A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO."— Transcrição da apresentação:

1 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO

2 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO CRESCIMENTO DO SISTEMA Área de Concessão Km²; 184 municípios

3 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO FORÇA DE TRABALHO

4 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO HISTÓRICO DE ESTATÍSTICAS

5 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO INDICADORES DE ACIDENTES DO TRABALHO

6 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO INDICADORES DE ACIDENTES DO TRABALHO

7 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO INDICADORES DE ACIDENTES DO TRABALHO

8 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO EVOLUÇÃO NOS INDICADORES NACIONAIS Evolução na classificação da Medalha Eloy Chaves junto às concessionárias de energia elétrica do Brasil na faixa de 501 a 2000 empregados. Como vemos abaixo, de acordo com a classificação da Medalha Eloy Chaves, a COELCE foi classificada em 2003, em 5° lugar entre as concessionárias de energia elétrica do Brasil, ficando em 1° lugar entre as empresas do norte e nordeste.

9 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO ELEVADA DEMANDA DE MÃO DE OBRA QUALIFICADA; MERCADO SEM CONDIÇÕES DE SUPRIR A DEMANDA DE MÃO DE OBRA E INEXISTÊNCIA DE INSTITUIÇÕES PARA QUALIFICAÇÃO IMEDIATA; INDEFINIÇÃO E INEFICÁCIA DA POLÍTICA DE SEGURANÇA; DEFICIÊNCIA NO PLANEJAMENTO DE ATIVIDADES EM ÁREA DE RISCO ALIADO AO DESPREPARO DOS CHEFES DE TURMA E SUPERVISORES DE SERVIÇOS; DESPREPARO ORGANIZACIONAL DE PRESTADORAS DE SERVIÇOS E NÃO PRIORIZAÇÃODA SEGURANÇA DO TRABALHO; NECESSIDADE DE REORIENTAR OS GESTORES INTERNOS PARA ADMINISTRAÇÃO DOS CONTRATOS; NEGLIGÊNCIA COM O USO EPC´s E EPI´s; DESATUALIZAÇÃO E/OU INEXISTÊNCIA DE PROCEDIMENTOS TÉCNICOS PARA AS ATIVIDADES DE RISCO ELÉTRICO; DESCUMPRIMENTO DE NORMAS EXISTENTES (TÉCNICAS E SEGURANÇA); DEBILIDADE NA MOTIVAÇÀO E CONSCIENTIZAÇÀO COLETIVA PARA A SEGURANÇA DO TRABALHO; INEFICIÊNCIA DAS INSPEÇÕES E FISCALIZAÇÕES DE CAMPO. FATORES PREPONDERANTES

10 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO MAPEAMENTO DE PONTOS CRÍTICOS - Técnicos experientes da Coelce e do Grupo ENDESA; - Fundação COGE; - Ernst & Young; -Recomendações dos Agentes Reguladores. CONSCIENTIZAÇÃO DAS CHEFIAS - Realização de Workshop e reuniões direcionadas ao Compromisso com a Segurança do Trabalho. ESTABELECIMENTO DE POLÍTICA CORPORATIVA DE SEGURANÇA DO TRABALHO - Lançamento e divulgação da Política Corporativa de Segurança do Trabalho; - Priorização máxima para a Segurança do Trabalho; - Descentralização de responsabilidades para as chefias das áreas operativas; - Direito ao trabalhador de rejeitar tarefas que comprometam a segurança; - Obrigações das Prestadoras de Serviços em cumprir as normas estabelecidas. MEDIDAS ADOTADAS

11 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO O Presidente da Companhia Energética do Ceará – COELCE, no uso de suas atribuições, resolve renovar e formalizar, a partir de 03 de agosto de 2001, a adoção no âmbito da COELCE da Política de segurança do Trabalho, permanecendo a mesma integrada à Política de recursos Humanos da Empresa, conforme apresentada a seguir. A COELCE ESTÁ LIGADA NA SUA SEGURANÇA POLÍTICA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

