A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D."— Transcrição da apresentação:

1 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A IGREJA DO PERÍODO PENTECOSTAL Desde a Ascensão de Cristo, 30 d.C. até à Pregação de Estêvão, 35 d.C. A igreja cristã em todas as épocas, quer na passada, presente ou futura, é formada por todos aqueles que crêem em Jesus de Nazaré, o Filho de Deus. No ato de crer está implícita a aceitação de Cristo por seu Salvador pessoal, para obedecer-lhe como a Cristo, o Príncipe do reino de Deus sobre a terra. A igreja de Cristo iniciou sua história com um movimento de caráter mundial, no Dia de Pentecoste, no fim da primavera do ano 30, cinquenta dias após a ressurreição do Senhor Jesus, e dez dias depois de sua ascensão ao céu. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

2 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A IGREJA DO PERÍODO PENTECOSTAL Desde a Ascensão de Cristo, 30 d.C. até à Pregação de Estêvão, 35 d.C. Segundo Hurlbut a história da igreja se divide em seis partes: Apostólico (pentecostes até cerca de 100 AD) Era das Perseguições ( 100 a 313 d.C) Imperial (313 a 476 d.C) Idade Média ou Igreja Medieval (476 a 1453 d.C) A Reforma (1453 a 1648) Cristianismo Moderno (de 1648 até início do séc. 20) https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

3 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A IGREJA DO PERÍODO PENTECOSTAL Desde a Ascensão de Cristo, 30 d.C. até à Pregação de Estêvão, 35 d.C. 1. Os Romanos a) Contribuiram com a unificação dos povos. b) Com a Pax Romana (29 a.C a 180 d.C). c) Intercâmbio entre os povos. 2. Os Gregos a) Contribuiram com a filosofia. b) Influenciaram os povos a pensar. c) Com uma língua universal. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

4 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A IGREJA DO PERÍODO PENTECOSTAL Desde a Ascensão de Cristo, 30 d.C. até à Pregação de Estêvão, 35 d.C. 3. Os Judeus a.) Mordomos da verdadeira religião. b) Contribuíram com livros inestimáveis. c). Com a diáspora. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

5 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A IGREJA DO PERÍODO PENTECOSTAL Desde a Ascensão de Cristo, 30 d.C. até à Pregação de Estêvão, 35 d.C. A igreja teve seu início na cidade de Jerusalém. Evidentemente, nos primeiros anos de sua história, as atividades da igreja limitaram-se àquela cidade e arredores. Em todo o país, especialmente na província da Galiléia, havia grupos de pessoas que criam em Jesus como o Rei-Messias, porém não chegaram até nós dados ou informações de nenhuma natureza que indiquem a organização, nem o reconhecimento de tais grupos como igreja. As sedes gerais da igreja daquela época eram o Cenáculo, no Monte de Sião, e o Pórtico de Salomão, no Templo. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

6 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A IGREJA DO PERÍODO PENTECOSTAL Desde a Ascensão de Cristo, 30 d.C. até à Pregação de Estêvão, 35 d.C. Os judeus da época dividiam-se em três classes, e as três estavam representadas na igreja de Jerusalém. Os hebreus eram aqueles cujos antepassados haviam habitado a Palestina durante várias gerações; eram eles a verdadeira raça israelita. Seu idioma era chamado "língua hebraica", a qual, no decorrer dos séculos, havia mudado de hebraico clássico do Antigo Testamento para o dialeto que se chamava aramaico ou siro-caldaico. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

7 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A IGREJA DO PERÍODO PENTECOSTAL Desde a Ascensão de Cristo, 30 d.C. até à Pregação de Estêvão, 35 d.C. Depois da conquista do Oriente por Alexandre o Grande, o grego chegou a ser o idioma predominante em todos os países a este do Mar Adriático e até mesmo em Roma e por toda a Itália. Por essa razão os judeus de ascendência estrangeira eram chamados "gregos" ou "helenistas" apesar de a palavra "heleno" referir-se a grego. Os judeushelenistas, como povo, fora da Palestina, eram o ramo da raça judaica mais numerosa, mais rica, mais inteligente e mais liberal. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

