A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MICOSES SISTÊMICAS. Doença Microscopia do Espécime Clínico MacroscopiaMicromorfologia Paracoccidioido- micose Célula leveduriforme em "roda de leme" Paracoccidioides.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MICOSES SISTÊMICAS. Doença Microscopia do Espécime Clínico MacroscopiaMicromorfologia Paracoccidioido- micose Célula leveduriforme em "roda de leme" Paracoccidioides."— Transcrição da apresentação:

1 MICOSES SISTÊMICAS

2 Doença Microscopia do Espécime Clínico MacroscopiaMicromorfologia Paracoccidioido- micose Célula leveduriforme em "roda de leme" Paracoccidioides brasiliensis Paracoccidioides brasiliensis Histoplasmose Células leveduriformes dentro de macrófagos Histoplasma capsulatum Coccidioidomicose Esférula com endósporos Coccidioides immitis Coccidioides immitis Blastomicose Estruturas esféricas com brotamentos únicos e de base larga Blastomyces dermatitidis Blastomyces dermatitidis

3 Micoses sistêmicas Agentes fúngicos invadem os sistemas ou órgãos Agentes fúngicos invadem os sistemas ou órgãos Cada agente apresenta uma virulência individual inerente a espécie Cada agente apresenta uma virulência individual inerente a espécie São dimórficos São dimórficos Saprófitas do solo Saprófitas do solo

4 Homem ou animais inalam os conídios (propágulos) infectantes fase filamentosa Homem ou animais inalam os conídios (propágulos) infectantes fase filamentosa No organismo forma leveduriforme temperatura, aeração, aporte nutricional do hospedeiro No organismo forma leveduriforme temperatura, aeração, aporte nutricional do hospedeiro Levedura forma invasiva Levedura forma invasiva

5 Fungos de zonas tropicais com clima quente e úmido Fungos de zonas tropicais com clima quente e úmido Infecção autolimitada ou grave Infecção autolimitada ou grave Fase de latência de até 20 anos ou mais Fase de latência de até 20 anos ou mais

6 Micoses sistêmicas Paracoccidioidomicose Paracoccidioidomicose Histoplasmose Histoplasmose Coccidioidomicose Coccidioidomicose Blastomicose Blastomicose

7 Paracoccidiodomicose Agente: Paracoccidioides brasiliensis Agente: Paracoccidioides brasiliensis Blastomicose sul americana Blastomicose sul americana É uma micose sistêmica crônica, com foco primário pulmonar, e que se dissemina para a mucosa oral, nasal e vísceras, formando granulomas ulcerativos.

8 Infecta pulmões, pele e mucosa Infecta pulmões, pele e mucosa

9 HABITAT: Reino vegetal e solo Plantas - hospedeiros intermediários para as infecções humanas. Veiculados para o organismo humano através de pequenos ferimentos produzidos por agentes de natureza vegetal. Geralmente a porta de entrada é a via aerógena.

10 Paracoccidioides brasiliensis Transição filamentoso levedura (em torno de 18 horas) Transição filamentoso levedura (em torno de 18 horas) Transformação inibida pela presença dos hormônios femininos Transformação inibida pela presença dos hormônios femininos

11 17-beta-estradiol e dietil-estilbestrol inibem 17-beta-estradiol e dietil-estilbestrol inibem Testosterona e 17-alfa-estradiol não inibem Testosterona e 17-alfa-estradiol não inibem Os hormônios femininos bloqueiam a síntese de proteínas durante a transformação das fases Os hormônios femininos bloqueiam a síntese de proteínas durante a transformação das fases

12 Autóctone, restrita ao continente americano América do Sul, Latina, Central e México Autóctone, restrita ao continente americano América do Sul, Latina, Central e México Brasil com maior número de casos da América do Sul Brasil com maior número de casos da América do Sul RS área endêmica RS área endêmica