12 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO 1.A Segurança do trabalho, no âmbito da COELCE é considerada uma atividade essencial, de cunho prevencionista, integrante do processo produtivo da Empresa, portanto, uma prática obrigatória, inerente a toda atividade, que objetiva, de forma permanente, reduzir as probabilidades de ocorrência de acidentes, através da identificação, reconhecimento, avaliação e controle dos riscos, quer de origem técnica ou comportamental; 3. Nenhum trabalho pode ser feito sem segurança. Nem urgência, nem importância, nem qualquer outra razão, poderá ser invocada para justificar a realização de um trabalho sem segurança; 4. É assegurado a qualquer empregado próprio ou prestador de serviços o direito de recusar-se a realizar tarefas se, para a sua execução, as medidas de segurança não forem devidamente satisfeitas e se for constatada a condição de perigo que ameace a sua segurança, a de outros trabalhadores ou a de terceiros; 5. É dever de cada chefia criar um ambiente em que o empregado se sinta em condições de exercer o direito acima; 6. A Empresa acredita que a Segurança do Trabalho é alcançada através do planejamento, organização e ensino do trabalho, do uso do equipamento apropriado, métodos de trabalho adequados e freqüentemente reanalisados, além da supervisão competente e atitude correta por parte dos empregados, em qualquer nível; 7. Todos os processos de trabalho, a partir do seu projeto até a sua execução, devem incorporar medidas pra a eliminação e/ou controle de riscos de acidentes, inclusive a terceiros; 9. A segurança do trabalho deve permanecer integrada às fases de planejamento e programação dos serviços, inclusive durante a elaboração de métodos e procedimentos de trabalho, visando a melhoria da segurança, da qualidade de vida dos empregados e do processo produtivo da empresa. 10. As Empresas prestadoras de serviços à COELCE são obrigadas a cumprir as mesmas normas, regras e procedimentos de segurança adotados e exigidos no âmbito da COELCE, devidamente explicitados em contrato e, em caso de descumprimento, estão sujeitas a uma penalização compatível com a gravidade da falta. POLÍTICA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

13 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO CRIAÇÃO DO COMITÊ CENTRAL E REGIONAIS DE SEGURANÇA DO TRABALHO -Propiciar maior participação e comprometimento dos dirigentes com a agilização das ações e sua implementação; - Comitê Central ( Presidente, Diretores e representante máximo da Segurança); - Comitês Regionais (Gerentes, Chefes Deptos., Presidentes e Vice presidente de CIPA, Téc. de Segurança) – 09 (Nove) IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA POTENCIALIZANDO A SEGURANÇA DO TRABALHO - Favorecer o envolvimento e comprometimento dos gestores; - Viabilizar a internalização dos conceitos básicos de Segurança do Trabalho; - Incentivar a prática de atitudes preventivas, para consolidação de uma cultura de Segurança; - Foram utilizados 120 multiplicadores - coordenadores das Reuniões quinzenais que aconteciam ao mesmo tempo em toda a empresa; - Realizadas Horas Treinamento, através de Encontros Técnicos e Reuniões Quinzenais, abrangente a todas as chefias e demais colaboradores que atuam em área de risco. ATUALIZAÇÃO E ELABORAÇÃO DE PROCEDIMENTOS TÉCNICOS (DISPOSTOS NA INTRANET CORPORATIVA) - 21 Procedimentos Operacionais (POP); - 64 Procedimentos de Execução de atividades (PEX); - Avaliação dos colaboradores nos procedimentos de suas atividades - Revisão Anual com meta definida. MEDIDAS ADOTADAS

14 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO DEFINIÇÃO E DESCRIÇÃO DO PERFIL E DAS ATIVIDADES DOS PROFISSIONAIS QUE ATUAM EM CAMPO - Descritos 21 Perfis e respectivas atividades profissionais, definindo nível de escolaridade, tempo de experiência nas respectivas categorias, periodicidade de avaliações técnicas e psicológicas IMPLANTAÇÃO DO PLANO ANUAL DE SEGURANÇA DO TRABALHO - Definição da Meta Corporativa (TF e TG); -Definição das Metas e Ações das Diretorias; -Acompanhamento mensal com reuniões com a presença dos representantes dos Comitês Regionais e convidados. CONVÊNIOS COM O SENAI E INSTITUIÇÕES DE ENSINO CREDENCIADAS PARA CAPACITAÇÀO DE PROFISSIONAIS CONTRATADOS - Definição do Fluxograma para o curso de Formação de Eletricista; - Grade curricular, com disciplinas e carga horária, para os cursos específicos; - Entre 2000 e 2003, foram capacitados todos os profissionais que atuam em áreas de risco elétrico, acumulando um total de Horas de Treinamento; - Convênio com o SENAI - Rede Pedagógica para ensino prático dos cursos de formação de eletricistas; -O SENAI oferece aos jovens da comunidade oportunidade de formação profissional, elevando a quantidade de mão de obra qualificada disponível no mercado. Entre os anos de 2002 e 2003 foram formados cerca de 500 profissionais da comunidade. MEDIDAS ADOTADAS