8 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A IGREJA DO PERÍODO PENTECOSTAL Desde a Ascensão de Cristo, 30 d.C. até à Pregação de Estêvão, 35 d.C. Os prosélitos eram pessoas não descendentes de judeus, as quais renunciavam ao paganismo, aceitavam a lei judaica e passavam a pertencer à assembleia judaica, recebendo o rito da circuncisão. Apesar de serem uma minoria entre os judeus, os prosélitos eram encontrados em muitas sinagogas em todas as cidades do Império Romano e gozavam de todos os privilégios do povo judeu. Os prosélitos não devem ser confundidos com "os devotos" ou "tementes a Deus"; estes eram gentios, que deixaram de adorar os ídolos e frequentavam as sinagogas, porém não participavam da circuncisão, nem se propunham observar as minuciosas exigências das leis judaicas. Por essa razão não eram considerados judeus, apesar de se mostrarem amigos deles. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

9 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A IGREJA DO PERÍODO PENTECOSTAL Desde a Ascensão de Cristo, 30 d.C. até à Pregação de Estêvão, 35 d.C. Os prosélitos eram pessoas não descendentes de judeus, as quais renunciavam ao paganismo, aceitavam a lei judaica e passavam a pertencer à assembleia judaica, recebendo o rito da circuncisão. Apesar de serem uma minoria entre os judeus, os prosélitos eram encontrados em muitas sinagogas em todas as cidades do Império Romano e gozavam de todos os privilégios do povo judeu. Os prosélitos não devem ser confundidos com "os devotos" ou "tementes a Deus"; estes eram gentios, que deixaram de adorar os ídolos e frequentavam as sinagogas, porém não participavam da circuncisão, nem se propunham observar as minuciosas exigências das leis judaicas. Por essa razão não eram considerados judeus, apesar de se mostrarem amigos deles. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

10 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A IGREJA DO PERÍODO PENTECOSTAL Desde a Ascensão de Cristo, 30 d.C. até à Pregação de Estêvão, 35 d.C. Primeiras conversões, movimentos de evangelização; Instituição do diaconato (At ); Primeira perseguição culminando com o martírio de Estevão (At ) ; https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

11 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A EXPENÇÃO DA IGREJA Desde a pregação de Estêvão, 35 a.D. Até ao Concílio de Jerusalém, 48 a.D. Diáspora cristã judaica. Nesse tempo o evangelho chega a Antioquia da Síria cerca de 480 km de Jerusalém; Conversão de Saulo, (Ler At ); O evangelho chega ao gentio Cornélio (Ler At e 11.17); Separação e envio dos primeiros missionários (At 13. 2,3); Evangelização de grandes cidades e centros urbanos (At. 13 e 14): Antioquia, Lista, Derbe, Listra, Icônio, Salamina etc. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

12 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A EXPENÇÃO DA IGREJA Desde a pregação de Estêvão, 35 a.D. Até ao Concílio de Jerusalém, 48 a.D. Uma época crucial para decidir se o cristianismo seria uma seita judaica, ou se seria a Igreja profética de Cristo. Quando terminou, a igreja já se havia estabelecido na Síria, na Ásia Menor e havia alcançado a Europa. Filipe prega em Samaria – Estabelecimento da Igreja Samaria Pedro Chega a Jope - Foi em Jope que Pedro teve a visão do que parecia ser um grande lençol que descia, no qual havia de todos os animais. At. 10:9. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

13 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A EXPENÇÃO DA IGREJA Desde a pregação de Estêvão, 35 a.D. Até ao Concílio de Jerusalém, 48 a.D. Na perseguição iniciada com a morte de Estêvão, a igreja em Jerusalém dispersou-se por toda parte. Alguns de seus membros fugiram para Damasco; outros foram para Antioquia da Síria, distante cerca de 480 quilômetros. Barnabé é enviado a Antioquia para certificar a igreja. At 11:19 Em Antioquia os seguidores de cristo sã chamados de cristãos. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

14 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A IGREJA ENTRE OS GENTIOS Desde o Concílio de Jerusalém, 50 a.D. Até ao Martírio de Paulo, 68 a.D. Por decisão do concílio realizado em Jerusalém, a igreja ficou com liberdade para iniciar uma obra de maior vulto, destinada a levar todas as pessoas, de todas as raças, e de todas as nações para o reino de Jesus Cristo. À medida que o evangelho ganhava adeptos no mundo pagão, os judeus se afastavam dele e crescia cada vez mais o seu ódio contra o Cristianismo. Durante aqueles anos, três dirigentes se destacaram na igreja. Paulo, Pedro Tiago A era da igreja entre os gentios é destacada pelas viagens missionárias de Paulo. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

