A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DEFININDO A AVALIAÇÃO NO CMEI MARILANDA ABRIL 2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DEFININDO A AVALIAÇÃO NO CMEI MARILANDA ABRIL 2011."— Transcrição da apresentação:

1 DEFININDO A AVALIAÇÃO NO CMEI MARILANDA ABRIL 2011

2 O INÍCIO DO PERCURSO: 1º - Fichas avaliativas com pontos objetivos a serem marcados: O próprio grupo percebeu que não contemplava a criança em sua subjetividade; 2º- Relatórios Semestrais: Esses não contemplavam uma avaliação contínua e formativa, uma vez que eram elaborados apenas em finais de semestres. Repetia-se modelos, o que tornava os relatórios repetitivos; 3º Relatórios Trimestrais: O grupo não conseguiu elaborar os três relatórios que viessem a contemplar uma avaliação no processo e que essa ajudasse nas intervenções e acompanhamento do desenvolvimento e aprendizagem da criança;

3 MOMENTO ATUAL: Surge o desafio da mudança: Outro tipo de avaliação; Por outro lado, o sentimento predominante é de colocar - parcialmente - em causa, as práticas de dez anos de experiência CMEI, surgem os conflitos/dilemas; Mas o desafio de articular os novos saberes com a experiência profissional, questionando e reformulando as práticas com vista a melhorar a qualidade do atendimento pedagógico proporcionado às crianças, poderá vencer as resistências (naturais) à mudança.

4 ÁLBUM DE PRODUÇÕES DA CRIANÇA? Por quê? Para quê? Por que não portfólio? Por que estudar portfólio e chamar álbum da criança?

5 A avaliação no CMEI Marilanda Bezerra não é somente realizada através de um registro da criança, mas também, com diferentes formas de interpretar, representar e simbolizar as vivências: desenhos, expressão corporal, fotografias, contato com outros materiais que atualmente estamos chamando de Álbum de Produções das Crianças, porque está num processo de implantação e experimentação neste ano de 2011, mas que tem sua fundamentação teórica baseada no conceito de Portfólio.

6 M AS AFINAL, O QUE É UM P ORTFÓLIO ? O portfólio é uma coleção de produções do aluno que apresentam evidências de sua aprendizagem. Em outras palavras, o portfólio de avaliação é uma coleção que documenta o processo de aprendizagem e permite a tomada de decisões sobre a continuidade do processo educativo (Villas Boas, 2004)

7 É um meio de avaliação que fornece uma visão completa e compreensiva da realização da criança no contexto”. (Paulson,et al, 1991) “O Portfolio de avaliação apresenta-se como uma alternativa no âmbito da avaliação autêntica”. (Parente, 2000, pág. 274)

8 PRESSUPOSTOS DE PARTIDA A concepção deste novo formato de avaliação está em consonância com alguns princípios que considera orientadores do processo avaliativo: Uma perspectiva holística da criança e da aprendizagem; O caráter contínuo, sistemático e interpretativo do processo de avaliação; A valorização da participação das crianças no seu processo educativo; O recolhimento de informações contextualizadas e em tarefas reais; A diversidade, o cruzamento e a complementaridade das informações sobre cada uma das crianças ;

9 A utilização do portfólio na Educação Infantil

10 OBSERVAÇÃO: ESTRATÉGIAS UTILIZADAS Procurar introduzir na rotina diária momentos de observação intencional. Repensar hábitos e rotinas usuais e, por isso, muito mais “cômodos”, quase “instalados”. Fomentar parcerias com adultos disponíveis, cooperando na criação de oportunidades de observação mais frequentes... Recorrer a outras fontes de informações, como as fotografias para utilizar no álbum posteriormente; Criar pequenos truques auxiliadores do registro por escrito de acontecimentos significativos (registro contínuo, fotos, filmagens, gravações de áudio…)

11 SUGESTÃO DO ÍNDICE PARA O MARILANDA: Identidade e autonomia (auto-retrato/esquema corporal); Linguagem (Escrita espontânea do nome e de texto, desenho); Artes (plásticas/dramática,etc); Matemática(número, classificação, seriação, formas geométricas, cores…); Natureza e Sociedade (integrar aos projetos e acontecimentos e datas comemorativas da escola); Projetos (as atividades podem integrar os eixos ou serem apenas do projeto); Fotografias (caixa de areia/laboratório da criança/matemática/projetos, etc); Registro contínuo.

12 TRAJETÓRIA DE CONSTRUÇÃO DO ÁLBUM 1. ADESÃO; 2. ESTUDOS; 3. ESCOLHA E REVISÃO DE SELEÇÃO DAS PRODUÇÕES; 4. AVALIAÇÃO E REFLEXÃO SOBRE AS PRODUÇÕES DAS CRIANÇAS; 5. ORGANIZAÇÃO DO ÁLBUM DE PRODUÇÕES PENSANDO NUM PROCESSO COM SEQUÊNCIA.

13 PRODUÇÕES DAS CRIANÇAS

14 A TIVIDADES DO Á LBUM DE APRENDIZAGEM

15

16

17

18

19

20

21

22

23 O SENTIMENTO DAS PROFESSORAS NESSE PROCESSO NO MOMENTO QUE SURGIU A PROPOSTA DO ÁLBUM COMO FOI APRESENTADO AO GRUPO A DECISÃO DO GRUPO DE EXPERIMENTAR COMO ESTÁ ACONTECENDO NA PRÁTICA

24 REFERÊNCIAS Bernardes, Clara; Bizarro, Filipe (2004). portfólio: Uma escola de competências. Porto: Porto Editora Sá-Chaves, Idália (2005). Os “portfólios” reflexivos (também)trazem gente dentro: reflexões em torno do seu uso na humanização dos processos educativos. Porto: Porto Editora da Universidade do Porto/PT) Parente, C. (2004). Práticas Alternativas de Avaliação na Pedagogia da Infância: sete jornadas de aprendizagem. Tese apresentada ao Instituto de Estudos da Criança da Universidade do Minho, disponível no endereço eletrônico: Parente, C. (1996). O Portfolio de Avaliação na Educação Pré-escolar: no trilho de um caminho mais autêntico. Comunicação no Congresso Internacional “Os Mundos Sociais e Culturais da Infância”, de 19 a 22/01/2000 na Universidade do Minho. In: Actas, III volume.


Carregar ppt "DEFININDO A AVALIAÇÃO NO CMEI MARILANDA ABRIL 2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google