A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Temas para Capacitação em Avaliação da Atenção Básica Oficina Regional 2 Nordeste Recife, 15 de setembro de 2005 Universidade Federal de Pelotas Faculdade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Temas para Capacitação em Avaliação da Atenção Básica Oficina Regional 2 Nordeste Recife, 15 de setembro de 2005 Universidade Federal de Pelotas Faculdade."— Transcrição da apresentação:

1 Temas para Capacitação em Avaliação da Atenção Básica Oficina Regional 2 Nordeste Recife, 15 de setembro de 2005 Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Medicina - Departamento de Medicina Social Faculdade de Enfermagem – Departamento de Enfermagem Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF)

2 Objetivos da Apresentação Subsidiar a discussão sobre a identificação de temas para um Projeto de Capacitação em Avaliação da Atenção Básica à Saúde Subsidiar a discussão sobre a identificação de temas para um Projeto de Capacitação em Avaliação da Atenção Básica à Saúde Orientar a dinâmica dos Grupos de Trabalho Orientar a dinâmica dos Grupos de Trabalho

3 Introdução Temas para Capacitação em Avaliação da Atenção Básica à Saúde Temas para Capacitação em Avaliação da Atenção Básica à Saúde Fonte de informação sobre os temas Fonte de informação sobre os temas –Aspectos metodológicos e resultados preliminares do Projeto PROESF-UFPel –Contribuições das Oficinas Regionais de Capacitação do Projeto PROESF-UFPel

4 Introdução Elementos norteadores para a sistematização dos temas para capacitação Elementos norteadores para a sistematização dos temas para capacitação Perfil da clientela: Perfil da clientela: Gestores, coordenações e profissionais de saúde Gestores, coordenações e profissionais de saúde Triângulo de Ferro de Matus: Condições para Ação Triângulo de Ferro de Matus: Condições para Ação Projeto, Capacidade de Governo e Governabilidade Projeto, Capacidade de Governo e Governabilidade Modelo de análise - Sistematização das contribuições Modelo de análise - Sistematização das contribuições

5 Triângulo de Ferro de Matus Triângulo de Ferro de Matus Projeto É o objeto de trabalho – a própria capacitação É o objeto de trabalho – a própria capacitação É a concepção teórica e metodológica do Projeto de Capacitação É a concepção teórica e metodológica do Projeto de Capacitação Inclui o conjunto de conteúdos, organização didática, pedagógica e estratégias operacionais Inclui o conjunto de conteúdos, organização didática, pedagógica e estratégias operacionais

6 Triângulo de Ferro de Matus Triângulo de Ferro de Matus Projeto Agenda compartilhada por municípios com interesses comuns Agenda compartilhada por municípios com interesses comuns Capacitações sucessivas em avaliação da ABS Capacitações sucessivas em avaliação da ABS Avaliador - aprendiz privilegiado daquilo que avalia, aprende a excelência do fazer, avaliando. Avaliador - aprendiz privilegiado daquilo que avalia, aprende a excelência do fazer, avaliando.

7 Triângulo de Ferro de Matus Triângulo de Ferro de Matus Capacidade de Governo É o conjunto de conhecimentos, saberes, técnicas e experiências acumuladas por sujeitos envolvidos no desenvolvimento do Projeto de Capacitação É o conjunto de conhecimentos, saberes, técnicas e experiências acumuladas por sujeitos envolvidos no desenvolvimento do Projeto de Capacitação Diz respeito a equipe envolvida com o Projeto de Capacitação, incluindo gestores, coordenadores e profissionais de saúde do SUS, além de técnicos e pesquisadores de instituições de ensino e de centros colaboradores Diz respeito a equipe envolvida com o Projeto de Capacitação, incluindo gestores, coordenadores e profissionais de saúde do SUS, além de técnicos e pesquisadores de instituições de ensino e de centros colaboradores

8 Triângulo de Ferro de Matus Triângulo de Ferro de Matus Governabilidade É a condição de apoio político e de financiamento necessária para o desenvolvimento do Projeto de Capacitação É a condição de apoio político e de financiamento necessária para o desenvolvimento do Projeto de Capacitação Diz respeito a autonomia dos sujeitos envolvidos com o Projeto de Capacitação para garantir sua viabilização Diz respeito a autonomia dos sujeitos envolvidos com o Projeto de Capacitação para garantir sua viabilização

9 Triângulo de Ferro de Matus Triângulo de Ferro de Matus Governabilidade Política do poder Executivo Política do poder Executivo Política de Controle social Política de Controle social Política de Financiamento da saúde Política de Financiamento da saúde

10 Capacitação em Avaliação da ABS Definição dos temas Temas Temas Elementos para estimular a organização dos conteúdos da Capacitação Elementos para estimular a organização dos conteúdos da Capacitação Ênfase no perfil da clientela – gestores, coordenações, profissionais de saúde e lideranças do controle social Ênfase no perfil da clientela – gestores, coordenações, profissionais de saúde e lideranças do controle social Referencial teórico Referencial teórico Abstração epistêmica Abstração epistêmica Sujeito implicado Sujeito implicado Modelo teórico conceitual Modelo teórico conceitual Variáveis Variáveis Categorias de análise Categorias de análise Relação entre as categorias e variáveis Relação entre as categorias e variáveis

11 CMS Secretaria de Saúde Coordenação AB Coordenação SF Avaliação/ Conseqüências RotinasProtocolosPCCS EstruturaPerfil da Equipe Processo de Trabalho Demanda Acolhida Ações em Educação Popular Ações programáticas/ Prevenção Riscos Populacionais Demanda sentida Demanda estimada CLS Plano Municipal de Saúde Outros instrumentos de gestão População adstrita + adscrita (invasão voluntária) Nível secundário e terciário de atenção à saúde Sistema de informações

12 Capacitação em Avaliação Definição dos temas Você gostaria de se capacitar para avaliar que aspectos da Atenção Básica?

