A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PESQUISA BEBER E DIRIGIR NO MUNICÍPIO DE DIADEMA SÉRGIO M. DUAILIBI PROF.DR.RONALDO LARANJEIRA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PESQUISA BEBER E DIRIGIR NO MUNICÍPIO DE DIADEMA SÉRGIO M. DUAILIBI PROF.DR.RONALDO LARANJEIRA."— Transcrição da apresentação:

1 PESQUISA BEBER E DIRIGIR NO MUNICÍPIO DE DIADEMA SÉRGIO M. DUAILIBI PROF.DR.RONALDO LARANJEIRA

2 BEBER E DIRIGIR Objetivo Geral: Objetivo Geral: Realizar levantamento de dados referente ao comportamento de beber e dirigir em condutores de veículos automotores em vias públicas de tráfego automobilístico na cidade de Diadema -SP. Realizar levantamento de dados referente ao comportamento de beber e dirigir em condutores de veículos automotores em vias públicas de tráfego automobilístico na cidade de Diadema -SP.

3 OBJETIVOS ESPECÍFICOS 3.1-Testar metodologia de controle e fiscalização do beber e dirigir in loco. 3.1-Testar metodologia de controle e fiscalização do beber e dirigir in loco. 3.2-Testar a aplicabilidade e aceitabilidade dos bafômetros (passivos e ativos) como instrumento na coleta de dados de pesquisa. 3.2-Testar a aplicabilidade e aceitabilidade dos bafômetros (passivos e ativos) como instrumento na coleta de dados de pesquisa. 3.3-Contribuir com a configuração de desenhos para pesquisas futuras, que visem algum interesse científico nesta área. 3.3-Contribuir com a configuração de desenhos para pesquisas futuras, que visem algum interesse científico nesta área. 3.4-Levantar dados básicos para orientação de intervenções situadas no campo do beber e dirigir, as quais possam ser efetuadas para redução dos problemas relacionados ao consumo do álcool, no município de Diadema e outras localidades. 3.4-Levantar dados básicos para orientação de intervenções situadas no campo do beber e dirigir, as quais possam ser efetuadas para redução dos problemas relacionados ao consumo do álcool, no município de Diadema e outras localidades.

4 METODOLOGIA 4.1- O levantamento será realizado em check-points estabelecidos em vias de tráfego considerados mais intensos ou estratégicos em horários pré estabelecidos (20h-2h) O levantamento será realizado em check-points estabelecidos em vias de tráfego considerados mais intensos ou estratégicos em horários pré estabelecidos (20h-2h). Cada check-point contará com a participação de um líder, guarda civil Municipal e dois entrevistadores. Cada check-point contará com a participação de um líder, guarda civil Municipal e dois entrevistadores O método de escolha do veículo foi aleatória O método de escolha do veículo foi aleatória Os motoristas foram parados pelos guardas civis municipais, devidamente equipados. Uma vez escolhido veículo, este era desviado para o check- point, devendo ser observadas todas as medidas de segurança para com os condutores e passageiros dos veículos pesquisados ou em tráfego, bem como os membros da equipe de pesquisa Os motoristas foram parados pelos guardas civis municipais, devidamente equipados. Uma vez escolhido veículo, este era desviado para o check- point, devendo ser observadas todas as medidas de segurança para com os condutores e passageiros dos veículos pesquisados ou em tráfego, bem como os membros da equipe de pesquisa.

5 METODOLOGIA 4.4- Após o guarda ter verificado condições de segurança, o líder se aproxima e educadamente expõe ao condutor o motivo da parada,informando-o tratar-se de uma pesquisa. Neste momento era convidado a responder um questionário e informado da não obrigatoriedade de ser submetido aos bafômetros (ativos e passivos) Após o guarda ter verificado condições de segurança, o líder se aproxima e educadamente expõe ao condutor o motivo da parada,informando-o tratar-se de uma pesquisa. Neste momento era convidado a responder um questionário e informado da não obrigatoriedade de ser submetido aos bafômetros (ativos e passivos) Em seguida os motoristas que concordassem respondiam ao questionário(anexo) sem identificação nominal, aplicado pelo entrevistador Em seguida os motoristas que concordassem respondiam ao questionário(anexo) sem identificação nominal, aplicado pelo entrevistador Terminado o procedimento, o líder perguntava ao entrevistado se ele aceitaria ser submetido aos bafômetros passivos e ativos Terminado o procedimento, o líder perguntava ao entrevistado se ele aceitaria ser submetido aos bafômetros passivos e ativos Por último o entrevistador anotava os dados obtidos dos bafômetros e fazia uma avaliação do estado geral do entrevistado, classificando-o como normal; sob efeito do álcool,mas sem embriaguez; embriagado Por último o entrevistador anotava os dados obtidos dos bafômetros e fazia uma avaliação do estado geral do entrevistado, classificando-o como normal; sob efeito do álcool,mas sem embriaguez; embriagado.

