A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução ao Modelo Financeiro Cesar Queiroz Consultor em Infraestrutura Brasilia, 8 – 9 de Junho de 2010 Banco Mundial – Ministério dos Transportes Workshop.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução ao Modelo Financeiro Cesar Queiroz Consultor em Infraestrutura Brasilia, 8 – 9 de Junho de 2010 Banco Mundial – Ministério dos Transportes Workshop."— Transcrição da apresentação:

1 Introdução ao Modelo Financeiro Cesar Queiroz Consultor em Infraestrutura Brasilia, 8 – 9 de Junho de 2010 Banco Mundial – Ministério dos Transportes Workshop sobre o Toolkit Parcerias Publico-Privadas em Rodovias

2 Avaliação Financeira de Projetos de PPP OBJETIVO 1 AVALIAR SE O PROJETO PODERIA SER FINANCEIRAMENTE ATRAENTE PARA O SETOR PRIVADO OBJETIVO 2 AVALIAÇÃO DA PROVÁVEL (SE NECESSÁRIA) CONTRIBUIÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO PARA O PROJETO Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

3 O deve ser medido? Value for money Transferência otima de risco para o setor privado Acessibilidade Demonstrado um valor em trazer o setor privado Eficiência dos custos (principal) Investimento (risco médio) Risco atribuído a melhor parte capaz de gerenciá-lo Por exemplo, a construção para o setor privado Riscos de demanda e econômicos Cidade/Governo podem dispor de recursos para pagamentos a curto e longo prazos As garantias são contabilizados para os usuários poderem pagar as tarifas Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

4 CAPEX SUBSÍDIO (PÚBLICO CAPITAL (PRIVADO) DÍVIDA (PRIVADO) OPEX Serviço da Dívida(Juros/Principall) Impostos/Taxas Dividendos (Capital) Receitas Operacionais e/ou Disponiblidades de Pagamentos ConstruçãoOperações Fluxode caixa durante a concessao Fluxo de caixa durante a concessao Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

5 Propósito Familiarização dos usuários não-financeiros com os princípios básicos de projeto financeiro e simulações financeiras para um projeto rodoviário PPP análise inicial do projeto a nível de pré-viabilidade para avaliar as taxas de pedágios e os níveis de subsídios para possível opção de PPP Propósito modelos financeiros simplificados não adequados para a avaliação e o detalhamento específico do projeto necessidade de desenvolvimento de mais modelos para análise de potenciais projetos PPP durante a preparação e operação Modelos financeiros auditados em 2009 para a verificação da sua precisão matemática Guias de usuário disponíveis (Módulo 6: Modelos Financeiro dex.html dex.html Modelos Financeiros Toolkit Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

6 O modelo representa as principais características financeiras do projeto de uma empresa em forma gráfica e a sua sensibilidade para um intervalo de 14 hipóteses fundamentais. Os gráficos mudam de acordo com as hipóteses principais do projeto Três gráficos estão disponíveis Gráfico da Dívida Gráfico dos Dividendos Gráfico do Fluxo de Caixa Modelo gráfico Destinado principalmente para fins educacionais Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

7 O modelo fornece as demonstrações financeiras para quem quer ser uma concessionária to analizar a construção e a exploração de uma concessão de rodovias sob um tipo de projeto Build-Operate-Transfer (BOT) Dados padrão de um contratto verdadeiro de concessão de Auto-estrada no Leste Europeu Folha de hipóteses contendo todos os dados chaves input Modelo financeiro não é um modelo do banco e não se destina a fornecer modelagem financeira a projetos específicos Modelo Numérico Destinado a análise inicial do projeto em fase de viabilidade Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

8 Fluxo de Caixa do Projeto Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

9 Principais indicadores para análise financeira Taxa interna de retorno (TIR) Retorno financeiro ou lucro do projeto, independentemento da estrutura de financiamento O projeto é considerado financeiramente viável quando a TIR do projeto for superior a uma taxa de referência em relação ao país, setor e as características do projeto (7% ou mais em termos reais, dependendo do países e dos mercados financeiros) OCFBF = Operating Cash-Flows Before Financing Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

10 Lucro ou Taxa Interna de Retorno (TIR ou Lucro) Rentabilidade do projeto para os acionistas através da remuneração do seu investimento com os dividendos O projeto é rentável quando a TIR ou o lucro é alto. Geralmente uma Taxa Interna de Retorno mínima esperada (retorno real) é de 10% (Shadow Toll) or 17% (Pedágio Rodoviário). A eqüidade da TIR mínima é chamado Hurdle Rate. Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

11 Proporção da Cobertura do Serviço da Dívida Anual (PCSDA) Representa a capacidade da empresa do projeto para cobrir/pagar a dívida Projeto estimado é viável para os credores, quando PCSDA é maior do que 1 para cada ano de vida do projeto. Geralmente, o mínimo de PCSDA deve ser superior a 1,2. CAFDS = fundos disponíveis para o serviço da dívida (Serviço da Dívida)i,n = Principali,n + Interesti,n Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

12 Taxa de Cobertura do Serviço da Dívida do Empréstimo Durante a Vida do Projeto (LLCR) Medida da quantidade de vezes que o fluxo de caixa ao longo da vida prevista para o empréstimo pode pagar a dívida ao saldo pendente Geralmente, o mínimo de LLCR deve ser maior que 1.2. RDSD = Recursos Disponíveis para o Serviço da Dívida Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

