A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estruturação de uma Organização Vertical para Cadeia do Leite SP Este projeto tem por objetivo estruturar uma organização vertical para a cadeia do leite.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estruturação de uma Organização Vertical para Cadeia do Leite SP Este projeto tem por objetivo estruturar uma organização vertical para a cadeia do leite."— Transcrição da apresentação:

1 Estruturação de uma Organização Vertical para Cadeia do Leite SP Este projeto tem por objetivo estruturar uma organização vertical para a cadeia do leite no Estado de São Paulo.

2 GeCad Leite São Paulo 2010 Organização Vertical da Cadeia do Leite em São Paulo Objetivos da organização: Representar a cadeia do leite no Estado de São Paulo de forma a promover seu desenvolvimento através de ações para: –Promoção do consumo de lácteos no Estado. –Aumento da competitividade de produtores e indústria. –Coleta, análises e disseminação de informações do setor. –Padronizar normas e contratos em relação a produção, industrialização e comercialização de leite. –Resolução de conflitos –Apoio a pesquisas e inovações –Desenvolvimento de novos canais e mercados

3 GeCad Leite São Paulo 2010 Importância para o GeCad Comp. fazendas Cooperativas Análise legal Capacitação Qualidade Nichos Comp. industrial CinLeite Exportação Organização vertical Planejar e executar ações propostas pelo GeCad Leite São Paulo 2010 bem como outras ações de interesse da cadeia.

4 GeCad Leite São Paulo 2010 Metodologia de trabalho Viagem internacional a Dairy Austrália. (julho/2006) Entrevistas realizadas com organizações que representam a cadeia produtiva no Brasil.(Láctea Brasil; Laranja Brasil; SIC) Estudos de casos realizados com organizações de sucesso em outros países. Reuniões e entrevistas com especialistas na área. Revisão bibliográfica sobre o assunto.

5 Benchmark Internacional Objetivos: Estudar objetivos e ações realizadas por estas organizações Estudo sobre os principais resultados obtidos Estrutura de governança das organizações Mecanismos de financiamento

6 GeCad Leite São Paulo 2010 Resultados: Aumento do consumo de leite no país e aumento das exportações Principais ações: Direção e entrega de Pesquisa e Desenvolvimento, Coleta de informações, Análise e disseminação, Gerenciamento dos problemas, Marketing nacional Desenvolvimento do comércio internacional. Objetivos da organização: Promover o desenvolvimento dos laticínios australianos, de forma a contribuir para a promoção da indústria e da produção, agindo como corpo de serviços da indústria. Membros da organização: Fazendeiros e laticínios País: Austrália Dairy Austrália Mecanismos de financiamento: Laticínios coleta recursos e repassa ao governo que os transfere a organização.

7 GeCad Leite São Paulo 2010 Diretor Administrativo Diretoria Presidente Assuntos Técnicos Comércio e Estratégia Serviços Corporativos CapacitaçãoPesquisa e Inovação Marketing Nacional Relações Públicas Inovação Industrial Recursos Humanos Assistente Executivo Auditoria e Risco Remuneração Comitês Dairy Austrália

8 GeCad Leite São Paulo 2010 Mecanismo de financiamento: Dairy Austrália Indústria empréstimo* taxa** Investimentos Produtores -*Empréstimo: os membros da DA podem conceder empréstimos à organização, caso os juros não excedam os dos bancos australianos. -**Taxa: valor de 0,321 centavos por litro de leite. Descontada na compra da indústria sobre os produtores. O montante é repassado para a organização. Dairy Austrália

9 Benchmark Internacional Busca de informações nos site das organizações e envio de questionários

10 GeCad Leite São Paulo 2010 Resultados: Aumento do consumo de leite no país Principais ações: Promoção do consumo (Promolac) ; Relação com a indústria: manter uma relação fluída na tentativa de solucionar conflitos ; Subsídios internacionais: monitoramento de subsídios em outros países, principalmente EUA e na Europa ; Transparência de mercado: para resolução de distorções que existem no mercado interno de leite fresco ; Normas para pagamento leite ; Acordos comerciais Objetivos da organização: Desenvolver e proteger a produção de leite no Chile Membros da organização: Representantes de diferentes associações de produtores País: Chile FEDELECHE Mecanismos de financiamento: Um terço pago pelo Estado e dois terços pelos produtores

