A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIJUÍ-Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul DCS-Departamento de Ciências Sociais PROFESSOR-Dejalma Cremonese ACADÊMICA- Ana.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIJUÍ-Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul DCS-Departamento de Ciências Sociais PROFESSOR-Dejalma Cremonese ACADÊMICA- Ana."— Transcrição da apresentação:

1

2 UNIJUÍ-Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul DCS-Departamento de Ciências Sociais PROFESSOR-Dejalma Cremonese ACADÊMICA- Ana Paula Blau COMPONENTE CURRICULAR-Teoria do Estado 2º SEMESTRE DEZEMBRO,2004

3 HISTÓRIA DA GRÉCIA INTRODUÇÃO Nenhuma civilização da antigüidade se apresenta de modo tão fascinante e atraente como a civilização grega. O povo que a produziu, conquista nossa simpatia por seus excepcionais dotes físicos e intelectuais impressos eternamente nas suas manifestações literárias, filosóficas, artísticas e políticas. Cultor da razão, apreciador da beleza, amante da liberdade, eis alguns traços apontados como características do povo helênico.

4 CAP I AS FONTES Podemos classificar os meios que nos levam ao conhecimento do passado grego em fontes epigráficas, numismáticas, papirológicas, literárias e arqueológicas. EPIGRAFIA As numerosissímas inscrições gregas referem-se a atos públicos (tratados de paz, de aliança, de comércio, leis, listas de magistratos, de despesas, etc...), atos privados (compra e venda, manumissões, locações, doações, testamentos ), assuntos religiosos (listas de sacerdotes, rituais, administração de templos, etc...), homenagem a mortos (existem epitáfios longos escritos em estilo declamatório ) homenagem a vivos (são testemunhos de reconhecimento de cidades ou associações a determinado personagem a quem se conferem honras e privilégios ). Todas essas inscrições constituem inesgotável fonte de conhecimento da Antigüidade Clássica..

5 LITERATURA O imenso acervo da literatura grega constitui fonte para o conhecimento da História Antiga da Grécia. Poetas, dramaturgos, comediógrafos, filósofos, oradores e sobretudo historiadores deixaram maior ou menor contribuição para a reconstituição científica do passado helênico. ARQUEOLOGIA O historiador George Grote escreveu no prefácio de sua monumental HISTORY OF GRECCE publicada em 1846, as seguintes palavras: Inicio a verdadeira História da Grécia com a primeira Olimpíada de que se tem conhecimento, ou seja, no ano 776 AC...Pois a verdade é que os anais históricos propriamente ditos não começam senão depois dessa data. Dois estudiosos das antigüidades helênicas, Henrique Schliemann e Arthur Evans, haveriam de, muitos anos mais tarde, provar que a órbita da História Grega era muito mais extensa do que imaginava Grote. Algumas das datas importantes da arqueologia Grega: Escavações da Schliemann; 1875-Escavações alemães em Olímpia; 1891-Escavações francesas em Creta; 1907-Escavações inglesas em Esparta;

6 NUMISMÁTICA As coleções de moedas gregas se encontram espalhadas entre particulares e museus. A consulta paciente á catálogos especializados constitui o principal meio ao alcance dos interessados em aprofundar o estudo da História Grega através da contribuição da numismática. As moedas gregas mais perfeitas foram produzidas entre os anos 415 e 280 AC.

7 PAPIROLOGIA A papirologia adquiriu importância como ciência auxiliar da História no decorrer do séc xix. O primeiro papiro literário grego que se encontrou foi uma parte manuscrita da Ilíada.

8 CAP II O QUADRO GEOGRÁFICO A GRÉCIA ANTIGA Descrição-Limitada ao noroeste pela Albânia, ao norte pela Iugoslávia e Bulgária, ao nordeste pela Turquia, a leste pelo Mar Egeu, ao sul pelo Mediterrâneo, e a oeste pelo Mar Jônio, a Grécia continental moderna, extremidade sul da península balcânica, possui uma superfície bem mais extensa que as dos tempos clássicos. Paisagem, clima e recursos naturais-Maciços montanhosos, pequenas planícies cortadas por cursos d água, profunda penetração do mar nas reentrâncias litorâneas, eis, em poucas palavras, o aspecto que nos oferece uma carta geográfica da Grécia. O clima reinante desde o litoral da Ásia Menor até as costas da Sicília e da Itália apresenta uma notável umidade. As variações são muito acentuadas: de estação a estação muda a temperatura, mas, mais ainda, o regime de ventos e de chuvas. Por tudo isso, compreende-se a pouca produtividade da agricultura grega: poucos cereais, legumes, oliveiras, figueiras, e parreiras, eis alguns dos principais produtos da terra. No séc V a madeira já era rara em Atenas. Além de ursos, podemos enumerar entre as feras, existentes na Grécia Antiga, a pantera e os lobos. Entre as minas de metais preciosos citemos o laurism que durante muito tempo supriu Atenas com prata.