15 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A ERA SOMBRIA Desde o Martírio de Paulo, 68 a.D. Até à Morte de João, 100 a.D. Chamamos esse momento de era sombria devido as perseguições sofridas pela igreja. Após o desaparecimento de Paulo, durante um período de cerca de cinquenta anos uma cortina pende sobre a igreja. A queda de Jerusalém no ano 70 impôs grande transformação nas relações existentes entre cristãos e judeus. Por volta de 66, os judeus rebelaram-se, abertamente, apesar de não terem, desde o início, condição de vencer. O general Tito, filho do imperador Vespasiano foi quem deflagrou a guerra contra Jerusalém. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

16 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A ERA SOMBRIA Desde o Martírio de Paulo, 68 a.D. Até à Morte de João, 100 a.D. Por volta de 66 milhares e milhares de judeus foram mortos ,pelo comando do general Tito e outros milhares foram feitos prisioneiros, isto é, escravos. O famoso Coliseu de Roma foi construído pelos judeus prisioneiros. A nação judaica, depois de treze séculos de existência, foi assim destruída. Sua restauração deu-se no dia 15 de maio de 1948. Até então, a igreja era considerada pelo governo romano e pelo povo, em geral, como um ramo da religião judaica. Mas, dali por diante judeus e cristãos separaram-se definitivamente. pequeno grupo de judeus-cristãos ainda perseverou durante dois séculos, porém em número sempre decrescente. Esse grupo eram os ebionitas, somente reconhecidos pela igreja no sentido geral. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

17 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A ERA SOMBRIA Desde o Martírio de Paulo, 68 a.D. Até à Morte de João, 100 a.D. Nero Imperou durante o período de 54 a 68 . Um período também marcado pela perseguições aos cristãos. Cerca do ano 90, o cruel e indigno imperador Domiciano iniciou a segunda perseguição imperial aos cristãos. Nessa época, João, o último dos apóstolos, que vivia na cidade de Éfeso, foi preso e exilado na ilha de Patmos, no Mar Egeu. No início do segundo século, os cristãos já estavam radicados em todas as nações e em quase todas as cidades, desde o Tibre ao Eufrates, desde o Mar Negro até ao norte da África, e alguns crêem que se estendia até a Espanha e Inglaterra, no Ocidente. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

18 A Igreja Apostólica, 30-100 A.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D. A ERA SOMBRIA Desde o Martírio de Paulo, 68 a.D. Até à Morte de João, 100 a.D. No final do primeiro século, as doutrinas ensinadas pelo apóstolo Paulo na epístola aos Romanos eram aceitas por toda a igreja, como regra de fé. O batismo, principalmente por imersão, era o rito de iniciação na igreja em toda parte. Contudo, no ano 120 aparecem menções do costume de batismo por aspersão. O dia do Senhor era observado de modo geral, apesar de não o ser de forma estrita, como um dia absolutamente separado. Enquanto a igreja fora composta de maioria judaica, se observava o sábado; agora o primeiro dia da semana pouco a pouco tomava o lugar do sétimo. O último sobrevivente dos apóstolos foi João, que morou na cidade de Éfeso até ao ano 100. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

19 A Igreja Perseguida, 100-313 a.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Perseguida, a.D. CAUSAS DAS PERSEGUIÇÕES IMPERIAIS 1. O Caráter Inclusivo do Paganismo e Caráter Exclusivo do Cristianismo. 2. A Adoração aos ídolos Entrelaçada com a Vida 3. A Adoração ao Imperador 4. O Judaísmo Reconhecido 5. As Reuniões Secretas dos Cristãos 6. A Igualdade na Igreja Cristã 7. Os Interesses Econômicos https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -

20 A Igreja Perseguida, 100-313 a.D.
HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Perseguida, a.D. AS PESERSEGUÇÕES IMPERIAIS. Desde a Morte de João, 100 a.D. Até ao Edito de Constantino, 313 a.D. O fato de maior destaque na História da Igreja no segundo e terceiro séculos foi, sem dúvida, a perseguição ao Cristianismo pelos imperadores Romanos. O paganismo em suas práticas aceitava as novas formas e objetos de adoração que iam surgindo, enquanto o Cristianismo rejeitava qualquer forma ou objetos de adoração. Templos em Pompéia e na Itália dedicado a ISIS. Deusa com atributos comerciais. https://haroldoxsilva.wordpress.com #24 -


Carregar ppt "HISTÓRIA ECLESIÁSTICA I A Igreja Apostólica, A.D."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google