A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL. PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR ÁREA DE TRANSBORDO E TRIAGEM.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL. PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR ÁREA DE TRANSBORDO E TRIAGEM."— Transcrição da apresentação:

1 RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL

2 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR ÁREA DE TRANSBORDO E TRIAGEM

3 Rede de ecopontos; Área de reciclagem; Aterro dos RSCC.

4 Objetivos: Não geração, redução, reutilização, reciclagem e tratamento dos resíduos sólidos, bem como a disposição ambientalmente adequada dos rejeitos; Incentivo à industria da reciclagem, tendo em vista fomentar o uso de materias-primas e insumos derivadops de materiais recicláveis e reciclados; Incentivo ao sistema de gestão ambiental e empresarial voltados para a melhoria dos processos produtivos e ao reaproveitamento dos resíduos sólidos, incluídos a recuperação e o aproveitamento energético

5 Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão de resíduos da construção civil.

6 Considerando a política urbana de pleno desenvolvimento da função social da cidade e da propriedade urbana, conforme disposto na Lei nº , de 10 de julho de 2001; Considerando a necessidade de implementação de diretrizes para a efetiva redução dos impactos ambientais gerados pelos resíduos oriundos da construção civil; Considerando que a disposição de resíduos da construção civil em locais inadequados contribui para a degradação da qualidade ambiental; Considerando que os resíduos da construção civil representam um significativo percentual dos resíduos sólidos produzidos nas áreas urbanas; Considerando que os geradores de resíduos da construção civil devem ser responsáveis pelos resíduos das atividades de construção, reforma, reparos e demolições de estruturas e estradas, bem como por aqueles resultantes da remoção de vegetação e escavação de solos; Considerando a viabilidade técnica e econômica de produção e uso de materiais provenientes da reciclagem de resíduos da construção civil; Considerando que a gestão integrada de resíduos da construção civil deverá proporcionar benefícios de ordem social, econômica e ambiental,

7 É instrumento para a implementação da gestão dos resíduos da construção civil o Plano Integrado de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil, a ser elaborado pelos Municípios e pelo Distrito Federal, o qual deverá incorporar: I - Programa Municipal de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil; e II - Projetos de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil.

8 O Programa Municipal de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil será elaborado, implementado e coordenado pelos municípios e pelo Distrito Federal, e deverá estabelecer diretrizes técnicas e procedimentos para o exercício das responsabilidades dos pequenos geradores, em conformidade com os critérios técnicos do sistema de limpeza urbana local Os Projetos de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil serão elaborados e implementados pelos geradores não enquadrados no artigo anterior e terão como objetivo estabelecer os procedimentos necessários para o manejo e destinação ambientalmente adequados dos resíduos.

9 Institui o Programa Municipal de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Construção Civil - PMGRSCC

10 I – realizar o manejo dos RSCC de forma a lhes dar destinação que não prejudique a qualidade ambiental e a saúde pública, promovendo ações de estímulo à sua reutilização, beneficiamento e reciclagem, II – coibir práticas irregulares de deposição de entulho e outros resíduos III – estimular atividades que possam agregar valores aos resíduos IV – possibilitar a utilização dos agregados reciclados conforme as especificações das normas técnicas, principalmente em obras públicas; V – estabelecer as responsabilidades dos geradores dos RSCC e demais agentes envolvidos; VI – apoiar a realização de programas de capacitação de trabalhadores da construção civil em empresas privadas e públicas VII – otimizar o desempenho dos serviços municipais de limpeza urbana e de gerenciamento dos RSCC.

11 I – o Plano Municipal de Gestão dos Resíduos Sólidos da Construção Civil; II – os Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Construção Civil.

12 Deverá ser elaborado e implementado pelo grande gerador, objetivará estabelecer os procedimentos necessários ao manejo e à destinação ambientalmente adequados dos resíduos, nos termos das diretrizes emanadas pelo CONAMA. O Plano de Gerenciamento de RSCC integrará o respectivo requerimento de licença para análise pelo órgão municipal de meio ambiente

13 I – caracterização: identificação, quantificação e qualificação dos resíduos; II – triagem: separação dos resíduos na origem, preferencialmente pelo gerador, ou nas áreas de destinação licenciadas para essa finalidade; III – acondicionamento: confinamento dos resíduos após a geração até a etapa de transporte, asseguradas as condições de reutilização e de reciclagem, no que couber; IV – transporte: deslocamento dos resíduos, nos termos das normas técnicas; V – estocagem: guarda dos resíduos das classes A e B, para aproveitamento posterior; VI – destinação: reaproveitamento, reciclagem, estocagem ou aterramento dos resíduos, mediante a informação do volume e do local a ser encaminhado; VII – disposição final: descarte dos resíduos, mediante a informação do volume a ser disposto, nos termos do artigo 19.

14 O Plano de Gerenciamento de RSCC deverá ser apresentado em 03 (três) vias, acompanhado dos seguintes documentos: I – Anotação de Responsabilidade Técnica (ART); II - Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental – CADRI, a ser expedido pelo órgão ambiental estadual competente, nos termos da legislação vigente; III – cópia do projeto arquitetônico; IV – planilha descritiva dos RSCC; V – cronograma de remoção dos RSCC; VI – cópia do espelho do IPTU em caso de demolição de imóveis.

15 Na geração dos RSCC deverá ser estabelecido como objetivo primário, a sua minimização e, como secundário, a redução, a reutilização, a reciclagem e a destinação final. A execução dos serviços de coleta e transporte de RSCC será realizada por meio de caçambas ou de veículos coletores de entulhos. Todo aquele que pretender explorar esses serviços deverá requerer alvará de localização e funcionamento junto à Secretaria Municipal de Finanças, bem como prévio cadastro junto à CET- Santos

16 A emissão da Carta de Habitação, da Carta de Ocupação ou do pedido de baixa de licença ficará condicionada à apresentação de declaração emitida pelo órgão municipal de meio ambiente, atestando o atendimento ao Plano de Gerenciamento de RSCC, anteriormente aprovado.

17 Os grandes geradores de RSCC deverão, no prazo de 60 dias a contar da vigência desta lei complementar, apresentar plano de gerenciamento dos resíduos sólidos da construção civil a serem submetidos à aprovação do órgão municipal de meio ambiente. Para as obras em andamento deverão ser apresentados os documentos comprobatórios da destinação adequada dos RSCC, para análise e emissão de certificado, que integrará o pedido de expedição da Carta de Habitação, da Carta de Ocupação ou do pedido de baixa da licença.

18

19

20

21

22

23 Flavio Rodrigues Corrêa


Carregar ppt "RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL. PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR ÁREA DE TRANSBORDO E TRIAGEM."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google