A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1. Escolha do Local Solo profundo e bem drenado.Solo profundo e bem drenado. Proximidade, quantidade e qualidade de uma fonte de água.Proximidade,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1. Escolha do Local Solo profundo e bem drenado.Solo profundo e bem drenado. Proximidade, quantidade e qualidade de uma fonte de água.Proximidade,"— Transcrição da apresentação:

1

2

3

4 1. Escolha do Local Solo profundo e bem drenado.Solo profundo e bem drenado. Proximidade, quantidade e qualidade de uma fonte de água.Proximidade, quantidade e qualidade de uma fonte de água. Topografia com ligeiro declive.Topografia com ligeiro declive. Menor risco de geadas possível.Menor risco de geadas possível. Fácil acesso.Fácil acesso.

5

6 2. Preparo do Solo Usar preferencialmente terra isenta de sementes de plantas invasoras, com maior quantidade de argila, facilitando a formação de torrão.Usar preferencialmente terra isenta de sementes de plantas invasoras, com maior quantidade de argila, facilitando a formação de torrão. Preparar o solo evitando que se formem torrões, e também destruindo os restos vegetais bucha, pois atrapalha o correto enchimento das sacolas.Preparar o solo evitando que se formem torrões, e também destruindo os restos vegetais bucha, pois atrapalha o correto enchimento das sacolas. Adubação: 0,5 kg de superfosfato triplo ou 2,5 kg de superfosfato simples; 0,5 kg de cloreto de potássio e até 2oo L de esterco de curral bem curtido por metro cúbico de terra. ( Fonte : IAC)Adubação: 0,5 kg de superfosfato triplo ou 2,5 kg de superfosfato simples; 0,5 kg de cloreto de potássio e até 2oo L de esterco de curral bem curtido por metro cúbico de terra. ( Fonte : IAC)

7 3. Enchimento das Sacolas Usar sacolas de boa qualidade, preferencialmente de material virgem.Usar sacolas de boa qualidade, preferencialmente de material virgem. Tamanho das sacolas gira em torno de 17 x 33 cm, 18 x 35 cm ou 20 x 35 cm.Tamanho das sacolas gira em torno de 17 x 33 cm, 18 x 35 cm ou 20 x 35 cm. Para facilitar o enchimento, coloca-se dentro da sacola um tubo de PVC de aproximadamente 30 cm de comprimento.Para facilitar o enchimento, coloca-se dentro da sacola um tubo de PVC de aproximadamente 30 cm de comprimento. Enterrar as sacolas até cerca de 5 cm da borda, melhor proteção e conservação de umidade.Enterrar as sacolas até cerca de 5 cm da borda, melhor proteção e conservação de umidade.

8 1,35 m Espaçamento das sacolas: Usualmente em fila dupla, sendo de aproximadamente 1,35 m entre elas, com cerca de 16 sacolas por metro linear. Cerca de sacolas por hectare.

9

10 4. Sementes As melhores sementes são as primeiras a cair, apresentam brilho e peso característicos.As melhores sementes são as primeiras a cair, apresentam brilho e peso característicos. As sementes caem das árvores nos meses de fevereiro e março, e devem ser colocadas no germinador imediatamente após a coleta, pois perdem o poder germinativo rapidamente.As sementes caem das árvores nos meses de fevereiro e março, e devem ser colocadas no germinador imediatamente após a coleta, pois perdem o poder germinativo rapidamente.

11 Os melhores porta enxertos são obtidos quando se usa sementes provenientes de polinização cruzada ou pés-francos. Não usar sementes de RRIM 600, são de baixo vigor e alto índice de albinismo. O clone GT1 e clones nacionais como IAN 873 e Fx 3864 podem ser usados com segurança.Os melhores porta enxertos são obtidos quando se usa sementes provenientes de polinização cruzada ou pés-francos. Não usar sementes de RRIM 600, são de baixo vigor e alto índice de albinismo. O clone GT1 e clones nacionais como IAN 873 e Fx 3864 podem ser usados com segurança. Uma planta produz cerca de 1,5 a 2,0 Kg de sementes.Uma planta produz cerca de 1,5 a 2,0 Kg de sementes. 1 Kg possui cerca de 250 sementes.1 Kg possui cerca de 250 sementes.

