A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Canais de Distribuição. Canais de Distribuição Usando o Exemplo do Ipod (Apple) Loja da Apple Via Internet (Online) CANAL DIRETO Loja da Apple Varejo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Canais de Distribuição. Canais de Distribuição Usando o Exemplo do Ipod (Apple) Loja da Apple Via Internet (Online) CANAL DIRETO Loja da Apple Varejo."— Transcrição da apresentação:

1 Canais de Distribuição

2 Canais de Distribuição Usando o Exemplo do Ipod (Apple) Loja da Apple Via Internet (Online) CANAL DIRETO Loja da Apple Varejo CANAL DIRETO Apple emprega seu pessoal dentro da CompUSA CompUSA (Aliança estratégica) CANAL DIRETO

3 Canais de Distribuição Usando o Exemplo do Ipod (Apple) Ingram Micro / Best Buy CANAL INDIRETO MacMall CANAL INDIRETO

4 CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO Tipos de canais de distribuição Categorias de canais de distribuição VerticaisHíbridosMúltiplos

5 Definição: Consiste em estruturas mercadológicas verticais onde a responsabilidade sobre o produto é transferida entre os participantes da Cadeia de Distribuição até chegar ao consumidor final. Características: Fabricante e atacadistas não tem contato direto com o consumidor final, sendo o varejista o responsável pela plena satisfação do cliente final. Canais Verticais (1ª fase da Evolução Logística – atuação segmentada) CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

6 Manufatura Atacadista Varejo Consumidor Manufatura Setor de vendas do fabricante Consumidor Manufatura Varejo Consumidor Ex: MercadinhosEx: Avon Ex: Supermercados Canal Vertical CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

7 Canais Híbridos (2ª Fase da Evolução Logística – integração rígida) Definição: Consiste em estruturas mercadológicas onde uma parte das funções logísticas ao longo do canal de distribuição são executadas por dois ou mais agentes da cadeia de suprimentos. CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

8 Características: (+) Contato direto do fabricante com os principais clientes; (+) Grandes clientes obtém maiores descontos e melhor nível de serviço; (+) Provimento de serviços logísticos baratos e eficientes; (-) Necessidade de compensação financeira entre agentes da cadeia de suprimentos (-) Potencial redução na remuneração ao distribuidor pelos serviços prestados; (-) Riscos a manutenção de nível de serviço aos pequenos clientes; (-) Surgimento de conflitos devido a duplicidade ação entre agentes da cadeia de suprimentos. CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

9 Setor de vendas do fabricante Consumidor Indústria Distribuidor externo Unidades de servi ço (ext. e int) Funções gerais de demanda Serviços Pós-venda Canal Híbrido Distribuição física Ex: CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

10 Definição: Consiste em estruturas mercadológicas onde são adotados vários canais de distribuição para a venda de produtos e segmentos de mercado com perfis distintos de consumidores. Canais Múltiplos CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

11 Características: (+) amplia a disponibilidade do produto ou serviço, potencializado as vendas; (-) Potencial perda de competitividade de um canal de distribuição pela interferência de um agente com maior competitividade de outro canal da mesma cadeia de distribuição. Canais Múltiplos CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

12 Atacadista A (Produtos P1 e P2) Grande consumidor (P1 e P2) Indústria Varejista B (Produto P2) Pequeno consumidor (P2) Canal Múltiplo ? CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

13 A venda em escala do Atacadista A Menores preços para P2. Interferência de A no cana de B Perda de competitividade Do varejista B Comprometendo sistemático De distribuição como um todo CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

14 Atacadista Consumidor Final Fabricante Grande Varegista Canal ACanal B AMPLITUDE do canal de distribuição Pequeno varejista COMPRIMENTO do canal de distribuição CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

15 Comprimento: consiste no número de intermediários na cadeia de suprimento desde o fabricante até o consumidor final. Tipos de Comprimentos (Kloter, 1993) Nível zero: não há intermediários O fabricante vendendo seu produto diretamente ao consumidor. Ex: Avon. Nível 1: Somente um intermediário Os grandes varejistas compram os produtos diretamente dos fabricantes e os revendem em suas lojas. Ex: cadeia de supermercados. CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

16 Nível 2: dois intermediários Os minimercados de vizinhança normalmente adquirem os produtos a partir de atacadistas, que por sua vez, os adquirem dos fabricantes. Obs: Podem ocorrer canais com mais níveis, embora sejam menos frequentes. CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

17 Amplitude: também chamada largura do canal, definida para cada segmento intermediário da cadeia de suprimento, é representada pelo números de empresas que nela atuam. Tipos de Amplitude Distribuição Exclusiva – amplitude unitária, somente um distribuidor, aplicado a produtos especiais. Ex: Rolex. Distribuição Seletiva – amplitude múltipla, mas controlada, alguns distribuidores atuando de forma segmentada. Aplicado a produtos de maior valor agregado. Ex: Automóveis. CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

18 Distribuição Intensiva – amplitude múltipla, aberta. Vários distribuidores atuando sem restrições de área de atuação. Aplicados a produtos de baixo valor agregado. Ex: Sabonetes. CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

