A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sacramento do Batismo Vanildo Luiz Zugno - www.estef.edu.br/zugno 1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sacramento do Batismo Vanildo Luiz Zugno - www.estef.edu.br/zugno 1."— Transcrição da apresentação:

1 Sacramento do Batismo Vanildo Luiz Zugno - 1

2 A Graça do Batismo – Cath Vanildo Luiz Zugno O santo Batismo é o fundamento de toda a vida cristã a porta da vida no Espírito e a porta que abre o acesso aos demais sacramentos Pelo Batismo somos libertados do pecado e regenerados como filhos de Deus [ver Cath ] tornamo-nos membros de Cristo [ver Cath ] somos incorporados à Igreja e feitos participantes de sua missão [ver ] 2

3 A necessidade do Batismo – Cath Vanildo Luiz Zugno O Senhor mesmo afirma que o Batismo é necessário para a salvação. Também ordenou a seus discípulos que anunciassem o Evangelho e batizassem todas a nações. O Batismo é necessário, para a salvação, para aqueles aos quais o Evangelho foi anunciado e que tiveram a possibilidade de pedir este sacramento. A Igreja não conhece outro meio senão o Batismo para garantir a entrada na bem aventurança eterna; é por isso que cuida de não negligenciar a missão que recebeu do Senhor, de fazer renascer da água e do Espírito todos aqueles que podeis ser batizados. Deus vinculou a salvação ao sacramento do Batismo, mas ele mesmo não está vinculado a seus sacramentos. 3

4 A necessidade do Batismo – Cath Vanildo Luiz Zugno Desde sempre, a Igreja mantém a firme convicção de que as pessoas que morrem em razão da fé, sem terem recebido o Batismo, são batizadas por sua morte por e com Cristo. Este Batismo de sangue, como o desejo do Batismo, acarreta os frutos do Batismo, sem ser sacramento. 4

5 A necessidade do Batismo – Cath Vanildo Luiz Zugno Para os catecúmenos que morrem antes de seu Batismo, seu desejo explícito de recebê-lo, juntamente com o arrependimento de seus pecados e a caridade, garante-lhes a salvação que não puderam receber pelo sacramento. 5

6 A necessidade do Batismo – Cath Vanildo Luiz Zugno Sendo que Cristo morreu por todos e que a vocação última do homem é realmente uma só, a saber, divina, devemos sustentar que o Espírito Santo oferece a todos, sob forma que só Deus conhece, a possibilidade de se associarem ao Mistério Pascal. Todo homem que, desconhecendo o Evangelho de Cristo e sua Igreja, procura a verdade e pratica a vontade de Deus segundo seu conhecimento dela pode ser salvo. Pode-se supor que tais pessoas teriam desejado explicitamente o Batismo se tivessem tido conhecimento da necessidade dele. 6

7 A necessidade do Batismo – Cath Vanildo Luiz Zugno Quanto às crianças mortas sem Batismo, a Igreja só pode confiá-las à misericórdia de Deus, como o faz no rito das exéquias por elas. Com efeito, a grande misericórdia de Deus, que quer que todos os homens se salvem (1Tm 2,4), e a ternura de Jesus para com as crianças, que o levou a dizer: Deixai as crianças virem a mim, não as impeçais (Mc 10,14), nos permitem esperar que haja um caminho de salvação para as crianças mortas sem Batismo. Eis por que é tão premente o apelo da Igreja de não impedir as crianças de virem a Cristo pelo dom do santo Batismo. 7

8 O compromisso do Batismo - Cath Vanildo Luiz Zugno Tornar-se cristão, eis algo que se realiza desde os tempos dos apóstolos por um itinerário e uma iniciação que passa por várias etapas. Este itinerário pode ser percorrido com rapidez ou lentamente. Dever sempre comportar alguns elementos essenciais: o anúncio da Palavra, o acolhimento do Evangelho acarretando uma conversão, a profissão de fé, o Batismo, a efusão do Espírito Santo, o acesso à Comunhão Eucarística. 8

