A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dependência Química Entre Médicos: Projeto de Pesquisa Hamer Nastasy Palhares Alves Orientador: Luiz Antônio Nogueira Martins journal club, 14 de novembro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dependência Química Entre Médicos: Projeto de Pesquisa Hamer Nastasy Palhares Alves Orientador: Luiz Antônio Nogueira Martins journal club, 14 de novembro."— Transcrição da apresentação:

1 Dependência Química Entre Médicos: Projeto de Pesquisa Hamer Nastasy Palhares Alves Orientador: Luiz Antônio Nogueira Martins journal club, 14 de novembro de 2003

2 Roteiro Caracterização do Problema e Implicações Estudo inicial Descrição da Rede de Apoio a Médicos Descrição do Projeto de Pesquisa Discussão

3 Epidemiologia Dependências tem a mesma prevalência da população geral Para Benzodiazepínicos e opióides a freqüência é maior. (Emergência, Anestesiologia e Psiquiatria) ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars Bloco I

4 Pontos Chave Identificação é geralmente mais difícil O prognóstico, uma vez em tratamento, é melhor Programas específicos para Assistência. ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

5 Epidemiologia População Estudada Terminologia Critérios Diagnósticos Mudanças com o tempo? Problemas acerca de anonimato. ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

6 EPIDEMIOLOGIA - Geral Mesmos índices da população geral Menores índices se comparado com outras ocupações Maiores índices de uso com: Benzodiazepínicos Opióides prescritos ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

7 Estudantes Uso começa antes da faculdade Tipos de substâncias similares à população Abuso e Dependência de Álcool é variável Uso e Dependência de outras drogas é menos comum ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

8 Residentes Taxas de abuso e dependência é de 10-14% Álcool & drogas ilícitas começam antes da residência Benzodiazepínicos & opióides começam durante: Auto-medicação Auto-prescrição ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

9 Médicos Prevalência de problemas é de 8-12% Uso e abuso de opióides prescritos e benzodiazepínicos é 5X mais prevalente ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

10 Por Especialidade Maior Freqüência Medicina de Emergência Psiquiatria Anestesiologia Menor Freqüência G.O. Patologia Radiologia Pediatria ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

11 Razões Recreacional Melhora do desempenho Auto Medicação ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars Razões de Uso

12 Fatores de Risco História Familiar Características de Personalidade Religiosidade Saúde/Estilo de Vida ESTRESSE??? ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

13 Sinais de Alerta Isolamento Discussões freqüentes Desorganização, Inacessibilidade Faltas freqüentes Visitas a pacientes em horários impróprios Prescrições para familiares Tentativa de suicídio Overdose ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

14 Demora na Detecção: Poucos controles formais Independência Negação Maligna Eu posso cuidar de mim mesmo Conhecimento é protetor Medo das conseqüências Conspiração do Silêncio ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

15 Conspiração do Silêncio Família, colegas e o médico não rompem o silêncio acerca do problema por: Preocupação e temores em relação ao tratamento Medo e Intimidação Orgulho Profissional Medo de perder a reputação Aspectos Financeiros Medo de acusar o colega sem ter provas ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

16 Tratamento Dados Variáveis Maioria dos estudos mostra melhores resultados que a população geral 70-80% sucesso pouca correlação com a substância pouca correlação com a especialidade ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

17 Tratamento Tratamento Ambulatorial É o melhor setting pois nesta abordagem as mudanças biológicas ocorrem ao mesmo tempo das psicológicas Internação Deve ser reservada para situações críticas e de preferência em Unidades Gerais para preservar a reputação do colega médico, driblando resistências ao tratamento. (Talbott, Farley) ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

18 Tratamento Objetivos Abstinência Aceitação do Conceito de Abuso/Dependência Identificação de problemas, fatores de risco para recaídas. Seguimento a longo prazo Abordagens não medicamentosas para lidar com os problemas (reduzir otimismo farmacológico) ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

19 Re-entrada A maioria volta a exercer a Medicina Mudança de Especialidade (Re-entrada) Restrições nas Prescrições Alterar a Jornada de trabalho, plantões Especialização em Dependência ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

