A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O CRISTO CONSOLADOR Cap. VI Evangelho Espiritismo Palestra 14/2009 - 12/05/2009 SEGUNDO O O Tema:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O CRISTO CONSOLADOR Cap. VI Evangelho Espiritismo Palestra 14/2009 - 12/05/2009 SEGUNDO O O Tema:"— Transcrição da apresentação:

1 O CRISTO CONSOLADOR Cap. VI Evangelho Espiritismo Palestra 14/ /05/2009 SEGUNDO O O Tema:

2 O Cristo Consolador Em toda estrada transparecem festivais de sorrisos e chovem lágrimas de aflição, mas o amor, com o Cristo-Jesus, recupera a poesia perdida ao longo de nosso caminho, pois só ele transforma o miasma em perfume, o incêndio em luz, o espinho em flor, o deserto em jardim e a queda em ascensão. Manuel Quintão da obra O Espírito da Verdade, psicografia de Francisco Cândido Xavier

3 O Cristo Consolador Jesus segue à frente de nós. Se você deseja acertar, basta apenas segui-lo. Sigamo-lo, pois. André Luiz da obra O Espírito da Verdade, psicografia de Francisco Cândido Xavier

4 O Cristo Consolador

5 Se me amardes, guardareis os meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; O Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós. Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em Jesus Evangelho de João 14, 15-17; 26 O Cristo Consolador meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.

6 Em sua promessa, Jesus menciona o Espírito de Verdade que o mundo não vê e não conhece, mas que viria para estar eternamente entre nós. Analisando o texto da promessa, percebemos que: - Jesus já antecipava os descaminhos do homem em relação à mensagem que estava deixando. Se alguém seria enviado, para lembrar coisas que Jesus dissera, isso ocorreria, porque os homens teriam esquecido esses ensinos; - Se viria para ensinar todas as coisas, é porque Jesus não pôde ensinar tudo quando esteve aqui, por faltarem aos homens os pré-requisitos para o entendimento mais profundo da realidade. - Se o Consolador viria para estar eternamente conosco, ele não poderia se apresentar como um ser encarnado, porque o corpo físico é perecível. Deduz-se, portanto, que o Espírito de Verdade precisaria de outra maneira de estar conosco, sem ser pela encarnação em um corpo material. Dalva Silva Souza Vice-Presidente de Assuntos da Família da Federação Espírita do Estado do Espírito Santo O Cristo Consolador

7 Os Espíritos do Senhor, que são as virtudes dos Céus, qual imenso exército que se movimenta ao receber as ordens do seu comando, espalham-se por toda a superfície da Terra e, semelhantes a estrelas cadentes, vêm iluminar os caminhos e abrir os olhos aos cegos. Eu vos digo, em verdade, que são chegados os tempos em que todas as coisas hão de ser restabelecidas no seu verdadeiro sentido, para dissipar as trevas, confundir os orgulhosos e glorificar os justos. Espírito Verdade Prefácio do Evangelho Segundo o Espiritismo O Cristo Consolador

8 O Espiritismo vem, na época predita, cumprir a promessa do Cristo: preside ao seu advento o Espírito de Verdade. Ele chama os homens à observância da lei; ensina todas as coisas fazendo compreender o que Jesus só disse por parábolas. Allan Kardec Cap. VI – Item 4 Evangelho Segundo o Espiritismo

9 As grandes vozes do Céu ressoam como sons de trombetas, e os cânticos dos anjos se lhes associam. Nós vos convidamos, a vós homens, para o divino concerto. Tomai da lira, fazei uníssonas vossas vozes, e que, num hino sagrado, elas se estendam e repercutam de um extremo a outro do Universo. Homens, irmãos a quem amamos, aqui estamos junto de vós. Amai-vos, também, uns aos outros e dizei do fundo do coração, fazendo as vontades do Pai, que está no Céu: Senhor! Senhor!... e podereis entrar no reino dos Céus.. Espírito Verdade Prefácio do Evangelho Segundo o Espiritismo O Cristo Consolador

10 Vinde a mim, todos vós que estais aflitos e sobrecarregados, que eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei comigo que sou brando e humilde de coração e achareis repouso para vossas almas, pois é suave o meu jugo e leve o meu fardo. Jesus Evangelho de Mateus 11 vv 28-30

11 O Cristo Consolador Aflitos

12 O Cristo Consolador - Aflição Dicionário Aurélio Aflição - do latim afflictione: 1. Agonia, atribulação, angústia, sofrimento. 2. Tristeza, mágoa, pesar, dor. 3. Cuidado, preocupação, inquietação, ansiedade. 4. Padecimento físico; tormento, tortura.