9 O compromisso do Batismo - Cath Vanildo Luiz Zugno Esta iniciação tem variado muito ao longo dos séculos e de acordo com as circunstâncias. Nos primeiros séculos da Igreja a iniciação cristã conheceu um grande desenvolvimento com um longo período de catecumenato e uma seqüência de ritos preparatórios que balizavam liturgicamente a caminhada da preparação catecumenal e que desembocavam na celebração dos sacramentos da iniciação cristã. 9

10 O compromisso do Batismo - Cath Vanildo Luiz Zugno Quando o Batismo das crianças se tornou amplamente a forma habitual da celebração deste sacramento, esta passou a ser um único ato que integra de maneira muito resumida as etapas prévias à iniciação cristã. Por sua própria natureza, o Batismo das crianças exige um catecumenato pós- batismal. 10

11 O compromisso do Batismo - Cath Vanildo Luiz Zugno O Concílio Vaticano II restaurou, para a Igreja latina, o catecumenato dos adultos, distribuído em várias etapas. Encontram-se tais ritos no Ordo initiationis christianae adultorum (Ritual da iniciação cristã dos adultos). 11

12 O compromisso do Batismo - Cath Vanildo Luiz Zugno Hoje em dia, portanto, em todos os ritos latinos e orientais, a iniciação cristã dos adultos começa desde a entrada deles no catecumenato, para atingir seu ponto culminante em uma única celebração dos três sacramentos: Batismo, Confirmação e Eucaristia.... a iniciação cristã das crianças começa no Batismo... [e] prossegue durante os anos de catequese, para terminar mais tarde com a Confirmação e a Eucaristia, ápice de sua iniciação cristã. 12

13 O Batismo em Cristo - Cath Vanildo Luiz Zugno Foi em sua Páscoa que Cristo abriu a todos os homens as fontes do Batismo. Com efeito, já tinha falado da paixão que iria sofrer em Jerusalém como de um batismo com o qual devia ser batizado. O sangue e a água que escorreram do lado traspassado de Jesus crucificado são tipos do Batismo e da Eucaristia, sacramentos da vida nova: desde então é possível nascer da água e do Espírito para entrar no Reino de Deus (Jo 3,5). Vê, quando és batizado, donde vem o Batismo, se não da cruz de Cristo, da morte de Cristo. Lá está todo o mistério: ele sofreu por ti. E nele que és redimido, é nele que és salvo e, por tua vez, te tornas salvador. 13

14 O Batismo em Cristo – Mc 10,32-40 Vanildo Luiz Zugno - E iam no caminho, subindo para Jerusalém; e Jesus ia adiante deles. E eles maravilhavam-se, e seguiam-no atemorizados. E, tornando a tomar consigo os doze, começou a dizer-lhes as coisas que lhe deviam sobrevir, Dizendo: Eis que nós subimos a Jerusalém, e o Filho do homem será entregue aos príncipes dos sacerdotes, e aos escribas, e o condenarão à morte, e o entregarão aos gentios. E o escarnecerão, e açoitarão, e cuspirão nele, e o matarão; e, ao terceiro dia, ressuscitará. E aproximaram-se dele Tiago e João, filhos de Zebedeu, dizendo: Mestre, queremos que nos faças o que te pedirmos. E ele lhes disse: Que quereis que vos faça? E eles lhe disseram: Concede-nos que na tua glória nos assentemos, um à tua direita, e outro à tua esquerda. Mas Jesus lhes disse: Não sabeis o que pedis; podeis vós beber o cálice que eu bebo, e ser batizados com o batismo com que eu sou batizado? E eles lhe disseram: Podemos. Jesus, porém, disse-lhes: Em verdade, vós bebereis o cálice que eu beber, e sereis batizados com o batismo com que eu sou batizado; Mas, o assentar-se à minha direita, ou à minha esquerda, não me pertence a mim concedê-lo, mas isso é para aqueles a quem está reservado. 14

15 O Batismo em Cristo – Rm 6,1-6 Vanildo Luiz Zugno - QUE diremos pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele? Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o seremos na da sua ressurreição; Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado. 15

16 O Batismo em Cristo – Jo 3,1-7 Vanildo Luiz Zugno - E HAVIA entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus. Este foi ter de noite com Jesus, e disse- lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele. Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. 16

