A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

COLOCAÇÃO DOS PRONOMES ÁTONOS Exercícios com gabarito (pressione F5 para iniciar a apresentação dos slides)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "COLOCAÇÃO DOS PRONOMES ÁTONOS Exercícios com gabarito (pressione F5 para iniciar a apresentação dos slides)"— Transcrição da apresentação:

1 COLOCAÇÃO DOS PRONOMES ÁTONOS Exercícios com gabarito (pressione F5 para iniciar a apresentação dos slides)

2 1. Introduza o pronome oblíquo átono dos parênteses nas frases abaixo de acordo com a norma culta. (justifique)

3 a. Deus guie. (te)a. Deus te guie. Oração que exprime desejo b. Nunca viu tamanho desastre. (se)b. Nunca se viu tamanho desastre. Pronome indefinido atrai o pronome átono c. Entregará isso hoje. (me)c. Entregar- me-á isso hoje. Futuro do presente d. Correu pelo jardim, afastando de mim. (se) d. Correu pelo jardim, afastando-se de mim. Depois de vírgula e. Sentava num canto, em silêncio. (G. Ramos) (me) e. Sentava-me num canto, em silêncio. (G. Ramos) Início de oração f. Por favor. Não torture, querido. (D. Trevisan) (me) f. Por favor. Não me torture, querido. Palavra negativa atrai o pronome átono

4 g. Nada fazia falta. (D. S. Queiroz) (lhe)g. Nada lhe fazia falta. (D. S. Queiroz) Pronome indefinido atrai o pronome átono h. Ninguém perguntou donde vinha... (R. Couto) (lhe)h. Ninguém lhe perguntou donde vinha... Pronome indefinido atrai o pronome átono i. Nada ensinou, mas me transmitiu afeição. (G. Ramos) (me) i. Nada me ensinou, mas me transmitiu afeição. Pronome indefinido atrai o pronome átono j. Não, não entendam mal. (R.Alves) (me)j. Não, não me entendam mal. (R.Alves) Palavra negativa atrai o pronome átono l. Raciocinou bem e viu que não salvaria por outro jeito. (S. B. Holanda) (se) l. Raciocinou bem e viu que não se salvaria por outro jeito. (S. B. Holanda) Palavra negativa atrai o pronome átono

5 m. Já ninguém lembraria, certamente, de nada...m. Já ninguém se lembraria, certamente, de nada... Pronome indefinido atrai o pronome átono n. Quem incomoda com o pobre Zé Brasil? (Monteiro Lobato) (se) n. Quem se incomoda com o pobre Zé Brasil? Frase interrogativa o. Que toda a Argentina candidatasse! (O. Lessa) (se)o. Que toda a Argentina se candidatasse! Frase que exprime desejo p. Que o tempo esqueça de recordação! p. Que o tempo se esqueça de recordação! Frase que exprime desejo q. Só tu limparás da lama escura... (C. D. Andrade) (me) q. Só tu me limparás da lama escura... Advérbio atrai o pronome átono r. Depois jogou no mar e foi retirado pelos amigos. (Jornal da Tarde) (se) r. Depois se jogou no mar e foi retirado pelos amigos. Advérbio atrai o pronome átono

6 u. À noitinha, sentava à frente da cabana. (D. S. Queiroz) (me) s. Já sinto bem. (S.B.Holanda) (me)s. Já me sinto bem. (S.B.Holanda) Advérbio atrai o pronome átono t. Tudo encontra nesta bruma... (C. Meireles) (se)t. Tudo se encontra nesta bruma... Pronome indefinido atrai o pronome átono u. À noitinha, sentava-me à frente da cabana. Depois de vírgula, usa-se a ênclise v. Abaixando, aconteceu-lhe ver a ponta da chinela... (M. Assis) (se) v. Abaixando-se, aconteceu-lhe ver a ponta da chinela... Início de oração z. Talvez muita gente julgasse entrevada. x. Talvez muita gente se julgasse entrevada. Advérbio atrai o pronome átono