11 GeCad Leite São Paulo 2010 Presidente 1º Vice-presidente2º Vice-presidente TesoureiroSecretário4 Diretores Diretoria Departamento de Comunicação Departamento Técnico Gerencia De apoio Federación Nacional de Productores de Leche

12 GeCad Leite São Paulo 2010 Federación Nacional de Productores de Leche - FEDELECHE (CHILE) Produtores Aproleche contribuição* FEDELECHE *Contribuição: o valor da contribuição é de $0,20 dólar (1 dólar=540 pesos chilenos). **Cota mensal: o valor emitido de cada associação é definido anualmente conforme a sua participação na produção total do país. Indústria cota mensal**

13 GeCad Leite São Paulo 2010 Resultados: Aumento de consumo de lácteos Principais ações: Ações são desenvolvidas pela MILKPep como forma de aumentar o consumo de leite nos locais o programa abrange. Entre essas ações temos: Planejamento Integrado de Marketing ; Comunicação ; Relações públicas ; Promoções ; Campanhas de competição do produto ; Seminários Objetivos da organização: Educar os consumidores sobre os benefícios do leite aumentando assim o seu consumo. Membros da organização: Produtores, laticínios e varejo País: Estados Unidos IDFA e Dairy Management Mecanismos de financiamento: Taxa paga pelos laticínios

14 GeCad Leite São Paulo 2010 IDFA Diretoria Força-Tarefa Comitês Legislativo e Fiscal Segurança no Trabalho Comércio exterior Worldwide Food Expo Canais de Distribuição Biossegurança MilkPEP International Dairy Foods Association – IDFA

15 GeCad Leite São Paulo 2010 Oficiais Diretoria Tesoureiro (UDIA) Presidente (UDIA) Vice-presidente (NDB) Secretário (NDB) 47 UDIA36 NDB - NDB: Diretoria Nacional Láctea de Promoção e Pesquisa. Composta por produtores. - UDIA: Associação das Indústrias Lácteas. Federação de dezoito estados e organizações lácteas regionais Dairy Management Inc

16 GeCad Leite São Paulo 2010 Financiamentos Nacional´s Fluid Milk Processors - O Financiamento das campanhas via IDFA é de US$ 0,20 para cada hundredweight (45,3 kg) de todo leite comercializado. IDFA

17 GeCad Leite São Paulo 2010 Produtores Associação das Indústrias lácteas contribuição* DMI *Contribuição: 15 centavos de dólar por hundredweight (45,3 kg) comercializado, sendo 5 repassados para Diretoria Nacional e 10 para a Associação das Indústrias. Diretoria Láctea Nacional plano unificado de MKT Dairy Management Inc.

18 GeCad Leite São Paulo 2010 Resultados: Aumento de 0.4 milhões de sacas exportadas em 1980, a FNC passou a exportar 2.5 milhões em Principais ações: Relações com autoridades, comercialização do café colombiano, política internacional do café, publicidade e promoção, valor agregado, competitividade da cafeicultura, educação para o dese nvolvimento e bem-estar social. Objetivos da organização: Fomentar a cafeicultura colombiana, buscando o bem-estar do cafeicultor. Membros da organização: Cafeicultores que possuam área plantada de 0,5 hectare com, no mínimo, 1500 árvores. País: Colômbia Federación Nacional de Cafeteros de Colombia Mecanismos de financiamento: FoNC - Fundo Nacional do Café

19 GeCad Leite São Paulo 2010 Congresso Nacional Comitê Nacional Comitê Diretivo Comitês Departamentais Comitês Municipais Cafeicultores Federados Federación Nacional de Cafeteros de Colômbia

20 GeCad Leite São Paulo 2010 Mecanismos de financiamento: FEDERACAFÉ FoNC emissão de títulos retenção* Investidores Cafeicultores exportadores - Retenção: valor pago por unidade de café exportada, sendo a diferença entre o preço externo (convertido em pesos) e o preço interno. Federación Nacional de Cafeteros de Colombia

