A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Desenho da Família Disciplina Técnicas Projetivas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Desenho da Família Disciplina Técnicas Projetivas."— Transcrição da apresentação:

1 Desenho da Família Disciplina Técnicas Projetivas

2 O que representa a família???

3 Contextualizando a família Primeiro ambiente de interação da criança Pais, mãe e irmãos com quem se produz a esfera afetiva e intelectual Onde se constrói as relações objetais Motivações profundas das perturbações de adaptação Exposição dos sentimentos mais íntimos

4 Desenho da família Revela traços de personalidade através da projeção Permite a projeção de tendências recalcadas Pode revelar sentimentos que nutre pelos membros do sistema familiar.

5 Rápido na execução e interpretação Pode se aplicado a partir dos 5 ou 6 anos Instrução “desenhe uma família” e não especificando “desenha a sua família” facilita a projeção de aspectos inconscientes já que não aumenta tanto a resistência.

6 Desenho da família Investimento privilegiado imagem de si Defesa do ego contra a angústia Complexo de Édipo e suas implicações O mundo da criança é a sua família e suas relações tem importância decisiva no entendimento da personalidade

7 Desenho da família Importância do esquecimento de certas pessoas Personagens desenhados em primeiro lugar Sinais valorização e minimização Lugar do sujeito no grupo familiar

8 Interpretação Inicia no inquérito Amplitude:  Personagens muito grandes, saindo da página pode demonstrar desequilíbrio  Desenho muito pequeno: defeito de expansão, inibição Localização na página  Superior: expansão imaginativa  Inferior: instintos primordiais

9 L, 15 anos 1)Inicia o tronco da árvore 2) pai, mãe e filho 3) caminho repleto de árvores Situa a família em um plano regressivo e numa atitude de imobilidade

10 Comparação com a família autêntica Assinalar deformações Supressões Acréscimos Em que sentido e em que medidas as tendências afetivas próprias do sujeito transformaram o real

11 Admiração e amor X desconsideração e ódio Elementos representados na família Uso de defesa do ego para lidar com princípios opostos

12 Desenho da família ideal Testando nega a realidade atual traumatizante do afastamento do pai e se coloca em cena como criança quando ainda morava com o pai.

13 Valorização da personagem principal Relações particularmente significativas Pessoa que investe maior carga afetiva Desenhada em primeiro lugar Se destaca pelo físico maior Geralmente posição inicial à esquerda da família Quando é o próprio indivíduo: tendências narcisistas

14 J, 11 anos, não separa pai e mãe, se coloca mais afastada, se representa maior que a mãe, Mãe em perspectiva

15 Desvalorização Falta de uma figura sugere relações pelo menos difíceis com o ausente Sujeito pode não se representar em seu desenho Desenhada menor que as demais Colocada em último lugar Colocada desviada das outras Desenhada com menor cuidado Depreciada com um atributo negativo

16 M, 11 anos, 3º de 8 crianças 1) mae, berço, pai e cinco pequenos personagens Pais agressivos Se identifica com berço por necessitar maior cuidado

17 R, 20 anos 1)mãe, avó, e pai Personagens femininas com maior importância

18 Deslocamento  Coloca no outro personagem questões que não são aceitas em si  Personagem bastante diferente pelas características  Mais comum: tendência censurada colocada em irmãos

19 Personagem acrescido  Pode representar personagem que substitui o sujeito  Tendência do sujeito que não pode representar diretamente  Ex: filho único que se desenha com um irmão que tem características suas difíceis de acessar

20 Laços e relações à distância Laço que o indivíduo estabelece entre personagens Aproximação de duas pessoas: intimidade desejada ou desprezada Quando há muitas pessoas em um desenho, a proximidade de duas delas implica necessariamente o afastamento das outras

21 J, 9 anos Casal paterno unido Filho mais novo (1 ano) na transparência Deseja o carinho da mãe

22 Identificações Identificação da realidade  Quando representa a si mesmo em idade e sexo Identificação de desejo  Se projeta nos personagens que mais satisfaçam suas tendências confessáveis Identificação de defesa  Símbolo do superego. Ex: estímulo agressivo em uma e em outra, um policial que dita as regras

23 A família verdadeira Sujeito se submete à objetividade do real Representa diversos membros da família na linha hierárquica Respeito das características de idade, sexo e situação de cada um Indica predomínio princípio da realidade sobre o princípio do prazer. Pode sugerir conflito neurótico

24 Todos os membros Pai em destaque (charuto e chapéu) “ o melhor de todos é o P., (junto ao pai) porque é muito obediente e a mais feliz é a C. (junto à mãe) porque é pequena e mimada)”.

25 Família imaginária Personagens figuradas não apresentam nenhuma realidade objetiva Projeção das tendências próprias do sujeito Membros não tem existência real, mas são vistos em razão daquilo que representam as tendências afetivas do sujeito Quanto mais a família representada é diferente da real, mais funciona o mecanismo de projeção.

26 Referência: CORMAN, Louis. O teste do desenho da família. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.


Carregar ppt "Desenho da Família Disciplina Técnicas Projetivas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google