A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sociologia da Comunicação Maria de Fátima Tálamo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sociologia da Comunicação Maria de Fátima Tálamo."— Transcrição da apresentação:

1 Sociologia da Comunicação Maria de Fátima Tálamo

2 Revolução Industrial A partir do século XVIII, a ciência ingressou em um constante processo de evolução: série de novas tecnologias transformaram de forma rápida a vida do homem. A alteração contínua de um novo modo de produção no setor industrial acelerou o desenvolvimento do sistema capitalista. novas tecnologias

3 Revolução Industrial Historicamente é entendida como a acelerada transformação no setor produtivo industrial.

4 Revolução Industrial A indústria mundial nem sempre teve a configuração atual, antes desse processo havia somente o artesanato e a manufatura, ambas com produtividade modesta. Então, a partir do século XVIII, determinados países da Europa, sobretudo a Inglaterra, ingressaram no processo de Revolução Industrial que vinculou a produção na mecanização, modernização e dinamização do processo, ou seja, produção em grande escala.

5 Primeira Revolução Industrial Ocorreu na Inglaterra no final do século XVIII início do século XIX, seguindo para outros países como França, Bélgica, Holanda, Rússia, Alemanha e Estados Unidos ingressaram nesse novo modelo de produção industrial.

6 Primeira Revolução Industrial Caracteriza-se por duas importantes invenções que criaram uma reviravolta no setor produtivo e de transportes e estão associadas à descoberta da utilidade do carvão como meio de fonte de energia: a partir daí foram desenvolvidas simultaneamente a máquina a vapor e a locomotiva.

7 Primeira Revolução Industrial A máquina a vapor e a locomotiva foram determinantes para dinamizar o transporte de matéria-prima, de pessoas e a distribuição de mercadorias, dando um novo panorama aos meios de se locomover e produzir. A produção têxtil deixa de ser artesanal.

8 Primeira Revolução Industrial A utilização de máquinas nas indústrias, que desempenhavam grande força e agilidade movida à energia do carvão, proporcionou uma produtividade extremamente dinâmica, com isso a indústria se tornou uma alternativa de trabalho, nesse momento milhares de pessoas deixaram o campo em direção às cidades.

9 Segunda Revolução Industrial O modelo industrial iniciado no século XVIII sofreu diversas mudanças e aprimoramentos que marcaram a busca constante por inovação. A partir de 1870 uma nova onda tecnológica caracteriza a chamada Segunda Revolução Industrial.

10 Segunda Revolução Industrial O emprego da energia elétrica, o uso do motor à explosão, os corantes sintéticos e a invenção do telégrafo possibilitaram a exploração de novos mercados e a aceleração do ritmo industrial. Elaboram-se teorias e máquinas para reduzir os custos e o tempo de fabricação de produtos que pudessem ser consumidos em escalas cada vez maiores

11 Segunda Revolução Industrial A eletricidade já conhecida, tinha seu uso restrito ao desenvolvimento de pesquisas laboratoriais. Contudo, passou a ser utilizada como um tipo de energia que poderia ser transmitido em longas distâncias e geraria um custo bem menor se comparado ao vapor. Em 1879, a criação da lâmpada incandescente representou um importante marco nos sistemas de iluminação dos grandes centros urbanos e industriais da época.

12 Segunda Revolução Industrial O petróleo, que antes tinha somente uso para o funcionamento de sistemas de iluminação, passou a ter uma nova utilidade com a invenção do motor à combustão. Com isso, ao lado da eletricidade, o petróleo respondeu por um ritmo de produção mais acelerado.

13 Segunda Revolução Industrial O aço e o alumínio foram largamente utilizados pela sua maior resistência e maleabilidade. Métodos mais simples de fabricação permitiram que o ácido sulfúrico e a soda cáustica fossem acessíveis. Por meio desses dois compostos a fabricação de borracha, papel e explosivos puderam ser feitas em larga escala.

14 Segunda Revolução Industrial Com as novas fontes de energia e a produção do aço surge a concepção de de meios de locomoção mais ágeis e baratos. Durante o século XIX, a construção de estradas de ferro foi o ramo de transporte que mais cresceu. Nesse período, Estados Unidos e Europa possuíam juntos cerca de 200 mil quilômetros de trilhos construídos. Segundo outros dados, somente na década de 1860, mais de dois milhões de pessoas eram empregadas na manutenção desse único meio de transporte.