17 UNÇÃO PRÉ-BATISMAL - Cath Vanildo Luiz Zugno Visto que o Batismo significa a libertação do pecado e de seu instigador, o Diabo, pronuncia-se um (ou vários) exorcismo(s) sobre o candidato. Este é ungido com o óleo dos catecúmenos ou então o celebrante impõe-lhe a mão, e o candidato renuncia explicitamente a satanás. Assim preparado, ele pode confessar a fé da Igreja, à qual será confiado pelo Batismo. 17

18 UNÇÃO PRÉ-BATISMAL – Ex 30,21-33 Vanildo Luiz Zugno - Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo: Tu, pois, toma para ti das principais especiarias, da mais pura mirra quinhentos siclos, e de canela aromática a metade, a saber, duzentos e cinqüenta siclos, e de cálamo aromático duzentos e cinqüenta siclos, E de cássia quinhentos siclos, segundo o siclo do santuário, e de azeite de oliveiras um him. E disto farás o azeite da santa unção, o perfume composto segundo a obra do perfumista: este será o azeite da santa unção. E com ele ungirás a tenda da congregação, e a arca do testemunho, E a mesa com todos os seus utensílios, e o candelabro com os seus utensílios, e o altar do incenso. E o altar do holocausto com todos os seus utensílios, e a pia com a sua base. Assim santificarás estas coisas, para que sejam santíssimas; tudo o que tocar nelas será santo. Também ungirás a Arão e seus filhos, e os santificarás para me administrarem o sacerdócio. E falarás aos filhos de Israel, dizendo: Este me será o azeite da santa unção nas vossas gerações. Não se ungirá com ele a carne do homem, nem fareis outro de semelhante composição; santo é, e será santo para vós. O homem que compuser um perfume como este, ou dele puser sobre um estranho, será extirpado do seu povo. 18

19 UNÇÃO PRÉ-BATISMAL – Sl 133 Vanildo Luiz Zugno - OH! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes. Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o SENHOR ordena a bênção e a vida para sempre. 19

20 UNÇÃO PRÉ-BATISMAL – Mt 26,6-13 Vanildo Luiz Zugno - E, estando Jesus em Betânia, em casa de Simão, o leproso, Aproximou-se dele uma mulher com um vaso de alabastro, com ungüento de grande valor, e derramou-lho sobre a cabeça, quando ele estava assentado à mesa. E os seus discípulos, vendo isto, indignaram-se, dizendo: Por que é este desperdício? Pois este ungüento podia vender-se por grande preço, e dar-se o dinheiro aos pobres. Jesus, porém, conhecendo isto, disse-lhes: Por que afligis esta mulher? pois praticou uma boa ação para comigo. Porquanto sempre tendes convosco os pobres, mas a mim não me haveis de ter sempre. Ora, derramando ela este ungüento sobre o meu corpo, fê- lo preparando-me para o meu sepultamento. Em verdade vos digo que, onde quer que este evangelho for pregado em todo o mundo, também será referido o que ela fez, para memória sua. 20

21 UNÇÃO PRÉ-BATISMAL – 1Jo 2,20-27 Vanildo Luiz Zugno - E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo. Não vos escrevi porque não soubésseis a verdade, mas porque a sabeis, e porque nenhuma mentira vem da verdade. Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho. Qualquer que nega o Filho, também não tem o Pai; mas aquele que confessa o Filho, tem também o Pai. Portanto, o que desde o princípio ouvistes permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis no Filho e no Pai. E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna. Estas coisas vos escrevi acerca dos que vos enganam. E a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis. 21

22 ÁGUA NA BÍBLIA Vanildo Luiz Zugno - Gn 2, 4b-17 Gn 6, 58,22 Ex 14, 5-31 Ex 17, 1-7 Js 3, Rs 5 Is 43, 1-7 Mt 3 Ap 22 22

