A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Política Nacional de Acesso Livre à Informação Científica São Paulo, SP Março / 2006 Café Intercom/FNAC: Acesso Livre à Informação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Política Nacional de Acesso Livre à Informação Científica São Paulo, SP Março / 2006 Café Intercom/FNAC: Acesso Livre à Informação."— Transcrição da apresentação:

1 Política Nacional de Acesso Livre à Informação Científica São Paulo, SP Março / 2006 Café Intercom/FNAC: Acesso Livre à Informação

2 Contexto Necessidade de maior disseminação dos resultados da pesquisas Alto custo da manutenção de assinaturas de revistas científicas Desigualdades sociais Tecnologias da informação e da comunicação Movimento Open Archives and Open Access to knowledge and information in science and humanities

3 Antecedentes Scielo Open Archives Initiative (OAI) E-prints, OJS, OCS, Dspace e outros Implantação de bibliotecas digitais de teses e dissertações (NDLTD, Cyberthesis, BDTD, etc) Surgimento de repositórios institucionais e temáticos Movimento em prol do acesso livre à informação Declaração de Bethesda Declaração de Berlim Manifesto Brasileiro de apoio ao acesso livre à IC

4 Objetivos das ações do Ibict promover o acesso à informação científica; promover o registro e a disseminação da produção científica brasileira; promover o incremento de conteúdos brasileiros na web; contribuir com o estabelecimento e execução de políticas públicas; promover o estabelecimento de padrões para uma maior interoperabilidade entre os sistemas de informação; promover a absorção, desenvolvimento e distribuição de tecnologias da informação para a comunidade produtora de IC; Promover a criação de competência técnica nacional quanto ao uso e desenvolvimento de tecnologias da informação aplicadas ao tratamento e disseminação da informação.

5 Experiência na década de 1990 no Laboratório de Los Alamos; 2000 – Santa Fé – Criação do OAI – Open Archives Initiative; Surgimento de várias ferramentas de software para construção de repositórios digitais (OJS, E-prints, OCS, Dspace, Fedora, CDSware...) Modelo Open Archives

6 Ideais e princípios dos OA Auto publicação Sistema de armazenamento a longo prazo Política de gestão observando normas de preservação de objetos digitais Acesso livre, inclusive para coleta e replicação dos metadados Uso de padrões e protocolos com vista a solução de interoperabilidade entre as bibliotecas digitais Uso de software open source

7 Esquema Funcional do OA Provedores de Dados (Data Providers) Coleta via OAI-PMH Provedores de Serviço (Service Providers)

8 Esquema Funcional do OA mais atual Provedores de Dados (Data Providers) Coleta via OAI-PMH Agregador Provedor de Serviços (Services Providers)

9 Vantagens no uso do modelo OA Maior rapidez na disseminação da literatura científica publicada nesses repositórios Acesso livre => Maior Rapidez na disseminação da IC Maior visibilidade dos trabalhos publicados Maior impacto Acesso livre => Maior Visibilidade => Maior possibilidade de ser citado Maior interoperabilidade com outros repositórios OAI-PMH (Open Archives Initiative Protocol of Metadata Harvesting )

10 Ações empreendidas pelo Ibict Pesquisa e acompanhamento do OAI desde 2000; Implantação da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD); Aperfeiçoar a pesquisa e o ensino de pós-graduação; Registrar teses e dissertações (depósito legal de teses eletrônicas); E-prints (Diálogo Científico); Open Journal Systems – SEER (Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas); dar assistência na edição dos periódicos científicos em cada uma das etapas do processo, desde a submissão, por parte dos autores, e a avaliação, por parte dos consultores, até a publicação on-line e sua indexação. Open Conference System – em parceria com o Centro de Informações Nucleares da CNEN – SOAC (Sistema Online de Acompanhamento de Conferências); DSPACE, em parceria com a Portcom/USP, uma rede de informação na área de comunicação.

11 Registro e Disseminação da Produção Científica Brasileira TEDE BDTD SEER Revistas Eletrônicas SOAC Anais Eletrônicos DSpace Repositórios Institucionais ou Temáticos Dici Repositórios Institucionais ou Temáticos

12 Política Nacional de Acesso Livre à IC Objetivo Discutir, estabelecer, acompanhar e apoiar ações para o livre acesso à informação científica Comissão Consultiva CNPq, Capes, Finep Forum das Faps SBPC, ABC Ibict, Bireme CRUB

13 Política Nacional de Acesso Livre à IC Manifesto Brasileiro de Apoio ao Acesso Livre à IC; Promover a criação de repositórios; Adoção do modelo Open Archives; Articulação com todos os setores da Comunidade Científica Prospecção, absorção, customização, desenvolvimento e distribuição de ferramentas de software Estabelecimento de padrões, normas e protocolos compatíveis com o modelo OA; Portal de Repositórios de Acesso Livre à IC

14 Fonte:Registry of Open Access Repositories (ROAR)

15 Ranking por número de registros Fonte:Registry of Open Access Repositories (ROAR)

16 Obrigado!!!! Hélio Kuramoto Coordenador Geral de Projetos Especiais SAS Quadra 05 Lote 06 Bloco H – Brasília, DF


Carregar ppt "Política Nacional de Acesso Livre à Informação Científica São Paulo, SP Março / 2006 Café Intercom/FNAC: Acesso Livre à Informação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google