13 Ante as dificuldades do cotidiano, exerçamos a paciência, não apenas em auxílio aos outros, mas igualmente a favor de nós mesmos. Lembremo-nos de que as Leis Divinas, através dos processos de ação visível e invisível da natureza, a todos nos tratam em bases de equilíbrio, entregando- nos a elas, entre as necessidades do aperfeiçoamento e os desafios do progresso, com a lógica de quem sabe que tensão não substitui esforço construtivo, ante os problemas naturais do caminho.

14 E façamos isso, não apenas por amor aos que nos cercam, mas também a fim de proteger-nos contra a hora da ansiedade que nasce e cresce de nossa invigilância para asfixiar-nos a alma ou arrasar-nos o tempo sem qualquer razão de ser. Emmanuel – Aflição Vazia da obra Encontro Marcado, psicografia de Francisco Xavier

15 O Cristo Consolador Alivio

16 O Cristo Consolador - Alivio Se a pessoa se apóia em algo material para tentar superar a fase complexa, logo se desiludirá. As viagens de espairecimento e de lazer trarão cansaço e aborrecimento. As compras, por mais caras e variadas, acabarão por impor enfado e fadiga. Os cardápios primorosos em mesas fartas, com o tempo, trarão enjôo e inapetência. Os jogos de azar, que aparentemente distraem, tornam-se ladeiras escorregadias do vício e estuário de vacuidades. As taças de licores, repetidas vezes, farão com que se acumulem sombras nas estradas de torturante embriaguês. Caso alguém se apóie em outro alguém, na tentativa de impor-se ao período áspero, muito cedo se desgostará, caindo em desconforto. Francisco de Paula Vítor da obra Quem é o Cristo?, psicografia de José Raul Teixeira

17 O Cristo Consolador - Alivio O mergulho na sexualidade, como quem deseja chafurdar-se em ondas de esquecimento das deficiências próprias, transforma-se numa danação a mais, pelo vazio que se impõe o desditoso que acaba por afogar-se no agastamento e na perturbação. Por mais que a alma humana busque proteção e apoio nos dias de árduas lutas e de graves testemunhos, em coisas e pessoas, terá que encontrar frustrações e desalento em razão da ordem mesma da vida. Por mais que a alma se decida por usar sua liberdade para o gozo das fantasias dissolventes, um dia chega em que o cansaço a dobra. Francisco de Paula Vítor da obra Quem é o Cristo?, psicografia de José Raul Teixeira

18 O Cristo Consolador - Alivio Perante toda situação da vida em que você esteja necessitando de um braço ou de um abraço que agasalhe o seu coração, busque Jesus. Jesus Cristo é aquele amigo que sempre espera a nossa decisão de buscá-Lo, de ir até Ele, abrindo mão de tudo o que nos agrilhoa no mundo a fim de nos aconchegarmos em Seus braços. Ele nunca nos indagará por que demoramos tanto. Esse dia da busca é também o dia da maturidade nossa e da aceitação do Senhor. Francisco de Paula Vítor da obra Quem é o Cristo?, psicografia de José Raul Teixeira

19 O Cristo Consolador - Alivio Venho instruir e consolar os pobres deserdados. Venho dizer-lhes que elevem a sua resignação ao nível de suas provas, que chorem, porquanto a dor foi sagrada no Jardim das Oliveiras; mas, que esperem, pois que também a eles os anjos consoladores lhes virão enxugar as lágrimas. Espírito Verdade (Paris, 1861) Evangelho Segundo o Espiritismo Cap. VI Item 6

