A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Automóvel desenvolvido por Charles E. Duryea em 1895. No final do século XIX, a grande moda entre as elites da Europa e dos Estados Unidos foi automóvel.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Automóvel desenvolvido por Charles E. Duryea em 1895. No final do século XIX, a grande moda entre as elites da Europa e dos Estados Unidos foi automóvel."— Transcrição da apresentação:

1

2 Automóvel desenvolvido por Charles E. Duryea em No final do século XIX, a grande moda entre as elites da Europa e dos Estados Unidos foi automóvel. Com a ampliação e a diversificação da produção industrial, o látex, extraídos das seringueiras, explorado na região Amazônica tornou-se um dos produtos de maior valor comercial da época. A borracha da Amazônia ganhou o mercado mundial despertando o interesse de empresas estrangeiras. Atraiu milhares de trabalhadores nordestinos que desde a Grande Seca, de 1877/1879, viam na região a possibilidade de melhores condições de vida. Professor Ulisses Mauro Lima

3 Látex, líquido branco extraído das seringueiras, muito resistente a variações de temperatura e a solventes. O processo de vulcanização do látex, desenvolvido pelo empresário Charles Goodyear e seu emprego na fabricação de material bélico, pneumático, hospitalar, etc; fez a cotação da borracha crescer no mercado internacional. O boom da borracha proporcionou um rápido crescimento de Manaus, capital do Estado do Amazonas. Professor Ulisses Mauro Lima

4 Os trabalhadores viviam em choupanas, submetidos aos rigores e as dificuldades da floresta tropical e explorados pelos seringalistas. Apesar de utilizada para fins industriais, a extração do látex empregava técnicas rudimentares Professor Ulisses Mauro Lima

5 O Teatro Amazonas, inaugurado em 1896, foi palco de grandes e importantes peças teatrais e comédias estrangeiras, o que dava mais glamour à cidade. Cantores de ópera italiana representavam para uma platéia de milionários seringalistas A exploração da borracha financiou as construções requintadas e luxuosas do Palácio do Governo, o Mercado Municipal, o prédio da Alfândega e o símbolo da riqueza do período, o Teatro Amazonas. Manaus, enriquecida vivenciava o progresso; tinha luz elétrica, bondes elétricos, telefone, saneamento básico, amplas avenidas, gás encanado, antes de qualquer outra cidade brasileira. A prosperidade era tanta que atraiu os interesses norte-americanos. historiaula.wordpress.com

6 Na Amazônia a seringueira é encontrada naturalmente na floresta

7 Galpão da Companhia Ford do Brasil, montado em Fordlândia. A redução nos custos da produção, asiática, possibilitava aos ingleses o controle do mercado mundial de látex. No Brasil o custo produtivo aumentava e a qualidade decaía, dificultando a competitividade do produto brasileiro no mercado internacional. Seringalistas e comerciantes buscavam recursos no Banco do Brasil visando proteger, sem sucesso, a produção nacional. A situação da borracha não era a mesma que a do café. Professor Ulisses Mauro Lima

8 Na década de 1920, a situação do Estado do Amazonas era financeiramente desastrosa. historiaula.wordpress.com

9 VENDE-SE Após alguns acertos e concessões de terras a Ford do Brasil assumiu o controle de algumas áreas no Amazonas fundando as cidades de Fordlândia e Belterra. Para aliviar a crise financeira amazonense o governo recorreu aos amigos norte-americanos que exigiram como garantias o direito de exploração dos seringais e minérios da região.

10 1ª. Questão: Por volta de 1928 Henry Ford queria o império da borracha sob o domínio americano. Como sabia do malogro das experiências de seu amigo Thomas Edison no sentido de plantar seringueiras nos Estados Unidos, decidiu plantá-las na Amazônia, sua região de origem. Organizar seringais homogêneos, distribuídos simetricamente no solo original era a tarefa. Plantadas, floresceram com exuberância durante um certo tempo. Entretanto, o milhão de pés de seringueiras começou a definhar sob o sol. Na Amazônia triunfava o desordenado da selva contra a disciplina do exército de seringal. Em 1946, Ford retira-se da Amazônia. Qual foi o período áureo da produção da borracha na região norte do Brasil e quais as razões do declínio dessa produção? Resposta: b) Explique, do ponto de vista das condições naturais, o fracasso das plantações dos seringais homogêneos de Mr. Ford na Amazônia. Resposta :

11 3ª. Questão: Alguns autores calculam que pelo menos meio milhão de nordestinos sucumbiram às epidemias, ao impaludismo, à tuberculose ou ao beribéri (...) Sem nenhuma reserva de vitaminas, os camponeses das terras secas realizavam a longa viagem para a selva úmida. (...) Iam amontoados nos porões dos barcos, em tais condições que muitos sucumbiam antes de chegar. (...) Em 1878, dos oitocentos mil habitantes do Ceará, 120 mil marchavam (...), porém menos da metade pôde chegar; os restantes foram caindo, abatidos pela fome ou pela doença (...). GALEANO, Eduardo. "Veias abertas da América Latina". 6. ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979, p O deslocamento populacional descrito insere-se no contexto histórico a) do movimento messiânico de Canudos. b) do desenvolvimento das fazendas de gado no rio São Francisco. c) da migração nordestina para as cidades grandes da região sudeste. d) da ocupação econômica do Mato Grosso. e) da exploração da borracha na Amazônia.

12 4ª. Questão: As migrações internas, de 1870 a 1912, graças às necessidades de borracha natural do mercado mundial e ao longo período de seca que assolou a Região Nordeste, proporcionaram o povoamento de Estados como: a) Acre. b) Espírito Santo. c) Mato Grosso. d) Mato Grosso do Sul. e) Tocantins 5ª. Questão: Considerando-se a epopéia da construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré, contada em "Mad Maria", de Márcio de Souza, e, recentemente, adaptada para uma minissérie homônima, é CORRETO afirmar que ela retrata a a) necessidade de substituição da navegação fluvial pela rede ferroviária, como única alternativa para resolver os graves problemas de comunicação com o Centro-Oeste. b) expansão do capitalismo financeiro, no período do Entre Guerras, que resultou na construção de obras faraônicas no Brasil, buscando- se a maior rentabilidade do capital.

13 c) tentativa de apropriação, por parte dos industriais do Sudeste, de áreas de reserva indígena na Amazônia, para expansão da agroindústria de exportação do café. d) impressionante e efêmera riqueza oriunda do ciclo da borracha na Amazônia, no início do século XX, relacionada ao surgimento da indústria automobilística. Professor Ulisses Mauro Lima historiaula.wordpress.com


Carregar ppt "Automóvel desenvolvido por Charles E. Duryea em 1895. No final do século XIX, a grande moda entre as elites da Europa e dos Estados Unidos foi automóvel."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google