A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Admissão do Paciente na Unidade Hospitalar Drª Carla Gomes Enfermeira.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Admissão do Paciente na Unidade Hospitalar Drª Carla Gomes Enfermeira."— Transcrição da apresentação:

1 Admissão do Paciente na Unidade Hospitalar Drª Carla Gomes Enfermeira

2 A Admissão Trata-se da internação do cliente em uma unidade hospitalar. É o ato de admitir pacientes para ocupar um leito hospitalar por um período igual ou superior a 24 horas. (Todos os óbtos ocorridos no hospital devem ser considerados como internação hospitalar, mesmo se ocorrer com menos de 24 horas)

3 O que pode gerar uma internação? Interrupção do ritmo e das atividades cotidianas, * desequilíbrio orçamentário e financeiro, * afastamento do meio social, * necessidade de adaptação no ambiente hospitalar, * perda da privacidade e individualidade, * insegurança, * medo, * sensação de abandono.

4 Recepção do paciente: Recepção do paciente: Cortesia, segurança, transmitir confiança, informar sobre normas e rotinas. Apresentar equipe e unidade, objetos de uso pessoal, controlar sinais vitais, peso e altura. Iniciar procedimentos terapêuticos, registros, horários de visitas, orientações gerais.

5 Admissão de enfermagem: Horário e motivo da internação, diagnóstico médico, meio de locomoção, estado geral Sinais e sintomas, hábitos (alimentação, eliminação, sono e repouso), uso de medicamentos, alergias, uso de próteses, sinais vitais.

6 Transferência do paciente É a remoção do cliente de uma clínica para outra, do mesmo hospital ou para hospital diferente. A saída do cliente não é necessariamente o fim do tratamento, mas a transferência da responsabilidade da sua continuidade para o cliente, família ou outra unidade hospitalar.

7 IMPORTANTE: encaminhar o paciente transportando-o mediante suas condições físicas, levando junto os pertences e o relatório baseado no prontuário.

8 Alta do paciente Saída do cliente da unidade hospitalar. A alta do paciente, em decorrência a implicações legais, deve ser dada por escrito e assinada pelo médico

9 Tipos de Alta a ) Alta hospitalar por melhora : aquela dada pelo médico porque houve melhora do estado geral do paciente, sendo que este apresenta condições de deixar o hospital. b ) Alta a pedido : aquela em que o médico concede a pedido do paciente ou responsável, mesmo sem estar devidamente tratado. O paciente ou responsável por ela assina o termo de responsabilidade..

10 Alta condicional ou licença médica é aquela concedida ao paciente em ocasiões especiais, com a condição de retornar na data estabelecida ( dia das mães, pais, natal, entre outros ). Também deve ser assinado o termo de responsabilidade.

11 Papel da Enfermagem Avisar o paciente após alta registrada em prontuário pelo médico Orientar o paciente e familiares sobre cuidados precisos pós alta ( repouso, dieta, medicamentos, retorno ) Preencher pedido de alta ( de acordo regras da instituição ) Providenciar medicamentos ( conforme regulamento da instituição ) Reunir pertences do paciente e providenciar suas roupas Auxilia-lo no que for necessário

12 As anotações devem conter: - hora de saída - tipo de alta - condições do paciente - presença ou não de acompanhante - orientações dadas - meio de transporte ( ambulâncias, carro próprio ) Preparar prontuário e entrega-lo conforme rotina da instituição

13 Transferência É realizada da mesma forma que a alta. Deve-se avisar os diversos serviços, conforme rotina. A unidade para onde o paciente está sendo transferido deverá ser comunicada com antecedência, a fim de que esteja preparada para recebe-lo O prontuário deve estar completo e ser entregue na outra unidade O paciente será transportado de acordo as normas da instituição e seu estado geral

14 Tipos de Transferência TRANSFERÊNCIA INTERNA Mudança de um paciente de uma unidade de internação para outra dentro do mesmo hospital TRANSFERÊNCIA EXTERNA Mudança de um paciente de um hospital para outro.

15 Óbito = Conjunto de cuidados prestados ao cliente após seu falecimento

16 PREPARO DO CORPO PÓS MORTE É o preparo feito no corpo após constatação do óbito Objetivo manter o corpo livre de odores, evitando extravazamento de secreções vestir o corpo posicionar de forma anatômica, antes da rigidez

17 Materiais Utilizados... Materiais : 2 rolos de ataduras de crepe algodão gaze não estéril esparadrapo luvas de procedimentos 1 pinça cheron avental de manga longa

18 reunir o material explicar o procedimento á família manter privacidade do local e corpo colocar o avental e calçar luvas de procedimento retirar travesseiros, deixando o corpo em decubito dorsal retirar sondas, cateteres, ocluindo os orificios com gaze higienizar o corpo S/N tamponar ouvidos, nariz, orofaringe, região anal e vaginal e garrotear região peniana com gaze vestir o corpo imobilizar mandibula, pés, mãos, usando ataduras

19 colocar o corpo sobre a maca, sem colchão, cobri-lo com lençol desprezar luvas e avental higienizar as mãos transportar o corpo ao necrotério anotar no prontuário o procedimento realizado OBS : Se o paciente fizer uso de próteses coloca-la imediatamente após o óbito Manter pálpebras fechadas, com a fita adesiva O corpo não deverá ser tamponado quando houver restrição religiosa ( judaíca) ou se houver necessidade de necrópsia

20 Importante... Registro do óbito, avisar a família (serviço social ou médico). Recolher os pertences e entregá-los a família. Providenciar limpeza terminal e colocar ordem no quarto.

21 "A Enfermagem é: Todo o bem que pudermos fazer, toda a ternura que pudermos dar a um ser humano; Que o façamos agora, neste momento, porque não passaremos duas vezes pelo mesmo caminho"


Carregar ppt "Admissão do Paciente na Unidade Hospitalar Drª Carla Gomes Enfermeira."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google