A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A FELICIDADE PARADOXAL HOMO FELIX: GRANDEZA E MISÉRIA DE UMA UTOPIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A FELICIDADE PARADOXAL HOMO FELIX: GRANDEZA E MISÉRIA DE UMA UTOPIA."— Transcrição da apresentação:

1 A FELICIDADE PARADOXAL HOMO FELIX: GRANDEZA E MISÉRIA DE UMA UTOPIA.

2 O HOMEM NASCEU PARA SER FELIZ. O Iluminismo ( séc. XVIII). O Iluminismo ( séc. XVIII). Reabilitação do epicurismo, dos prazeres, das paixões... contra a crença na corrupção da natureza humana. Reabilitação do epicurismo, dos prazeres, das paixões... contra a crença na corrupção da natureza humana. Eleva-se a felicidade à condição de ideal supremo. Eleva-se a felicidade à condição de ideal supremo.

3 O imperativo da felicidade. A grande ocupação, e a única que se deve ter, é viver feliz (Voltaire / ). A grande ocupação, e a única que se deve ter, é viver feliz (Voltaire / ). A busca da felicidade aparece como atividade fundamental da existência humana. A busca da felicidade aparece como atividade fundamental da existência humana.

4 A moral como ciência da felicidade. Os moralistas trabalham para estabelecer as condições físicas, morais, afetivas... que permitam alcançar a vida feliz. Os moralistas trabalham para estabelecer as condições físicas, morais, afetivas... que permitam alcançar a vida feliz. Temos a secularização do mundo e a sacralização da felicidade. Temos a secularização do mundo e a sacralização da felicidade.

5 O progresso das ciências O valor do conhecimento: promover continuamente o bem-estar humano a partir de inúmeros artifícios. O valor do conhecimento: promover continuamente o bem-estar humano a partir de inúmeros artifícios. Poder da ciência: visa a conservação da vida, a prolongação do tempo de vida, vencer as misérias humanas. Poder da ciência: visa a conservação da vida, a prolongação do tempo de vida, vencer as misérias humanas.

6 Uma visão otimista do futuro. Baseada no progresso cumulativo dos conhecimentos e das técnicas. Baseada no progresso cumulativo dos conhecimentos e das técnicas. A história caminha necessariamente do menos bom para o melhor. A história caminha necessariamente do menos bom para o melhor. A história é assimilada a um progresso contínuo e ilimitado: a justiça, a liberdade e a felicidade. A história é assimilada a um progresso contínuo e ilimitado: a justiça, a liberdade e a felicidade.

7 Rumo a uma felicidade plena. Os seres humanos são seres melhores a partir da aquisição de novos conhecimentos. Os seres humanos são seres melhores a partir da aquisição de novos conhecimentos. As técnicas melhorarão a existência material e intensificarão a esperança na vida. As técnicas melhorarão a existência material e intensificarão a esperança na vida.

8 Homo felix: destino da humanidade. A felicidade humana tornou-se o horizonte de todo gênero humano. A felicidade humana tornou-se o horizonte de todo gênero humano. A felicidade está inscrita na própria lei da evolução da histórica. A felicidade está inscrita na própria lei da evolução da histórica. Uma boa notícia: a dinâmica da história nos prepara um futuro necessariamente feliz. Uma boa notícia: a dinâmica da história nos prepara um futuro necessariamente feliz.

9 A utopia materializada da abundância. A ideologia capitalista do consumo: uma figura tardia da fé otimista na conquista da felicidade (técnica e bens materiais). A ideologia capitalista do consumo: uma figura tardia da fé otimista na conquista da felicidade (técnica e bens materiais). A felicidade é pensada no aqui e agora da existência humana: felicidade para já, nada de promessa para um futuro maravilhoso e longínquo. A felicidade é pensada no aqui e agora da existência humana: felicidade para já, nada de promessa para um futuro maravilhoso e longínquo.

10 A crise da crença no progresso ilimitado. Duas guerras mundiais aceleram as refutações da ideia de progresso (iniciadas nos séc. XVIIII e XIX). Duas guerras mundiais aceleram as refutações da ideia de progresso (iniciadas nos séc. XVIIII e XIX). Dissolve-se a crença em um futuro necessariamente melhor e mais feliz. Dissolve-se a crença em um futuro necessariamente melhor e mais feliz. A tecnociência é associada a uma máquina mortífera. A tecnociência é associada a uma máquina mortífera.

