A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DESTAQUES DO PREENCHIMENTO ADEQUADO DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO PRO-AIM PROGRAMA DE APRIMORAMENTO DAS INFORMAÇÕES DE MORTALIDADE

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DESTAQUES DO PREENCHIMENTO ADEQUADO DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO PRO-AIM PROGRAMA DE APRIMORAMENTO DAS INFORMAÇÕES DE MORTALIDADE"— Transcrição da apresentação:

1 DESTAQUES DO PREENCHIMENTO ADEQUADO DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO PRO-AIM PROGRAMA DE APRIMORAMENTO DAS INFORMAÇÕES DE MORTALIDADE

2 BLOCO V – CAMPO 40ATESTADO MÉDICO DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO Adotado a partir de 1950 por todos os países do mundo com a aprovação da 6ª Revisão da CID – 1948 Finalidade: Obter a opinião do médico sobre as causas que, direta ou indiretamente levaram à morte. Parte I – destina-se a doenças relacionadas com a cadeia de acontecimentos patológicos que levaram diretamente à morte. Parte II – destina a qualquer outra afecção significativa que contribuiu para o evento fatal mas não relacionada a doença ou afecção que causou diretamente a morte.

3 BLOCO V - CAMPO 40

4 CAUSAS DE MORTE -REGISTRAR APENAS UMA DOENÇA, ALTERAÇÃO OU LESÃO EM CADA LINHA; -PARA CADA CAUSA REGISTRADA, INDICAR, SEMPRE QUE POSSÍVEL, NA CASELA À DIREITA, O TEMPO APROXIMADO ENTRE O INÍCIO DA DOENÇA E A MORTE (EM HORAS, DIAS, MESES OU ANOS); -SE ESTE TEMPO FOR DESCONHECIDO, PREENCHER COMO DESCONHECIDO. INSTRUÇÕES ESPECÍFICAS PARA O PREENCHIMENTO DO CAMPO 40 DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO

5 PARTE I: A CAUSA BÁSICA DA MORTE DEVERÁ SER REGISTRADA NA ÚLTIMA LINHA INFORMADA Causa básica de morte é a doença ou lesão que iniciou a cadeia de acontecimentos patológicos que conduziram à morte ou as circunstâncias do acidente ou violência que produziram a lesão fatal. (CID-10) INSTRUÇÕES ESPECÍFICAS PARA O PREENCHIMENTO DO CAMPO 40 DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO

6 LINHA a: registrar a doença ou lesão que levou diretamente à morte (causa terminal ou imediata). Não usar termos como parada cardíaca ou respiratória LINHA b: registrar a doença ou afecção que levou à causa terminal mencionada na linha a Se afecção mencionada na linhabfoi devida a uma terceira, esta deve ser registrada na linha c, lembrando que na última linha deve ser registrada a causa básica da morte Atentar para a frase devido a ou como conseqüência de impressa entre as linhas da parte I INSTRUÇÕES ESPECÍFICAS PARA O PREENCHIMENTO DO CAMPO 40 DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO

7 -NÃO É OBRIGATÓRIO QUE A SEQÜÊNCIA TENHA TODAS AS LINHAS PREENCHIDAS DE a ATÉ d -EVITAR SINTOMAS E CAUSAS TERMINAIS, COMO INSUFICIÊNCIA CARDÍACA E RESPIRATÓRIA -SE FOR REGISTRADA INSUFICIÊNCIA DE ÓRGÃO OU SISTEMA, DEVE-SE SEMPRE DECLARAR A SUA ETIOLOGIA NA LINHA IMEDIATAMENTE ABAIXO ISTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO INSTRUÇÕES ESPECÍFICAS PARA O PREENCHIMENTO DO CAMPO 40 DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO

8 PARTE II: REGISTRAR TODAS AS DOENÇAS OU AFECÇÕES QUE CONTRIBUIRAM PARA A MORTE, MAS QUE NÃO ESTEJAM DIRETAMENTE RELACIONADAS COM A CADEIA DE EVENTOS REGISTRADA NA PARTE I. INSTRUÇÕES ESPECÍFICAS PARA O PREENCHIMENTO DO CAMPO 40 DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO

9 Bloco V – Condições e Causas de morte (campo 40)

10 Resumindo: a lógica de preenchimento das causas do óbito na parte I é fisiopatológica não é a do rastreamento dos sinais ou sintomas e deve ter perspectiva epidemiológica INSTRUÇÕES ESPECÍFICAS PARA O PREENCHIMENTO DO CAMPO 40 DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO

11 QUANDO A MORTE FOR CONSEQÜÊNCIA DE UMA CIRURGIA OU PROCEDIMENTO ATESTAR A DOENÇA QUE INICIOU A SUCESSÃO DE EVENTOS QUE MOTIVOU A CIRURGIA OU O PROCEDIMENTO EXEMPLOS PARA O PREENCHIMENTO DO CAMPO 40 DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO

