A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SISTEMA IMUNE: RESPOSTA IMUNE INATA RESPOSTA IMUNE ADAPTATIVA SISTEMA IMUNE: RESPOSTA IMUNE INATA RESPOSTA IMUNE ADAPTATIVA Profa. Alessandra Pardini disciplina:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SISTEMA IMUNE: RESPOSTA IMUNE INATA RESPOSTA IMUNE ADAPTATIVA SISTEMA IMUNE: RESPOSTA IMUNE INATA RESPOSTA IMUNE ADAPTATIVA Profa. Alessandra Pardini disciplina:"— Transcrição da apresentação:

1 SISTEMA IMUNE: RESPOSTA IMUNE INATA RESPOSTA IMUNE ADAPTATIVA SISTEMA IMUNE: RESPOSTA IMUNE INATA RESPOSTA IMUNE ADAPTATIVA Profa. Alessandra Pardini disciplina: Imunologia

2 Funções - Interagir com o estranho (non-self) e preservar o próprio (self) - É um sistema complexo - Imunidade = resistência a infecções - Células, tecidos e moléculas que medeiam a resistência = sistema imune - Reação coordenada = resposta imune

3 - Não responder a estruturas próprias - Reconhecer estruturas que sejam potencialmente agressoras - Dois tipos de resposta - inata (inespecífica) e adaptativa (específica) - Inata, natural ou inespecífica - rápida - proteção inicial contra infecções - Adaptiva, adquirida ou específica - mais demorada - mais efetiva

4

5 Agente Tipo de Resposta Imune Tipo de leucócito Resposta Imunológica INATA Resposta Imunológica INATA Resposta Imunológica ADAPTATIVA Resposta Imunológica ADAPTATIVA provavelmente ocorrem simultaneamente provavelmente ocorrem simultaneamente as células envolvidas e as reações bioquímicas são diferentes as células envolvidas e as reações bioquímicas são diferentes

6 Resposta Imune Inata ou Inespecífica

7 Histórico: Pasteur - descoberta de microorganismos patogênicos - podem não causar doença em todos os organismos que infecta - provocam resistência ou suscetibilidade: relacionado a eficiência da resposta imune pode ser resistente para um tipo e suscetível a outro

8 - presente em indivíduos saudáveis ao nascer - disponíveis para proteção contra partículas exógenas Características: - não é específica - não possui memória - fase imediata e recente - barreiras naturais - inflamação - fatores humorais - defesas celulares - fagócitos

9 Barreiras naturais Físicas - pele e mucosas - secreções - lavam e limpam as superfícies das mucosas - cílios - remoção de resíduos e material estranho Biológicas - Microbiota normal > competição por nutrientes > ocupação > produção de substâncias antimicrobianas

10 Químicas - pH baixo – estômago - Enzimas proteolíticas – lisozima e pepsina - Sais biliares - Ácidos graxos – pele - Fibronectina - remoção bacteriana – ligação a macrófagos

11 I IMUNIDADE NATURAL: são importantes as barreiras físicas (pele e mucosas) e químicas (substâncias anti- microbianas) instalação do microorganismo (mo): inflamação

12 Barreiras Naturais Pele: barreira mecânica (descamação da derme), ação microbicida pela liberação de secreções Trato respiratório: cílios e muco Trato digestivo: saliva contém substâncias bactericidas; pH baixo do estômago; no intestino os líquidos pancreáticos e biliares neutralizam o pH, flora normal controla o crescimento de mo

13 Trato genitourinário: o fluxo da urina arrasta partículas, pH ácido, limita o crescimento de bactérias Conjuntiva dos Olhos: fluxo de lágrimas arrasta os mo

14 Situações: perda da continuidade da pele: cortes, queimaduras, alterações metabólicas, nutricionais, hormonais, genéticas, ou até diretamente, por picadas de vetores, determinam alterações bioquímicas, vasculares e celulares: REAÇÃO INFLAMATÓRIA tecido íntegro sofre agressão (infecciosa ou tecido íntegro sofre agressão (infecciosa ou não) INFLAMAÇÃO: para restaurar a não) INFLAMAÇÃO: para restaurar a integridade do tecido integridade do tecido Inflamação

15 INFLAMAÇÃO - mecanismo de defesa - propicia o acúmulo e ativação de células fagocitárias no local da injúria - promove a cicatrização - fagocitose apresentação de antígenos que são drenados até o linfonodo ativação de resposta imune específica (produção de anticorpos, liberação de citocinas) ativação de macrófagos ( do potencial microbicida)

16 EVENTOS (a) RUBOR e CALOR: - alterações no calibre das arteríolas-contração ou relaxamento dos músculos lisos, modificando o fluxo sangüíneo local Mediadores Inflamatórios: ativação de mastócitos e macrófagos, ocorre liberação de histamina; provocando a produção de neuropeptídeos (substância P, neurocinina A, VIP = vasoactive intestinal peptide; CGRP, somatostatina e encefalinas) - são substâncias com efeito pró-inflamatório

17 Mediadores Lipídicos: - são produzidos como consequência da ativação de fosfolipases que clivam os fosfolipídeos constituintes da membrana celular, gerando as prostaglandinas, leucotrienos e PAF = platelet activating factor

18 Prostaglandinas: - Têm importantes funções inflamatórias e também atuam em processos fisiológicos, são mediadores da reação inflamatória (efeito vasodilatador), envolvidas no processo de febre e dor, aumentam a permeabilidade vascular, associado a bradicinina e histamina = contribui para a formação do edema - Pode ocorrer ativação do sistema de coagulação (liberando bradicinina que é um potente vasodilatador, aumenta a permeabilidade vascular e causa dor)

19 EDEMA ou TURGOR: - devido a permeabilidade vascular e a vasodilatação = favorecem o acúmulo de plasma no tecido causando o edema DOR: - causada pelo acúmulo de líquido nos tecidos que podem pressionar terminações nervosas

20 Eventos da Resposta Inflamatória: - Lesão do tecido - Dor, calor, rubor e edema - Cicatrização

21

22

23

24 Função do Foco Inflamatório - atração de componentes plasmáticos, proteínas do Sistema Complemento, diluir toxinas, venenos, aumentar a drenagem linfática carregando antígenos de microorganismos para os linfonodos propiciando assim o desencadeamento da resposta imune específica.