11 A crise de uma cultura materialista da felicidade. Medos ecológicos. Medos ecológicos. Apelos a outro tipo de desenvolvimento econômico. Apelos a outro tipo de desenvolvimento econômico. Novos movimentos religiosos, novas aspirações espirituais. Novos movimentos religiosos, novas aspirações espirituais. Na era da comunicação e da informação temos: ansiedade, solidão, dúvida sobre si mesmo e o sentido da vida. Na era da comunicação e da informação temos: ansiedade, solidão, dúvida sobre si mesmo e o sentido da vida.

12 FELICIDADE E ESPERANÇA. A sociedade do hiperconsumo se desenvolve em nome da felicidade. A sociedade do hiperconsumo se desenvolve em nome da felicidade. Receitas de felicidade: guias e métodos para viver melhor, conselhos sobre a saúde, ajuda psicológica, gurus que são profetas da plenitude da vida. Receitas de felicidade: guias e métodos para viver melhor, conselhos sobre a saúde, ajuda psicológica, gurus que são profetas da plenitude da vida.

13 A felicidade despótica. Passamos do direito à felicidade ao imperativo da euforia: tenho que ser feliz!!! Passamos do direito à felicidade ao imperativo da euforia: tenho que ser feliz!!! Cria-se a vergonha e o mal-estar naqueles que se sentem excluídos do clima de euforia. Cria-se a vergonha e o mal-estar naqueles que se sentem excluídos do clima de euforia. As pessoas não são mais apenas infelizes, mas se sentem culpadas por não sentirem bem. As pessoas não são mais apenas infelizes, mas se sentem culpadas por não sentirem bem.

14 O programa da modernidade: individualista e mercantil. Tem como fruto: a obsessão contemporânea por plenitude. Tem como fruto: a obsessão contemporânea por plenitude. Quanto mais mercado... mais estímulo para viver melhor. Quanto mais mercado... mais estímulo para viver melhor. Quanto mais indivíduo... mais exigência de felicidade. Quanto mais indivíduo... mais exigência de felicidade.

15 O individualismo e a busca irresistível da felicidade. Torna-se problemática e insatisfatória a existência humana. Torna-se problemática e insatisfatória a existência humana. O indivíduo socialmente independente enfrenta desamparado, sem apoio coletivo e religioso, as provações da vida. O indivíduo socialmente independente enfrenta desamparado, sem apoio coletivo e religioso, as provações da vida.

16 A sabedoria da ilusão. A esperança como uma dimensão humana. A esperança como uma dimensão humana. A felicidade por vir nos permiti ter confiança na vida. A felicidade por vir nos permiti ter confiança na vida. É preciso projetar-se no futuro com algum otimismo. Isto é humano!!! É preciso projetar-se no futuro com algum otimismo. Isto é humano!!!

17 Razões para ter esperança. São fundamentais diante do sentimento de impotência para dirigir o curso da história. São fundamentais diante do sentimento de impotência para dirigir o curso da história. Se não é possível ser plenamente feliz, ao menos é possível ir menos mal. Se não é possível ser plenamente feliz, ao menos é possível ir menos mal. Os apelos da sociedade do hiperconsumo podem ser um incentivo para rever elementos fundamentais da existência humana. Os apelos da sociedade do hiperconsumo podem ser um incentivo para rever elementos fundamentais da existência humana.

18 CONSUMO DESTRUTIVO E CONSUMO RESPONSÁVEL. A civilização da felicidade consumista diz respeito: A civilização da felicidade consumista diz respeito: às misérias subjetivas; às misérias subjetivas; à degradação da ecoesfera; à degradação da ecoesfera;

19 O princípio da responsabilidade. Consumidor de outrora: um fantoche alienado. Consumidor de outrora: um fantoche alienado. Consumidor de hoje: está sentado no banco dos réus. A ele é exigido ser um consumidor responsável e cidadão. Consumidor de hoje: está sentado no banco dos réus. A ele é exigido ser um consumidor responsável e cidadão. Modos de produção e de consumo menos predadores e destrutivos. Modos de produção e de consumo menos predadores e destrutivos. Desenvolvimento econômico e proteção do meio ambiente. Desenvolvimento econômico e proteção do meio ambiente.

