A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Micoses subcutâneas Grupo de fungos patógenos para o homem e animais Grupo de fungos patógenos para o homem e animais Lesões a partir do ponto de inoculação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Micoses subcutâneas Grupo de fungos patógenos para o homem e animais Grupo de fungos patógenos para o homem e animais Lesões a partir do ponto de inoculação."— Transcrição da apresentação:

1 Micoses subcutâneas Grupo de fungos patógenos para o homem e animais Grupo de fungos patógenos para o homem e animais Lesões a partir do ponto de inoculação do agente traumatismo Lesões a partir do ponto de inoculação do agente traumatismo

2 Permanecem localizadas ou Permanecem localizadas ou disseminação pela via linfática ou disseminação pela via linfática ouhematógena Fungos saprófitas do solo e vegetais em decomposição Fungos saprófitas do solo e vegetais em decomposição Clima tropical e subtropical Clima tropical e subtropical

3 Esporotricose Lesões Gomosas

4

5 Esporotricose Agente: Sporothrix schenckii fungo dimórfico Agente: Sporothrix schenckii fungo dimórfico

6 Distribuição universal Distribuição universal Qualquer idade, sexo ou raça Qualquer idade, sexo ou raça Período de incubação de 1 a 12 semanas Período de incubação de 1 a 12 semanas Esporotricose

7 Trauma local com inoculação direta Trauma local com inoculação direta espinhos roseira espinhos roseira lascas de madeira lascas de madeira bicadas de aves outros bicadas de aves outros Raramente mucosas Raramente mucosas

8 Esporotricose em Animais Distribuição universal Distribuição universal Qualquer idade, sexo ou raça Qualquer idade, sexo ou raça Período de incubação de 1 a 12 semanas Período de incubação de 1 a 12 semanas

9 Diagnóstico Exame direto Pouco valor diagnóstico Pouco valor diagnóstico Formas arredondadas Formas arredondadas ovais em forma de charuto com halo claro como uma cápsula ovais em forma de charuto com halo claro como uma cápsula gemulação simples gemulação simples Reação eosinofílica Splendore-Hoepli

10 Microscopia da colônia 25-30°C conídios ovalados dispostos em forma de margarida Microscopia da colônia 25-30°C conídios ovalados dispostos em forma de margarida

11 Imunológico Teste intradérmico esporotriquina (0,1 ml do antígeno) Valor epidemiológico terapêutico diagnóstico Teste intradérmico esporotriquina (0,1 ml do antígeno) Valor epidemiológico terapêutico diagnóstico

12 Tratamento Iodeto de potássio saturado, via oral em doses progressivas Iodeto de potássio saturado, via oral em doses progressivas início 1,5 g por dia até o quarto dia início 1,5 g por dia até o quarto dia 3 g por dia até 1 a 2 semanas após o desaparecimento dos sintomas 3 g por dia até 1 a 2 semanas após o desaparecimento dos sintomas

13 Diagnóstico diferencial leishmaniose cromomicose tuberculose tumores Diagnóstico diferencial leishmaniose cromomicose tuberculose tumores Esporotricose

14 Lesões Verrucosas CROMOMICOSE

15 CROMOBLASTOMICOSE Vida Parasitária

16 Vida Saprofítica FUNGO DEMÁCEO

17 Agentes Agentes Phialophora verrucosa Phialophora verrucosa Fonsecaea compacta Fonsecaea compacta Fonsecaea pedrosoi Fonsecaea pedrosoi Cladosporium carrionii Cladosporium carrionii Rinocladiella aquaspersa Rinocladiella aquaspersa

18

19 Manifestações Lesões iniciam como pápula verruga ou ulceração Lesões iniciam como pápula verruga ou ulceração São indolores São indolores Evolução por meses ou anos Evolução por meses ou anos

20 Posteriormente alteram seu aspecto Posteriormente alteram seu aspecto Sangram com facilidade Sangram com facilidade Formam-se crostas com aspecto de couve flor Formam-se crostas com aspecto de couve flor CROMOMICOSE

21 Estruturas globosas septadas cor castanho Estruturas globosas septadas cor castanho Diagnóstico corpos escleróticos ou talo muriforme corpos escleróticos ou talo muriforme Colônia escura e filamentosa Colônia escura e filamentosa

