A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Parte 2 Julgar. 2ª parte do Texto Base J o v e n s Nas Sagradas Escrituras Na história da Igreja Seguidores de Cristo No coração da Igreja Protagonismo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Parte 2 Julgar. 2ª parte do Texto Base J o v e n s Nas Sagradas Escrituras Na história da Igreja Seguidores de Cristo No coração da Igreja Protagonismo."— Transcrição da apresentação:

1 Parte 2 Julgar

2 2ª parte do Texto Base J o v e n s Nas Sagradas Escrituras Na história da Igreja Seguidores de Cristo No coração da Igreja Protagonismo dos Jovens Composta por cinco pontos

3 A Palavra de Deus e a história da Igreja apresentam vários testemunhos de jovens que, valorizados e chamados por Deus, assumiram sua vocação de missionários da vida plena em contextos não condizentes ao projeto de Deus. Jovens nas Sagradas Escrituras

4 No Antigo Testamento No livro do Gn, Rebeca responde de maneira firme e decidida à vontade de Deus; José do Egito mostra discernimento para interpretar a vontade Deus, salva da fome o seu país e sua família; Samuel coloca-se à disposição do Senhor, se torna um importante líder religioso; Davi foi escolhido para ser ungido rei de Israel; Salomão solicita a Deus a sabedoria para poder discernir e promover a justiça.

5 Jovens nas Sagradas Escrituras No Antigo Testamento Os sete jovens do 2º Livro dos Macabeus sofrem martírio para serem fiéis à Lei; Ester salva a vida de seu povo, libertando-o da opressão e da dor; Daniel intervém em favor da casta Susana Ezequiel revela que a fidelidade de Deus à Aliança é maior que a infidelidade do povo

6 Jovens nas Sagradas Escrituras No Novo Testamento Jesus instaura o Novo Reino Pela Encarnação de seu próprio Filho, Deus se revela de forma radical; Rosto humano de Deus e o rosto divino do homem; Nasce pobre, vive pobre e com os pobres, partilha suas angústias e esperanças (Lc 4,16-20; 15,2);

7 Jovens nas Sagradas Escrituras No Novo Testamento Faz opção pelos os pobres e marginalizados, assumindo um projeto de libertação deles. Como consequência, enfrenta os conflitos com aqueles que promoviam a exclusão social e religiosa. Jesus instaura o Novo Reino

8 Jovens nas Sagradas Escrituras No Novo Testamento Jesus instaura o Novo Reino Jesus e o jovens Acolhe a jovem mãe excluída da sociedade da época, cura sua filhinha (Mc 7,24-30); Demonstra compaixão na parábola dos dois filhos (Mt 21, 28-32) – acredita na regeneração e no perdão dos erros da juventude (Lc 15,11-24); Convida os jovens a um novo caminho e a viverem seu projeto de desapego aos bens (Lc 18,18-23); Acolhe a jovem mãe excluída da sociedade da época, cura sua filhinha (Mc 7,24-30); Demonstra compaixão na parábola dos dois filhos (Mt 21, 28-32) – acredita na regeneração e no perdão dos erros da juventude (Lc 15,11-24); Convida os jovens a um novo caminho e a viverem seu projeto de desapego aos bens (Lc 18,18-23);

9 Jovens nas Sagradas Escrituras No Novo Testamento Jesus instaura o Novo Reino Jovialidade do Projeto de Jesus Cristo A jovialidade, consistia, na apresentação da novidade do REINO como renovação radical da relação com Deus e com os irmãos; e isto tinha também consequências radicais diante do sistema de sociedade que vigorava na época. O cristão não deve ser graxa para amaciar as engrenagens do sistema de morte, mas areia para travar essas engrenagens.

10 Jovens nas Sagradas Escrituras No Novo Testamento Jesus instaura o Novo Reino Jovens que procuram referenciais Jesus de Nazaré é modelo a ser seguido, seu modo de viver, atitudes a serem assumidas hoje. Intimidade com a Trindade (cf Jo 6,38); Coerência, autenticidade cf Lc 4,22); Sua misericórdia, seu acolhimento (cf Mt 18,21); Seu senso de diálogo (cf Lc 9,49-50); Sua capacidade de amar (cf Mt 20,28); Jesus de Nazaré é modelo a ser seguido, seu modo de viver, atitudes a serem assumidas hoje. Intimidade com a Trindade (cf Jo 6,38); Coerência, autenticidade cf Lc 4,22); Sua misericórdia, seu acolhimento (cf Mt 18,21); Seu senso de diálogo (cf Lc 9,49-50); Sua capacidade de amar (cf Mt 20,28);

11 Jovens nas Sagradas Escrituras No Novo Testamento Maria, modelo de seguimento Maria de Nazaré é a jovem que contribui com a História da Salvação se apresentando com fé, obediência, coragem e liderança. Maria de Nazaré, perfeita discípula e pedagoga da evangelização da juventude; Maria de Nazaré, é exemplo de missionária, de amiga, de sensibilidade social e pessoal; Maria de Nazaré, modelo de seguimento de Jesus Cristo; Maria de Nazaré é a jovem que contribui com a História da Salvação se apresentando com fé, obediência, coragem e liderança. Maria de Nazaré, perfeita discípula e pedagoga da evangelização da juventude; Maria de Nazaré, é exemplo de missionária, de amiga, de sensibilidade social e pessoal; Maria de Nazaré, modelo de seguimento de Jesus Cristo;