20 Hiperconsumo e anticonsumo. Do consumidor fantoche do mercado a consumidor engajado. Do consumidor fantoche do mercado a consumidor engajado. Consumidor responsável: o ato de compra não está dissociado de uma interrogação ética. Consumidor responsável: o ato de compra não está dissociado de uma interrogação ética.

21 Uma advertência... Seriam os anticonsumidores uma das manifestações do hiperconsumismo? Seriam os anticonsumidores uma das manifestações do hiperconsumismo? qualidade de vida; qualidade de vida; identidade pessoal; identidade pessoal; individualização das despesas; individualização das despesas;

22 Frugalidade e felicidade. O PIB não é a Felicidade Nacional Bruta; a vida boa não pode ser confundida com o avanço do consumismo. O PIB não é a Felicidade Nacional Bruta; a vida boa não pode ser confundida com o avanço do consumismo. Todavia, o que é útil e o que é supérfluo no domínio da felicidade? Onde fica a fronteira entre as verdadeiras e as falsas necessidades? Todavia, o que é útil e o que é supérfluo no domínio da felicidade? Onde fica a fronteira entre as verdadeiras e as falsas necessidades?

23 A dimensão frívola da felicidade. Não consumimos apenas para satisfazer necessidades primeiras... Uma parte de nossa felicidade é feita de prazeres aparentemente inúteis. Não consumimos apenas para satisfazer necessidades primeiras... Uma parte de nossa felicidade é feita de prazeres aparentemente inúteis. Todavia, é preciso reorientar a sociedade de consumo segundo caminhos que sejam capazes de restaurar um mínimo de justiça social. Todavia, é preciso reorientar a sociedade de consumo segundo caminhos que sejam capazes de restaurar um mínimo de justiça social.

24 A SABEDORIA OU A ÚLTIMA ILUSÃO. A felicidade: valor central, grande ideal da civilização consumista. Três modelos: A felicidade: valor central, grande ideal da civilização consumista. Três modelos: 1) vida materialista / vida afetiva; 1) vida materialista / vida afetiva; 2) felicidade / gozo, festa, prazer sem restrição; 2) felicidade / gozo, festa, prazer sem restrição; 3) felicidade materialista / felicidade espiritual; 3) felicidade materialista / felicidade espiritual;

25 Nova era... Busca por sabedoria ou aperfeiçoamento espiritual. Busca por sabedoria ou aperfeiçoamento espiritual. Livros de sabedoria: caminhos para a felicidade... com facilidade, confortavelmente, de imediato, sem as exigências dos mestres da Antiguidade. Livros de sabedoria: caminhos para a felicidade... com facilidade, confortavelmente, de imediato, sem as exigências dos mestres da Antiguidade.

26 Técnicas de auto-ajuda Êxito material e paz interior; Êxito material e paz interior; Saúde e confiança em si mesmo; Saúde e confiança em si mesmo; Poder e serenidade; Poder e serenidade; Felicidade interior sem renúncia ao exterior: conforto, sucesso profissional, prazer, lazer,... Felicidade interior sem renúncia ao exterior: conforto, sucesso profissional, prazer, lazer,...

27 Nova era... ainda consumista Tempo do imaginário do conforto integral... Tempo do imaginário do conforto integral material,... material,... emocional,... emocional,... psicológico.... psicológico. Sob novas etiquetas temos a busca da individualista da felicidade.

28 NOVO PARADIGMA Um esquema silogístico: Um esquema silogístico: O que nos acontece é o espelho de nossa atitude interior. O que nos acontece é o espelho de nossa atitude interior. Podemos ser tão felizes quanto decidimos sê-lo. Podemos ser tão felizes quanto decidimos sê-lo. Trata-se do credo repetido por mestres do neoespiritualismo e do desenvolvimento pessoal. Trata-se do credo repetido por mestres do neoespiritualismo e do desenvolvimento pessoal. Demanda por neomagia, por remédios miraculosos. Demanda por neomagia, por remédios miraculosos.