15 Segunda Revolução Industrial Por meio das inovações, as indústrias puderam alcançar lucros cada vez maiores e dinamizar o processo que se dava entre a obtenção da matéria- prima e a venda do produto ao consumidor final. Ao mesmo tempo, o controle mais específico sobre os gastos permitiram o cálculo preciso das margens de lucro a serem obtidas com um determinado artigo industrial.

16 Revolução Industrial A utilização de máquinas nas indústrias propiciou uma produtividade extremamente dinâmica, com isso a indústria se tornou uma alternativa de trabalho. Milhares de pessoas deixaram o campo em direção às cidades.

17 Revolução Industrial O acelerado êxodo rural provocou expressivo crescimento dos centros urbanos em grande parte das nações européias que integravam a revolução. Algumas cidades da Europa aumentaram três vezes o número de sua população em meio século.

18 Revolução Industrial A partir desse crescimento populacional os centros urbanos ficaram saturados, modificando de maneira drástica a configuração da paisagem urbana, as cidades não absorveram o fluxo de pessoas de forma planejada, com isso surgiram bairros marginalizados compostos por trabalhadores pobres

19 TELÉGRAFO Sistema de telecomunicações que difunde à distância mensagens escritas. Telégrafo óptico: inventado por Claude Chappe em 1837; Telégrafo elétrico: inventado por Samuel Morse, em 1837.

20 Cinema É o resultado de inventos concomitantes. O desenho e a pintura foram as primeiras formas de representar os aspectos dinâmicos da vida humana e da natureza, criando narrativas através de figuras. O jogo de sombras do teatro de marionetes oriental é considerado um dos mais remotos precursores do cinema.Experiências posteriores como a câmara escura e a lanterna mágica constituem os fundamentos da ciência óptica, que torna possível a realidade cinematográfica.

21 Cinema Foi em 28 de Dezembro de 1895 que os irmãos Lumière exibiram no Salon Indien, aquele que veio a ser conhecido como o primeiro filme da história: "A Chegada de um Trem na Estação da Cidade". Neste filme, um trem parecia sair da tela. O interesse pelo descobrimento foi enorme.

22 Cinema No pós-guerra, a chegada da televisão colocou um desafio à indústria cinematográfica que ainda hoje permanece. A indústria respondeu com uma oferta de mais espetáculo, que se concretizou no aumento de tamanho das telas.

23 Televisão 1926, o escocês John Logie Baird é tido oficialmente com pai da televisão mundial. Primeira transmissão em Londres. Década de 50: TV a cabo

24 Telefone Há muita controvérsia sobre a invenção do telefone, que geralmente tem sido atribuída a Alexander Graham Bell. Entretanto, como reconheceu o Congresso dos Estados Unidos através da resolução 269, de 15 de junho de 2002, o aparelho foi inventado por volta de 1860 pelo italiano Antonio Meucci, que o chamou telettrofono. A primeira demonstração pública da invenção de Meucci teve lugar em 1860, e o acontecimento foi publicado por um jornal de língua italiana de Nova Iorque. Meucci vendeu a patente do aparelho a Bell nos

25 Jornal 1836:Os folhetins fizeram do jornal um veículo de massa. Émile de Girardin, na França, conseguiu torná-lo veículo de massa ao lançar os jornais: Le Siècle e La Presse. Ele barateou o jornal com publicidades inglesas e as matérias eram redigidas com uma linguagem mais simples. Além disso, criou o romance-folhetim, ficção em pedaços, que se tornou uma das grandes atrações do jornal e contribui muito para o seu sucesso. Aumento da tiragem, do lucro e dos leitores.