23 A UNÇÃO COM O CRISMA - Cath Vanildo Luiz Zugno A unção com o santo crisma, óleo perfumado consagrado pelo Bispo, significa o dom do Espírito Santo ao novo batizado. Este tornou-se um cristão, isto é, ungido do Espírito Santo, incorporado a Cristo, que é ungido sacerdote, profeta e rei Na liturgia das Igrejas do Oriente, a unção pós-batismal é o sacramento da Crisma (Confirmação). Na liturgia romana, porém, esta primeira unção anuncia outra, a do santo Crisma, que será feita pelo Bispo: o sacramento da Confirmação, que, por assim dizer, confirma e encerra a unção batismal. 23

24 A UNÇÃO COM O CRISMA – Lumen Gentium Vanildo Luiz Zugno Cristo Nosso Senhor, Pontífice escolhido de entre os homens (cfr. Hebr. 5, 1-5), fez do novo povo um «reino sacerdotal para seu Deus e Pai» (Apoc. 1,6; cfr. 5, 9-10). Na verdade, os batizados, pela regeneração e pela unção do Espírito Santo, são consagrados para serem casa espiritual, sacerdócio santo, para que, por meio de todas as obras próprias do cristão, ofereçam oblações espirituais e anunciem os louvores daquele que das trevas os chamou à sua admirável luz (cfr. 1 Ped. 2, 4-10). 11. A índole sagrada e, orgânica da comunidade sacerdotal efectiva-se pelos sacramentos e pelas virtudes. Os fiéis, incorporados na Igreja pelo Baptismo, são destinados pelo carácter baptismal ao culto da religião cristã e, regenerados para filhos de Deus, devem confessar diante dos homens a fé que de Deus receberam por meio da Igreja (18). 24

25 A UNÇÃO COM O CRISMA – Bíblia Vanildo Luiz Zugno - Nm 11, 24b-30 1Sm 16,1-13 Lv 8, 1-12 Is 11,1-4ª Is 42,1-3 Is 61,1-9 Ez 36,24-28 Jl 2, 23-30a Lc 10, Lc 4, Jo, 14,15-17 Jo 14, Jo 15, Jo 16, 5-13ª At 1,3-8 At 2,1-12 At 8,1-17 At 10, 1-44 At 19, 1b-6ª Rm 5,1-9 Rm 8,14-17 Rm 8, Cor 12, 4-13 Gl 5,16-25 Ef 1, 3-19ª Ef 4,1-6 25

26 A VESTE BRANCA E A VELA - Cath Vanildo Luiz Zugno A veste branca simboliza que o batizado vestiu-se de Cristo: ressuscitou com Cristo. A vela, acesa no círio pascal, significa que Cristo iluminou o neófito. Em Cristo, os batizados são a luz do mundo (Mt 5,14). O novo batizado é agora filho de Deus no Filho único. Pode rezar a oração dos filhos de Deus: o Pai-Nosso. 26

27 A VESTE BRANCA - Bíblia Vanildo Luiz Zugno - Sl 50 Is 1, Ef 6,11-18 Col 3,1-17 Ap 7,

28 A VELA - Bíblia Vanildo Luiz Zugno - Is 9, 1-6 Mt 4, Mt 5, Jo 1,1-9 Jo 8, 12 Ef 5,

29 Dos Padrinhos – Cath Vanildo Luiz Zugno Para que a graça batismal possa desenvolver-se, é importante a ajuda dos pais. Este é também o papel do padrinho ou da madrinha, que devem ser cristãos firmes, capazes e prontos a ajudar o novo batizado, criança ou adulto, em sua caminhada na vida cristã. A tarefa deles é uma verdadeira função eclesial (officium). A comunidade eclesial inteira tem uma parcela de responsabilidade no desenvolvimento e na conservação da graça recebida no Batismo. 29

30 Dos Padrinhos – CIC Vanildo Luiz Zugno - Cân. 872 Ao batizando, enquanto possível, seja dado um padrinho, a quem cabe acompanhar o batizando adulto na iniciação cristã e, junto com os pais, apresentar ao batismo o batizando criança. Cabe também a ele ajudar que o batizado leve uma vida de acordo com o batismo e cumpra com fidelidade as obrigações inerentes. Cân. 873 Admite-se apenas um padrinho ou uma só madrinha, ou também um padrinho e uma madrinha. Cân

