A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Evolução do rádio e digitalização Octavio Penna Pieranti Diretor do Departamento de Acompanhamento e Avaliação SCE/MC Junho de 2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Evolução do rádio e digitalização Octavio Penna Pieranti Diretor do Departamento de Acompanhamento e Avaliação SCE/MC Junho de 2012."— Transcrição da apresentação:

1 Evolução do rádio e digitalização Octavio Penna Pieranti Diretor do Departamento de Acompanhamento e Avaliação SCE/MC Junho de 2012

2 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica Em 1896 o mundo (ou)viu nascer o rádio, por meio de experiências conduzidas pelo italiano Guglielmo Marconi Três anos antes, o Brasil ouviu a primeira transmissão sem fio de áudio por ondas eletromagnéticas, conduzida pelo Padre Landell de Moura. Era o rádio? Rádio: meio de comunicação brasileiro? Ministério das Comunicações

3 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica Sociedades, clubes e associações organizam-se para produzir e transmitir programações; Transmissores preparados para operar serviços telegráficos mudam de função; A década de 1930 começa com dezenove emissoras de rádio em funcionamento. Alguns brasileiros descobrem o rádio Ministério das Comunicações

4 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica Em 1931 é criada a Comissão Técnica do Rádio, coordenada por dois representantes da FFAA e um civil; Inicia-se uma rotina de planejamento do espectro; A Repartição Geral dos Telégrafos passa a fiscalizar as emissoras; Incorporada ao Patrimônio da União, a Rádio Nacional avança. O Estado descobre o rádio Ministério das Comunicações

5 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica E então... O Brasil descobre o rádio Ministério das Comunicações

6 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica Informação: em um país onde um em cada dois habitantes com mais de 15 anos era analfabeto, o rádio era a fonte natural de informações; Entretenimento: com ele passavam a se divertir milhões de brasileiros; Status: o receptor era objeto de destaque nas casas e fazendas; Emoção: os brasileiros choram em O Direito de Nascer e Em Busca da Felicidade e comemoram o sucesso do futebol nacional. Na década de 1950, rádio era sinônimo de... Ministério das Comunicações

7 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica A TV contrata os principais talentos do rádio, atrai os seus patrocinadores e recebe os seus programas; As emissoras de rádio perdem profissionais e recursos, mas modificam suas grades e se adequam ao novo tempo; O rádio ganha o interior do país, aonde a imagem não chega, e se fortalece como meio regional. O rádio reestrutura-se – Parte I Ministério das Comunicações

8 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica O governo federal estimula o crescimento de emissoras FM; Com custos de manutenção mais altos e com pior qualidade de áudio, emissoras em AM perdem espaço; Fortalece-se a comunicação local em detrimento da regional. O rádio reestrutura-se – Parte II Ministério das Comunicações

9 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica Em tempos de TV por Assinatura e Internet, ganha força a comunicação comunitária; A qualidade do áudio, bem melhor que nas décadas anteriores, ainda está distante da obtida em outros meios de comunicação; O rádio sempre se reinventou. Com a digitalização, chega a oportunidade de mais uma mudança de rumo. O rádio reestrutura-se – Parte III Ministério das Comunicações

10 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica O Rádio Digital permite uma melhor qualidade do áudio. Apenas isso? Não! A transmissão simultânea de texto e áudio sugere novos modelos de negócios; Não! O rádio fortalece seu papel como prestador de serviço ao poder informar mais; O rádio reestrutura-se – Parte IV Ministério das Comunicações

11 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica Exemplos de possíveis novas aplicações para o rádio digital: - Informações textuais sobre previsão do tempo; - Divulgação de notícias; - Mensagens de trânsito (TMC); - Dados para órgãos de segurança pública, serviços de emergência etc. O rádio reestrutura-se – Parte IV Ministério das Comunicações

12 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica Por outro lado, é preciso pensar em custos para transição: - O meio rádio é bem mais heterogêneo que o meio TV, com diferenças ainda maiores no que se refere à capacidade de investimentos; - Há um segmento muito grande de pequenas emissoras comerciais e emissoras sem fins de lucro; - Como promover a troca de receptores em todo o país? O rádio reestrutura-se – Parte IV Ministério das Comunicações

13 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica Premissas da digitalização: - Respeito às realidades econômicas diferenciadas das emissoras; - Continuidade do serviço, sem perda de ouvintes; - Transferência de tecnologia, fomento à produção nacional e geração de empregos; - Observância dos parâmetros técnicos inerentes a esta decisão. O rádio reestrutura-se – Parte IV Ministério das Comunicações


Carregar ppt "Evolução do rádio e digitalização Octavio Penna Pieranti Diretor do Departamento de Acompanhamento e Avaliação SCE/MC Junho de 2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google