A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SIMPÓSIO DE ANEMIAS EPIDEMIOLOGIA, DIAGNÓSTICO e TRATAMENTO APM – Santo André ANEMIA RELACIONADA A OUTRAS DOENÇAS Dr. João Carlos de Campos Guerra Centro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SIMPÓSIO DE ANEMIAS EPIDEMIOLOGIA, DIAGNÓSTICO e TRATAMENTO APM – Santo André ANEMIA RELACIONADA A OUTRAS DOENÇAS Dr. João Carlos de Campos Guerra Centro."— Transcrição da apresentação:

1 SIMPÓSIO DE ANEMIAS EPIDEMIOLOGIA, DIAGNÓSTICO e TRATAMENTO APM – Santo André ANEMIA RELACIONADA A OUTRAS DOENÇAS Dr. João Carlos de Campos Guerra Centro de Hematologia de São Paulo – CHSP Departamento de Patologia Clínica – Setor Hematologia – Coagulação / Citometria de Fluxo - HIAE

2 Anemia DE doença crônica Anemia DAS doenças crônicas

3 ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Anemia por falha da medula óssea Anemia por falha da medula óssea em aumentar a eritropoese suficientemente para compensar a menor sobrevida das hemácias

4 ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Termo inapropriado Outras propostas:Outras propostas: Anemia Ferropênica com Siderose Reticulo-EndotelialAnemia Ferropênica com Siderose Reticulo-Endotelial Anemia por Defeito de Reutilização do FerroAnemia por Defeito de Reutilização do Ferro Anemia de Processo InflamatórioAnemia de Processo Inflamatório

5 ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Freqüência: Segunda causa mais freqüente de anemiaSegunda causa mais freqüente de anemia Causa mais freqüente de anemia em pacientes internadosCausa mais freqüente de anemia em pacientes internados > 65anos: 36% Afe; 44% ADC > 65anos: 36% Afe; 44% ADC 129 pac.: 37% Afe; 50% ADC; 13% Afe + ADC 129 pac.: 37% Afe; 50% ADC; 13% Afe + ADC Turpie, I. et al., Am J Med., 1990 Guenter,W.et al., NEJM,2005 Means R.T.,Curr Hematol Rep, 2003 Rajamaki, A. et al., Blood, 1997

6 ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Infecções (agudas e crônicas) 18 a 95% virais (inclusive HIV), parasitárias, bacterianas e fúngicas Câncer 30-77%Câncer 30-77% sólido e hematológico (influenciado pela terapêutica e pela idade) Doenças auto-imunes 8-71%Doenças auto-imunes 8-71% artrite reumatóide, LES, vasculites, sarcoidose,doença inflamatória intestinal Rejeição crônica após transplante de órgão sólido 8-70%Rejeição crônica após transplante de órgão sólido 8-70% Doença renal crônica e inflamatória 23-50%Doença renal crônica e inflamatória 23-50%

7 ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Patogênese Patogênese Distúrbio do metabolismo do ferroDistúrbio do metabolismo do ferro Diminuição da sobrevida da hemáciaDiminuição da sobrevida da hemácia Resposta medular inadequadaResposta medular inadequada

8

9 Ativação do Sistema Imune Retenção de Ferro nos Macrófagos Retenção de Ferro nos Macrófagos Liberação de Citoquinas Liberação de Citoquinas Diminuição da Hb circulante Produção Inadequada de EPO Seqüência de eventos na indução da ADC

10 ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Características Clínicas: Características Clínicas: Sintomas relacionados à doença de baseSintomas relacionados à doença de base Desenvolve-se nos primeiros 30 a 60 diasDesenvolve-se nos primeiros 30 a 60 dias Usualmente não progrideUsualmente não progride Correlação positiva entre anemia e atividade / intensidade da doença de baseCorrelação positiva entre anemia e atividade / intensidade da doença de base

11 ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Características Laboratoriais: Características Laboratoriais: AnemiaAnemia –Hemoglobina: 9 a 12 g/dl (raramente Hb < 8 g/dl) –Hematócrito: 25 a 40% Normocítica / Normocrômica: 70%, Hipocrômica: 50%Normocítica / Normocrômica: 70%, Hipocrômica: 50% Microcítica: 30% (raramente VCM < 72 fl)Microcítica: 30% (raramente VCM < 72 fl) Discreta anisocitose e poiquilocitoseDiscreta anisocitose e poiquilocitose Reticulócitos normal ou pouco aumentadoReticulócitos normal ou pouco aumentado

