A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FISIOLOGIA DO CICLO MENSTRUAL Dr. Eduardo Camelo de Castro Ginecologista e Obstetra Diretor Técnico do Centro de Reprodução Humana Fêmina Professor da.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FISIOLOGIA DO CICLO MENSTRUAL Dr. Eduardo Camelo de Castro Ginecologista e Obstetra Diretor Técnico do Centro de Reprodução Humana Fêmina Professor da."— Transcrição da apresentação:

1 FISIOLOGIA DO CICLO MENSTRUAL Dr. Eduardo Camelo de Castro Ginecologista e Obstetra Diretor Técnico do Centro de Reprodução Humana Fêmina Professor da Faculdade de Medicina da UFG Professor do Curso de Medicina da PUC-GO Membro da Câmara Técnica de Ginecologia e Obstetrícia do CRM-GO

2 EIXO HIPOTÁLAMO - HIPÓFISE OVÁRIO Estrutura que sustenta o funcionamento hormonal Regula a função ovariana

3 SNC exerce controle sobre as funções reprodutoras por meio de diversas substâncias EIXO HIPOTÁLAMO - HIPÓFISE OVÁRIO

4 RESERVA OVARIANA Nascimento +/ de oócitos Menarca: anos, com ciclos regulares: a folículos Perda mensal de oócitos até a menopausa: nenhum oócito APENAS 400 FOLÍCULOS OVULAM

5 CICLO HORMONAL

6 CICLO OVARIANO FASE FOLICULAR Folículo primordial Folículo pré-antral Folículo antral Folículo pré-ovulatório OVULAÇÃO FASE LÚTEA

7 DESENVOLVIMENTO FOLICULAR FOLÍCULO PRIMORDIAL OÓCITO E 1 CAMADA DE CÉLS GRANULOSAS ACHATADAS Diâmetro do oócito cresce, aparece a zona pelúcida 5 a 8 meses para atingir o estágio de 2 células

8 DESENVOLVIMENTO FOLICULAR FOLÍCULO PRIMÁRIO OÓCITO E 2 OU MAIS CÉLULAS GRANULOSAS CÚBICAS 2 meses para atingir o estágio pré- antral

9 FOLÍCULO PRÉ-ANTRAL Crescimento folicular inicial ocorre independentemente da ação hormonal FSH estimula crescimento folicular para estágio pré-antral

10 FOLÍCULO PRÉ-ANTRAL FSH / E2 aumentam conteúdo de FSH R na granulosa FSH induz aromatização de Androgênio em E2

11 DESENVOLVIMENTO FOLICULAR LH R estão apenas nas cels da teca FSH R estão apenas nas cels da granulosa

12 VÁRIAS CAMADAS DE CÉLS GRANULOSAS ANTRO FOLICULAR: Cavidade cheia de líquido folicular MEMBRANA BASAL FOLÍCULO ANTRAL

13 Aumento progressivo do Estradiol: influência (-) sobre a liberação FSH influência (+) com o LH no meio do ciclo

14 FOLÍCULO ANTRAL Produção do E2 é explicada pelo mecanismo das 2 células FSH / E2 induzem aparecimento LH R na granulosa Aumento do LH na fase folicular tardia estimula a produção de A na teca

15 FOLÍCULO ANTRAL Resposta folicular ao FSH/LH é modulada por uma série de fatores de crescimento com retrocontroles (+) ou (-) Líquido folicular possui várias proteinas: a INIBINA secretada pela granulosa inibe FSH

16 DESENVOLVIMENTO FOLICULAR Desenvolvimento acentuado do antro Oócito fica cercado de acúmulo oocitário (3) cumulus oophorus (4) Diametro do folículo = 22 mm

17 DESENVOLVIMENTO FOLICULAR Seleção do folículo dominante nos dias 5 – 7 do ciclo Estradiol começa a elevar pelo dia 7

18 FOLÍCULO PRÉ-OVULATÓRIO Produção de E2 aumenta, induzindo o pico de LH LH atua nos seus R inicia a luteinização e produção de P2 pela granulosa

19 FOLÍCULO PRÉ-OVULATÓRIO Elevação pré-ovulatória da P: Facilita feedback (+) do E Induz pico de FSH

20 FOLÍCULO PRÉ-OVULATÓRIO Há aumento de A no meio do ciclo derivado da teca dos folículos menores

21 E2 atinge um platô (200 pg) +/- 24 a 48 h antes da ovulação (feedback (+) com LH) LH estimula síntese de prostaglandinas e luteiniza as céls da granulosa FOLÍCULO PRÉ-OVULATÓRIO

22 POSTURA OVULAR

23 FORMAÇÃO DO CORPO LÚTEO

24 FASE LÚTEA Função lútea normal: exige desenvolvimento folicular pré- ovulatório ótimo e estimulação tônica contínua pelo LH Intensa proliferação celular e vascularização crescente Progesterona atua dentro do ovário para suprimir novo crescimento folicular Duração do Corpo Lúteo: +/- 14 dias

25 FASE LÚTEA R egressão do CL parece envolver a ação luteolítica de sua própria produção de E Ocorre a perda de função e morte celular, a fim de permitir o desenvolvimento folicular do próximo ciclo Na gravidez o HCG mantém a função do CL

26 ENDOMÉTRIO fase proliferativa ESTROGÊNIO AUMENTA: ESPESSURA ENDOMÉTRIO TORTUOSIDADE DAS GLÂNDULAS NÚMERO DAS GLÂNDULAS PSEUDOESTRATIFICAÇÃO DO EPITÉLIO GLANDULAR HIPERCROMIA NUCLER (> DNA)

27 Não ocorrendo a gestação: Há infiltração leucocitária e reação decidual do estroma CL regride e ocorre a descamação endometrial (menstruação) ENDOMÉTRIO Fase Secretora

28 Resumo: Fisiologia da Ovulação

29 OBRIGADO


Carregar ppt "FISIOLOGIA DO CICLO MENSTRUAL Dr. Eduardo Camelo de Castro Ginecologista e Obstetra Diretor Técnico do Centro de Reprodução Humana Fêmina Professor da."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google