21 GeCad Leite São Paulo 2010 Resultados: Aumento da capacitação dos produtores, aumento do consumo de carne Principais ações: Coordena impostos e responsabilidades designadas pelo Beef Promotion and Research Act and Order. Coordena esforços nacionais e estaduais para a construção da demanda de carne. Objetivos da organização: Representar a carne dos EUA, através da promoção, pesquisa, informação e atividades relacionadas à carne e sua produção Membros da organização: Pecuaristas, membros do governo e frigoríficos País: Estados Unidos National Cattlemen's Beef Association Mecanismos de financiamento: Taxa paga pelos pecuaristas a organização

22 GeCad Leite São Paulo 2010 Diretoria Diretoria Divisão Regional Comitês de Política Comitês de Integração Comitê Executivo Diretoria Divisão Federal - Política Agrícola - Saúde e Bem-estar do gado - Terras Federais - Marketing de gado vivo - Direitos de propriedade - Administração Ambiental - Impostos e crédito - Associação - Produção e pesquisa - Segurança da carne - Marketing Internacional - Informação - Nutrição e Saúde - Nutrição Humana - Desenvolvimento de -novos produtores - Comunicação dos produtores - serviço dos produtores 45 Estados7 Regiões National Cattlemen's Beef Association

23 GeCad Leite São Paulo 2010 Benchmarking National Cattlemen's Beef Association (EUA) - Mecanismos de financiamentos: Contribuições * investimento Membro Associado -Contribuições: As contribuições anuais variam conforme o tipo de associação à NCBA, assim como os conjuntos de benefícios de cada classe. Membro Sócio NCBA Membro Conselho Membro Ouro Membros Cadeia $ $ $4.000 $2.000

24 GeCad Leite São Paulo 2010 Resultados: Taxa são pagas pelos produtores de citrus por cada caixa comercializada. Principais ações: Proteger a reputação global de certos produtos em resposta a percepções equivocadas ; Regulamentação de indústrias, pesquisa científica, econômica e de mercado, propaganda, merchandising, relações públicas com a indústria e promoções ao consumidor Objetivos da organização: Aumentar a demanda por citrus da Flórida, levando benefícios diretos aos produtores Membros da organização: Produtores, packing house, indústria País: Estados Unidos Laranja da Flórida Mecanismos de financiamento: Taxa paga pelos produtores

25 GeCad Leite São Paulo 2010 Benchmarking The Florida Department of Citrus (EUA) - Estrutura Organizacional: Governo da Flórida FDOC Comissão 7 produtores Comitê de Consultoria 3 processadores 2 Embaladores Auditoria Indústrias

26 GeCad Leite São Paulo 2010 Benchmarking The Florida Department of Citrus (EUA) - Mecanismos de financiamentos: The Florida Departament of Citrus Indústria imposto* ações Produtores - Imposto: Governo Estadual Patrocínios e Doações Vendas variadas

27 GeCad Leite São Paulo 2010 Consolidação do benchmark internacional Consolidação benchmark internacional Objetivos Os objetivos das organizações internacionais estudadas estão relacionados a defesa e promoção dos interesses da cadeia produtiva relacionada. Ações Ações relacionadas a promoção de consumo, resolução de conflitos, inteligência de mercado, mercados internacionais, entre outras. Formas de financiamento O recurso em quase todos os casos é resultado de coleta efetuada junto a produtores e industrias. Este dinheiro é coletado pelo governo que repassa a organização. Alguns casos, o recurso é do governo e repassado a organização.

28 Benchmark nacional Visitas a 3 organizações no Brasil SIC Laranja Brasil Láctea Brasil

29 GeCad Leite São Paulo 2010 Benchmark nacional Consolidação dos casos nacionais Pontos fortes Organização é vista como moderna Bens de clube Resultados positivos com campanhas de conscientização de crianças. Fim de imitações de produtos Retorno da comunidade em campanhas de incentivo ao consumo.. Pontos fracos Problemas com captação de recursos Falta de comprometimento com a organização pelos associados Falta de foco nas ações/ Ações limitadas Surgimento de outras organizações com focos semelhantes Difícil mensuração dos resultados. Realizam quase que exclusivamente campanhas de comunicação Interesses políticos