12 4.1 - Germinador As sementes devem ser colocadas no germinador de areia, com cerca de 1 metro de largura e 10 a 15 cm de altura de areia grossa e comprimento necessário para o total de sementes. Fazer cobertura de 1,00 m de altura com sombrite ou folhas de palmeiras.As sementes devem ser colocadas no germinador de areia, com cerca de 1 metro de largura e 10 a 15 cm de altura de areia grossa e comprimento necessário para o total de sementes. Fazer cobertura de 1,00 m de altura com sombrite ou folhas de palmeiras. 1 m 2 de germinador comporta aproximadamente 6 Kg de sementes.1 m 2 de germinador comporta aproximadamente 6 Kg de sementes. Usar serragem curtida ou substrato como cobertura das sementes para ajudar conservar a umidade.Usar serragem curtida ou substrato como cobertura das sementes para ajudar conservar a umidade. Irrigar adequadamente.Irrigar adequadamente.

13 Germinador

14 5. Repicagem É a transferência das plântulas do germinador para as sacolas.É a transferência das plântulas do germinador para as sacolas. É uma operação delicada, e não se deve deixar destacar a semente da mudinha.É uma operação delicada, e não se deve deixar destacar a semente da mudinha. Se possível, realizar esta operação em dias nublados e úmidos, mantendo as plântulas em recipientes com serragem úmida.Se possível, realizar esta operação em dias nublados e úmidos, mantendo as plântulas em recipientes com serragem úmida. Evitar o aproveitamento das sementes germinadas após o 21º dia, contados após o início da germinação.Evitar o aproveitamento das sementes germinadas após o 21º dia, contados após o início da germinação.

15 Repicagem Repicagem

16 Repicagem

17 6. Condução 6. Condução Capinas – manter o viveiro no limpo, para evitar a competição entre as ervas invasoras e as plantas de seringueira.Capinas – manter o viveiro no limpo, para evitar a competição entre as ervas invasoras e as plantas de seringueira. Adubações de solo – sempre de acordo com a análise de solo.Adubações de solo – sempre de acordo com a análise de solo. Adubações Foliares – realizar com macro e micro nutrientes.Adubações Foliares – realizar com macro e micro nutrientes. Irrigações - sempre que necessário, mantendo o solo das sacolas úmido, sem encharcar o terreno.Irrigações - sempre que necessário, mantendo o solo das sacolas úmido, sem encharcar o terreno. Desbaste – eliminar plantas fora de padrão antes da enxertia.Desbaste – eliminar plantas fora de padrão antes da enxertia.

18 Condução Condução

19 7. - Doenças –Antracnose – Colletotrichum gloeosporioides Maiores danos ocorrem quando as temperaturas são amenas (21º) e umidade relativa alta (90%).Maiores danos ocorrem quando as temperaturas são amenas (21º) e umidade relativa alta (90%). Realizar controle preventivo com fungicidas a base de cobre, clorotalonil ou benomil.Realizar controle preventivo com fungicidas a base de cobre, clorotalonil ou benomil.

20 Antracnose

21 Antracnose

22 –Mal das folhas – Microcyclus ulei Condições propícias: umidade relativa maior que 95% por 10 horas consecutivas, durante 12 dias do mês.Condições propícias: umidade relativa maior que 95% por 10 horas consecutivas, durante 12 dias do mês. Principais fungicidas: clorotalonil, benomil, tiofanato metílico, mancozeb.Principais fungicidas: clorotalonil, benomil, tiofanato metílico, mancozeb.

23 Mal das Folhas

24 Mancha de Alternária – Alternaria sp

25 Alternaria

26 Oídio – Oidium heveae Ocorre normalmente no período de refolhamento, as folhas jovens perdem sua aparência brilhante e os folíolos jovens enrugam, tornam-se purpúreos, depois pretos, caindo e deixando os pecíolos presos aos ramos. O controle é feito com produtos a base de enxofre, no período de brotação.

27 Oídio

28

29 8. Enxertia Justificativa: Padronização GenéticaJustificativa: Padronização Genética Consiste em retirar uma porção de casca na parte inferior do caule do porta-enxerto, colocando em seguida uma placa originada de uma haste contendo a gema de brotação da variedade escolhida (borbulha); terminando o processo, faz-se a proteção do enxerto com fita plástica apropriada. Após 21 dias, retirar a fita de proteção, e fazer pulverização com fungicida. Depois disto, podar o cavalinho cerca de 2,5 cm acima da placa de enxertia.Consiste em retirar uma porção de casca na parte inferior do caule do porta-enxerto, colocando em seguida uma placa originada de uma haste contendo a gema de brotação da variedade escolhida (borbulha); terminando o processo, faz-se a proteção do enxerto com fita plástica apropriada. Após 21 dias, retirar a fita de proteção, e fazer pulverização com fungicida. Depois disto, podar o cavalinho cerca de 2,5 cm acima da placa de enxertia.

