A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capítulo 6 ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 6.1 Recursos de curto prazo 6.2 Administração de disponibilidades 6.3 Administração de estoques 6.4 Administração.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capítulo 6 ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 6.1 Recursos de curto prazo 6.2 Administração de disponibilidades 6.3 Administração de estoques 6.4 Administração."— Transcrição da apresentação:

1 Capítulo 6 ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 6.1 Recursos de curto prazo 6.2 Administração de disponibilidades 6.3 Administração de estoques 6.4 Administração de contas a receber Administração Financeira: uma abordagem prática (HOJI)

2 6.1 Recursos de Curto Prazo

3 6.1 Recursos de Curto Prazo Capital de giro Capital circulante Recursos aplicados em ativos circulantes Transforma-se constantemente dentro do ciclo operacional

4 6.1 Recursos de Curto Prazo

5

6 Capital circulante líquido CCL = Diferença entre o ativo corrente e o passivo corrente 6.1 Recursos de Curto Prazo

7 Fontes de capital de giro 6.1 Recursos de Curto Prazo ATIVO CIRCULANTE (aplicação de capital de giro) REALIZÁVEL A LONGO PRAZO ATIVO PERMANENTE O capital de giro pode ser financiado por qualquer das fontes. PASSIVO CIRCULANTE EXIGÍVEL A LONGO PRAZO PATRIMÔNIO LÍQUIDO FONTES

8 6.1 Recursos de Curto Prazo Exemplos de fontes geradas pelas operações: duplicatas a pagar; impostos a recolher; salários e encargos sociais a pagar. De forma geral, essas são fontes não onerosas (exceto quando o fornecedor cobra juro pela concessão do prazo de pagamento). Exemplos de fontes geradas pelas atividades financeiras: financiamentos bancários; empréstimos bancários. Essas são fontes onerosas.

9 6.2 Administração de Disponibilidades

10 6.2 Administração de Disponibilidades Visão integrada do fluxo de caixa Principais contas operacionais: contas a receber (clientes); estoques; contas a pagar (fornecedores). Uma das principais funções do tesoureiro é assegurar o equilíbrio financeiro da empresa, controlando eficazmente as atividades de compra, estocagem, vendas e distribuição.

11 Manutenção do saldo mínimo de recursos disponíveis Uma das finalidades da gestão de caixa é manter um saldo mínimo de recursos que possam ser transformados em dinheiro imediatamente. Finalidades: => pagamento de compromissos financeiros gerados pelas atividades operacionais; => amortização de empréstimos e financiamentos; => desembolsos para investimentos permanentes; => pagamentos de eventos não previstos. 6.2 Administração de Disponibilidades

12 Capacidade de obtenção de caixa Limite máximo de recursos financeiros que a empresa consegue tomar no mercado (de terceiros e acionistas) As atividades da empresa devem ser planejadas dentro do limite da capacidade de obtenção de caixa A capacidade de obtenção de caixa depende, também, da capacidade de geração de caixa operacional 6.2 Administração de Disponibilidades

13 Capacidade de geração de caixa operacional Aumento de $ Lucro de $ Operações = $ Empréstimo = $ Administração de Disponibilidades

14 Administração do ciclo financeiro $ em 90 dias $ em 75 dias M a i s l u c r o e m m e n o s t e m p o ! ! 6.2 Administração de Disponibilidades

15 Aplicação de fundos ociosos RENDA FIXA Certificado de depósito bancário (CDB) Recibo de depósito bancário (RDB) Fundos mútuos de renda fixa Títulos da dívida pública RENDA VARIÁVEL Ações Fundos mútuos de renda variável Fundos mútuos cambiais 6.2 Administração de Disponibilidades

16 6.3 Administração de Estoques

17 6.3 Administração de Estoques Responsabilidade pela administração dos estoques A responsabilidade pela administração dos estoques é dos gerentes da área de operações, porém o administrador financeiro pode (e deve) influir sobre os níveis de estoques por meio de controles gerenciais, bem como sobre as formas de compras e financiamentos. O capital de giro investido em estoques gera custos financeiros.

18 Decisão sobre compra a vista ou compra a prazo 6.3 Administração de Estoques

19 Lote econômico de compras O lote econômico de compras é a quantidade ótima de compra de um item de estoque, considerando: (a) custos de pedidos; (b) custos de manutenção de estoques; e (c) custos administrativo de controle e pagamento. 6.3 Administração de Estoques

20 Adiantamentos a fornecedores Adiantamento: recurso financeiro entregue ao fornecedor sem que haja o correspondente fornecimento de material, equipamento ou serviço. Por esse motivo, é recomendável entregar o recurso financeiro mediante apresentação de garantia. 6.3 Administração de Estoques

21 6.4 Administração de Contas a Receber

22 6.4 Administração de Contas a Receber Análise e concessão de crédito A análise de crédito deve considerar os 5 Cs: caráter capacidade capital collateral condições

23 Política de crédito A política de crédito trata dos seguintes aspectos: prazo de crédito seleção de clientes limite de crédito. Aumento do prazo médio de crédito implica aumento da necessidade líquida de capital de giro (Figura 6.5). 6.4 Administração de Contas a Receber

24 Política de cobrança A política de cobrança deve ser implementada em conjunto com a política de crédito. aumenta Maior facilidade em concessão de crédito aumenta o volume de vendas. Por outro lado, aumenta o volume de inadimplência. 6.4 Administração de Contas a Receber

25 Administração financeira de contratos Principalmente em contratos de longo prazo ou fabricação sob encomenda, os eventos financeiros (recebimentos) estão desvinculados dos faturamentos. 6.4 Administração de Contas a Receber


Carregar ppt "Capítulo 6 ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 6.1 Recursos de curto prazo 6.2 Administração de disponibilidades 6.3 Administração de estoques 6.4 Administração."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google