30 GeCad Leite São Paulo 2010 Considerações comitê gestor Importância da organização Falta de motivação para a estruturação da organização Comprometimento da indústria e distribuição nessa organização. Representatividade desta organização perante ao Estado. Papel das atuais organizações horizontais Dificuldade de estruturação – Necessidade de etapas

31 SUGESTÕES DE IMPLEMENTAÇÃO

32 GeCad Leite São Paulo 2010 Sugestão de implementação Organizações horizontais Organização Vertical da Cadeia do Leite SP 1ª Opção 2ª Opção Transformar a organização Láctea Brasil em uma organização que represente a Cadeia do leite SP As organizações horizontais da Cadeia do Leite SP estruturam uma nova organização.

33 GeCad Leite São Paulo 2010 Sugestão de implementação LÁCTEA BRASIL NOVA ORGANIZAÇÃO Organização estruturada Credibilidade no setor Organização nasce com representação de toda a cadeia. Motivação Conceito moderno e atual Ações focadas para o Estado de São Paulo Ações com foco São Paulo serão limitadas. Problemas com falta de recursos Necessidade de reestruturação dos mecanismos de governança Dificuldade de estruturação Necessidade de adesão de sócios Busca de credibilidade na cadeia produtiva Interesse de todos os setores VANTAGENS DESVANTAGENS

34 GeCad Leite São Paulo 2010 Sugestões de implementação PRODESEL Programa para o desenvolvimento do setor leiteiro Semelhante ao Fundo de Expansão da Agropecuária e da PESCA – Lei nº de 16 de julho de –Desenvolvimento da cadeia do leite em SP. Financiamento –Instituição do FUNDOLEITE I- dotações orçamentárias do Estado e créditos adicionais que lhe forem destinados; II- recursos provenientes de convênios, contratos e outros ajustes celebrados com instituições públicas ou privadas, nacionais ou estrangeiras; III- recursos resultantes de doações de pessoas físicas ou jurídicas; IV- recursos auferidos em razão de aplicações financeiras; V- percentual da arrecadação de ICMS incidentes nos produtos lácteos, a ser definido pelo Poder Executivo no prazo de 90 dias, no Decreto que regulamentará esta Lei; VI- outras rendas ou receitas a ele destinadas

35 GeCad Leite São Paulo 2010 Sugestão de implementação PRODESEL Programa para o desenvolvimento do setor leiteiro Organização Vertical da Cadeia do Leite SP Proposta única 3ª Opção

36 PROPOSTA DE ORGANIZAÇÃO VERTICAL Estrutura organizacional

37 GeCad Leite São Paulo 2010 Estrutura organizacional Conselho Diretor executivo CoordenaçãoCapacitaçãoDistribuiçãoP&DComunicação CinLeite Composto por: Organizações horizontais: Insumos / Produtores / Indústria / Distribuição / Facilitadores Executivo contratado para exercer a função de gestor da organização Equipe contratada para cuidar das diversas áreas da organização vertical

38 GeCad Leite São Paulo 2010 Mecanismo de financiamento GOVERNO Organização Vertical da Cadeia do Leite SP FunLeite SP Organização Vertical da Cadeia do Leite SP FunLeite SP Organização Vertical da Cadeia do Leite SP FunLeite SP GOVERNO 1ª Opção 2ª Opção 3ª Opção AGENTES DA CADEIA

39 ETAPAS PARA ESTRUTURAÇÃO

40 GeCad Leite São Paulo 2010 Etapas para estruturação Estruturação de uma organização virtual Contratação de um gestor para a organização Regulamentação da organização perante Estado Implementação da organização Definir controles e performance

41 GeCad Leite São Paulo 2010 ? Questionamentos 1.Qual é a melhor opção para a estruturação da organização vertical em São Paulo? 2.Qual a melhor forma de financiamento? Compulsório ou não? 3.A estrutura organizacional e ações propostas contemplam as necessidades da cadeia? 4.Que organização poderia liderar o processo de Estruturação da organização?

42 Reuniões de comitê SALA ASALA BSALA CSALA DSALA E


Carregar ppt "Estruturação de uma Organização Vertical para Cadeia do Leite SP Este projeto tem por objetivo estruturar uma organização vertical para a cadeia do leite."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google