9 CAP III GRÉCIA ARCAICA E CLÁSSICA -A fase arcaica caracteriza-se pelos seguintes acontecimentos: a) A formação da cidade grega; b) A segunda expansão colonizadora; c)Florescimento da civilização grega na Ásia Menor; d)Influência orientais na religião grega; e)Estreitas relações entre Grécia Européia e a Grécia Asiática; -A Idade Clássica da História Grega caracteriza-se, entre outros, pelos seguintes acontecimentos: a)O grave conflito com o Império Persa; b)O brilho da civilização Ateniense na Época de Péricles; c)A triste guerra do Peloponeso; d)A interferência macedônica e as conquistas de Alexandre;

10 OS TEMPOS HOMÉRICOS Os chamados tempos homéricos se situam cronologicamente em época anterior á arcaica. Os palácios homéricos lembram os palácios revelados pelas ruínas de Micenas e de Tirinto; os objetos descritos assemelhan-se aos encontrados nas escavações arqueológicas. Como os micenianos, os heróis homéricos combatem com lanças, espadas, arcos e carros. Evolução político-social-Os helenos, agrupados outrora em clãs, unidades independentes em que predominam os interesses coletivos, passam a integrar a pólis (cidade grega, cidade estado). Politicamente, os gregos evoluíram de um regime patriarcal para um regime oligárquico.Assim nasceu uma espécie de feudalidade em que os senhores designados todos sob os nomes genéricos de reis e de príncipes, formavam uma hierarquia de suseranos e vassalos. Evolução econômica - Os helenos viviam, primitivamente, do pastoreio. A fundação das cidades teve como resultado a evolução do pastoreio para a agricultura. A indústria começa a renascer. O comércio, muito mais que a indústria, assumiu grandes proporções. Evolução religiosa- Nos tempos homéricos as divindades da religião antiga, distantes e misteriosas, humanizaram-se e tornaram-se conhecidas.

11 HISTÓRIA POLÍTICA DOS GREGOS ATÉ A MORTE DE ALEXANDRE História de Esparta- Esparta, a cidade dórica, caracteriza-se pelo totalitarismo de suas concepções políticas, as quais se subordinam suas instituições, sua maneira de viver, sua literatura, suas artes. As leis eram desumanas, a vida privada era inteiramente regulada pelos interesses exagerados do Estado. História de Atenas- Atenas, a cidade jônica, é o campo aberto para o desenvolvimento das liberdades individuais : o Estado existe para o cidadão. As instituições se adaptam á novas circunstâncias, evoluindo constantemente num sentido democrático. ESPARTA É A GRAVIDADE DÓRICA QUE, DE BOM GRADO, SE CERCA DE MISTÉRIO. ATENAS É O SORISSO JÔNICO, GRACIOSO E CLARO. ADMIRA-SE ESPARTA; AMA-SE ATENAS.

12 CAP IV ÉPOCA HELENÍSTICA VISÃO GERAL Helenismo- período da história que se inicia com a morte de Alexandre Magno (323)e se estende até o ano de 146 aC. Os grandes chefes macedônicos reunidos em Babilônia logo após a morte do jovem monarca Alexandre, decidiram que Filipe Anideu, irmão de Alexandre por parte de pai, embora débil mental, fosse proclamado rei. OS ANTIGÔNIDAS A História da Grécia no séc XX ac tem os seguintes traços característicos: 1) Decadência de cidades como Esparta e Atenas; 2) Lutas de caráter político e social nas cidades; 3) Ascensão política de certas regiões como Etólia e a Acaia; 4) Atuação do imperialismo Macedônico representado pela dinastia dos Antigônidas;

13 CAP V ESTRUTURA POLÍTICO- SOCIAL A Estrutura político-social na Antigüidade Grega encara dificuldades oriundas da amplidão do próprio tema. A principal dessas dificuldades é a variedade de aspectos que a dita estrutura apresenta no tempo e no espaço. A LIBERDADE POLÍTICA A Liberdade política, foi, pois, para os gregos um ideal de vida. A liberdade política representou na Grécia uma conquista laboriosa e progressiva. Nos poemas homéricos encontramos dominadores os grandes senhores, reis e chefes que concentram em suas mãos a riqueza e o poder. AS IDÉIAS POLÍTICAS DOS PENSADORES GREGOS Não encontramos, evidentemente, em Homero, digressões sobre teorias políticas.Contudo a Ilíada e a Odisséia mostram-nos quatro exemplos de organização política: o reino de Ítaca, o reino legendário de Squéria, a cidade de Tróia e a autoridade de Agamenon.