12 CIRURGIAS

13 Choque séptico peritonite Diálise peritoneal Insuficiência renal crônica por nefropatia diabética 2 dias 6 dias 6 meses 3 anos X PROCEDIMENTOS

14 QUANDO FOR CITADA UMA NEOPLASIA DEVEM SER DECLARADAS A SUA LOCALIZAÇÃO PRIMÁRIA E SUA NATUREZA (BENIGNA OU MALIGNA) SE DESCONHECIDAS, DECLARAR COMO sítio primário desconhecido ou comportamento incerto. EXEMPLOS PARA O PREENCHIMENTO DO CAMPO 40 DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO

15 colitepseudomembranosa imunossupressão quimioterapia neoplasia maligna de mama 2 meses 5 dias 4 meses 9 meses xx x NEOPLASIAS

16 ÓBITOS PERINATAIS Quando a morte for conseqüência de patologia materna, atestar a doença materna que determinou a cadeia de eventos que conduziu à morte na última linha da parte I EXEMPLOS PARA O PREENCHIMENTO DO CAMPO 40 DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO

17 Óbitos Perinatais IV

18 septicemia Pneumonia aspirativa Acidente vascular cerebral isquêmico Crise hipertensiva Diabetes Mellitus Seqüela de tuberculose 5 dias 10 dias 15 dias 25 anos 48 anos 15 dias EXEMPLO DE PREENCHIMENTO DO CAMPO 40 DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO destaque para a parte II

19 EXEMPLO 1 Paciente do sexo masculino, 53 anos, com diagnóstico de obesidade mórbida. Submetido a cirurgia redutora do estômago e recebeu alta hospitalar. Retornou no 5º dia do pós-operatório, quando foi diagnosticado a fístula da anastomose esôfago- gástrica. Realizada cirurgia com sutura da fístula, porém evoluiu com peritonite e septicemia, falecendo 10 dias depois.

20 EXEMPLO 1 Preenchimento do bloco V da Declaração de Óbito

21 EXEMPLO 2 Gestante com 19 semanas de gestação chegou no PS com dor em baixo ventre e sangramento vaginal iniciados há 2 horas. Detectado descolamento prematura da placenta, evoluiu com piora do sangramento e perda fetal, natimorto com 500g Questionamentos: 1. É obrigatório o preenchimento da DO? 2. A quem cabe preenchê-la?

22 Óbitos Perinatais IV Descolamento prematuro de placenta Rotura de membrana amniótica óbito intrautero ignorado 2 horas

23 EXEMPLO 3 Paciente do sexo masculino, 23 anos, reinternado por quadro de escara infectada em região sacral, evoluiu com piora da lesão, celulite da região glútea, sindrome de Fournier e choque séptico Como dados relevantes de antecedentes pessoais tinha história de ter sofrido acidente de moto há 5 anos, com trauma raquimedular e evoluiu para tetraplegia

24 EXEMPLO 3 Preenchimento do bloco V da Declaração de Óbito Sequela de acidente de transito tetraplegia Choque séptico Úlcera de decúbito infectada 1 dia 6 dias 5 anos IML

25 Guia de Encaminhamento de Cadáver Portaria SMS nº 253/2007 Deve ser usada para acompanhar o corpo no caso de morte por causas maldefinidas (para SVO) e nos caso de suspeita de causas externas (para O IML)

26 Equipe Técnica – PRO-AIM Fátima, Iracema, Malu, Michel, Mauro, Paulo, Ricardo, Rosana e Rosário Tel: / 2247 / mortalidade/tabnet

27

28 Modelo atual: 2010/2011 MINISTÉRIO DA SAÚDE SVS

29 USOS DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO (DO) Interesse legal Interesse demográfico Interesse epidemiológico

30 FATORES QUE PREJUDICAM A QUALIDADE DAS ESTATÍTICAS DE MORTALIDADE RELACIONADOS À DO Subregistro Causas mal definidas Codificação incorreta Digitação incorreta Omissão por motivos: éticos, legais, culturais, religiosos Variáveis ignoradas Preenchimento incorreto (*diretamente relacionados ao médico)

31 LEGISLAÇÃO Lei dos Registros Públicos – Lei nº (31/12/1973), alterada pela Lei nº ( ) Capítulo IX Do Óbito Art 77 – Nenhum sepultamento será feito sem certidão, do Oficial de Registro do lugar do falecimento, extraída após a lavratura do assento de óbito, em vista do atestado de médico, se houver no lugar, ou, em caso contrário, de duas pessoas qualificadas que tiverem presenciado ou verificado a morte.