15 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO FLUXOGRAMA DE CURSOS PARA ELETRICISTAS

16 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO Principais cursos voltados para a segurança realizados no período FORMAÇÃO PARA ELETRICISTA; RECICLAGEM PARA ELETRICISTA; CHEFE DE TURMA; SEGURANÇA DO TRABALHO; OPERADOR DE SUBESTAÇÃO; MANOBRAS DE EQUIPAMENTOS DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO; OPERADOR DE SISTEMA ELÉTRICO; PROCEDIMENTOS DE EXECUÇÃO E OPERAÇÃO; RECICLAGEM DE LINHA VIVA; INSPEÇÃO E COMBATE À FRAUDE; PADRÃO DE LIGAÇÃO NOVA.

17 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO REDE PEDAGÓGICA - SENAI

18 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO REDE PEDAGÓGICA - SENAI

19 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO CUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E ATENDIMENTO À LEGISLAÇÃO; EXIGÊNCIA DE GARANTIAS FINANCEIRAS; EMPRESAS DEVIDAMENTE REGISTRADA NO CREA E O CONTRATO REGISTRADO PARA RECEBER ART; IMPLEMENTAÇÃO DE MULTAS CONTRATUAIS POR DESCUMPRIMENTO DAS NORMAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO. OS CONTRATOS CONTÉM TABELA DE PONTUAÇÃO PARA ESTE TIPO DE INFRAÇÕE E OS VALORES DAS MULTAS ESTÃO ASSOCIADAS ÀS FALTAS COMETIDAS (ATÉ RESCISÃO CONTRATUAL); INFORMA SOBRE O CADASTRO DE AVALIAÇÃO DE EMPREITEIRAS COM REGISTRO DE PONTUAÇÃO À CARGO DO ÓRGÃO DE SEGURANÇA; ESTABELECE NUMERO DE TURMAS E COMPOSIÇÃO DESTAS PARA DESENVOLVER CADA TIPO DE TRABALHO; OS SERVIÇOS DEVERÃO SER EXECUTADOS POR PESSOAS DEVIDAMENTE QUALIFICADAS PARA AS ATIVIDADES CONTRATADAS; DEFINE OS EQUIPAMENTOS DE SERVIÇO, OS MATERIAIS DE SEGURANÇA E FERRAMENTAS DE TRABALHO A SE UTILIZAR E QUAIS SÃO ADEQUADOS A CADA ATIVIDADE. PONTOS RELEVANTES DOS CONTRATOS

20 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO MEDIDAS ADOTADAS CRIAÇÃO DE UM SISTEMA INFORMATIZADO DE CONTROLE DAS INSPEÇÕES DE CAMPO. INTENSIFICAÇÃO DAS INSPEÇÕES DE CAMPO PELOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA. OBRIGATÓRIEDADE DE REALIZAÇÃO DE INSPEÇÕES DE CAMPO PELAS CHEFIAS DAS OPERACIONAIS. ESTRATIFICAÇÃO DAS INSPEÇÕES E CRIAÇÃO DO RANKING DE FALHAS. DESTAQUE DAS EMPREITEIRAS (PREMIAÇÃO). DESTAQUE DO MELHOR DEPARTAMENTO (PREMIAÇÃO)

21 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO MEDIDAS ADOTADAS

22 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO MEDIDAS ADOTADAS

23 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO RANKING PELA MÉDIA: N° PONTOS / INSPEÇÃO

24 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO PRINCIPAIS FALHAS DETECTADAS