14 CAP VI A ESCRAVIDÃO Na Grécia, no tempo e no espaço, a escravidão reveste formas diversas quanto á origem, quanto á situação jurídica e á situação de fato dos escravos. Aristóteles sublinha que há pouca diferença entre o serviço que nos prestam os animais domésticos e os escravos, pois ambos nos são úteis para sua força corporal. Os escravos são instrumentos vivos que devem usar da razão para conhecer a razão do seu amo. Aristóteles, entretanto, acentua que o patrão, embora não tenha para com o escravo deveres de justiça e de amizade, deve evitar abusos de autoridade e maus tratos. Note-se que o grande filósofo concedeu, em seu testamento, liberdade para os escravos que tivera a seu serviço.

15 CAUSAS GERAIS DA ESCRAVIDÃO No período clássico encontramos três fontes de escravidão: a guerra, o nascimento e a condenação em julgamento. No séc. V a talassocracia ateniense havia praticamente exterminado os ladrões do mar, pondo fim á pirataria como fonte de escravidão. As guerras, entretanto, continuavam alimentando com abundância o mercado de escravos. Essas guerras causavam a escravidão dos próprios helenos. O nascimento constituía também fonte de escravidão. Mas os escravos nascidos em casa não eram os mais numerosos. Na Grécia, com exceção da Ática após a legislação de Sólon, o pai podia vender seus filhos como escravos. O ESCRAVO NA FAMÍLIA E NA SOCIEDADE Nos tempos homéricos, a escravidão não havia alcançado grande desenvolvimento. Nos primeiros empregavam-se de preferência as mulheres que moem os grãos, fiam, tecem, costuram, bordam e prestam outros serviços ás suas patroas. Aos escravos do sexo masculino são distribuídos, via de regra, afazeres mais rudes como o amanho da terra e o pastoreio do gado

16 CAP VII ASPECTOS DA VIDA COTIDIANA A FAMÍLIA O matrimônio não podia, via de regra, ser outra coisa que um arranjo pouco romântico preparado em geral pelos pais ou parentes próximos da noiva. É possível e até provável que as jovens fossem, as vezes, consultadas sobre seus futuros esposos. Apesar do caráter prosaico dos entendimentos pré- nupciais, a futura vida conjugal podia bem propiciar o desenvolvimento de um verdadeiro e sólido amor entre marido e mulher.

17 TOILETTE, VESTUÁRIO E ALIMENTAÇÃO Os gregos apreciavam a higiene do corpo e procuravam mantê-la com cuidados especiais, entre os quais figuravam os banhos e os exercícios físicos. Sócrates, mesmo em idade avançada, não descurava a ginástica para reduzir seu ventre que havia ultrapassado a justa medida. A primeira peça do vestuário grego é o quíton. Este foi usado pelos atenienses até a época das guerras pérsicas. Depois, sob um regime de igualdade que nivelava as classes, o vestuário do homem tornava-se fatalmente de uma simplicidade democrática. Os trabalhadores livres não se distinguiam mais dos escravos e a diferença de fortuna só era reconhecível para um sinal: as pessoas ricas usavam vestes brancas; as demais, em razão de economia, vestes escuras. Os gregos apreciavam muito o banquete, e o realizavam com freqüência sempre que se desse um acontecimento digno. A refeição abrangia a primeira e a segunda mesa. Na primeira serviam carne de boi, de peixe, de carneiro, de aves, e legumes. Na segunda trazen-se doces e frutas: figos secos,amêndoas, nozes, maçãs, pêras, melancias, uvas e, em seguida, queijo, pastéis com papoila e mel.

18 TEATRO E JOGOS O teatro e os estádios eram monumentos característicos de toda a cidade grega de maior importância. O teatro grego nasceu da religião. As representações se realizavam no santuário. As três grandes datas dos festivais dramáticos eram as Dionísias maiores (fim de março ), as Dionísias menores (em dezembro ) e as Lenéias (em janeiro ). Um dos aspectos mais interessantes da civilização grega é, se dúvida, a prática do atletismo. 1) Jogos Olímpicos- realizavam-se em Olímpia, em honra de Zeus. 2) Jogos Píticos - celebravam-se em Delfos, em comemoração da vitória de Apólo sobre a serpente Pitão. 3) Jogos Nemeus - realizados em Neméia, em homenagem a Hércules. 4) Jogos Ístmicos - efetuados nas proximidades de Corinto, em homenagem ao herói :Melikertes, substituído posteriormente por Poseídon. _-Os jogos olímpicos realizavam-se de quatro em quatro anos, numa época que variava entre o fim de julho e o início de setembro.