19 Definindo canais de distribuição 1ª Etapa: Agrupar os clientes com necessidades e preferências semelhantes dentro de canais específicos, ou seja, identificação de segmentos homogêneos de clientes (foco no cliente). REFINARIADISTRIBUIDORA Canal 1 - Caminhões Posto de Gasolina Consumidor Final Consumidor final Canal 2- OleodutosIndústrias, termelétricas Segmentos homogêneos de demanda CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

20 Definindo canais de distribuição 2ª Etapa: Identificação e priorização das funções logísticas (foco no cliente). Projetados os canais Definição de funções gerais de cada canal Detalhamento de funções logística CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

21 Informações sobre o produto: a evolução tecnológica, a crescente preocupação com a saúde, a atenção com os aspectos tecnológicos, além de outros fatores, vêm exigindo por parte dos consumidores informações de melhores qualidade e em maior quantidade. Customização do produto: Alguns produtos requerem modificações técnicas para se adaptarem a condições específicas do mercado ou às exigências dos clientes. Afirmação da qualidade do produto: requisição de afirmação explicita de garantia, além da garantia normal. Funções Logísticas típicas CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

22 Indústria Química Canal 1 – Indústria alimentícias Garantia Normal Canal 2 – Indústria FarmacêuticaGarantia Explícita CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

23 Serviços logísticos: operações logísticas de transporte, armazenagem, acondicionamento, manuseio e de disseminação de informação. Variedade: alguns canais de distribuição exigem diferentes especificações técnicas para um mesmo produto dependendo do cliente final: Ex: Microsystem com diferentes voltagens. Serviços de pós-venda: disponibilizar serviços diversos ao cliente, tais como: instalação, manutenção, conserto, upgrade, reclamações. Etc. Ex: comercialização de produtos eletrônicos. CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

24 Disponibilidade: adequar a disponibilidade do produto ou serviço as exigências do cliente. Ex: numa região onde há forte concorrência com outras marcas, pode ser conveniente oferecer o produto em tamanhos diversos e com características diferentes, ou medicamentos vendidos 24h para emergências Tamanho do lote: está intimamente associada ao desembolso de recursos por parte dos clientes. Considerando as despesas com aquisição, os custos de manuseio e os custos de estocagem do produto. Ex: Comercializando um determinado produto para uma grande cadeia de supermercados, o fabricante pode fornecê-los em palets plastificados, já para o pequeno varejista pode ser feito em caixas. CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

25 Nesta etapa deve-se confrontar o projeto dos canais de distribuição (agentes e funções logísticas) com as melhores práticas de distribuição dos concorrentes, avaliando ainda a capacidade do projeto de atender os requisitos dos clientes da cadeia de suprimento. 4ª Etapa: Revisão do projeto de distribuição. Revisar e adequar o projeto de distribuição (etapas 1 e 2) com base nos resultados do Benchmarketing. A definição dessas opções deve ser baseada nos objetivos da empresa, buscando manter o nível de serviço prestado aos clientes. 3ª Etapa: Benchmarketing preliminar CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

26 Medir os custos e os benefícios associados a cada alternativa de canal de distribuição, estimando os investimentos e os mercados atendidos por cada canal. Com isto, busca-se definir a estrutura do(s) canal(is) de distribuição que atendam os interesses da empresa, com o mínimo de custo e a máxima satisfação do cliente final. 6ª Etapa: Integração com as atividades atuais da empresa Integrar a nova estrutura de canais de distribuição às atuais atividades logísticas da empresa (projeto de distribuição). 5ª Etapa: Custos e Benefícios CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

27 Encurtando canais de distribuição FabricanteVarejista Sistemas logísticos de entrega rápida Intercâmbio eletrônico de informações (EDI) Hardware e software para tratamento e monitoramento de pedidos de múltiplos clientes pedido Distribuidor entrega Tecnologia da Informação CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

28 Custos proibitivos para o atendimento de pequenos clientes dispersos em regiões distantes e de difícil acesso, sem o intermédio de distribuidores. Necessidade de investimentos de infra-estrutura de distribuição para manter o nível de serviço e ampliar mercado consumidor. Encurtamento de canais somente entre fabricante e grandes varejistas, implica em redução de custos para ambos, mas pode reduzir a competitividade dos pequenos varejistas, uma vez que estes ainda dependem dos distribuidores. Problemas e restrições ao encurtamento da Cadeia de Distribuição CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

29 Fabricantes e varejistas devem buscar a formação de parcerias confiáveis e duradouras com atacadistas e distribuidores visando a reestruturação das operações logísticas destes intermediários, de modo a oferecerem serviços mais avançados de informação e resposta rápida no atendimento aos clientes. Soluções para encurtamento da Cadeia de Distribuição CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

30 Questões para discussão 1)É possível utilizar os canais de distribuição para criar barreiras à entrada de concorrentes? 2) Como utilizar os canais de distribuição para gerar uma intimidade com o consumidor? 3)Como utilizar os canais de distribuição para amortecer as incertezas da demanda?

31 Estudo de caso: A Empresa Bomfrio


Carregar ppt "Canais de Distribuição. Canais de Distribuição Usando o Exemplo do Ipod (Apple) Loja da Apple Via Internet (Online) CANAL DIRETO Loja da Apple Varejo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google