12 Jovens nas Sagradas EscriturasNT D i s c í p u l o s J o v e n s O mais novo dos Apóstolos – escutou de Jesus as últimas confidências (cf Jo 13,23); Acompanhou Jesus até os pés da Cruz, amparou Maria, sua mãe (cf Jo 19,25-27); Não era Apóstolo, mas foi o primeiro Evangelista, escreveu aquilo que viu e ouviu de Jesus, quando era adolescente; Como jovem viveu uma mudança de época, transição dos tempos do AT para o NT; coragem de assumir a fé, mesmo em tempo de perseguição; João Marco s

13 Jovens nas Sagradas EscriturasNT D i s c í p u l o s J o v e n s Apóstolo, ainda jovem foi perseguidor da Igreja nascente (cf At7,58); ainda jovem converteu-se, radicalmente ao Evangelho, após uma forte experiência no Caminho de Damasco (cf A 9,1-9). Exemplo de jovem capaz de mudar de vida, abandonando os caminhos da morte e aderindo ao Evangelho. Paulo

14 Jovens nas Sagradas EscriturasNT Jovem, por que Jesus é o CAMINHO, VERDADE,E A VIDA? Jovem, por que Jesus é o CAMINHO, VERDADE,E A VIDA? J E S U S C R I S T O O único Caminho para a felicidade plena; A Verdade porque é a plena Revelação de Deus; É a Vida porque é o vencedor da morte, do pecado e do mal no mundo;

15 A Igreja entende que o jovem se constitui em um lugar teológico privilegiado, isto significa acolher a voz de Deus que fala por ele. Precisamos aprender a ler e a desvelar os sinais de Deus através da novidade da cultura juvenil. J O V E M L U G A R T E O L Ó G I C O

16 A catequese – iniciação à vida cristã atinge milhares de jovens todos os anos. no coração da catequese aos jovens está a proposta explícita do seguimento de Cristo - Diretório Nac. de Catequese. A Leitura Orante das Sagradas Escrituras Proporciona aos jovens oportunidade de caminhar com as próprias pernas em sua espiritualidade. Crer na Palavra de Deus para o crescimento do jovem; Encontro do Jovem com a Palavra de Deus

17 JOVEM, olhando o retrovisor de sua história; da Igreja, para a sociedade, para o mundo... J A C J E C J I C J O C J U C

18 Atuação juvenil na Igreja do Brasil No início dos anos 60, já sob o pontificado de João XXIII, seguindo as marchas das ideias provenientes do Concílio Vat. II, a Ação Católica contava com cinco organizações destinadas aos mais jovens;

19 Atuação juvenil na Igreja do Brasil Juventude Agrária Católica (JAC) Formada por jovens do campo; Juventude Agrária Católica (JAC) Formada por jovens do campo; Juventude Estudantil Católica (JEC) Formada por jovens do ensino médio; Juventude Estudantil Católica (JEC) Formada por jovens do ensino médio; Juventude Independente Católica (JIC) Formada por jovens que não fossem abrangidos pelas demais organizações; Juventude Independente Católica (JIC) Formada por jovens que não fossem abrangidos pelas demais organizações; Juventude Operária Católica (JOC) Jovens que atuavam no meio operário; Juventude Operária Católica (JOC) Jovens que atuavam no meio operário; Juventude Universitária Católica (JUC) Constituída por estudantes de nível superior; Juventude Universitária Católica (JUC) Constituída por estudantes de nível superior;

20 Atuação juvenil na Igreja do Brasil Na década de 60, um pouco antes, Ação Católica; Década de 70: movimentos de encontro; Setor Juventude e Pastoral Orgânica; 1992 : CF da JUVENTUDE; 1996 e 1998, dois Estudos da CNBB: Pastoral da Juventude no Brasil e Marco Referencial da Pastoral da Juventude do Brasil; 2011: Comissão Episcopal para a Juventude e Jornada Mundial da Juventude; 2013: CF da Juventude e JMJ

21 Como disse Bento XVI em 2007: A Igreja precisa dos jovens para manifestar ao mundo o rosto de Cristo, que se desenha na comunidade. Se a comunidade eclesial não se abre para o protagonismo juvenil, pode apresentar uma Igreja desfigurada. Protagonismo Juvenil Configuração da Igreja

22 Protagonismo Juvenil Configuração da Igreja

23 Conclama os jovens e com eles, toda a Igreja, a contagiar com alegria e criatividade juvenis as estruturas sociais e eclesiais, a fim de cuidar melhor dos jovens sofridos, abrindo para eles os braços da caridade e as portas da inclusão.

24 1 – Quais as principais provocações que o JULGAR trouxe para nós? 2 – Quais os princípios apresentados no JULGAR que foram mais marcantes e que devem nortear a CF 2013? Trabalho em Grupos

25 Campanha da Fraternidade Obrigado! Elaborado por: Pe. José Altevir da Silva, CSSp 2013


Carregar ppt "Parte 2 Julgar. 2ª parte do Texto Base J o v e n s Nas Sagradas Escrituras Na história da Igreja Seguidores de Cristo No coração da Igreja Protagonismo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google