22 Reprodução Assexuada por conidióforos tipo rinocladiella fialofora cladosporium Assexuada por conidióforos tipo rinocladiella fialofora cladosporium

23 Vida Saprofítica

24

25

26 Cladospórium

27 Fialófora

28 Rinocladiela

29 Fonsecae

30 Tratamento Acesso fácil e lesão não extensa, retirada cirúrgica Acesso fácil e lesão não extensa, retirada cirúrgica Antifúngicos anfotericina B 5-fluorocitosina cetoconazol itraconazol outros Recidivas ocorrem Antifúngicos anfotericina B 5-fluorocitosina cetoconazol itraconazol outros Recidivas ocorrem

31 MICETOMAS

32 Micetomas Implantação direta do agente Implantação direta do agente Pés e mãos Pés e mãos Fungos e bactérias actinomicetos Fungos e bactérias actinomicetos

33 v Aumento de volume da região ou membro atingido v Formação de fístulas v Drenagem de grãos Características Características

34

35 Grãos amarelo, branco ou preto Grãos amarelo, branco ou preto Fungos micetoma eumicótico maduromicótico Fungos micetoma eumicótico maduromicótico eumicetoma pé de madura eumicetoma pé de madura Bactérias actinomicetos micetoma actinomicótico actinomicetoma Bactérias actinomicetos micetoma actinomicótico actinomicetoma

36 Diagnóstico micetomas v Clínico v Micológico v Histopatológico

37 Micetoma eumicótico

38 Agentes v Aspergillus sp v Madurella sp v Acremonium sp v Pseudoallescheria boydii v Outros

39 Homens entre anos Homens entre anos Tamanho grãos 0,5 - 2 mm visível olho nú Tamanho grãos 0,5 - 2 mm visível olho nú Área dura à palpação Área dura à palpação v Se evoluir comprometimento ósseo v Disseminação excepcional

40 v Grão contendo filamentos micelianos

41

42 Identificação v Macro e micromorfologia colonial

43 Tratamento Cirúrgico difícil acesso da droga Cirúrgico difícil acesso da droga Cirúrgico + excerese total da lesão + antifúngico Cirúrgico + excerese total da lesão + antifúngico

44 Micetoma actinomicótico

45 Actinomiceto endógeno Cavidade oral mucosa intestinal e vaginal toracopulmonar e abdominal Cavidade oral mucosa intestinal e vaginal toracopulmonar e abdominal Agente mais frequente: Actinomyces sp Agente mais frequente: Actinomyces sp

46

47 Actinomiceto exógeno

48 Agente mais freqüente Nocardia sp Agente mais freqüente Nocardia sp

49

50 Diagnóstico

51 Colorações Gram Ziehl-Neelsen aeróbios e anaeróbios Colorações Gram Ziehl-Neelsen aeróbios e anaeróbios Gram

52 Ziehl Neelsen Ziehl Neelsen

53 Tratamento Nocardia sp Nocardia sp vSulfametoxazol-trimetoprim Sulfadiazina Actinomyces sp Actinomyces sp v Penicilina

54 Extrato córneo região perigenital e axilar Corynebacterium minutissimum Corynebacterium tenuis Extrato córneo região perigenital e axilar ERITRASMA Corynebacterium minutissimum Tricomicose axilar Corynebacterium tenuis Erosões, fissuras na camada córnea da região plantar Queratólise plantar Erosões, fissuras na camada córnea da região plantar

55

56 Tratamento Corte pêlos Corte pêlos Aplicação antibacteriano Aplicação antibacteriano

57 Pseudomicetoma Micetoma causado por dermatófitos Micetoma causado por dermatófitos Micetoma por bactérias Gram positivas ou negativas Não filamentosas Micetoma por bactérias Gram positivas ou negativas Não filamentosas Agentes - Staphylococcus aureus - Escherichia coli - Proteus sp - Pseudomonas aeruginosa - Streptococus sp Agentes - Staphylococcus aureus - Escherichia coli - Proteus sp - Pseudomonas aeruginosa - Streptococus sp e outros e outros Botriomicose


Carregar ppt "Micoses subcutâneas Grupo de fungos patógenos para o homem e animais Grupo de fungos patógenos para o homem e animais Lesões a partir do ponto de inoculação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google