25 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO INTERDIÇÕES

26 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO FILME CONVERSA AO PÉ DO POSTE - Direcionado ao planejamento antes de realização das tarefas, oportunidade se fazer a avaliação de possíveis riscos antes da atividade ser executada. FILME RESGATE DE VÍTIMA INCONSCIENTE EM CIMA DO POSTE -Com aprimoramentos na metodologia de resgate com o uso da escada e com o uso de esporas. TREINAMENTO DE RECLICAGEM FEITOS ANUALMENTE EM COMBATE A PRINCÍPIOS DE INCÊNCIDO, PRIMEIROS SOCORROS E RESGATE DE VÍTIMA INCONSCIENTE EM CIMA DOPOSTE. PARTICIPAÇÃO DOS EMPREITEIROS NO PROCESSO - Reuniões de trabalho COELCE-EMPRETEIRAS para validar e fortalecer a política de segurança - Formação de grupos mistos para validar sugestões antes de fazer mudanças -Melhora na estrutura de Segurança da Empreiteiras com a contratação de Técnicos de Segurança (25 profissionais) e elaboração de Plano Anual -Exigência de treinamento e realização de avaliação das turmas nos PEXs antes de habilitar a sua atuação em campo. MEDIDAS ADOTADAS

27 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO CONTRATO - elaboração, licitação, garantias, avaliação financeira contínua das empresas contratadas QUALIDADE DO SERVIÇO - procedimentos de execução, supervisão e certificação do serviço realizado SEGURANÇA DO TRABALHO - normas, procedimentos, inspeções e medidas corretivas OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS - controle do cumprimento das exigências contratuais QUALIFICAÇÃO DE PESSOAL - definição de perfil, formação, histórico profissional GESTÃO DOS SERVIÇOS TERCEIRIZADOS

28 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO ASSEGURAR O CUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTA Pagamento de salário, rescisões, recolhimento de encargos FGTS, INSS e IR PREVENIR CONTRA OS ACIDENTES DE TRABALHO E CONTRIBUIR PARA MELHOR QUALIDADE DOS SERVIÇOS CONTRATADOS Identificação dos empregados, experiência na função, turn-over, exames médicos, avaliação psicológica,formação profissional Link com áreas: - Técnica (subsidiar abertura de Ordem de Serviços) - Comercial (através do 0800 verifica se o colaborador está a serviço da Coelce) - Financeira (bloqueio no pagamento de faturas quando há atraso de informações, no início de cada mês, requeridas por RH) SISTEMA DE CONTROLE CENTRAL INFORMATIZADO

29 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SISTEMATICA CENTRAL DE CONTROLE

30 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO

31 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO NORMA CORPORATIVA DE CONTROLE DE EMPREITEIRAS

32 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SISTEMA CORPORTIVO ÚNICO DE AVALIAÇÃO DE EMPREITEIRAS

33 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SISTEMA CORPORTIVO ÚNICO DE AVALIAÇÃO DE EMPREITEIRAS

34 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SISTEMA CORPORTIVO ÚNICO DE AVALIAÇÃO DE EMPREITEIRAS

35 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO MAIOR PROFISSIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS; APRIMORAMENTO NA FORMAÇÃO DE CHEFES DE TURMAS E SUPERVISORES DE SERVIÇOS; CONSCIENTIZAÇÃO DOS GESTORES INTERNOS DE CONTRATOS PARA A FORMA ADEQUADA DE RELAÇÃO COM AS PRESTADORAS DE SERVIÇOS E SEUS EMPREGADOS (CURSO PARA GESTORES DE CONTRATOS); FOCO PERMANENTE NO PLANEJAMENTO DE ATIVIDADES EM ÁREA DE RISCO; ACOMPANHAMENTO CONTÍNUO NO CUMPRIMENTO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA; PONTOS RELEVANTES PARA ATUAÇÃO

36 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO CONTRATAÇÃO, INÍCIO E IMPLANTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO PELA NORMA OSHA AÇÕES PARA 2004 / 2005

37 SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO F I M POLÍTICA DE SEGURANÇA Nenhum trabalho pode ser feito sem segurança. Nem urgência, nem importância, nem qualquer outra razão, poderá ser invocada para justificar a realização de um trabalho sem segurança. É assegurado a qualquer empregado próprio ou prestador de serviços o direito de recusar-se a realizar tarefas se, para sua execução, as medidas de segurança não forem devidamente satisfeitas. ENGº MANOEL SERRANO CABEZA GERENTE DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO – COELCE ENGº CARMELINDO MONTEIRO NETO CHEFE DEPARTAMENTO DE ENGª DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO - COELCE


Carregar ppt "SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google