12 ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Características Laboratoriais: Características Laboratoriais: Ferro sérico < 50 g/dl Fem: 50 – 150 microgramas/dL, Masc: 65 – 175 microgramas/dLFerro sérico < 50 g/dl Fem: 50 – 150 microgramas/dL, Masc: 65 – 175 microgramas/dL Índice de Saturação da Transferrina < 16%Índice de Saturação da Transferrina < 16% Ferritina normal ou masc : microg/L, fem : microg/LFerritina normal ou masc : microg/L, fem : microg/L Ferro Medular normal ou aumentadoFerro Medular normal ou aumentado Zincoprotoporfirina Eritrocitária aumentadaZincoprotoporfirina Eritrocitária aumentada Receptor da Transferrina nl ou Média - 5,6 mg/L (2,0 – 8,5 mg/L)Receptor da Transferrina nl ou Média - 5,6 mg/L (2,0 – 8,5 mg/L)

13 Serum ferritin and Serum TfR concentrations in anemic patients Rajamaki, A. et al., Blood, 1997 IDA (n = 48) ACD (n = 64) COMBI (n = 17)

14 Serum TfR-Index in anemic patients Rajamaki, A. et al., Blood, 1997 IDA (n = 48) ACD (n = 64) COMBI (n = 17) 5,4 0,8 3,2

15 ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Características Laboratoriais: Características Laboratoriais: Série eritróide normal ou levemente hiperplásicaSérie eritróide normal ou levemente hiperplásica Sobrevida da hemácia diminuídaSobrevida da hemácia diminuída

16 ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Características Laboratoriais: Dosagem sérica:Dosagem sérica: IL-1, IL-6: IL-1, IL-6: TNF alfa: TNF alfa: INF gama: INF gama: Eritropoetina: nl ou Eritropoetina: nl ou

17 Lappin, T.R.J. & Boyd, H.K.; Eur J Haematol, 1991

18 ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Teste AFerropriva ADC Teste AFerropriva ADC Ferro sérico ( g/dl) < 50< 50 Transferrina ( g/dl) Sat. Transferrina (%) Ferritina(ng/ml) 200 Ferro Medular ausente presente

19 ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Tratamento: Tratamento: Doença da baseDoença da base Proteína eritropoética (EPO/ DPO)Proteína eritropoética (EPO/ DPO) Reposição do ferroReposição do ferro Transfusão de HemáciasTransfusão de Hemácias

20 ANEMIA NAS DOENÇAS CRÔNICAS

21 Anemia na insuficiência renal crônicaAnemia na insuficiência renal crônica Anemia na doença inflamatória intestinalAnemia na doença inflamatória intestinal Anemia no paciente com HIV/AIDSAnemia no paciente com HIV/AIDS Anemia no paciente com câncerAnemia no paciente com câncer Anemia nas doenças endócrinasAnemia nas doenças endócrinas

22 Anemia na insuficiência renal crônica Causas de anemia na IRCCausas de anemia na IRC infecção infecção processos inflamatórios processos inflamatórios perda sanguínea crônica ou na hemodiálise perda sanguínea crônica ou na hemodiálise hiperparatireoidismo hiperparatireoidismo doença óssea relacionada ao alumínio doença óssea relacionada ao alumínio diálise insuficiente diálise insuficiente carencial (vit B12, folato, Fe) carencial (vit B12, folato, Fe)

23 Anemia na Insuficiência Renal Crônica Causas: multifatorialCausas: multifatorial eritropoetina eritropoetina resposta à eritropoetina resposta à eritropoetina meia vida eritrócito meia vida eritrócito deficiência Ferro deficiência Ferro

24 Anemia na insuficiência renal crônica Anemia em ptes com IRC está ligada à:Anemia em ptes com IRC está ligada à: dilatação cardíaca dilatação cardíaca insuficiência cardíaca insuficiência cardíaca hipertrofia ventricular esquerda hipertrofia ventricular esquerda risco de doença coronariana risco de doença coronariana progressão da doença renal progressão da doença renal mortalidade mortalidade

25 Anemia na insuficiência renal crônica Tratamento da anemiaTratamento da anemia qualidade de vida qualidade de vida hipertrofia ventricular hipertrofia ventricular progressão da doença renal progressão da doença renal

26 Anemia na insuficiência renal crônica TRATAMENTO:TRATAMENTO: Objetivo : valores de Hb / HT ideais p/ idade e sexo Objetivo : valores de Hb / HT ideais p/ idade e sexo Hb: g/dl ; HT: 33-36% Hb: g/dl ; HT: 33-36% Ptes. que fogem à regra: AF, ICO, DPOC Ptes. que fogem à regra: AF, ICO, DPOC Monitoração a cada 1- 2 semanas Monitoração a cada 1- 2 semanas Hb desejado em meses Hb desejado em meses se resposta não adequada : outras causas de anemia se resposta não adequada : outras causas de anemia