13 Para isso, mais alguns subsídios...

14 Capacitação em Avaliação Dimensões Gestão Gestão Unidade básica de saúde Unidade básica de saúde População População Controle social Controle social

15 Princípios –Universalidade –Integralidade –Eqüidade –Participação social

16 Necessidades de saúde da população Quem é a população? Quem é a população? Quais os principais problemas de saúde? Quais os principais problemas de saúde? Quais os grupos mais vulneráveis? Quais os grupos mais vulneráveis? Quais os riscos no território? Quais os riscos no território?

17 Serviços de saúde O que está disponível? O que está disponível? Qual o perfil da oferta? Qual o perfil da oferta? –Estrutura Física Física Equipamentos Equipamentos –Recursos Humanos

18 Recursos Humanos Qual o perfil das equipes? Qual o perfil das equipes? –Idade e gênero –Formação e capacitação profissional –Qualidade técnico-científica –Vínculo e jornada de trabalho –Relações interpessoais –Satisfação dos profissionais

19 Processo de trabalho Como o trabalho é organizado na UBS? Como o trabalho é organizado na UBS? –Protocolos –Rotinas –Incorporação de tecnologias diagnóstico diagnóstico terapias terapias –Recepção e acolhimento

20 Regulação Como está o acesso: Como está o acesso: –Às unidades de saúde? –A medicamentos? –A exames e especialistas? –A hospitalizações? –A referência e contra-referência funcionam? Quais os principais problemas? Quais os principais problemas?

21 Estratégias de cuidado Como se estabelece o vínculo dos usuários com os serviços e os profissionais? Como se estabelece o vínculo dos usuários com os serviços e os profissionais? Como está organizado o cuidado domiciliar? Como está organizado o cuidado domiciliar? –O cuidado domiciliar é satisfatório? A UBS mantém atividades de grupo? Que atividades? A UBS mantém atividades de grupo? Que atividades? –Dirigidos aos grupos prioritários? –Como estão as coberturas?

22 Demanda do Serviço Qual o perfil da demanda atendida? Qual o perfil da demanda atendida? Há um equilíbrio entre demanda atendida e sentida? Há um equilíbrio entre demanda atendida e sentida? Qual a relação entre demanda espontânea e induzida? Qual a relação entre demanda espontânea e induzida? Qual a resolubilidade? Qual a resolubilidade?

23 Ações programáticas para grupos prioritários Crianças menores de 1 ano Crianças menores de 1 ano –AIDPI, puericultura, aleitamento, imunização Mulheres em idade reprodutiva Mulheres em idade reprodutiva –anticoncepção, pré-natal, prevenção de câncer ginecológico Idosos Idosos –doenças crônicas, incapacidade, cuidados domiciliares

24 Controle Social Qual o grau de satisfação: Qual o grau de satisfação: –Com a UBS? –Com as equipes? –Com as ações? Como está a implantação e o funcionamento dos Conselhos Locais de Saúde? Como está a implantação e o funcionamento dos Conselhos Locais de Saúde? Qual a relação dos Conselhos Locais como Conselho Municipal de saúde? Qual a relação dos Conselhos Locais como Conselho Municipal de saúde?

25 Abordagens metodológicas Monitoramento de indicadores Monitoramento de indicadores –Pacto da Atenção Básica Estudos qualitativos Estudos qualitativos Estudos epidemiológicos Estudos epidemiológicos –Inquéritos populacionais –Estudos de demanda (antes e depois) –Coortes –Ecológicos Auditorias Auditorias

26 Capacitação em Avaliação Definição dos temas Você gostaria de se capacitar para avaliar que aspectos da Atenção Básica?

27 Dinâmica dos Grupos de Trabalho Definir coordenador e relator Definir coordenador e relator Discussão livre: 40 minutos Discussão livre: 40 minutos Composição do painel: Composição do painel: –Após a discussão, cada indivíduo produz pelo menos 1 tarjeta com 1 tema (identificando o município) –Compor um painel com as tarjetas, sistematizando, por consenso, os temas comuns ou repetidos –O painel será composto de colunas que identificam a dimensão da avaliação em que a pessoa gostaria de se capacitar

28 Distribuição dos grupos Cote dAzur: Gestores estaduais Algarves: Gestores Municipais Maria Otília (L 2) - Profissionais das UBS: Grupo 1: Recife Grupo 2: Recife Grupo 3: Cabo de Santo Agostinho e Camaragibe Grupo 4: Arapiraca e Maceió Grupo 5: Campina Grande, João Pessoa e Santa Rita Grupo 6: Caruaru e Garanhuns

29 Distribuição dos grupos José Geraldo (L 3) - Profissionais das UBS: Grupo 7: Jaboatão dos Guararapes e Olinda Grupo 8: Paulista, Petrolina e Vitória de Santo Antão Grupo 9: Natal, Parnamirim e Mossoró Grupo 10: Parnaíba e Teresina

30 CAPACITAÇÃO EM AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA PAINEL PARA SISTEMATIZAÇÃO DE TEMAS GestãoServiçoPopulação Controle Social


Carregar ppt "Temas para Capacitação em Avaliação da Atenção Básica Oficina Regional 2 Nordeste Recife, 15 de setembro de 2005 Universidade Federal de Pelotas Faculdade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google