmotivados, mas com interesse de conhecer e se aprimorar das novas tecnologias. EIC CIDEC

25 Numa região agropecuária, conhecida como Noiva do Cordeiro, em Minas Gerais, a população estimada em 300 moradores passou a ter a oportunidade de descobrir e entender a cidadania com a inauguração da EIC. Com a inauguração da escola, pequenos agricultores começaram o curso de informática e cidadania, e descobriram os benefícios da tecnologia para administração da produção. EIC CIDEC

26 O computador chegou e o primeiro contato encantou. A educadora perguntou: O que os agricultores poderão fazer e como usariam a tecnologia para o desenvolvimento da comunidade Noiva do Cordeiro? A partir do entendimento das ferramentas eles imaginaram o controle da produção da comunidade. A tratorista imaginou o cálculo do combustível, um agricultor percebeu que o acesso a informação trouxe a atualidade, aquilo que está na cidade. MERGULHO NA REALIDADE Estratégia para conhecer e entender as pessoas e o lugar onde vivem, identificando suas características, potencialidades, desafios e demandas. EIC CIDEC

27 MERGULHO NA REALIDADE Estratégia para conhecer e entender as pessoas e o lugar onde vivem, identificando suas características, potencialidades, desafios e demandas. Mas o mergulho não parou nisto. Com uma pesquisa na comunidade, eles levantaram tudo que era necessário controlar e organizar. A idéia foi potencializar o que já existia. EIC CIDEC

28 EDUCANDOS AGINDO Como formação de agentes de transformação que buscam ampliar as oportunidades, de forma participativa, colaborativa e comprometida. São curiosos e procuram aprender mais. São pró-ativos, pois buscam soluções tanto no individual quanto no coletivo. São empreendedores, que têm projetos de vida e investem em si próprios para alcançar seus sonhos e de sua comunidade. Foram diferentes idéias, mas todos pensavam em um projeto coletivo. Algo que pudesse trazer benefício para toda a comunidade. Eles pensavam juntos: como um projeto pode ajudar no desenvolvimento da nossa comunidade? E o que encontraram? EIC CIDEC

29 EDUCANDOS AGINDO Como formação de agentes de transformação que buscam ampliar as oportunidades, de forma participativa, colaborativa e comprometida. São curiosos e procuram aprender mais. São pró-ativos, pois buscam soluções tanto no individual quanto no coletivo. São empreendedores, que têm projetos de vida e investem em si próprios para alcançar seus sonhos e de sua comunidade. Na fábrica de costura eles não tinham etiquetas e nem controle de estoque. Confeccionaram as etiquetas no computador e colocaram nas roupas e peças. Levantaram a produção mensal: Quanto produzimos por mês? Quanto colhemos? Qual a quantidade plantada? E fizeram uma planilha de controle. EIC CIDEC

30 Com a organização e a participação de todos, a repercussão do trabalho foi tão interessante que criou uma expectativa e o interesse de comunidades rurais vizinhas. A EIC se tornou referência. Um local que contribui para a sustentabilidade, para a organização e a visibilidade do trabalho comunitário. O que conseguiram? Potencializar a produção. Passaram a vender mais, ganharam visibilidade na mídia, potencializaram o turismo local, além de valorizar a população local. EIC CIDEC

31 A coordenadora da EIC Cidec escreveu um projeto para o CDI MG, captando mais computadores para utilizar em outras comunidade vizinhas. Após ter conseguido os equipamentos, as educadoras já montaram o espaço e estão desenvolvendo os cursos de informática e cidadania com os moradores de Lajes. Da turma que encerrou em Dez/2007 em Palmital, alguns se tornaram educadores para dar continuidade ao projeto. Mas por quê? Porque as educadoras de Noiva de Cordeiro farão o mesmo com outras comunidades vizinhas. EIC CIDEC

32 Qual expectativa futura? Conseguir capacitar outras 41 comunidades rurais da região de Belo Vale. Outra expectativa é a conseguir novas parcerias para a sustentabilidade da internet. Com a oportunidade do acesso, a comunidade tem ganhado muito e as oportunidades crescido. Vender pela internet, divulgar suas ações, pesquisar, se atualizar e levar outras comunidades rurais para Noiva do Cordeiro, potencializando o trabalho comunitário rural. EIC CIDEC

33 VideoAção Nós por nós mesmos CDI São Paulo Uma estratégia de mobilização comunitária para provocar mudanças nas comunidades através do uso das TICs.

34 Como foi o processo? Lançamento da Proposta Videoação Inscrições Oficinas (Captura, Roteiro e Edição em software livre – Cinelerra) Produção (Filmagem e Edição) Entrega dos Vídeos Sistematização (Caderno Videoação) Lançamento da Mostra Exibição dos vídeos (Nas comunidades, Cineclube, CPTM e Youtube)

35 Lançamento da Mostra de Vídeos (outubro/2007)

36

37 Premiação dos participantes (outubro/2007)

38 Mostra local EIC N.Sra. Aparecida (outubro/2007)

39 Relação com a Instituição A EIC é vista de outra forma, é valorizada pela Instituição. Melhora o entendimento da Instituição em relação à PPP e a nossa proposta de inclusão digital. Ferramenta útil na captação de recursos. Reconhecimento da parceria com o regional. Aproximou a direção da Instituição com a comunidade.

40 Nas EICs Promoveu um novo nível de articulação entre as EICs a partir de uma proposta comum. Aumento da autonomia das EICs. O material produzido aproxima as EICs pois permite conhecer as outras comunidades. Ajuda na captação de recursos. Caráter não competitivo ajudou o foco na comunidade e fortaleceu a rede. Aproximou a EIC da PPP. Ajuda as EICs a ser mais ativa na comunidade.

41 Na Comunidade Descoberta de que todo mundo pode filmar a sua comunidade. Comunidade entende melhor nossa proposta de inclusão digital. Estratégia de intervenção mais efetiva na comunidade. Permitiu que a comunidade se apropriasse de outras TICs. Estratégia que mobiliza. Inspira outros grupos a divulgar e fazer vídeos. Aumentou a credibilidade da comunidade na força de sua ação transformadora. Muda o diálogo com a comunidade. Mostra: mobiliza a comunidade, divulga a EIC, permite o reconhecimento da equipe e fortalece a rede local.

42 VideoAção como estratégia para desenvolver os eixos MERGULHO NA COMUNIDADE roteiro filmagens mostras locais EDUCANDO AGINDO oficinas roteiro ação na comunidade filmagens edição mostras EIC COMO REFERÊNCIA NA COMUNIDADE ação na comunidade filmagens mostras locais EIC FAZENDO REDE oficinas ação na comunidade filmagens edição mostras locais

43 Um VideoAção, como o próprio nome diz, é um vídeo que evidencia pessoas agindo na solução de problemas que afetam o seu cotidiano. Mais do que protagonizar uma ação, essas pessoas também registram e comunicam, sob o seu ponto de vista, a intervenção que fazem em sua própria realidade. E, a cada vez que um VideoAção é exibido o debate vem a tona e se amplia: o que estamos fazendo para mudar a realidade? O que mais podemos fazer nós por nós mesmos?


Carregar ppt "Nossa metodologia na prática: como desenvolver os cursos nos CDIs Comunidade Como utilizar a tecnologia em alguma ação para valorizar algo bom ou solucionar."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google