32 LEGISLAÇÃO Código Processo Penal - Decreto-lei Nº 3.689, de 3 de outubro de 1941 CAPÍTULO II DO EXAME DO CORPO DE DELITO, E DAS PERÍCIAS EM GERAL Art Quando a infração deixar vestígios, será indispensável o exame de corpo de delito, direto ou indireto, não podendo supri-lo a confissão do acusado.

33 LEGISLAÇÃO Conselho Federal de Medicina C ódigo de Ética Médica (set. 2009) CAPÍTULO X - é vedado ao médico: Artigo 83 – Atestar óbito quando não o tenha verificado pessoalmente, ou quando não tenha prestado assistência médica ao paciente, salvo, no último caso, se o fizer como plantonista, médico-substituto, ou em caso de necropsia e verificação médico-legal. Artigo 84 – Deixar de atestar óbito de paciente ao qual vinha prestando assistência, exceto quando houver indícios de morte violenta.

34 LEGISLAÇÃO RESOLUÇÃO CFM nº 1.601/2000 Regulamenta a responsabilidade médica no fornecimento da Declaração de Óbito. Revoga a Resolução CFM n. 1601/2000 RESOLVE: Art. 1º O preenchimento dos dados constantes na Declaração de Óbito é da responsabilidade do médico que atestou a morte.

35 Art. 2º Os médicos, quando do preenchimento da Declaração de Óbito, obedecerão as seguintes normas: MORTE NATURAL: I. Morte sem assistência médica: a) Nas localidades com Serviço de Verificação de Óbitos (SVO): A Declaração de Óbito deverá ser fornecida pelos médicos do SVO; b) Nas localidades sem SVO : A Declaração de Óbito deverá ser fornecida pelos médicos do serviço público de saúde mais próximo do local onde ocorreu o evento; na sua ausência, por qualquer médico da localidade. LEGISLAÇÃO RESOLUÇÃO CFM nº 1.779/2005

36 Art. 2º Os médicos, quando do preenchimento da Declaração de Óbito, obedecerão as seguintes normas: MORTE NATURAL: II. Morte com assistência médica: a) A Declaração de Óbito deverá ser fornecida, sempre que possível, pelo médico que vinha prestando assistência ao paciente. b) A Declaração de Óbito do paciente internado sob regime hospitalar deverá ser fornecida pelo médico assistente e, na sua falta por médico substituto pertencente à instituição. c) A declaração de óbito do paciente em tratamento sob regime ambulatorial deverá ser fornecida por médico designado pela instituição que prestava assistência, ou pelo SVO; d) A Declaração de Óbito do paciente em tratamento sob regime domiciliar (Programa Saúde da Família, internação domiciliar e outros) deverá ser fornecida pelo médico pertencente ao programa ao qual o paciente estava cadastrado, ou pelo SVO, caso o médico não consiga correlacionar o óbito com o quadro clínico concernente ao acompanhamento do paciente. LEGISLAÇÃO RESOLUÇÃO CFM nº 1.779/2005

37 Art. 2º Os médicos, quando do preenchimento da Declaração de Óbito, obedecerão as seguintes normas: 2) Morte fetal: Em caso de morte fetal, os médicos que prestaram assistência à mãe ficam obrigados a fornecer a Declaração de Óbito quando a gestação tiver duração igual ou superior a 20 semanas ou o feto tiver peso corporal igual ou superior a 500 (quinhentos) gramas e/ou estatura igual ou superior a 25 cm. LEGISLAÇÃO RESOLUÇÃO CFM nº 1.779/2005

38 Art. 2º Os médicos, quando do preenchimento da Declaração de Óbito, obedecerão as seguintes normas: 3) Mortes violentas ou não naturais: A Declaração de Óbito deverá, obrigatoriamente, ser fornecida pelos serviços médico-legais. Parágrafo único. Nas localidades onde existir apenas 1 (um) médico, este é o responsável pelo fornecimento da Declaração de Óbito. LEGISLAÇÃO RESOLUÇÃO CFM nº 1.779/2005

39 CONSIDERAÇÕES GERAIS PARA O PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO A DECLARAÇÃO DE ÓBITO DEVE SER PREENCHIDA PARA TODOS OS ÓBITOS, INCLUSIVE OS FETAIS DE PESO 500 GRAMAS OU DE ESTATURA 25 CM OU DE IDADE GESTACIONAL 20 SEMANAS O MÉDICO NÃO DEVE ASSINAR A DECLARAÇÃO DE ÓBITO EM BRANCO (CONFERINDO TODOS OS CAMPOS DA D.O.) O PREENCHIMENTO DEVE SER FEITO COM LETRA LEGÍVEL. NÃO UTILIZAR SIGLAS OU ABREVIAÇÕES