13 Modelo gráfico para avaliação financeira Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

14 Cinco planilhas Planilha de dados: resume as principais características (pressupostos) do projeto PPP Repagamento do Empréstimo: (Principal + Juros) constante ou Linear Duração dos trabalhos: de 1 a 5 anos Distribuição dos trabalhos por ano Custos da operação: custos variáveis (por veículo) Situação da taxa de desconto utilizada para calcular o VLP do Governo Gráfico do Fluxo de Caixa Representa o fluxo de caixa da concessionária durante o período da concessão Usando o modelo gráfico Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

15 Gráfico da dívida Pagamento anual do principal e dos juros durante o período do serviço da dívida (período de graça + período de repagamento). Mudanças nas duas principais taxas do banco durante o período de reembolso: Índice de Cobertura Anual do Serviço da Dívida (ICASD) e Índice de Cobertura da Vida do Empréstimo (ICVE). Gráfico dos dividendos Lucros mobilizados pelos acionistas da empresa durante o período de construção e os dividendos recebidos por eles durante o período de operação. Mudanças nas duas principais taxas de investimentos durante a concessão: TIR do Projeto e TIR do Lucro. Resumo das hipóteses dos resultados Usando o modelo gráfico Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

16 Indicadores do projeto/taxas TIR do projeto do último ano da concessão em termos reais Lucro da TIR do último ano da concessão em termos reais Mínimo de ICASD Mínimo de ICVE PV da contribuição líquida do governo O governo paga subsídios durante o período de construção e recupera os impostos e IVA durante o período de operação. O indicador mostra o valor do fluxo de caixa atual do governo. Usando o modelo gráfico Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

17 Indicadores do projeto independentes da Estrutura Financeira TIR do projeto para o último ano da concessão em termos reais. Recuperação do investimento do projeto (numérico somente) NPV do Projeto Indicadores financeiros dependentes da Estrutura Financeira Equity IRR for the last year of concession in real terms, Minimum ADSCR Minimum LLCR Public Authorities financial flows Usando o modelo gráfico Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

18 Dados do Projeto: 14 características chaves do projeto Duração da concessão Entre 7 e 100 anos Custos da Construção Entre 5 milhões e 5 bilhões de dolares Indexado à inflação durante o período de construção Custos Operacionais anual Entre 1 milhão e 500 milhões de dolares Taxa de Equivalência Percentual do custo do investimento Usando o Modelo Gráfico Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

19 Taxa Subsidiada Percentual do custo do investimento Dívida Montante da dívida calculado pelo ssitema para atingir 100% do custo do investimento (Equivalência + Subsídio + Crédito = 100%) Taxa de juros: variável de 0% a 25% Prazo de carência: período durante o qual o repagamento da dívida é adiado. O prazo de carência pode ser maior ou igual ao tempo de duração das obras Prazo de vencimento da dívida: período de graça + período de repagamento Tráfico Tráfico diário inicial : tráfico diário do primeiro ano de funcionamento Crescimento do tráfego: estitmativa das previsões de tráfego durante o período do projeto Usando o Modelo Gráfico Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

20 Pedágio Corresponde ao valor médio de pagamento do pedágio pago pelos veículos durante o primeiro ano de operação Inflação Usada para estimar as previsões de receitas, os custos operacionais e para calcular as taxas reais dos indicadores Impostos sobre as sociedades Corresponde ao imposto sobre as sociedades (imposto sobre os lucros) pago pela concessionária VAT Usada para calcular a VAT paga anualmente ao Estado pelo parceiro privado a partir das receitas do projeto Usando o Modelo Gráfico Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

21 Comentários e Avisos Comentários Exibido pelo sistema para alertar ao usuário quando das entradas irrealistas ou impossíveis pelas características do projeto Avisos Quando os valores dos principais indicadores são inferiores aos valores mínimos exigidos (Project IRR – Equity IRR – LLCR – ADSCR – NPV for the State) Usando o Modelo Gráfico Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

22 Modelo Numérico para avaliação Financeira Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

23 Principais diferenças com o modelo gráfico Entrada de Dados Quatro categorias de tráfego com o crescimento e as taxas de pedágios Valores nominais (custo da inflação e as taxas de evolução do preço) Três parcelas da dívida Subsídios à construção e a operacionalização Saídas Produz demonstrações financeiras, fluxo de caixa e Produces financial statements, cash-flows etc da concessionária Fluxo de caixa para autoridade pública Taxas adicionais (período de recuperação do investimento ) Usando o Modelo Numérico Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

24 Pricipais características O modelo inclue: Folha de pressupostos Demonstrações financeiras Resultados da folha Folhas gráficas ligadas a uma ferramenta de simulação gráfica Os principais parâmetros do modelo são definidos nas folahs de pressupostos Dados inseridos usando barras de rolagem A coerência dos dados é controlada em tempo real (por exemplo, a coerência entre o tempo da concessão, o período da construção e o período da operação) Usando o Modelo Numérico Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

25 Tráfico e o pedágio 4 categorias de veículos 2 perfis de trafégo Perfil automático: calculado das taxas de crescimento e do tráfico diário inicial Perfil especial : Previsões de tráfego são colocadas na Folha de Tráfico Taxas de pedágio USD / Km / Veículo Inflação indexada Os resultados da folha indicam o intervalo do tráfego através do período de concessão Workshop sobre PPP em rodovias - Brasilia, 8-9 de junho 2010

26 Obrigado!


Carregar ppt "Introdução ao Modelo Financeiro Cesar Queiroz Consultor em Infraestrutura Brasilia, 8 – 9 de Junho de 2010 Banco Mundial – Ministério dos Transportes Workshop."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google