13 Áreas endêmicas criança Áreas endêmicas criança Paciente não apresenta sinais clínicos e laboratoriais de doença Paciente não apresenta sinais clínicos e laboratoriais de doença Paracoccidioidina positivos Paracoccidioidina positivos Pode perdurar meses a anos Pode perdurar meses a anos Manifestações

14 Reativação do foco infeccioso ou reinfecção Reativação do foco infeccioso ou reinfecção Estomatite moriforme Aguiar Pupo Estomatite moriforme Aguiar Pupo Paciente apresenta evidências clínicas e laboratoriais Paciente apresenta evidências clínicas e laboratoriais Rara em crianças e pré-puberdade ambos os sexos Rara em crianças e pré-puberdade ambos os sexos

15 Diagnóstico secreção, pús, exsudatos, líquidos orgânicos, escarro, biópsia e outros secreção, pús, exsudatos, líquidos orgânicos, escarro, biópsia e outros

16 Criptoesporulação aspecto roda de leme ou Mikey mouse diferencial Mucor circinelloides Criptoesporulação aspecto roda de leme ou Mikey mouse diferencial Mucor circinelloides

17 Imunológico Testes intradérmicos com a paracoccidioidina Testes intradérmicos com a paracoccidioidina Valor epidemiológico em áreas endêmicas Valor epidemiológico em áreas endêmicas

18 Contra imunoeletroforese Imunodifusão Fixação do complemento Contra imunoeletroforese Imunodifusão Fixação do complemento Servem para evolução e controle de cura Imunofluorescência direta ELISA Imunofluorescência direta ELISA Controle da remissão clínica

19 Títulos imunológicos podem apenas diminuirao longo de toda a vida cicatriz sorológica Títulos imunológicos podem apenas diminuirao longo de toda a vida cicatriz sorológica Paciente deve ser acompanhado clínica e laboratorialmente anualmente por toda a vida Paciente deve ser acompanhado clínica e laboratorialmente anualmente por toda a vida

20 Diagnóstico diferencial Tuberculose Histoplasmose Tuberculose Histoplasmose Carcinoma Cromomicose Carcinoma Cromomicose Linfoma Esporotricose Linfoma Esporotricose Sarcoidose Leishmaniose Sarcoidose Leishmaniose

21 Blastomicose Doença de Gilchrist Blastomicose norte americana Doença de Gilchrist Blastomicose norte americana Agente: Blastomyces dermatitidis Agente: Blastomyces dermatitidis

22

23 Vegetais em decomposição próximos de lagos, rios ambientes úmidos em bosques Vegetais em decomposição próximos de lagos, rios ambientes úmidos em bosques Freqüência homens anos e negros Freqüência homens anos e negros

24 Pulmões disseminação hematogênica atinge a pele, ossos ou outros órgãos Pulmões disseminação hematogênica atinge a pele, ossos ou outros órgãos Evolução aguda ou crônica Evolução aguda ou crônica

25 Diagnóstico Escarro, tecido, exsudatos ou outros

26 Formas arredondadas em gemulação parede fina gêmulo quase sempre único base de implantação larga na célula mãe

27 Sorologia ELISA boa sensibilidade baixa especificidade ELISA boa sensibilidade baixa especificidade

28 Diagnóstico diferencial tuberculose, histoplasmose, neoplasia Pulmonar tuberculose, histoplasmose, neoplasia cromomicose, esporotricose, tuberculose Cutânea cromomicose, esporotricose, tuberculose Óssea mieloma, coccidioidomicose Óssea mieloma, coccidioidomicose

29 Histoplasmose Clássica Clássica Histoplasma capsulatum var. capsulatum Histoplasma capsulatum var. capsulatum Africana Africana Histoplasma capsulatum var. duboisii Histoplasma capsulatum var. duboisii É uma infecção micótica sistêmica, de comprometimento predominantemente pulmonar, causado por um fungo que tem afinidade pelo S.R.E.