27 Anemia na insuficiência renal crõnica TratamentoTratamento EritropoetinaEritropoetina início : se HT < 33% início : se HT < 33% dose : 50 a 150 U / kg dose : 50 a 150 U / kg via : SC > IV via : SC > IV não suspender em perioperatório ou durante outras doenças não suspender em perioperatório ou durante outras doenças Suplementação de FerroSuplementação de Ferro causa + frequente de resposta insatisfatória à EPO causa + frequente de resposta insatisfatória à EPO via : VO nas fases iniciais IV / IM fases + avançadas via : VO nas fases iniciais IV / IM fases + avançadas dose : 200mg / dia por 5 meses dose : 200mg / dia por 5 meses objetivo: sat transferrina > 20% ; ferritina > 100ng/dl objetivo: sat transferrina > 20% ; ferritina > 100ng/dl

28 ANEMIA NAS DOENÇAS CRÔNICAS Anemia na insuficiência renal crônicaAnemia na insuficiência renal crônica Anemia na doença inflamatória intestinalAnemia na doença inflamatória intestinal Anemia no paciente com HIV/AIDSAnemia no paciente com HIV/AIDS Anemia no paciente com câncerAnemia no paciente com câncer Anemia nas doenças endócrinasAnemia nas doenças endócrinas

29 Anemia nas doenças inflamatórias intestinais comuns: deficiência de ferro comuns: deficiência de ferro anemia de doença crônica anemia de doença crônica ocasional: deficiência de cobalamina ocasional: deficiência de cobalamina deficiência de folato deficiência de folato induzida por medicação induzida por medicação raras: hemólise raras: hemólise mielodisplasia mielodisplasia anemia aplástica anemia aplástica deficiência de G6PD deficiência de G6PD

30 Anemia nas doenças inflamatórias intestinais Anemia de doença crônicaAnemia de doença crônica Segunda causa + frequente Ptes são jovens demanda fisica e mental normalizar Hb normalizar Hb

31 Anemias nas doenças inflamatórias intestinais TratamentoTratamento suplemento com ferro: se : Hb > 12 g/dl - ferritina 12 g/dl - ferritina < 200 ng /l Fe oral 30 mg /d se : Hb g/dl - ferritina < 200 ng/l Fe IV 200 – 300 mg/sem se : Hb g/dl - ferritina < 200 ng/l Fe IV 200 – 300 mg/sem se : Hb 2,9 g/dl Fe IV mg/sem se : Hb 2,9 g/dl Fe IV mg/sem se: Hb < 10 g/dl - transferrina <2,9 g/dl Fe IV mg/sem + EPO se: Hb < 10 g/dl - transferrina <2,9 g/dl Fe IV mg/sem + EPO parâmetros que indicam falência do tto com Fe isolado: [EPO] < 100UI / L ou, [EPO] < 100UI / L ou, [ receptor solúvel de transferrina ] < 50 nM/ l, ou [ receptor solúvel de transferrina ] < 50 nM/ l, ou [ transferrina sérica ] < 2,9 g/dl [ transferrina sérica ] < 2,9 g/dl Dose de EPO : 150U/kg 3x/sem Dose de EPO : 150U/kg 3x/sem

32 Lochs, R. et al., Ann Intern Med, 1997 Intravenous iron and Erytropoietin for Anemia associated with Crohn Disease N=40 Hb < 10,5 g/dl 16 semanas Fe EV / Fe EV + EPO Resultado: Hb > 12 g/dl Fe EV = 75% Fe EV + EPO = 100%

33 ANEMIA NAS DOENÇAS CRÔNICAS Anemia na insuficiência renal crônicaAnemia na insuficiência renal crônica Anemia na doença inflamatória intestinalAnemia na doença inflamatória intestinal Anemia no paciente com HIV/AIDSAnemia no paciente com HIV/AIDS Anemia no paciente com câncerAnemia no paciente com câncer Anemia nas doenças endócrinasAnemia nas doenças endócrinas