6 RESULTADOS Foram abordados 198 veículos dos quais 20 (10,1%) recusaram-se a participar da pesquisa. Foram abordados 198 veículos dos quais 20 (10,1%) recusaram-se a participar da pesquisa. Dos 178 submetidos ao bafômetro passivo, tivemos 130 testes negativos e 48 testes positivos (26,97% de positividade). Dos 178 submetidos ao bafômetro passivo, tivemos 130 testes negativos e 48 testes positivos (26,97% de positividade). Destes 48 testes positivos, 32 (17,98% do total da amostra de 178) estavam em limites superiores aos permitidos para a legislação brasileira para dirigir (acima de 0,06 g / l de álcool no sangue), quando aferíamos com o bafômetro passivo. Destes 48 testes positivos, 32 (17,98% do total da amostra de 178) estavam em limites superiores aos permitidos para a legislação brasileira para dirigir (acima de 0,06 g / l de álcool no sangue), quando aferíamos com o bafômetro passivo.

7 RESULTADOS Quando o resultado do bafômetro passivo era confirmado pelo bafômetro ativo, os níveis encontrados eram superiores a 0,02g /l aos obtidos com o passivo. Quando o resultado do bafômetro passivo era confirmado pelo bafômetro ativo, os níveis encontrados eram superiores a 0,02g /l aos obtidos com o passivo. Como não havia obrigatoriedade em responder ao questionário, nem para utilizar-se dos bafômetros, podermos especular se os resultados não seriam maiores se todos os motoristas tivessem sido pesquisados. Como não havia obrigatoriedade em responder ao questionário, nem para utilizar-se dos bafômetros, podermos especular se os resultados não seriam maiores se todos os motoristas tivessem sido pesquisados.

8 EFEITOS BEBER E DIRIGIR As reações do organismo de acordo com a quantidade de álcool ingerida * : As reações do organismo de acordo com a quantidade de álcool ingerida * : Níveis sanguíneos Reações esperadas Níveis sanguíneos Reações esperadas (álcool / litro de sangue) (álcool / litro de sangue) # 0,01 a 0,03 ml/l – Comprometimento da noção de distância e # 0,01 a 0,03 ml/l – Comprometimento da noção de distância e velocidade velocidade # 0,03 a 0,05 ml/l _ Motorista torna-se desatento e com o campo visual restrito. # 0,03 a 0,05 ml/l _ Motorista torna-se desatento e com o campo visual restrito. # 0,06 a 0,08 ml/l _ Perda da noção de risco,dos reflexos e intolerância a mudanças de luminosidade. # 0,06 a 0,08 ml/l _ Perda da noção de risco,dos reflexos e intolerância a mudanças de luminosidade. # 0,08 a 0,15 ml/l _ Desconcentração e dificuldade na coordenação de movimentos. # 0,08 a 0,15 ml/l _ Desconcentração e dificuldade na coordenação de movimentos. # 0,15 a 0,20 ml/l _ Visão dupla (diplopia) e leve letargia # 0,15 a 0,20 ml/l _ Visão dupla (diplopia) e leve letargia # 0,20 a 0,50 ml/l _ Embriaguez acentuada. Amplificação dos sintomas anteriores. # 0,20 a 0,50 ml/l _ Embriaguez acentuada. Amplificação dos sintomas anteriores. As reações variam de acordo com todas as variáveis que influam sobre a quantidade de álcool absorvida, tais como quantidade de alimentos ingeridos com a bebida, particularmente doces, medicamentos,etc. Há também variações individuais decorrentes da tolerância ao álcool. As reações variam de acordo com todas as variáveis que influam sobre a quantidade de álcool absorvida, tais como quantidade de alimentos ingeridos com a bebida, particularmente doces, medicamentos,etc. Há também variações individuais decorrentes da tolerância ao álcool.

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21


Carregar ppt "PESQUISA BEBER E DIRIGIR NO MUNICÍPIO DE DIADEMA SÉRGIO M. DUAILIBI PROF.DR.RONALDO LARANJEIRA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google