26 RÁDIO Henrich Rudolph Hertz descobre as ondas de rádio Gluglielmo Marconi realiza as primeiras transmissões sem fios começa a chamada "Era do rádio" (4 -382/22 nos EUA) 1922: primeira transmissão radiofônica oficial no Brasil: o discurso do Presidente Epitácio Pessoa, no Rio de Janeiro, em plena comemoração do centenário da Independência do Brasil, no dia 7 de setembro

27 MASSA O termo massa designa uma coletividade de grande extensão, heterogênea quanto a origem social e geográfica dos seus membros e desestruturados socialmente. indivíduos indiferenciados quanto a normas de comportamento, valores e posições sociais, pelo menos naquilo que diz respeito a uma situação determinada. Define uma forma de agrupamento social.

28 Capitalismo monopolista/financeiro Acumulação se dá por investimento: estendeu-se do fim do século XIX ao século XX. Capital apropria-se da ciência.( inovações)

29 Comunicação de Massas Designação criada nos anos 50 do séc.XX para designar o conjunto dos media que, como a imprensa industrial, a rádio e a televisão, atingem um público amplo, diversificado e não individualizável. Sublinha os efeitos da uniformização das mensagens, da modelização e de manipulação do público, encarado como destinatário passivo e acrítico dos seus produtos culturais.

30 Cultura de Massa Designação criada nos anos 40 do séc. XX para referir e criticar o aparecimento de uma forma de cultura, distinta da cultura erudita e da cultura popular, produzida pelos dispositivos de informação mediática.Características fundamentais: homogeneização do gosto, a passividade e a ausência de criatividade das audiências, na medida que os media são processos de mediatização em sentido único.

31 Media Plural de medium (meio), termo latino usado a partir da obra de MCLuhan para designar as técnicas utilizadas para a percepção da realidade e para transmitir mensagens e informaçãos à distância, tais como a imprensa escrita, o cinema, o cartaz, o telefone, o rádio, a televisão.

32 Comunicação Social É uma expressão pleonástica, já que toda comunicação é social. Consagrada por instituições ( Estado, instituições humanitárias, religiosas)par atribuírem o nome a serviços cuja finalidade é orientar o funcionamento dos media em favor dos valores que promovem e até de promover a censura das suas mensagens.

33 Mass Media Expressão inglesa formada nos anos 50 do séc. XX para designar os media industriais ( jornais, rádio e TV) que atingem um público amplo, diversificado e não individualizável.

34 Público Categoria moderna, criada no séc. XVIII, que, na origem, era constituída pelas pessoas esclarecidas com vista ao debate político, literário ou científico. Com o aparecimento da imprensa industrial, a institucionalização dos meios de informação e o surgimento cultura de massa, o público tornou-se o produto do próprio funcionamento dos órgãos de informação, dando origem à categoria audiência.

35 Audiência Termo genérico que designa o conjunto dos destinatários de um determinado medium que pode formar um público especializado, com interesses e gostos específicos, constituído pelo conjunto das pessoas que lêem habitualmente um jornal, ouvem uma rádio, vêem uma cadeia de televisão, um filme, um programa...

36 Sociedade de Consumo Termo utilizado em economia e sociologia, para designar o tipo de sociedade que se encontra numa avançada etapa de desenvolvimento industrial capitalista e que se caracteriza pelo consumo massivo de bens e serviços, disponíveis graça a elevada produção dos mesmos.economiasociologia

37 Sociedade de consumo O conceito de sociedade de consumo está ligado ao de economia de mercado e, por fim, ao conceito de capitalismo, entendendo economia de mercado aquela que encontra o equilíbrio entre oferta e demanda através da livre circulação de capitais, produtos e pessoas, sem intervenção estatal.

38 Sociedade de Consumo Tem como marco a aplicação da linha de montagem e a fabricação de automóveis, por Henry Ford em 1909, o que permitiu o barateamento do produto final.Como reação à Depressão de 1929, políticas promoveram um aumento constante da demanda dos consumidores.Essas políticas se generalizaram no mundo capitalista nas décadas de 1950 e 1970.

39 Marketing Designa o conjunto das técnicas e dos processos de promoção de bens e de serviços e de adequação entre a sua oferta e a sua procura.

40 Propaganda Procedimentos intencionais, explícitos ou camuflados, destinados a persuadir, a fazer crer ou agir uma pessoa ou uma coletividade num determinado sentido.


Carregar ppt "Sociologia da Comunicação Maria de Fátima Tálamo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google