34 Anemia no paciente HIV / AIDS Causas de anemiaCausas de anemia Anemia de doença crônica Anemia de doença crônica Medicamentosa : Zidovudina, dapsona, pentamidina, sulfa Medicamentosa : Zidovudina, dapsona, pentamidina, sulfa Hemolítica : associação com HBV / HCV Hemolítica : associação com HBV / HCV Infecção: M.avium, CMV, T.gondii, P. carinii (jiroveci), Eritrovirus B19 Infecção: M.avium, CMV, T.gondii, P. carinii (jiroveci), Eritrovirus B19 Neoplasia: Linfomas, Sarcoma de Kaposi Neoplasia: Linfomas, Sarcoma de Kaposi Carencial: ferro, vitamina B12, folato Carencial: ferro, vitamina B12, folato

35 Anemia no paciente HIV / AIDS Causa + frequenteCausa + frequente Prevalência varia: era pré HAART X pós HAARTPrevalência varia: era pré HAART X pós HAART Era pré HAART: 64% anemia leveEra pré HAART: 64% anemia leve 1,5% anemia grave 1,5% anemia grave Após 6 meses c/HAART 52% anemia leveApós 6 meses c/HAART 52% anemia leve 1,2% anemia grave 1,2% anemia grave Após 1 ano c/ HAART 45% anemia leveApós 1 ano c/ HAART 45% anemia leve 0,6% anemia grave 0,6% anemia grave Mocroft et al., 1999 Mocroft et al., 1999 HAART: "Highly active antiretroviral treatment"

36 Anemia no paciente HIV / AIDS Impacto da anemia na sobrevidaImpacto da anemia na sobrevida três estudos coorte : Sullivan et al., 1998três estudos coorte : Sullivan et al., 1998 Mocroft A et al., 1999 Mocroft A et al., 1999 Lundgren J.D.et al, 2002 Lundgren J.D.et al, 2002 ANEMIA É PREDITOR INDEPENDENTE DA REDUÇÃO DE SOBREVIDA E DA PROGRESSÃO DE DOENÇA NO HIV ANEMIA É PREDITOR INDEPENDENTE DA REDUÇÃO DE SOBREVIDA E DA PROGRESSÃO DE DOENÇA NO HIV Relação Anemia x demência : McArthur et al.,1993Relação Anemia x demência : McArthur et al.,1993 Hb 1 A 6 MESES ANTES DA AIDS É PREDITOR DE DEMENCIA Hb 1 A 6 MESES ANTES DA AIDS É PREDITOR DE DEMENCIA

37 Anemia no paciente HIV / AIDS Importância do tratamentoImportância do tratamento melhora da fadiga melhora da fadiga melhora da qualidade de vida melhora da qualidade de vida associação entre anemia, sobrevida e progressão da doença associação entre anemia, sobrevida e progressão da doença Opções de tratamentoOpções de tratamento reposição vitaminas reposição vitaminas suspensão medicamento suspensão medicamento introdução do HAART introdução do HAART transfusão transfusão proteínas eritropoéticas proteínas eritropoéticas

38 Anemia no paciente HIV / AIDS TransfusãoTransfusão não deve ser baseado no valor de Hb não deve ser baseado no valor de Hb deve ser evitado por : deve ser evitado por : transmissão de infecções virais aloimunizaçãoImunomodulação risco de morte : HIV plasma risco de morte : HIV plasma ptes CD4 < 250: CMV, infecção bacteriana ptes CD4 < 250: CMV, infecção bacteriana emagrecimento emagrecimento

39 Anemia no paciente HIV / AIDS Proteínas eritropoéticasProteínas eritropoéticas Eritropoetina : Eritropoetina : transfusão e melhora qualidade de vida transfusão e melhora qualidade de vida ptes se beneficiam: EPO <500 UI/L ptes se beneficiam: EPO <500 UI/L suplementação com Fe : Ferritina 20% suplementação com Fe : Ferritina 20% qdo iniciar: Hb <12g/dl, <11g/dl e/ou qualidade de vida qdo iniciar: Hb <12g/dl, <11g/dl e/ou qualidade de vida Esquemas de tto: Esquemas de tto: 100U/kg SC ou IV 3X/sem ou U 1X/sem reavaliar após 8 sem. 100U/kg SC ou IV 3X/sem ou U 1X/sem reavaliar após 8 sem. sem melhora até 300 U/kg ou U sem melhora até 300 U/kg ou U com HT 40% suspender até HT 36% e reiniciar dose 25% menor com HT 40% suspender até HT 36% e reiniciar dose 25% menor

