A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HANSENÍASE Ricardo Alexandre G Guimarães. Definição Doença infecciosa crônica, que infecta estritamente o ser humano. Acomete pele, mucosas e nervos levando.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HANSENÍASE Ricardo Alexandre G Guimarães. Definição Doença infecciosa crônica, que infecta estritamente o ser humano. Acomete pele, mucosas e nervos levando."— Transcrição da apresentação:

1 HANSENÍASE Ricardo Alexandre G Guimarães

2 Definição Doença infecciosa crônica, que infecta estritamente o ser humano. Acomete pele, mucosas e nervos levando a paralisias e lesões mutilantes.Doença infecciosa crônica, que infecta estritamente o ser humano. Acomete pele, mucosas e nervos levando a paralisias e lesões mutilantes. Tem evolução muito lenta.Tem evolução muito lenta. É causada por uma micobactéria: Mycobacterim leprae, conhecido como bacilo de Hansen.É causada por uma micobactéria: Mycobacterim leprae, conhecido como bacilo de Hansen.

3 Esta doença é tão antiga como a humanidade Há relatos nas antigas civilizações chinesa, indiana e da mespotâmia. Foi erradicada em vários paises somente com a melhora dos padrões sociais.

4

5

6 Mycobacterium leprae É um bacilo alcool-ácido resistente(BAAR) na coloração de Ziehl-Neelsen.Ziehl-Neelsen É de crescimento extremamente lento e só cresce no organismo humano e alguns animais. Não há meios de cultura para esta bactéria.

7 Epidemiologia Além do Homem, outros animais de que se têm notícia de serem suscetíveis à lepra são algumas espécies de macacos, coelhos, ratos e o tatu. Este último pode servir de reservatório e há casos comprovados no sul dos EUA de transmissão por ele. Contudo a maioria dos casos é de transmissão entre seres humanosAlém do Homem, outros animais de que se têm notícia de serem suscetíveis à lepra são algumas espécies de macacos, coelhos, ratos e o tatu. Este último pode servir de reservatório e há casos comprovados no sul dos EUA de transmissão por ele. Contudo a maioria dos casos é de transmissão entre seres humanosmacacoscoelhosratostatuEUAmacacoscoelhosratostatuEUA

8 Epidemiologia crianças também podem ser contaminadas (a alta prevalência de hanseníase em crianças é indicativo de um alto índice da doença em uma região).crianças também podem ser contaminadas (a alta prevalência de hanseníase em crianças é indicativo de um alto índice da doença em uma região). Noventa por cento (90%) da população tem resistência ao bacilo de Hansen e conseguem controlar a infecção. Noventa por cento (90%) da população tem resistência ao bacilo de Hansen e conseguem controlar a infecção. As formas contagiantes são a virchowiana e a dimorfa (chamadas multibacilares) As formas contagiantes são a virchowiana e a dimorfa (chamadas multibacilares)

9 Epidemiologia A contaminação se faz por via respiratória, pelas secreções nasais ou pela saliva, mas é muito pouco provável que aconteça em um único contato.A contaminação se faz por via respiratória, pelas secreções nasais ou pela saliva, mas é muito pouco provável que aconteça em um único contato. A incubação, excepcionalmente longa (2 a 20 anos), explica por que a doença se desenvolve mais comumente em indivíduos adultosA incubação, excepcionalmente longa (2 a 20 anos), explica por que a doença se desenvolve mais comumente em indivíduos adultos

10 Patogenia O bacilo é um parasito intracelular obrigatório.O bacilo é um parasito intracelular obrigatório. Ele invade histiócitos e células de Schwann reproduzindo-se dentro delas e destruindo-as.Ele invade histiócitos e células de Schwann reproduzindo-se dentro delas e destruindo-as.

11 Imunologia Se a bactéria suscitar reaçào citotóxica com linfócitos Th1, haverá formação de granulomas (hanseníase – forma tuberculóide) e poderá haver até mesmo cura espontânea.Se a bactéria suscitar reaçào citotóxica com linfócitos Th1, haverá formação de granulomas (hanseníase – forma tuberculóide) e poderá haver até mesmo cura espontânea. Se suscitar reação humoral com linfócitos Th2, a doença progredirá pois os anticorpos não chegam à bactéria que está protegida no interior das células.(hanseníase – forma lepromatosa)Se suscitar reação humoral com linfócitos Th2, a doença progredirá pois os anticorpos não chegam à bactéria que está protegida no interior das células.(hanseníase – forma lepromatosa)

12 Imunologia A reação com produção de linfócitos Th1 ou Th2 depende do indivíduo infectado e não da bactéria.A reação com produção de linfócitos Th1 ou Th2 depende do indivíduo infectado e não da bactéria. Por esta razão alguns indivíduos não têm a doença ou têm formas leves da doença(lifócitos Th1) e outros tem a forma grave (linfócitos Th2)Por esta razão alguns indivíduos não têm a doença ou têm formas leves da doença(lifócitos Th1) e outros tem a forma grave (linfócitos Th2)

13 Hanseníase:classificação espectral Indeterminada Tuberculóide Dimorfa (borderline) Lepromatosa subpolar Lepromatosa Tuberculoide Dimorfa Lepromatosa (Virchowiana)

14 Hanseníase indeterminada (MHI)

15 Hanseníase lepromatosa

16

17

18

19 MHT

20 MHBT

21


Carregar ppt "HANSENÍASE Ricardo Alexandre G Guimarães. Definição Doença infecciosa crônica, que infecta estritamente o ser humano. Acomete pele, mucosas e nervos levando."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google