29 Programas de beatitude: ingenuidade e falsas promessas. A vida nos ensina: somos incapazes de nos tornarmos senhores da felicidade. A vida nos ensina: somos incapazes de nos tornarmos senhores da felicidade. Ser incapaz de bastar-se por si só, ser incompleto... o ser humano tem necessidade de outrem para ser feliz. Ser incapaz de bastar-se por si só, ser incompleto... o ser humano tem necessidade de outrem para ser feliz.

30 Ninguém é feliz sozinho!!! A felicidade pessoal é inseparável da relação com o outro. A felicidade pessoal é inseparável da relação com o outro. Estamos inevitavelmente a mercê das decepções das mágoas da vida. Estamos inevitavelmente a mercê das decepções das mágoas da vida. Minha felicidade é necessariamente fugidia e instável. Minha felicidade é necessariamente fugidia e instável.

31 A frágil felicidade... Não somos senhores da felicidade; ela nos acontece ou nos deixa, sem nossa permissão, é por excelência o que não possuímos. Não somos senhores da felicidade; ela nos acontece ou nos deixa, sem nossa permissão, é por excelência o que não possuímos. Ilusão: querer controlar a própria felicidade; somos reféns dos outros. Ilusão: querer controlar a própria felicidade; somos reféns dos outros. A dominação tecnocientífica e o desenvolvimento econômico são insuficientes para conduzir à felicidade. A dominação tecnocientífica e o desenvolvimento econômico são insuficientes para conduzir à felicidade.

32 Miséria... mas também utopia. Uma nova regulação da ética: Uma nova regulação da ética: a permanência dos ideais do Bem e da Justiça; a permanência dos ideais do Bem e da Justiça; uma autonomia da esfera moral, o signo de uma sociedade liberal pluralista. uma autonomia da esfera moral, o signo de uma sociedade liberal pluralista. a sociedade hiperindividualista. a sociedade hiperindividualista.

33 Uma tese... Apesar do capitalismo do hierconsumo, as vontades de aprender, compreender, progredir, transcender-se... continuam em atividade, às vezes de forma desigual. Apesar do capitalismo do hierconsumo, as vontades de aprender, compreender, progredir, transcender-se... continuam em atividade, às vezes de forma desigual.

34 Por duas razões... As ciências não cessam de progredir e de nos colocar interrogações que nos impulsionam para além do espetáculo do consumo. As ciências não cessam de progredir e de nos colocar interrogações que nos impulsionam para além do espetáculo do consumo. A valorização da inovação, da criação, do sucesso, faz com que o gozo do bem-estar material não seja a única exigência da vida. A valorização da inovação, da criação, do sucesso, faz com que o gozo do bem-estar material não seja a única exigência da vida.

35 UMA UTOPIA... A REINVENÇÃO DA FELICIDADE. A exigência do futuro está na invenção de novos modos de educação e de trabalho que permitam que os indivíduos encontrem uma identidade e satisfações em outra parte que não nos paraísos fugazes do consumo. A exigência do futuro está na invenção de novos modos de educação e de trabalho que permitam que os indivíduos encontrem uma identidade e satisfações em outra parte que não nos paraísos fugazes do consumo.

36 A reinvenção da felicidade. Trata-se da invenção de novos objetivos e sentidos, de novas perspectivas e prioridades na vida. Trata-se da invenção de novos objetivos e sentidos, de novas perspectivas e prioridades na vida. Exige uma nova apreensão da vida devorada pela ordem do consumo volúvel. Exige uma nova apreensão da vida devorada pela ordem do consumo volúvel. Eis papel dos sistemas de educação e formação. Eis papel dos sistemas de educação e formação.

37 Enfim... A felicidade que para os modernos seria inevitavelmente alcançada com o progresso das ciências e das técnicas, parece revelar-se um enigma, algo que está para sempre fora de alcance e que talvez dependa daquilo que não se compra. A felicidade que para os modernos seria inevitavelmente alcançada com o progresso das ciências e das técnicas, parece revelar-se um enigma, algo que está para sempre fora de alcance e que talvez dependa daquilo que não se compra.


Carregar ppt "A FELICIDADE PARADOXAL HOMO FELIX: GRANDEZA E MISÉRIA DE UMA UTOPIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google