40 ÓBITO CAUSA NATURAL CAUSA EXTERNA SEM ASSISTÊNCIA MÉDICA COM ASSISTÊNCIA MÉDICA SVO IML MAL-DEFINIDO CAUSA CONHECIDA MÉDICO DO PACIENTE OU SUBSTITUTO A QUEM CABE ATESTAR O ÓBITO? GEC

41 3ª via MÉDICO ATESTANTE Emite DO em 3 vias 2ª via 1ª via Prontuário ou arquivo do médico Serviço Funerário Municipal Emite guia de sepultamento PRO-AIM CARTÓRIO 1ª via 2ª via Emite Certidão de Óbito FLUXO DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO 24 hs

42 Estrutura da Declaração de Óbito Bloco I: Identificação Bloco II: Residência Bloco III: Local de ocorrência Bloco IV: Óbito fetal ou menor que 1 ano Bloco V: Condições e causas do óbito Bloco VI: Médico Bloco VII: Causas externas Bloco VIII: Cartório Bloco IX: Localidade sem médico Informações que o médico deve preencher

43 BLOCO I – IDENTIFICAÇÃO ( CAMPOS DE 1 A 14) DESTINA-SE A COLHER INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A IDENTIDADE DO FALECIDO E SEUS PAIS.

44 BLOCO II – RESIDÊNCIA (CAMPOS DE 15 A 19) DESTINA-SE A COLHER DADOS SOBRE A RESIDÊNCIA DO FALECIDO.

45 BLOCO III OCORRÊNCIA (CAMPOS DE 20 A 26) DESTINA-SE A COLHER INFORMAÇÕES SOBRE O LOCAL ONDE OCORREU O ÓBITO.

46 Essas informações são fundamentais para o estudo da Mortalidade infantil + BLOCO IV - FETAL OU MENOR QUE 1 ANO ( CAMPOS DE 27 A 36) DESTINA-SE A COLHER INFORMAÇÕES SOBRE A MÃE DO FALECIDO EM CASOS DE Ó BITO FETAL OU MENOR DE 1 ANO.

47 BLOCO V – CONDIÇÕES E CAUSAS DO ÓBITO ( Campos de 37 a 40) DESTINA-SE A QUALIFICAR AS CONDIÇÕES E CAUSAS QUE PROVOCARAM O ÓBITO É A FONTE DA CAUSA BÁSICA DO ÓBITO E DOS AGRAVOS QUE PARA ELA CONTRIBUÍRAM

48 BLOCO V (CAMPO 37) SE O ÓBITO OCORRER EM MULHERES EM IDADE FÉRTIL (ENTRE 10 E 49 ANOS), OS ÍTENS DOS CAMPOS 37 DEVEM SER PREENCHIDOS Essas informações são fundamentais para o estudo da Mortalidade Materna

49 BLOCO VI – MÉDICO (CAMPOS DE 41 A 47) DESTINA-SE A COLHER INFORMAÇÕES SOBRE O MÉDICO QUE ASSINA A DO E POSSIBILITA CONTATO/ACESSO

50 BLOCO VII – CAUSAS EXTERNAS (CAMPOS DE 48 A 52) DESTINA-SE A COLHER INFORMA Ç ÕES SOBRE O PROV Á VEL TIPO DE MORTE POR VIOLÊNCIAS É DE GRANDE IMPORTÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COMPLEMENTA OS DADOS DO BLOCO V DEFININDO AS CAUSAS DO ÓBITO NAS SITUAÇÕES DE MORTE VIOLENTA (CAP XX CID-10 - CAUSAS EXTERNAS DE MORBIDADE E MORTALIDADE)

51 BLOCO VIII – CARTÓRIO (CAMPOS DE 53 A 57) DESTINA-SE A COLHER DADOS REFERENTES AO CARTÓRIO DE REGISTRO CIVIL ONDE FOI EFETUADO O REGISTRO DO ÓBITO, O NÚMERO E DATA DO REGISTRO

52 BLOCO IX – LOCALIDADE SEM MÉDICO (CAMPOS DE 58 A 59) O PREENCHIMENTO FICA A CARGO DO CARTÓRIO DE REGISTRO CIVIL (LEI DO REGISTRO CIVIL - ART.77: SE NÃO HOUVER MÉDICO NO LUGAR, DUAS PESSOAS QUALIFICADAS QUE TENHAM PRESENCIADO OU VERIFICADO A MORTE TESTEMUNHAM O FATO)


Carregar ppt "DESTAQUES DO PREENCHIMENTO ADEQUADO DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO PRO-AIM PROGRAMA DE APRIMORAMENTO DAS INFORMAÇÕES DE MORTALIDADE"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google