20 Na literatura, características individuais são os preditores mais consistentes de mudança no padrão de uso. Menor nível educacional e menor renda 1,2,3 Situação instável no emprego são fatores de pior prognóstico 4 Melhor prognóstico para mulheres 5 (?) Fatores étnicos também não são bem explorados. Pior prognóstico para indivíduos mais jovens 6 Fatores Preditores ²McLellan, 1983 ³Polich et al., 1980¹Institute of Medicine, Vaillant, Anglin et al., Brewer et al., 1998

21 Maior nível de consumo é relacionado a pior desempenho no tratamento 1,2,3 Indivíduos dependentes de drogas têm menores taxas de retenção e abstinência que dependentes de álcool 4,5 Fatores motivadores para a mudança, internos e externos (prontidão para a mudança, pressão de empregadores, pressão legal) são relacionados a melhora do desfecho a curto-prazo 6 Fatores Preditores ²McLellan et al., 1983 ³Carrol et al., 1993¹Simpson et al Miller et al., Miller & Rollnick, Weisner, 2000

22 Características do tratamento, como intensidade e retention, são relacionadas a efeito mais longo. Outros estudos mostram que mudanças a longo-prazo não ocorrem tipicamente com um único tratamento e readmissões são importantes em promover recuperação a longo- prazo. Fatores Preditores ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

23 PROGRESSION Family Community Finances Spiritual/emotional Physical health Job performance Often one of the last things affected ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

24 Fatores de Risco História Familiar Características de Personalidade Estilo de Vida Stress??? Disponibilidade??? ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

25 Comorbidades

26 Estudo Transversal Bloco II

27 Especialidades

28 Substâncias Consumidas

29 Comorbidades ²Alcohol medical sholars 1 Alcohol medical scholars.²Alcohol medical sholars

30 Convênio entre o Conselho Regional de Medicina e a Escola Paulista de Medicina. Formação de uma Rede de Profissionais para atendimento dos médicos com problemas relacionados à álcool e drogas. Triagem, Orientação, Avaliação, Discussão Clínica, Encaminhamento e Tratamento. Rede de Apoio a Médicos Bloco III

31 Contato inicial por telefone fixo, celular ou e- mail 25 médicos psiquiatras no Estado, alocados nas principais cidades. Consultoria Jurídica. Tratamento visa a reintegração do médico. Proteção do médico e do público. Rede de Apoio a Médicos

32 Hipótese do Estudo A dependência de álcool e drogas entre médicos apresenta prognóstico diferente da população nos vários estudos por conta de diferenças sócio-econômicas e por maior pressão para mudança entre médicos. Médicos em tratamento têm melhor desfecho que profissionais de outras áreas? Bloco IV

33 Objetivos 1.

34 2.1 Identificar fatores preditores de abstinência 2.2 Comparar médicos e outros profissionais de nível universitário, em relação à padrão de consumo, drogas mais utilizadas, perfil sócio- demográfico, adequação social e qualidade de vida. 2.3 Objetivos

35 Critérios de Inclusão Dependência de álcool e/ou drogas Médicos e/ou profissionais de nível superior Ambos os sexos. Capacidade de fornecer consentimento informado Tratamento ambulatorial Meta de Abstinência Período de abstinência: 5 a 30 dias

36 Critérios de Exclusão

37 Desenho do Estudo Quase-experimental, prospectivo e longitudinal, grupo-controle interno Período de coleta dos dados: 01/2004 a 07/2006 Duração do seguimento 6 meses Follow-up telefônico no mês 1 e 3. N = 120 em cada grupo

38 Local do Estudo Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas (Uniad). Um psiquiatra Uma secretária

39 Organograma

40 Instrumentos de Avaliação Termo de consentimento livre e esclarecido Inventário sócio-demográfico. ASI ( Addiction Severity Index ) SCID-1/MINI-PLUS. URICA (Escala Auto-aplicável de Motivação) SF-36 (Qualidade de Vida) EAS (Escala Auto-aplicável de Adequação Social) Questionário Elaborado pelos Autores

41 Procedimento

42 Desfechos Clínicos Padrão de Uso: Abstinência completa Redução de 50% Inalterado ou Pior Qualidade de Vida Adesão ao tratamento: Completa, Parcial (Acima de 50% das consultas) ou Não-aderência.

43 Discussão tel.: (11) cel.: (11) Bloco V journal club, 14 de novembro de 2003


Carregar ppt "Dependência Química Entre Médicos: Projeto de Pesquisa Hamer Nastasy Palhares Alves Orientador: Luiz Antônio Nogueira Martins journal club, 14 de novembro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google