A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Paula Roberta Ferreira F2 setor retina ISCMSP. A endoftalmite infecciosa ocorre quando alguma estrutura intra-ocular é colonizada por microrganismo replicante,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Paula Roberta Ferreira F2 setor retina ISCMSP. A endoftalmite infecciosa ocorre quando alguma estrutura intra-ocular é colonizada por microrganismo replicante,"— Transcrição da apresentação:

1 Paula Roberta Ferreira F2 setor retina ISCMSP

2 A endoftalmite infecciosa ocorre quando alguma estrutura intra-ocular é colonizada por microrganismo replicante, causando resposta inflamatória que pode, em casos graves, atingir todos os tecidos oculares. A maioria das endoftalmites é de origem bacteriana, mas fungos, vírus e parasitas também podem causar infecção.

3 2/3 após cirurgias. Incidência após cg de catarata 0,05%-0,16% 25% casos após trauma. Exógena: porta de entrada (trauma ou cg) Endógena: outro foco infeccioso do próprio corpo.

4 1. Pós-cirúrgica: 70% Aguda : menos de 6 semanas após cirurgia: 94% bacterias gram + ( Staphylococcus coagulase negativo - 70%, Staphylococcus aureus - 10%, Streptococcus - 11% ) 6% bactérias gram negativas. Crônica : mais de 6 semanas após a cirurgia: Propionibacterium acnes, Staphylococcus coagulase negativo e fungos Associada a cg filtrante (trabeculectomia- meses/anos): Streptococcus (47%), Staphylococcus coagulase negativo (22%) e Haemophilus influenzae (16%)

5 2. Pós- trauma: 20% Bacillus cereus (24%), Staphylococcus (39%) e bactérias gram negativas (7%) 3. Endógena: 8% Rara, geralmente causada por fungos (Candida); pode ser causada por Staphylococcus aureus e bactérias gram negativas em pacientes debilitados com septicemia.

6 Principais sintomas da endoftalmite aguda são: dor intensa, baixa da acuidade visual, hiperemia, edema palpebral, córnea com edema de vários graus, células e flare intensos em CA, podendo apresentar hipópio e hifema. Membrana inflamatória pupilar, o vítreo com vários graus de opacidade devido a reação inflamatória. O exame de ultrassonografia pode ajudar no diagnóstico.

7

8 Endoftalmite crônica ou endógena Uveíte crônica não granulomatosa, indolente P. acnes pode induzir placas esbranquiçadas no saco capsular Endoftalmite c/ bolhas filtrantes Semelhante a endoftalmite ag, presença de bolha purulenta

9

10 Curso agudo e fulminante Tratamento – atb empiricamente Intra- vítrea Endovenoso e subconjuntival (barreira hemato- retiniana) VVPP

11 Obj: avaliar o papel VVPP e atb endovenosos Participantes: pctes com sinais e sintomas de endoftalmite aguda após cg de catarata ou implante de LIO. Randomização: ATB sistêmicos ou não. VVPP imediata ou Injeção IV ATB Resultados coletados: AV e transparência de meios

12 Não houve diferença AV final ou transparência de meios ATB venosos (amicacina/ceftazidime) Não houve diferença entre VVPP x Injeção IV ATB : pctes AV melhor que percepção luminosa Pctes PL melhor a VVPP

13 Se a AV for > PL: colher vítreo para cultura + injeção intravítrea de Vancomicina(2.25mg/0.1ml) + Ceftazidime (1mg/0.1ml) Se a AV for igual a PL: vitrectomia via pars plana + injeção intravítrea de ATB Antibióticos tópicos fortificados 1/1 hora Corticóide tópico (acetato de prednisolona 1%) 2/2 horas Atropina 1% 8/8 horas Antibiótico endovenoso não é utilizado de rotina. Considerar o uso de quinolonas de terceira e quarta geração (gatifloxacina endovenosa ou moxifloxacina 400mg via oral).

14 Endoftalmite aguda após 5 dias de cg catarata. Realizado Inj IV ATB – 20/30

15 Colher material para cultura (2 semanas) Inj IV ATB e saco capsular VVPP + Injeção IV ATB (remoção seletiva de placa esbranquiçada) VVPP + explante de LIO + retirada de saco capsular + Inj IV ATB.

16 Considerar uso de anfotericina B 0.005mg/0.1ml (IV) Semelhante endoftalmite aguda, VVPP mais precoce Blebite (ATB topicos e /ou subconjuntivais) Pior prognóstico. Corticóide IV???

17 Endoftalmite associada a bolha c 2 anos de cg – VVPP + inj ATB IV

18 1. Avaliar o paciente a cada 12 horas 2. Melhora da dor. 3. Considerar corticóide oral associado a um protetor gástrico 4. Após 48 horas o paciente deve mostrar sinais de melhora clínica(melhora da dor, diminuição da inflamação, diminuição do hipópio). Considerar nova injeção de antibiótico se não houver melhora (baseado no antibiograma) e se AV for de no mínimo movimentos de mãos. Entretanto, se houver piora do quadro ou AV for de percepção luminosa, realizar vitrectomia.

19 Depende do microrganismo isolado. Pacientes que atingiram 20/100 ou melhor: Micrococo coagulase negativo 84% Gram negativo 14% Staphylococos aureus 50% Strepcoco s 30% Enterococo 14% Pseudomona s ou Bacillus sem relato de preservação visual

20 EVS 53% preservaram visão de 20/40 ou melhor 74% preservaram visão de 20/100 ou melhor 15% mantiveram a visão 20/200 ou pior 5% ficaram com percepção luminosa


Carregar ppt "Paula Roberta Ferreira F2 setor retina ISCMSP. A endoftalmite infecciosa ocorre quando alguma estrutura intra-ocular é colonizada por microrganismo replicante,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google