30

31 Histoplasmose clássica Pulmões e sistema retículo endotelial Pulmões e sistema retículo endotelial Disseminação via hematogênica Disseminação via hematogênica Seus conídios são encontrados em galinheiros, cavernas, sótãos, e outras construções (velhas e abandonadas). Podendo também ser isoladas do solo. RESERVATÓRIO:morcegos,galinhas (e outras aves) ratos cães gatos

32 Hospedeiro imunocompetente Hospedeiro imunocompetente Pulmonar geralmente assintomática regride espontâneamente autolimitada Pulmonar geralmente assintomática regride espontâneamente autolimitada

33 Fungo quiescente parênquima pulmonar outros tecidos Fungo quiescente parênquima pulmonar outros tecidos Reativado desequilíbrio hospedeiro e parasita Reativado desequilíbrio hospedeiro e parasita Fungo quiescente parênquima pulmonar outros tecidos Fungo quiescente parênquima pulmonar outros tecidos Reativado desequilíbrio hospedeiro e parasita Reativado desequilíbrio hospedeiro e parasita

34

35 Diagnóstico Escarro, biópsia, nódulo linfático, medula óssea, LCR, sangue, outros Visualização difícil tamanho reduzido intracelular (histiócitos) Diagnóstico diferencial Leishmania Diagnóstico diferencial Leishmania

36

37

38 Cultura diagnóstico de certeza Cultura diagnóstico de certeza filamentosa filamentosa

39 Micromorfologia 2 tipos de conídios Micromorfologia 2 tipos de conídios macroconídio superfície lisa macroconídio superfície lisa macroconídio superfície mamilonada (estalagmósporos) macroconídio superfície mamilonada (estalagmósporos) Imunologia Diagnóstico e epidemiologia Diagnóstico e epidemiologia Fixação do complemento, Imunodifusão Fixação do complemento, Imunodifusão Quando tituladas servem para acompanhamento terapêutico Quando tituladas servem para acompanhamento terapêutico

40 Reações cruzadas com Reações cruzadas com Blastomyces dermatitidis Paracoccidioides brasiliens Aspergillus sp Coccidioides immitis Blastomyces dermatitidis Paracoccidioides brasiliens Aspergillus sp Coccidioides immitis

41 Coccidioidomicose Agente: Coccidioides immitis Agente: Coccidioides immitis Zonas desérticas e semiáridas Zonas desérticas e semiáridas Predominante pulmonar Predominante pulmonar Pele, laringe, ossos, articulações, meninges Pele, laringe, ossos, articulações, meninges Raramente disseminação hematogênica (<1%) Raramente disseminação hematogênica (<1%)

42 Endêmico: Endêmico: sudeste EU, sudeste EU, norte México, norte México, América Central América Central América do Sul (Venezuela, Bolívia, Argentina e nordeste Brasil) América do Sul (Venezuela, Bolívia, Argentina e nordeste Brasil) Brasil, 1979, Vianna et col, primeiro caso em nativo. Brasil, 1979, Vianna et col, primeiro caso em nativo. Posteriormente casos Bahia, Ceará, Piauí Posteriormente casos Bahia, Ceará, Piauí

43

44 Diagnóstico Escarro, aspirado brônquico, LCR, raspados de lesões, secreções, biópsia, outros Escarro, aspirado brônquico, LCR, raspados de lesões, secreções, biópsia, outros Elemento arredondado esférulaparede espessa, reproduz por endosporulação, tamanho variável

45 Imunologia Teste intradérmico coccidioidina valor epidemiológico Teste intradérmico coccidioidina valor epidemiológico Imunodifusão área de precipitação entre o filtrado fúngico e o anti-soro Imunodifusão área de precipitação entre o filtrado fúngico e o anti-soro

46 Tratamento Anfotericina B Anfotericina B Miconazol Miconazol Cetoconazol Cetoconazol Fluconazol Fluconazol Itraconazol Itraconazol Outros Outros

47 UFA! FIM!!!!!!!!!!!!!!


Carregar ppt "MICOSES SISTÊMICAS. Doença Microscopia do Espécime Clínico MacroscopiaMicromorfologia Paracoccidioido- micose Célula leveduriforme em "roda de leme" Paracoccidioides."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google