31 Dos Padrinhos – CIC Vanildo Luiz Zugno - Cân. 874 § 1. Para que alguém seja admitido para assumir o encargo de padrinho, é necessário que: 1° - seja designado pelo batizando, por seus pais ou por quem lhes faz as vezes, ou, na falta deles, pelo próprio pároco ou ministro, e tenha aptidão e intenção de cumprir esse encargo; 2° - Tenha completado dezesseis anos de idade, a não ser que outra idade tenha sido determinada pelo Bispo diocesano, ou pareça ao pároco ou ministro que se deva admitir uma exceção por justa causa; 3° - seja católico, confirmado, já tenha recebido o santíssimo sacramento da Eucaristia e leve uma vida de acordo com a fé e o encargo que vai assumir; 4° - não tenha sido atingido por nenhuma pena canônica legitimamente irrogada ou declarada; 5° - não seja pai ou mãe do batizando. § 2. O batizado pertencente a uma comunidade eclesial não-católica só seja admitido junto com um padrinho católico, o qual será apenas testemunha do batismo. 31

32 A dimensão ecumênica do Batismo- Cath Vanildo Luiz Zugno O Batismo constitui o fundamento da comunhão entre todos os cristãos, também com os que ainda não estão em comunhão plena com a Igreja católica: Com efeito, aqueles que crêem em Cristo e foram validamente batizados acham-se em certa comunhão, embora não perfeita, com a Igreja católica. (...) Justificados pela fé no Batismo, são incorporados a Cristo e, por isso, com razão, são honrados com o nome de cristãos e merecidamente reconhecidos pelos filhos da Igreja católica como irmãos no Senhor. O Batismo, pois, constitui o vínculo sacramental da unidade que liga todos os que foram regenerados por ele. 32

33 A dimensão ecumênica do Batismo- CIC Vanildo Luiz Zugno - Cân. 869 § 1. Havendo dúvida se alguém foi batizado ou se o batismo foi conferido validamente, e a dúvida permanece depois de séria investigação, o batismo lhe seja conferido sob condição. § 2. Aqueles que foram batizados em comunidade eclesial não-católica não devem ser batizados sob condição, a não ser que, examinada a matéria e a forma das palavras usadas no batismo conferido, e atendendo-se à intenção do batizado adulto e do ministro que o batizou, haja séria razão para duvidar da validade do batismo. § 3. Nos casos mencionados nos §§ 1 e 2, se permanecerem duvidosas a celebração ou a validade do batismo, não seja este administrado, senão depois que for exposta ao batizando, se adulto, a doutrina sobre o sacramento do batismo; a ele, ou aos pais, tratando-se de crianças, sejam explicadas as razões da dúvida sobre a validade do batismo. 33

34 A dimensão ecumênica do Batismo- CIC Vanildo Luiz Zugno - Guia Ecumênico da CNBB Igrejas que batizam validamente Igrejas Orientais (ortodoxas) Igreja Vétero-católica Igreja Episcopal no Brasil (Anglicana) Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB) Igreja Metodista 34

35 A dimensão ecumênica do Batismo- CIC Vanildo Luiz Zugno - Guia Ecumênico da CNBB Igrejas que, geralmente, batizam validamente Igrejas presbiterianas Igrejas batistas Igrejas congregacionistas Igrejas adventistas Igrejas pentecostais (Assembléia de Deus, Congregação Cristã do Brasil, Igreja do Evangelho Quadrangular, Igreja Deus é Amor, Igreja Evangélica Pentecostal Brasil para Cristo Exército da Salvação 35

36 A dimensão ecumênica do Batismo- CIC Vanildo Luiz Zugno - Cf. Guia Ecumênico da CNBB Igrejas de cujo batismo se deve duvidar Igreja Pentecostal Unida do Brasil (só batiza em nome de Cristo e não na Trindade) Igrejas Brasileiras Mórmons 36

37 A dimensão ecumênica do Batismo- CIC Vanildo Luiz Zugno - Cf. Guia Ecumênico da CNBB Igrejas que, com certeza, não batizam validamente Testemunhas de Jeová Ciência cristã (gnose cristã) 37


Carregar ppt "Sacramento do Batismo Vanildo Luiz Zugno - www.estef.edu.br/zugno 1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google