40 Anemia no paciente HIV / AIDS Proteínas eritropoéticasProteínas eritropoéticas Darbopoetina - Aranesp® (darbopoetina alfa). Darbopoetina - Aranesp® (darbopoetina alfa). 2,25 a 4,5 mcg / kg 2,25 a 4,5 mcg / kg não está aprovado para ptes com HIV não está aprovado para ptes com HIV Darbopoetina (maior semi-vida) tem sido recomendada em doentes em fase pré-diálise e em diálise

41 ANEMIA NAS DOENÇAS CRÔNICAS Anemia na insuficiência renal crônicaAnemia na insuficiência renal crônica Anemia na doença inflamatória intestinalAnemia na doença inflamatória intestinal Anemia no paciente com HIV/AIDSAnemia no paciente com HIV/AIDS Anemia no paciente com câncerAnemia no paciente com câncer Anemia nas doenças endócrinasAnemia nas doenças endócrinas

42 Anemia no paciente com câncer MultifatorialMultifatorial secundário à Rdt / Qt secundário à Rdt / Qt infiltração de medula óssea infiltração de medula óssea carencial carencial perda sanguínea (cirurgia) perda sanguínea (cirurgia) hemólise hemólise anemia de doença crônica causa + comum anemia de doença crônica causa + comum

43 Anemia no paciente com câncer Tratamento : PROTEÍNAS ERITROPOÉTICASTratamento : PROTEÍNAS ERITROPOÉTICAS não é recomendado uso profilático não é recomendado uso profilático se Hb 9-11 g/dl, assintomáticos, não há consistência em introduzir EPO se Hb 9-11 g/dl, assintomáticos, não há consistência em introduzir EPO iniciar se pte. c/ Hb 9-10 g/dl sintomático iniciar se pte. c/ Hb 9-10 g/dl sintomático pode associar a transfusão pode associar a transfusão máxima qualidade de vida com Hb=12 g/dl máxima qualidade de vida com Hb=12 g/dl não há evidências de melhora da sobrevida ( RizzoJD, 2002) não há evidências de melhora da sobrevida ( RizzoJD, 2002) fator preditivo : EPO < 200UI/L fator preditivo : EPO < 200UI/L

44 Anemia no paciente com câncer EritropoetinaEritropoetina dose inicial : 150 UI/ kg dose inicial : 150 UI/ kg sem resposta : 300 UI / kg sem resposta : 300 UI / kg 28 % dos ptes. c/ resposta após 4 sems (Pangalis et al, 2002) 28 % dos ptes. c/ resposta após 4 sems (Pangalis et al, 2002) efeitos colaterais : aplasia de série vermelha efeitos colaterais : aplasia de série vermelha tromboembolismo tromboembolismo HAS HAS DarbopoetinaDarbopoetina 6,75 mcg / kg cada 2 semanas 6,75 mcg / kg cada 2 semanas 10 mcg / kg mês 10 mcg / kg mês

45 ANEMIA NAS DOENÇAS CRÔNICAS Anemia na insuficiência renal crônicaAnemia na insuficiência renal crônica Anemia na doença inflamatória intestinalAnemia na doença inflamatória intestinal Anemia no paciente com HIV/AIDSAnemia no paciente com HIV/AIDS Anemia no paciente com câncerAnemia no paciente com câncer Anemia nas doenças endócrinasAnemia nas doenças endócrinas

46 Anemia nas doenças endócrinas Baixa intensidade e assintomática Baixa intensidade e assintomática mais comum : hipotireoidismo mais comum : hipotireoidismo preferência por homens preferência por homens causas : Fe, dça crônica, vit B12 causas : Fe, dça crônica, vit B12 hipertireoidismo : % casos hipertireoidismo : % casos outras doenças endócrinas: hipopituitarismo outras doenças endócrinas: hipopituitarismo hipogonadismo hipogonadismo hiperparatireoidismo hiperparatireoidismo tratamento : correção da endocrinopatia tratamento : correção da endocrinopatia

47 ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Resumo: Resumo: Intercorrência freqüente associada à doença: infecciosa, inflamatória, neoplásica;Intercorrência freqüente associada à doença: infecciosa, inflamatória, neoplásica; Linfócitos T + Sistema Mononuclear Fagocitário + CitoquinasLinfócitos T + Sistema Mononuclear Fagocitário + Citoquinas Distúrbio do Metabolismo do Ferro; Tratamento da doença de baseTratamento da doença de base Proteína eritropoéticaProteína eritropoética


Carregar ppt "SIMPÓSIO DE ANEMIAS EPIDEMIOLOGIA, DIAGNÓSTICO e TRATAMENTO APM – Santo André ANEMIA RELACIONADA A OUTRAS DOENÇAS Dr. João Carlos de Campos Guerra Centro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google