20 O Cristo Consolador - Alivio É preciso acordarmos para o fato de que a luminosa trajetória de Jesus entre os homens foi para indicar-lhes o caminho a ser percorrido pelo nosso próprio esforço, pelas nossas conquistas interiores. Ele não veio caminhar para nós e sim demarcar o caminho a ser percorrido com uma seqüência inconfundível de exemplos, que nos cabe seguir. Disse claramente que quem desejasse segui-lo, que tomasse sua própria cruz, que irá diminuindo na proporção dos acertos realizados, do bem praticado, da reforma íntima realizada, trazendo por fim o alívio tão almejado. Ricardo Orestes Forni O Alívio de Jesus

21 O Cristo Consolador Julgo

22 O Cristo Consolador - Julgo Jugo, ou canga, é uma trave de madeira que se coloca sobre o pescoço dos bois para puxar o carro ou o arado e, figuradamente, significa domínio, submissão. Na época de Jesus, por exemplo, a Palestina estava sob o jugo romano, ou seja, sob o domínio dos romanos.

23 O Cristo Consolador - Julgo O jugo, por um motivo perfeitamente evidente, é símbolo de servidão, de opressão, de constrangimento. A passagem dos vencidos sob o jugo romano é suficientemente explícita. O jugo simboliza a disciplina de duas maneiras: ou ela é sofrida de modo humilhante, ou a disciplina é escolhida voluntariamente e conduz ao domínio de si, à unidade interior à união com Deus. (Chevalier, 1998)

24 O Cristo Consolador - Julgo Entretanto, faz depender de uma condição a sua assistência e a felicidade que promete aos aflitos. Essa condição está na lei por ele ensinada. Seu jugo é a observância dessa lei; mas, esse jugo é leve e a lei é suave, pois que apenas impõe, como dever, o amor e a caridade. Allan Kardec Cap. VI – Item 2 Evangelho Segundo o Espiritismo

25 O Cristo Consolador - Julgo Sua palavra é dura. Quem pode escutá-la? João 6, 60

26 O Cristo Consolador Repouso

27 O Cristo Consolador - Repouso É um convite para que o ser humano assuma a própria vida e não tema o processo de autoconhecimento. Muitos temem o inconsciente, preferindo não conhecê-lo ou negam-lhe a existência. Adenáuer Marcos Ferraz de Novaes

28 O Cristo Consolador - Repouso O Espiritismo, se verdadeiramente conhecido e, mais importante, sentido e internalizado em sua essência, é uma das expressões do consolador prometido, sem qualquer exclusão a outras doutrinas, religiosas ou não, que promovem a mesma função de preparar o ser humano para as necessárias provas da vida. Adenáuer Marcos Ferraz de Novaes

29 O Cristo Consolador - Repouso Senhor Jesus! Vi o homem moderno como fosse um viajante a deter-se em caminho, junto de construção descomunal. - Agradeço, senhor - dizia ele, - o rio de progresso em que me inundo de alegria esfuziante, as maravilhas que enviaste ao mundo pelos canais do cérebro triunfante. Agradeço à Ciência de alto nível, cintilação do Gênio a servir-me de rastros, que me conduz ao colo de outros astros, no foguete de força quase incrível. Agradeço o avião, o carro, o asfalto, o mundo todo em casa a circuito instantâneo, o átomo cativo, as usinas de urânio, o soro, a anestesia, o antígeno, o cobalto, as máquinas de espécie diferente, desde o computador à enceradeira, que estendem reconforto à Terra inteira, impulsionando os povos para frente.

30 O Cristo Consolador - Repouso Entretanto, Senhor, ao procurar-te em prece, que o sentimento forma e a palavra não diz, minha vida te busca e te deseja, guarda e inspira minhalma, enfim, para que eu seja...plenamente feliz! Nisso, o homem calou-se em pranto mudo. E entendi, afinal, que embora a inteligência brilhe em tudo, e em quase tudo se engrandeça, embora, eis que sem ti, Senhor!, o coração da Terra sofre e chora, entre a fome de paz e a carência de amor. Maria Dolores da obra Diálogo dos Vivos psicografia de Francisco Cândido Xavier

31 Que bom que você veio! Volte sempre e vá com Jesus de Nazaré!!


Carregar ppt "O CRISTO CONSOLADOR Cap. VI Evangelho Espiritismo Palestra 14/2009 - 12/05/2009 SEGUNDO O O Tema:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google