25 Inflamação como causa de Doença - aumenta o número de fagócitos no foco infeccioso = para eliminar o mo a destruição principalmente mediada pelos neutrófilos pode ocorrer contra o próprio tecido = lesão tecidual: destruição de cartilagens, ossos, modifica a matriz celular

26 Mecanismo: Inflamação Crônica: - é a persistência do fator etiológico, ou seja, o agente infeccioso ou então restos de microorganismos, corpo estranho, produtos do metabolismo, reações de hipersensibilidade, auto- imunidade - Migração de lyTh1 – libera citocinas ativando macrófago - Migração de lyTh2 – citocinas indutoras da migração de eosinófilos que contém substâncias lesivas ao tecido

27 Inflamação como elo de ligação entre Imunidade natural e Adquirida A inflamação fornece sinais que são fundamentais para que os linfócitos sejam ativados iniciando, assim, a resposta imune específica. Microorganismos que induzem fraca reação inflamatória, em geral, não induzem resposta imune. Em conseqüência da reação inflamatória, são produzidas citocinas que promovem o crescimento e diferenciação de linfócitos e aumento da expressão de um tipo de moléculas, chamadas coestimulatórias, na membrana de células apresentadoras de antígeno.

28 Estas moléculas atuam em conjunto com o antígeno para estimular os linfócitos T sendo fundamentais para que a resposta imune se inicie. Os sinais gerados durante a reação inflamatória não apenas são essenciais para desencadear a resposta imune como também determinam o tipo de resposta que irá ocorrer – celular ou humoral.

29

30 Fatores Humorais Sistema complemento Sistema gerador de cininas Citocinas inflamatórias Proteínas de fase aguda Interferons

31 Sistema complemento proteínas circulantes que atuam em cascata - três vias de atuação via clássica atua na presença de anticorpos – resposta adquirida via da lectina via alternativa – resposta inata componente C3b - opsonização de bactérias e ativação da cascata do complemento - citólise

32

33 Proteínas de fase aguda - sintetizadas no fígado após indução por TNF-, IL-1 e IL-6 - exemplo lectina que se liga a manose = capazes de reconhecer inúmeras bactérias - não possuem diversidade estrutural - atuam como opsoninas para monócitos - ativam a cascata do complemento - via da lectina

34

35

36 Fagócitos

37 Resposta Imune Adaptativa ou Específica

38 Resposta Imune Específica - Suplementa a proteção dada pela imunidade natural Características: - fase tardia - células envolvidas: linfócitos T e linfócitos B - imunidade celular – defesa intracelular - imunidade humoral – defesa extracelular

39 Características Especificidade - garante que antígenos (Ag) diferentes desencadeiem respostas específicas Diversidade - permite resposta a uma grande variedade de antígenos (Ag)

40 Memória - melhora a resposta durante exposições posteriores a um mesmo Ag Especialização - respostas apropriadas a defesa contra diferentes tipos de microrganismos Auto-limitação - permite resposta a novos Ag Tolerância a antígenos (Ag) próprios - previne aparecimento de auto-imunidade

41 Aplicação de especificidade, memória e auto-limitação

42 Resumo: - O SISTEMA IMUNE surgiu para nos proteger dos patógenos - Os patógenos podem infectar células (vírus) – individual - Bactérias podem infectar compartimento extracelular e cavidades corporais - As células responsáveis pela imunidade incluem os linfócitos e os fagócitos - Os linfócitos reconhecem os antígenos nos patógenos

43 - Os fagócitos internalizam e degradam os patógenos - A resposta imune é dividida em duas fases 1°) Antígeno ativa linfócitos específicos 2°) Linfócitos exercem função na eliminação do antígeno - Características da resposta imune ADAPTATIVA Especificidade e Memória - A partir do segundo contato com o mesmo antígeno, o sistema imune elabora uma resposta imune mais eficiente

44 - Os linfócitos (ly) possuem funções especializadas Ly B (resposta imune humoral) = produz Ac Ly T (resposta imune celular) = ly T citotóxico destróem células infectadas por vírus; ly T auxiliares coordenam a resposta imune (célula-célula, libera citocinas) - Os antígenos são moléculas reconhecidas por receptores presentes nos linfócitos: ly B: reconhece moléculas antigênicas intactas ly T: reconhece fragmentos antigênicos na superfície de outras células - A seleção clonal envolve o reconhecimento do antígeno por um determinado linfócito - Gera expansão clonal – diferenciação das células em efetora e de memória

45 - O Sistema Imune pode sofrer desequilíbrio A falência do sistema imune pode ocasionar quadros de: - imunodeficiência - hipersensibilidade - auto-imunidade

46 Obrigada! Boa semana! Profa. Alessandra


Carregar ppt "SISTEMA IMUNE: RESPOSTA IMUNE INATA RESPOSTA IMUNE ADAPTATIVA SISTEMA IMUNE: RESPOSTA IMUNE INATA RESPOSTA IMUNE ADAPTATIVA Profa. Alessandra Pardini disciplina:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google