19 CAP V III A EDUCAÇÃO A lei de Clístenes sobre o ostracionismo é uma prova de que, na época, a grande maioria dos atenienses sabia ler e escrever. Aristóteles (política) observava que a educação dependia da constituição das cidades. Homero foi o educador da Grécia. A educação grega olhava para ao alto:Ser sempre o melhor e manter-se superior aos outros. Sócrates- A educação sofista ameaçava, por seu antilogismo, conduzir a mocidade a um verdadeiro amoralismo.

20 CAP IX A LITERATURA O estudo de conjunto das obras de Literatura Clássica Grega permite apontar, entre outros, os seguintes traços característicos gerais:.... Originalidade.... Universalidade.... Simplicidade.... Forma elevada.... Beleza.... Veracidade O grego é uma língua indo-européia. Chama-se indo -europeu um idioma extinto falado por um povo desconhecido em uma época que não podemos precisar e numa religião que se supõe corresponder ás planícies da Rússia Meridional.

21 POESIA Entre os poetas do período destacam-se: Calímaco, Apolônio de Rodes, Arato, Teócrito, e Herondas. *CALÍMACO- deixou inúmeras obras em grande parte perdidas. Possuímos os HINOS e os EPIGRAMAS. *APOLÔNIO DE RODES- escreveu as ARGONÁUTICAS, cujo tema é a antiga ilha do Velocismo de Ouro. *ARATO- é poeta didático. Patenteou sua erudição em dois poemas :.. FENÔMENOS e PROGNÓSTICOS. O primeiro resume a astronomia de seu tempo. O segundo expõe a meteorologia popular. *TEÓCRITO- das obras de Teócrito que, em geral, são consideradas autênticas, temos :.... IDÍLIOS PASTORAIS.... MIMOS DRAMÁTICOS.... CONTOS ÉPICOS

22 CAP X A FILOSOFIA As grandes teses debatidas nas diferentes correntes filosóficas gregas tiveram uma repercussão através de toda a História do Pensamento Ocidental. Nenhum grande filósofo contemporâneo pode dispensar pura e simplesmente o tesouro de idéias que as obras dos pensadores helênicos encerra. Sócrates, Platão, Aristóteles e muitos outros possuem, ainda hoje, em numerosos aspectos de sua filosofia um saber de impressionante atualidade. Basta lembrar a imensa contribuição do pensamento Aristotélico para a elaboração de mais profunda corrente filosófica cristã : o tomismo.

23 CAP XI AS CIÊNCIAS Além da contribuição para a formação de um vocabulário técnico, a Grécia Antiga está presente na ciência moderna com os princípios fundamentais formulados por seus matemáticos. Os matemáticos gregos fundaram os alicerces da trigonometria e do cálculo, principiaram e terminaram o estudo de secções cônicas e elevaram a geometria tridimensional a tanta perfeição, que até ao advento de Descartes e Pascal essa ciência permaneceu como eles a haviam deixado.

24 CAP XII AS ARTES Apesar do arrojo da Arquitetura Moderna que dispõe de meios materiais desconhecidos na Antigüidade, os quais facilitam a realização de magníficas construções em que o simples, o leve e o funcional se aliam harmonicamente, encontramos ainda hoje, e em notável quantidade a presença inspiradora das linhas arquitetônicas da Grécia Clássica com suas colunatas de sóbria majestade e com seus capitéis característicos. As estátuas gregas continuam objetos de admiração e de inspiração, principalmente para aqueles que procuram na escultura a expressão do belo humano por meio de materiais como o mármore, o bronze, etc... CARACTERISTICAS DA ARTE GREGA.... Liberdade.... Equilíbrio.... Naturalismo.... Alegria.... Originalidade.... Beleza.... Harmonia.... Companheirismo

25 CAP XIII A RELIGIÃO A religião da Grécia Antiga apresenta uma longa evolução e conseqüentemente uma notável multiplicidade de aspectos. Os elementos básicos que contribuíram para a formação do quadro religioso na Grécia são : 1) Elementos religiosos indo-europeus importados para a península no decorrer das diferentes migrações. Os invasores indo- europeus da península rendiam culto a pedras, a árvores e a animais. 2) Elementos pré-helênicos, principalmente creto - micenianos. 3) Elementos Orientais. O CULTO Mais que um conjunto de crenças, a religião grega era um conjunto de práticas rituais. O nascimento, o casamento e os funerais davam oportunidade á prática do culto particular que incluía conforme a ocasião, sacrifícios, libações de vinho, de mel e de leite, alimentos, água lustral, etc... O culto público da cidade se processava em lugares especialmente escolhidos para essa finalidade, tais como bosques sagrados, templos, montanhas. Os magistrados eram os sacerdotes oficiais do cidade.

26 GIORDANI, Mario Curtis. História da Grécia. Vozes, 6 edição. Petrópolis 1998.


Carregar ppt "UNIJUÍ-Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul DCS-Departamento de Ciências Sociais PROFESSOR-Dejalma Cremonese ACADÊMICA- Ana."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google