7 2. Faça o mesmo

8 a. Ana teve uma dúvida que deixou apreensiva. (E. Veríssimo) (a) a. Ana teve uma dúvida que a deixou apreensiva. Oração Subordinada (QUE-pronome relativo) b. Pague o que deve repetiu Bernardo.b. Pague o que me deve repetiu Bernardo. (O.Lins) Oração Subordinada (QUE-pronome relativo) c. Direi quando ordenarem... (C.Meireles) (te)c. Dir-te-ei quando ordenarem... Futuro do presente d. Deus abençoe, pequenino. Como é o teu nome? (G. Rosa) (te) d. Deus te abençoe, pequenino. Como é o teu nome? Oração que exprime desejo e. Para onde arrasta este vento? (J. Amado) (o)e. Para onde o arrasta este vento? Oração interrogativa f. Era outra coisa que doía muito. (J. L. Rego) (lhe) f. Era outra coisa que lhe doía muito. Oração subordinada (QUE-pronome relativo)

9 g. Também já fantasiei de pierrô. (L. F. Telles) (me) l. Ao nos despedirmos, ele queixou de uma dor de cabeça. (R. Couto) (se) j. Já foi o tempo em que as mulheres eram por força, ou por hábito, alienadas em matéria política. (P. M. Campos) (se) i. Mal aproximaram, um dos rapazes puxou um revólver. (se) h. Tudo dava impaciência. (M.Assis) (me) g. Também já me fantasiei de pierrô. Adjunto adverbial atrai o pronome h. Tudo me dava impaciência. (M.Assis) Pronome indefinido atrai o átono i. Mal se aproximaram, um dos rapazes puxou um revólver. Oração subordinada (QUE-conjunção) j. Já se foi o tempo em que as mulheres eram por força, ou por hábito, alienadas em matéria política. Adjunto adverbial atrai o pronome l. Ao nos despedirmos, ele queixou-se de uma dor de cabeça. Preferência pela ênclise nesse caso

10 3. Reescreva o texto seguinte, colocando o pronome indicado junto ao verbo em destaque:

11 Os turistas incautos estão às voltas com um novo tipo de assalto nos bares com cadeiras de calçada da Zona Sul carioca. O turista pede um suculento bife ou churrasco e quando prepara(1) para atacar(2) é surpreendido pela mão-boba de um pivete, que arranca (3) o bife do prato e foge em alta velocidade. Os ladrões de bife, além de saborear (4), costumam reciclar (5) em churrasquetos e sanduíches vendidos na praia. (Visão) Os turistas incautos estão às voltas com um novo tipo de assalto nos bares com cadeiras de calçada da Zona Sul carioca. O turista pede um suculento bife ou churrasco e quando se prepara(1) para atacá-lo(2) é surpreendido pela mão-boba de um pivete, que lhe arranca (3) o bife do prato e foge em alta velocidade. Os ladrões de bife, além de saboreá-lo(4), costumam reciclá-lo(5) em churrasquetos e sanduíches vendidos na praia. (Visão) (1) se; (2) o; (3) lhe; (4) o; (5) o

12 4. Introduza o pronome oblíquo átono dos parênteses nas locuções verbais.

13 a. O brasileiro precisa habituar a ler mais. (se) precisa-se habituar ou precisa habituar-se b. O sol ia tornando cada vez mais forte. (se) ia-se tornando ou ia tornando-se c. Ninguém comentava sobre o que havia passado naquela ocasião (se) que se havia passado d. Não quiseram dizer nada sobre o acontecido. (me) Não me quiseram dizer nada ou não quiseram dizer-me nada e. Você há de acostumar nessa nova casa. (se) há de se acostumar ou há de acostumar-se f. Voltei a encontrar depois de muitos anos. (o) voltei a encontrá-lo

14 g. Devo contar tudo. (lhe) devo-lhe contar ou devo contar-lhe h. Tudo devo contar. (lhe) lhe devo contar ou devo contar-lhe i. Não havia lembrado desse fato. (me) me havia lembrado j. Eu já havia esquecido de apagar o fogo. (me) me havia esquecido

15 (...) enquanto os portugueses vivem usando a ênclise, os brasileiros só usam a próclise, até mesmo no início da frase - o que exige aquela regrinha indispensável para quem ensina escrita culta: "não se inicia frase com pronome oblíquo" (isso para nós, simples mortais, porque os escritores já o fazem desde a Semana de Arte Moderna de 22). Jamais ouvirás (e a fala precede a escrita, não te esqueças...) um brasileiro correr atrás de sua amada dizendo "Espera-me! Ouve-me! Amo-te!". (Cláudio Moreno)


Carregar ppt "COLOCAÇÃO DOS PRONOMES ÁTONOS Exercícios com gabarito (pressione F5 para iniciar a apresentação dos slides)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google