30 Enxertia Verde – usa-se neste caso borbulhas verdes. O porta-enxerto deve possuir no mínimo 0,5 cm de diâmetro a 5 cm do colo da planta.Enxertia Verde – usa-se neste caso borbulhas verdes. O porta-enxerto deve possuir no mínimo 0,5 cm de diâmetro a 5 cm do colo da planta. Enxertia Marrom - os porta-enxertos devem estar com aproximadamente 2 cm de diâmetro a 5 cm do solo. Neste caso usa-se borbulhas dormentes ou maduras. Enxertia Marrom - os porta-enxertos devem estar com aproximadamente 2 cm de diâmetro a 5 cm do solo. Neste caso usa-se borbulhas dormentes ou maduras.

31 Retirada das Hastes

32 Realização da toalete da haste

33 Desinfecção das hastes

34 Retirada da borbulha Retirada da borbulha

35 Abertura da Janela Abertura da Janela

36 Colocação da Gema Colocação da Gema

37 Amarrio com Fita Plástica Amarrio com Fita Plástica

38 Enxertia em cavalos com 6 meses Enxertia em cavalos com 6 meses

39 8. Arranquio De forma geral, é realizado logo após a poda do cavalinho.De forma geral, é realizado logo após a poda do cavalinho. Pode ser feito com enxadão ou vanga. O importante é não danificar a gema, e nem a sacola.Pode ser feito com enxadão ou vanga. O importante é não danificar a gema, e nem a sacola. Encanteirar as sacolas em canteiros de 1,00 metro de largura, aguardando o transporte para o campo, no estádio de esporinha ou lançamento foliar maduro.Encanteirar as sacolas em canteiros de 1,00 metro de largura, aguardando o transporte para o campo, no estádio de esporinha ou lançamento foliar maduro.

40 ESPORINHA LANÇAMENTO MADURO

41 9. Jardim Clonal É uma fonte de material vegetativo, contendo gemas dormentes próprias para a enxertia, dos clones escolhidos para a implantação do projeto.É uma fonte de material vegetativo, contendo gemas dormentes próprias para a enxertia, dos clones escolhidos para a implantação do projeto. Torna-se mais viável quanto maior o tamanho do viveiro.Torna-se mais viável quanto maior o tamanho do viveiro. Deve possuir Origem Genética conhecida.Deve possuir Origem Genética conhecida. Espaçamentos entre 1 x 1 m, a 2 x 1,0 m.Espaçamentos entre 1 x 1 m, a 2 x 1,0 m. 1 m de haste, 12 a 15 borbulhas.1 m de haste, 12 a 15 borbulhas. Os clones devem ser muito bem identificados por placas, para não haver mistura na coleta do material.Os clones devem ser muito bem identificados por placas, para não haver mistura na coleta do material. Eliminar plantas com caracteristicas diferentes do clone implantado.Eliminar plantas com caracteristicas diferentes do clone implantado.

42 JARDIM CLONAL 1.- PREPARO DA ÁREA. 2.- ESPAÇAMENTO. 3.- CLONES. 4.- IRRIGAÇÃO. 5.- ADUBAÇÃO. 6.- COLETA DE HASTES.(CUIDADOS E TRATAMENTOS,TRANSPORTE) 7.- RENDIMENTO. 8.- CONTROLE DE PRAGAS. 9.- CONTROLE DE DOENÇAS.

43 Jardim Clonal Jardim Clonal

44

45

46 10. Resumo sacolas a mudas sacolas a mudas –1.000 Kg de Sementes (1 Kg = 100 mudas); –170 metros de germinador (1 m 2 = 6 Kg); –Aproximadamente 1 Ha de sacolas; –20% perdas até enxertia = enxertos; m de borbulha. –10% perdas de enxertos = mudas; –3% perdas arranquio encanteiramento = mudas.

47

48

49

50

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

61

62

63

64

65

66

67

68

69

70

71

72

73

74

75

76

77

78

79

80

81

82

83


Carregar ppt "1. Escolha do Local Solo profundo e bem drenado.Solo profundo e bem drenado. Proximidade, quantidade e qualidade de uma fonte de água.Proximidade,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google